segunda-feira, março 29, 2010

O PEC e a defesa de Portugal dos estrangeiros maus

estrangeiros maus

O Sr. Silva veio afirmar que, "neste momento, independentemente de se gostar ou não gostar do Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC), temos que nos colocar na posição de defender Portugal perante o estrangeiro".

Anda todo nacionalista o nosso Presidente a dizer-nos o que é irrelevante aquilo que desejamos, que gostamos e em que acreditamos. Uma espécie de “suspensão da democracia” à moda do Sr. Silva, em que perdemos o direito de lutar por aquilo em que defendemos. Gostava era de saber porque se esqueceu de defender Portugal dos estrangeiro, quando era Primeiro-Ministro na altura das vacas gordas, quando a Europa aqui descarregava à pazada milhões todos os dias e ele utilizou todo esse dinheiro em estradas para esses tais estrangeiros nos impingirem os seus produtos, para pagar a destruição da nossa agricultura e industria e ainda na criação de bancos (BCP’s, BPP’s e BPN’s) com os seus amigos Loureiros e os Oliveiras e Costas. Defender Portugal é criar condições para uma verdadeira independência onde não estejamos dependentes de agências de rating ou do estalar dos dedos dos senhores do mundo. Ser-se independente é não se ser dependente, é produzir-se aquilo que necessitamos para consumir, é não como dizia o José Mário Branco no seu “FMI”, “que até neste país de pelintras se acho normal haver mãos desempregadas e se acha inevitável haver terras por cultivar!”. Cambada de Condes de Andeiros e de Vasconcelos deste país.

O Homem Bomba-atómica

homem bomba

sábado, março 27, 2010

Onde raio anda o Brutus deste Cesar?

desfile triunfal

Já há novo lider do PSD?

Looney tunes

Quando fiz este post ainda não se sabia quem ia vencer. Seja este ou outro qualquer não se spera que algo venha a melhorar neste país. PS e PSD são partidos de alterne, semelhantes nas politicas e nos objectivos e onde o que mais os separa é quem nomeia os "boys" para os "jobs" e sobretudo quem assina os contratos das obras públicas. Se for este a ganhar, ou o vamos ver a ser levada à próxima reunião dos Bilderberg ou então nunca o veremos como Primeiro-ministro. É que quem realmente escolhe quem nos governa não são, nem os eleitores nem as qualidades, (que este não parece ter muitas), de quem governa, mas sim quem a comunicação social "elege". O Balsemão que o diga.

sexta-feira, março 26, 2010

Mesmo na hora da partida ainda nos ofereceu uma ajudinha ao PEC

o adeus

Por mais que digam, que representem, que inventem ou aldrabem a verdade é que na hora da verdade, quando é necessário "segurar" o sistema, lá estão sempre os partidos de alterne democrático a darem as mãos. A Bruxa vai-se embora, mas na véspera ainda encontrou maneira de ajudar a que nos atirassem para cima com o PEC. Vais-te embora e não deixas saudades.

Cu-cu.....cu-cu.

43% loucos

Um estudo mostra que 43% de portugueses sofreram de perturbações mentais ao longo da vida. Uns sofrem de depressão, outros de mania das grandezas, outros do sindroma do mentiroso outros ainda atingiram o ponto de loucura de se verem como os heróis deste país. Infelizmente os cargos públicos estão cheios deles.

quinta-feira, março 25, 2010

Uma grande ave

papagaio e pavão

PS: Já repararam como o Francisco Assis ficou, neste boneco, parecido com a cara da Sinistra ex-Ministra da Educação? Que coisa tão feia.

Os outros que paguem a crise...não eu

auteridade para os outros

Vitor Constâncio defendeu que os salários dos membros do conselho de administração do Banco de Portugal (BdP) deverão ser congelados este ano e mesmo só por acaso isto acontece na altura em que é promovido, pela sua incompetência fiscalizadora sobre a banca, pela sua submissão às ordens dos seus patrões e pela sua gananciosa gula por dinheiro a vice-governador do banco Europeu. E logo para o cargo de supervisor bancário, tarefa onde demonstrou ser capaz de ser um cego daqueles que não vê o que não querer ver. Mordomias e um bom salário milionário, soltam-lhe logo a língua para os sacrifícios que outros deverão fazer e para elogiar os seus patrões.

quarta-feira, março 24, 2010

Será que sobrevivemos até lá?

2012

Há por aí uma profecia que diz que em 2012 chegará o fim do mundo. Não sou muito de acreditar em profecias mas com este Engenheiro tenho até dúvidas que aguentamos até essa altura. Ele dá cabo deste povo e deste pais muito antes disso. Pior ainda, quando sabemos que as alternativas a este poder são tão más, ou ainda piores que aquilo que temos, (basta ver os candidatos do PSD à liderança), o melhor mesmo é procurar uma alternativa credível e já.

O Teixeira dos Bancos

impostos banca

Também Teixeira dos Santos nos vêm dizer que este PEC não aumenta os imposto. Ou é mentiroso como o seu "Patrão" ou então esqueceu-se de referir que só estava a falar da Banca. Esses sim, ficam sempre de fora quando se fala de sacrifícios para todos. Porque será?

terça-feira, março 23, 2010

Não ao Capitalismo de casino? Há outro?

capitalismo casino

"O capitalismo tem que deixar de ser o capitalismo de casino, como foi nestes anos passados, o que levou a esta crise", declarou Mário Soares durante uma conferência dedicada à crise económica mundial.

Tempos houve em que este indivíduo se dizia socialista e contra o capitalismo. Claro que depois a “crise”, há sempre uma crise em todas as alturas, o obrigou a meter o socialismo na gaveta, disse ele, no lixo digo eu. Tanto que agora já nem contesta o capitalismo, só o capitalismo de casino, como se houvesse algum capitalismo que não seja de casino e feito de desigualdades e miséria. Tem aquilo que plantou.

O vigarista milionário

Vigarista

O antigo primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, vai receber mais de 220 mil euros para participar em duas conferências sobre formas de ganhar dinheiro e como ter êxito na vida. Os participantes pagarão cerca de 5500 euros para assistir ao evento terão ainda a possibilidade de tirar fotografias e conversar com Blair. As conferências terão lugar no Kuala Lumpur e em Singapura e, a par de Blair, também estará presente no evento a autora do best-seller ‘Put More Cash in Your Pocket: Turn What You Know into Dough’, Loral Langemeier, que explicará como ganhar 45 mil dólares (cerca de 33 mil euros) em apenas quatro minutos.

Depois de enriquecer à custa do seu povo, dos negócios da assassina guerra do Iraque, do vergonhoso e tendencioso desempenho de representante da UE para o Médio-Oriente, ainda lhe resta a lata de e a cara de pau para andar a "vender" o seu discurso em conferências para milionários. Devia era estar a ser julgado por crimes contra a humanidade e por violação do direito internacional.

segunda-feira, março 22, 2010

O discurso virtual

Socatrix

José Sócrates afirmou que "Este PEC é credível. Podemos fazer este esforço sem aumentar impostos ou penalizar as empresas. É o PEC que o país precisa"

Será que ele acredita mesmo que consegue tapar a realidade debaixo de uma resma de mentiras?

Histórias para embalar laranjinhas

A princesa e o sapo

Voltam as polémicas na campanha interna do PSD: ontem, o Conselho de Jurisdição Nacional notificou José Pedro Aguiar-Branco da existência de várias irregularidades nas assinaturas entregues pela sua candidatura e que tem agora até ao meio-dia de segunda-feira para entregar as muitas que tem em falta. Quem desconfia é a candidatura de Paulo Rangel. A equipa que acompanha o eurodeputado acusava ontem a máquina de campanha de Passos Coelho de estar activamente a ajudar Aguiar-Branco na recolha de assinaturas.

Como custa a creditar que esteja a ser assim tão difícil ao Aguiar branco ter as 1500 assinaturas necessárias, se até o Castanheira Barros arranjou as assinaturas facilmente. Mais credível é que seja uma forma dele se retirar airosamente de uma eleição onde já tem a derrota garantida. Este PSD não consegue mesmo fazer nada sem que lhes estale o verniz.

sábado, março 20, 2010

Paparazzis parlamentares

paparazzi

José Lello mostrou-se irritado com a possibilidade de os jornalistas na AR poderem fotografar aquilo que os deputados fazem com os computadores que têm na bancada, afirmando ser uma intromissão na sua privacidade. Não sei que sites andará ela a visitar nem me interessa, mas ele está num sitio publico, a utilizar um computador publico e, supostamente a representar os cidadãos. Quer privacidade, que vá para casa que não lhe íamos sentir a falta.

A divina justiça fiscal

perdão fiscal

sexta-feira, março 19, 2010

Ele há sabores que não se esquecem e erros que não se repetem

bela adormecida

Compreendo que diga que fazer a revolução possa dar uma grande trabalheira, mas acreditar que com esta, ou outra qualquer Ministra da Educação a trabalhar para o sistema, possa fazer algum bem à escola pública, à dignidade dos professores ou à educação dos nossos filhos é ingenuidade demais.

Uma Europa com duas Europas dentro

europa

Angela Merkel disse que é preciso criar um mecanismo que permita expulsar do euro os países que violem repetidamente as regras do Pacto de Estabilidade e Crescimento (PEC).

quinta-feira, março 18, 2010

Promessas de amor

carteirista

Da primeira vez que apareceu por aí, todo ele sorriso e simpatias, prometeu que ia baixar os impostos. Deram-lhe uma maioria absoluta e a primeira coisa que fez com ela foi aumentar os impostos justificando-se no estado lastimoso que o Santana tinha deixado o país. Nós pagámos e pagámos bem por isso. Desta segunda vez prometeu solenemente que não haveria aumento de impostos. Só lhe deram uma maioria relativa na assembleia, mas como o partido de alterne não mostra capacidade de ser governo, imediatamente nos sobrecarrega com mais impostos e menos direitos. Desta vez a justificação é a Crise Internacional, crise que já existia na altura da promessa e que todos conheciam, afinal são cúmplices com as politicas que a criaram. Talvez por isso tenta convencer-nos que não está a aumentar impostos mesmo quando todos vêm que está. Mente porque é mentiroso, porque acredita que uma mentira repetida muitas vezes se torna uma verdade, mente compulsivamente refugiando-se em desculpas troca-tintas, ultimo reduto dos mentirosos. A nós, vai-nos metendo a mão no bolso e fazendo o nosso fim do mês algo cada vez mais difícil de chegar.

É tão bom ser-se boy

boys

Só o presidente executivo da operadora, Zeinal Bava, teve direito a 546 mil euros de salário fixo em 2009. Já o chairman, Henrique Granadeiro, somou 485.423 euros. Os restantes gestores executivos, Luís Pacheco de Melo, Carlos Alves Duarte, Manuel Rosa da Silva, Shakhaf Wine e os dois arguidos no caso Face Oculta Rui Pedro Soares e Fernando Soares Carneiro - auferiram 364 mil euros cada um. Face à conjuntura económica, todos tiveram um corte de 10% nos seus rendimentos nesse ano.

Além dos salários, os gestores que já exerciam funções no anterior triénio (2006 a 2008), acrescem prémios de 3,8 milhões de euros. A Henrique Granadeiro e Zeinal Bava coube mais de um milhão de euros (1.019.271 euros) a cada. Menor foi o bónus individual - 587 mil euros - de Rui Pedro Soares, Luís Pacheco de Melo e António Caria.

quarta-feira, março 17, 2010

Consumo, consumo, consumo

 consumo

Belmiro de Azevedo afirmou sobre o PEC que não favorece o crescimento do país; “São precisas medidas que favoreçam o consumo”.
Em relação ao escalão de 45% no IRC para quem ganha mais de 150 mil euros por ano; “Tira poder de investimento às empresas e poder de consumo aos cidadãos”.

Consumo para quem está desempregado ou ganha ordenados de miséria em trabalhos precários e o problema do consumo de quem ganha mais de 150 mil euros por ano. Para ele é tudo a mesma coisa.

De PEC em PEC lá vamos cantando e rindo

 PEC

Destruíram-nos a produção, abriram-nos as fronteiras e inundaram-nos com mercadorias, créditos, sonhos e promessas de um paraíso na terra, para depois chegar uma crise que os seus lacaios locais transformam em mais pobreza e menos direitos para desbaratarem o bem público para as mãos dos grandes grupos privados, e dos seus bancos. Os camiões com aquilo que nos querem impingir continuam a chegar pelas estradas que nos obrigaram a construir, as fabricas a fechar e os campos a ficar bravios. Estamos mais pobres até à próxima crise em que ficaremos ainda mais pobres, sem mais direitos, mais dependentes do poder económico. Mais PEC’s, mais miséria. Basta ver que em 2009, ano da grande crise, não houve banco ou grande empresa que não tenha aumentado os seus lucros. Faliram as poucas empresas que ainda produziam sapatos, têxteis ou qualquer outra coisa que pudéssemos exportar. Continuam a encher-nos as lojas com desejos e ilusões sabendo que se não produzimos, se não temos nada para vender só lhes poderemos pagar em mais subserviência, carne para canhão e para toda a obra. Estamos a vender este país, pior o povo deste país e nada se faz para o impedir. Não os que se vão alternando na ilusória democracia em que vivemos, esses trabalham para o “inimigo”, nós, todos nós que individualmente nos sentimos impotentes perante a poderosa máquina do poder, da propaganda e da sua falsa justiça.
Se não temos dinheiro para pagar o que nos entra pelas fronteiras dentro, porque não lhes dizemos que não estamos interessados. Que não queremos que nos mandem mais coisas que não podemos comprar. Porque não incentivamos que se produza cá aquilo que necessitamos para viver? Porque continuamos num caminho que sabemos só pode acabar mal? Quando acordaremos desta letargia em que nos embalam?

terça-feira, março 16, 2010

Prémio de desempenho

 Prémio de desempenho

A lei da Rolha

lei da rolha

No Congresso do PSD, uma proposta de Pedro Santana Lopes para alterações aos estatutos do partido foi mesmo apelidada por muitos como «a lei da rolha». O artigo diz que a violação da norma sobre lealdade, «especialmente quando a mesma se consubstanciar na oposição às directrizes do Partido no período de sessenta dias anterior à realização de actos eleitorais», incorre numa infracção grave. Ou seja, expulsão em última instância.

Não há aqui um cheirinho da asfixia democrática, que tanto disseram combater durante a campanha eleitoral para as legislativas? Será que os seis meses de suspensão da democracia no país se resumem a 60 dias no PSD?

segunda-feira, março 15, 2010

As engrenagens do desemprego

tempos modernos

O Governo vai rever as condições para a atribuição de subsídio de desemprego, com o objectivo de os desempregados poderem "com maior rapidez regressar à vida activa", anunciou ontem o ministro das Finanças, no final do Conselho de Ministros extraordinário destinado a aprovar a versão final do Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC). Para um regresso mais rápido, o Governo prepara duas medidas: menor tolerância à rejeição de propostas de trabalho e redução do valor do subsídio.
A relação entre o valor do subsídio de desemprego e o salário que o trabalhador auferia antes de perder o seu emprego vai ser revista, no sentido de a tornar mais reduzida. Sem explicações, o ministro acrescenta que passa a ser exigido "um pouco mais de esforço".
A tributação das mais-valias, outra das medidas emblemáticas do programa, só será aplicada quando o quadro financeiro estiver estabilizado, adiantou o governante. "Só serão aplicadas quando a confiança voltar ao mercado", explicou. Sobre as tão aguardadas medidas para estimular a economia e o emprego, nada disse.

Quando o mesmo PEC prevê que o desemprego se deva vir a manter acima dos 10% nos próximos anos, propõe o Ministro reduzir o valor do subsídio de desemprego, para que os desempregados possam "com maior rapidez regressar à vida activa". A quem já está numa situação de total desespero, vai-lhe ser pedido “um pouco mais de esforço”. E que esforço tem feito o Sr. Ministro? Mas, as mais valias sobre a especulação bolsista, lá colocada para fingirem que a crise custa a todos, fica adiada para melhores dias. Imagina o Sr. Ministro o desespero de quem fica sem trabalho e tem uma casa, filhos, compromissos, créditos para pagar? Nunca passou por isso nem nunca soube o que é viver com ordenados mínimos para poder imaginar seja o que for. Pensa em números e esquece-se de que representam pessoas. Esquece-se ou está-se nas tintas que ainda é pior.

A tabalheira que dá fazer uma revolução

alentejano

Na conferência “Novos desafios aos profissionais da educação da Europa”, Mário Nogueira afirmou que, “Até se podia fazer a revolução, mas dava cá uma trabalheira”. Quanto á organização de uma conferência onde os professores pudessem definir quais as perspectivas que têm para a escola e para a sua carreira, considerou que seria positivo, mas que, “Os sindicatos não são pais dos pobres”.
Para quem é dirigente sindical não me parecem as declarações mais felizes. Se está preocupado com “trabalheiras”, devia ir descansar e aproveitar para pensar de quem devem os sindicatos ser papás.

domingo, março 14, 2010

Mafra: Zona a evitar neste fim-dr-semana

Congresso do PSD

O exame médico

 exames médicos

O candidato presidencial Fernando Nobre defendeu que os titulares de órgãos de soberania sejam sujeitos a exames médicos para avaliar as condições que possuem para exercer o cargo.
Não estará na hora de apresentar alguma coisa realmente importante para o país?

sexta-feira, março 12, 2010

O Gato-pingado

 gato pingado

Num pais moribundo há quem faça de seu programa político ou trazer os corpos dos soldados portugueses que ficaram sepultados em Angola. Não tem mais nada para dizer num momento como este?

O emplastro oficial

 o emplasto oficial

Sei que esta personagem não tem o mínimo de valor e que é uma perda de tempo estar aqui a falar dela, mas não posso deixar de notar que é o comentador da moda, aparecendo por todo o lado, seja na televisão rádio ou jornais, sempre com o seu "Coelhinho Passos" ao colo. Um liberal demagógico que vale o que vale, nada.

terça-feira, março 09, 2010

Menezes e o Entertainer

 entretainer

Luís Filipe Menezes desafiou Marcelo Rebelo de Sousa a candidatar-se à presidência do PSD «e comprovar que tem tanto apoio como político como tem como entertainer». «Se Marcelo considera que tem condições para ser líder do PSD e se por uma vez na vida tem coragem de assumir um combate difícil, que seja candidato».

O Barão e o Puto

 gerações

domingo, março 07, 2010

As "boas razões" de Gordon Brown

 pitbull

O primeiro-ministro insistiu nos argumentos que em 2003 levaram a Administração republicana de George W. Bush a esmagar o regime de Saddam Hussein. Acompanhar os norte-americanos na guerra, reiterou Brown, "foi uma boa decisão tomada por boas razões".
"Vencemos a batalha em quase sete dias, mas foram precisos sete anos para ganhar a paz no Iraque. Penso que estamos a desenvolver o conceito de uma paz justa e de como podemos gerir conflitos como este. Haverá intervenções de futuro e a cooperação internacional terá de ser muito maior do que foi".


Um Santo entre as feras

 entre as feras

Partilhe