segunda-feira, Maio 31, 2010

Um Pacóvio na terra do Chico Buarque

pacóvio

O gabinete de José Sócrates fez saber ontem que Chico Buarque teria pedido ao presidente brasileiro Lula da Silva para servir de intermediário para ele se encontrar com o primeiro-ministro, já que o músico "queria conhecer pessoalmente o governante português". Lula teria falado com Sócrates e este "de imediato" aceitara o convite.
Esta versão foi, contudo, negada pelo próprio Chico Buarque. "Foi o vosso ministro quem pediu o encontro. Aliás, nem faria muito sentido eu pedir um encontro e o primeiro-ministro vir ter à minha casa", disse o músico e escritor brasileiro.
“Não é defeito. É mesmo feito: o primeiro-ministro vive de alhada em alhada. Transforma tudo em confusão". "O caso é ridículo, mas bem demonstra uma atitude (..) mesmo a roçar o pacóvio", afirmou Francisco Louça.

Pecman

pacman

domingo, Maio 30, 2010

Mais um Passeio pela Avenida

cgtp

E pronto, lá fui eu passear-me pela Avenida, chamada de Liberdade, para lutar contra a injustiça social que se vive no país e pelo infame ataque aos mais fracos e desprotegidos que está a ser feito em nome da crise. Ingenuamente quis acreditar que hoje pudesse ser diferente, que fosse uma manifestação de todos contra estas políticas, e não mais um desfile da CGTP que acabou em lindos discursos arrematados pelo obrigatório Hino da Internacional (que erradamente confundi com o Nacional). Fui e não gostei porque se gritou mais CGTP, CGTP que palavras contra o governo. A palavra capitalismo parece que se tornou tabu, a participação dos não alinhados, dos que dizem coisas diferentes, como a palavra "capitalismo", são rodeados pelos "stuarts" da manifestação e forçados a desfilar no passeio. De Greve Geral não se falou e ficou em aberto a possibilidade de todas as formas de luta permitidas pela Constituição (como se na véspera da Manifestação já não o fossem). Não se sabe para quando, como se não fosse agora a hora de as fazer. Não se sabe quais, como se não fosse a hora de serem todas começando pela Greve Geral. Uma jornada que devia ter sido de luta e foi simplesmente mais uma de propaganda. Fui, porque todos nunca seremos demais para acabar com a injustiça e a miséria, voltarei a ir porque pouco é melhor que nada, mas acredito que é preciso fazer muito mais. Aliás, passeios destes já acontecem há muitos anos e os trabalhadores continuam a ver os seus direitos e poder de compra cada vez mais reduzidos.

Amigos e afinados

guitarristas

Portugal é dos países da União Europeia com preços de energia mais elevados, tendo em conta o poder de compra das famílias. Os preços da energia caíram na média dos países da União Europeia entre a segunda metade de 2008 e a segunda de 2009. Em Portugal, isto não aconteceu para a electricidade. Os preços da electricidade desceram 1,5% entre os 27 países comunitários mas em Portugal subiram 4,5%, segundo os dados do Eurostat, o gabinete de estatísticas da Comissão Europeia.
Quanto ao gás doméstico, tanto os portugueses como os europeus pagaram menos entre 2008 e 2009, mas em Portugal esta descida foi na ordem dos 5,5% enquanto a factura da média da União a 27 diminuiu, nesse período, 16%.

Assim é fácil vir o Sr. Mexia obter milhares de milhões de euros de lucro dizer que cumpriu os objectivos e reclamar o pagamento de 3 milhões em ordenados e prémios ao fim do ano, sobretudo quando a ERSE, que devia regular os preços em nome dos contribuístes é a primeira a defender mais aumentos. A lata desta gente que ainda veio dizer que estamos com muita sorte em termos o governo que temos e que limitou os aumentos pois este não deveria ter sido de 4 mas sim de 40%. Tocam bem afinadinhos, o “ladrão” e o “polícia” que o devia vigiar.

sábado, Maio 29, 2010

A cavalo num Burro

guitarristas

As sondagens que ontem ouvi já colocam o Passos Coelho montado no cavalo do poder e com a possibilidade de ter uma maioria absoluta. Há momentos em que me custa a acreditar em com este povo gosta de ser burro e carregar os que o lixam às costas. Continua a aceitar esta democracia de alterne em que correm com o que os lixou para colocarem outro para os lixar ainda mais. Não tivesse eu dois filhos ainda pequenos e deixava de me chatear com tudo isto. Realmente há povos que merecem mesmo o fado que têm.

Carnaval é sempre que o homem quiser

brasil

O Primeiro-ministro samba no Brasil, o das Finanças vai ouvir swing para a Bolsa de Nova Iorque com os seus amigos das grandes empresas e deixam o Jorge Lacão sozinho no Parlamento. A crise segue dentro de momentos.

sexta-feira, Maio 28, 2010

Ai que medo que eu tenho da instabilidade social

Instabilidade social

João Proença, Secretário-geral da UGT teme que manifestações criem «clima de instabilidade social». «A UGT segue o seu caminho privilegiando o diálogo e a luta em obter resultados concretos, em deslocar processos, em conduzir a mudança de políticas. E não tentando pôr em causa Governos ou criando um clima de instabilidade social. O líder da UGT sublinha que um «clima de instabilidade social neste momento em Portugal agravaria os sacrifícios que são exigidos aos trabalhadores».

O governo a lixar os que menos têm, a criar desemprego e miséria, a baixar salários e a aumentar impostos enquanto vemos os do costume a aumentar lucros e a ganharem milhares de milhões e um líder de uma Central Sindical diz que teme que se crie um clima de instabilidade social. Claro que, sendo quem tem sido a marioneta do capital para dar o sim na concertação social, já ninguém estranha estas atitudes. Há gente que devia ter vergonha de mostrar a cara na rua. Não, que eu acredite que bastem uns passeios a descer a Avenida para depois todos irem apressadamente para casa para não perder a novela ou o jogo de futebol, resolva o problema ou venha a alterar seja lá o que for. Lutar contra este sistema exige que se faça mais, muito mais, mas isso têm de ser as pessoas a exigir, tanto ao governo como àqueles que o dizem combater, sejam eles partidos ou sindicatos.

Concelhos com trancas na porta

porta na cara

Vários presidentes de câmara que se reuniram, esta semana, com o secretário-geral do PS para discutir as eleições presidenciais avisaram que não vão receber Manuel Alegre nos seus concelhos por estarem contra o apoio do partido à sua candidatura.

quinta-feira, Maio 27, 2010

Embelezar o parlamento

embelezar

Apesar de se prever um corte dos vencimentos dos deputados em 5%, o orçamento do Parlamento para 2010 prevê aumentos significativos face a 2009. Estão previstos aumentos para transporte, deslocação dos deputados, despesas com seminários, exposições e similares, artigos honoríficos e de decoração do Parlamento. Aumenta ainda a rubrica «outros trabalhos especializados», que este ano vai consumir mais de meio milhão de euros (3,6 milhões em 2010 face a 3,1 milhões em 2009) e mais 593 mil euros em «assistência técnica» (2,9 milhões de euros em 2010 contra 2,3 milhões em 2009).

É a casa da Democracia, a casa que representa os cidadãos, o espelho dos sacrifícios que são pedidos àqueles que menos têm. Um exemplo que mostra quão justa é a posição daqueles que dizem estar dispostos a sacrifícios se mudar o sistema e a lógica em que vivemos. Assim, enquanto os culpados da crise não tiverem de pagar, enquanto os que mais têm continuam a usufruir de regalias e os que vivem no limiar da pobreza são sacrificados, não contem comigo para aceitar viver neste clima de “patriotismo” que apregoam.

TRAMP -PUT A RECORD ON

tramp

Nunca ouvi este disco, mas a capa pareceu-me adequada.

segunda-feira, Maio 24, 2010

O porquinho mealheiro

pigs

Presidenciais 2011

Presidenciais 2011

Que ele faça comunicações ao país para se desculpar pela promulgação do casamento homossexual, que diga que não tem comentários quando quando questionado sobre o estado trágico do país, ainda aguentamos, agora que já ande "on the road" a fazer campanha paga por todos nós é que me parece um exagero.


domingo, Maio 23, 2010

Uma questão de valores...ou de falta deles.

valores

De dia viabiliza as politicas de austeridade e pede desculpa por isso, aceita defender quem nos mentiu nas promessas de não aumentar impostos, de fazer um referendo ao Tratado de Lisboa e nos enganou no resultado das contas publicas, fora o resto. Isso não mexe com a sua personagem de homem sério e respeitador dos valores éticos e morais.
De noite, é inaceitável se mentiu no caso da TVI. Isso ele não pode aceitar e apresentará de imediato uma Moção de censura. Uma questão de valores éticos e morais, certamente.

O filantropo

filantropo

A partir de agora todos aqueles que perderem os seus empregos, todos aqueles que passem por grandes dificuldades já têm o seu problema resolvido. Não necessitam de se zangar com o governo, lançar pragas aos ministros, chamar de inútil ao Presidente ou Chulos aos deputados. Basta fazerem uma visita ao Continente e servirem-se. Se alguém tentar impedir de encher os bolsos, digam que são povo, têm fome e mostrem-lhe o jornal com a autorização do pai Belmiro.

sábado, Maio 22, 2010

Patriotismo

patriotismo

Muito se tem falado da crise, da bancarrota, da austeridade e até o patriotismo já foi chamado ao discurso político. Como portugueses e sendo nós parte interessada, todos desejamos salvar o país e o nosso “coiro”. Para isso são-nos pedidos sacrifícios para atravessar estes tempos difíceis e esta crise. Todos o faríamos sem pestanejar se não soubéssemos que não estamos a resolver os problemas, que o nosso esforço vai ser utilizado para engordar ainda mais os que, pela ganância, nos conduziram a este buraco e que daqui a três ou quatro anos nos vão voltar a conduzir a nova crise e a novos sacrifícios. O que nos pedem é que continuemos a financiar um sistema, uma politica e uma economia que já provou que consome tudo e todos, acabando sempre a pedir mais. Se não se mudam as causas os resultados acabam sempre por ser os mesmos, mais crise e mais sacrifícios. É a própria forma de vivermos em sociedade, os próprios valores que nos foram sendo incutidos como sagrados que temos de colocar em causa. Produtividade a todo o custo, competitividade, consumismo são valores que têm de ser alterados, o que é incompatível com o mundo do capitalismo global tal como ele existe. Para continuar tudo na mesma não há apelo ao Patriotismo que me convença, sobretudo quando vejo que são os mesmos que têm vendido a nossa soberania e os nossos direitos a uma Europa cada vez menos social e solidária, uma Europa onde cada vez mais os interesses nacionais dos mais poderosos se sobrepõem ao valor da própria criação Europeia.

Usura fiscal

usura fiscal

Penso que todos nós temos de nos preocupar quando o homem que está à frente da recuperação das finanças do país seja o mesmo que aqui há dois anos foi considerado por um Jornal económico inglês como o pior Ministro das Finanças da Zona Euro.

quinta-feira, Maio 20, 2010

Impor a paz pela guerra

Irão

O Brasil não escondeu a sua indignação com a atitude dos Estados Unidos e dos seus aliados de ignorar o acordo conseguido pelo Brasil e a Turquia com o governo iraniano, que traz exactamente os termos exigidos por essas potências, e enviar uma proposta de novas sanções contra o Irão ao Conselho de Segurança das Nações Unidas. Como reacção, os chanceleres do Brasil e da Turquia encaminharão nesta semana uma carta a cada membro do Conselho onde se censurará o fato de Washington não ter dado um prazo para que o Irão pudesse colocar o acordo em marcha antes de colocar a máquina das sanções em acção.

Moção Censura

moção censura

quarta-feira, Maio 19, 2010

Ai, Ai que são pecadores. Autorizaram o casamento gay.

casamento gay

Que me lembre, o Cavaco fez três comunicações ao país nesta legislatura. A primeira, no pino do Verão para falar do Estatuto das Regiões Autónomas, depois foram as famosas e pitorescas escutas em Belém para agora nos vir dizer que só promulgou o casamento entre pessoas do mesmo sexo por o país estar em crise e para defender os superiores interesses de Portugal. Quando se tratou das leis que realmente mexiam com a nossa vida e os nossos direito, como a do trabalho ou a da segurança social, assinou de cruz e não nos deu Cavaco. Nem mesmo agora que o país está em queda livre e o governo aumenta impostos e corta com todo o investimento publico, só tem para nos dizer que não tem comentários a fazer. Incomoda-o muito mais a liberdade da vida privada das pessoas, os usos e costumes da moral tradicionalista. Aí sim, tem de se justificar não vá este povinho não o reeleger. Ter um Presidente destes ou não ter lá ninguém, antes não ter lá ninguém.

O Tango da tanga

Tango

"Como se dice en español, para que el tango se necesitan dos. Durante muchos meses no tenía pareja para bailar".
José Sócrates sobre Passos Coelho

terça-feira, Maio 18, 2010

Come a papa, banquinha come a papa

lucros banca


Quem foram os principais culpados da crise que atravessamos?
Quem recebeu as maiores ajudas durante a crise sem se olhar a despesas ou a défices?
Quem nos ataca com juros e ratings agora que estamos de calças na mão?
Quem teve sempre, antes, durante e no após crise, lucros de centenas ou milhares de milhões de euros?
Quem sempre pagou um IRC 10% abaixo de todas as outras empresas?
Fantasticamente, no momento em que se apregoa e impõe a austeridade, em que se baixam subsídios de desemprego quando se sabe que o desemprego vai subir, em que se reduzem as politicas sociais quando mais vão ser necessárias, quem continua a ser beneficiado fiscalmente é a banca e a especulação financeira.
Todos falam da “inevitabilidade” desta austeridade, todos falam da ameaça de falência do país, mas continuam a não pedir àqueles que sempre mais lucraram com a crise que criaram que colaborem no esforço exigido. Banca que continua a pagar ordenados pornográficos aos seus Administradores e a pagar reformas milionárias, como o BCP que gasta 6,5 milhões de euros com 6 ex-admnistradores, muitos deles já condenados por trafulhices e roubalheiras no próprio banco. Inevitabilidade dos sacrifícios?


Quanto paga de IVA a hipocrisia?

Iva da Coca Cola


É realmente fantástica a lógica da hipocrisia. Aumenta-se o IVA dos produtos sujeitos a taxa reduzida, como é o caso do pão e do leite, porque a Coca-cola e a Pepsi-cola também só pagavam 5% e ele, o Engenheiro, pode pagar um bocadinho mais por aquelas zurrapas.

E os que menos têm? Os que vivem com rendimentos de miséria e é no pão e no leite que encontram a sua subsistência?

É o mal de quem governa a pensar só no seu umbigo e se esquece que existem outros que não possuem as suas mordomias e rendimentos. É o mal de se governar para o grande poder financeiro esquecendo as dificuldades de quem pouco ou nada tem. É o mal de se ser hipócrita.

segunda-feira, Maio 17, 2010

A Crisálida

a crisálida

António José Seguro disse que, «quando o momento se colocar», assumirá as suas responsabilidades, candidatando-se à liderança do PS.

O Coscuvilheiro

cusco

PT/TVI: Pacheco Pereira é o único deputado do PSD a consultar escutas

domingo, Maio 16, 2010

E o Super Coelho leva o Engenheiro às costas

às costas

"Antes burro que me carregue do que cavalo que me derrube"

Alberto João Jardim diz que, das duas uma, ou PSD apresenta um modelo alternativo ao país ou tem que partilhar o Governo com o PS. “Quero lembrar que esta direcção [do PSD] atacou as anteriores direcções acusando-as de levar o Partido Socialista ao colo. Na minha opinião, a actual direcção leva o PS às costas”. O pedido de desculpas de Passos Coelho aos portugueses por mudar a sua posição sobre o aumento de impostos fica bem ao líder social-democrata, sublinha Jardim.

Coisas do Poder e desta democracia de alterne, onde por mais que se mude fica sempre tudo na mesma. Porque na verdade o que muda são os figurantes do alterne e nunca o poder que não está ali mas sim em Conselhos de Administração de Bancos e grandes grupos económicos.

O Ministro das Finanças tem a Consciência tranquila

consciência tranquila

sexta-feira, Maio 14, 2010

O IV Reich

guerra mundia

A Comissão Europeia pretende aprovar os orçamentos nacionais de cada país, antes de estes serem votados nos respectivos parlamentos.

Pretende a Comissão Europeia que os países só possam aprovar orçamentos a quem já tenha dado o seu “ámen”? Quem elege a Comissão Europeia? Quem lhe concede legitimidade? Porque devemos nós obediência a gente que nunca possuiu essa legitimidade? Como pode um país decidir do seu futuro se esse futuro é decidido num qualquer gabinete de Bruxelas sem a intervenção dos cidadãos desse país?
Não pretendo ser uma voz agoirenta, embora o estado das coisas e as lições da história se pareçam conjugar para que o futuro seja negro. As crises que atravessamos eram há muito previsíveis e não é credível que os responsáveis políticos e económicos de cada país e da União os não tivessem visto. O que se vê é que preferiram olhar para o lado em busca de mais riquezas e mordomias para hoje esquecendo o amanhã. Agora é uma “aí Jasus que desgraça que nos foi acontecer” e atiram com os problemas para cima de quem em nada é responsável pelo estado a que a economia chegou. Os responsáveis, a Banca e os grandes especuladores, esses nunca deixaram de ter lucros bilionários, as ajudas da União Europeia e dos Estados sem ninguém se importar com os défices criados. Esses continuam a passar ao lado das medidas anti-crise e a ganhar milhões todos os dias. Esta gente que se recusou a ver a crise quando ela era evidente parece também preferir não ler os sinais da história. A cada dia que passa, com a menor independência dos estados na resolução dos seus problemas, com as leis a chegarem dos burocratas “Bruxelianos” e a crise a criar miséria e desemprego todos os dias facilmente podemos encontrar paralelos na história, todos eles a acabar em guerras sangrentas e desnecessárias. Foi assim na crise de 1909 que culminou na primeira guerra mundial em 1914, na crise de 1929 que levou à segunda guerra em 1939 e temo que venha a acontecer de novo com a crise de 2009. Os sinais estão todos aí, as causas também. Só a consciência e a vontade de o evitar parecem arredados das cabeças pensantes do nosso mundo. Aproximam-se tempos negros e a pergunta que faço é se iremos ainda a tempo de os evitar?

txim txim

txim txim


quinta-feira, Maio 13, 2010

Cuidado com os carteiristas

Carteirista

Recebi do amigo Joãopft, a quem agradeço já a sugestão e os seus comentários no meu blog, uma excelente ideia para um “boneco”. Infelizmente como já muitas vezes me aconteceu, é difícil encontrar a imagem certa para fazer as montagens e acabo muitas vezes por fazer algo completamente diferente ou então encontrar um substituto que seja semelhante, como neste caso. O carteirista está lá, o povinho também e o Papa, se não está só a passar, que quatro dias a passar em todos os canais a toda a hora, já não é passar, é exibir toda a soberba, as fatiotas todas chiques, os sapatinho vermelho da Prada, como os do diabo num filme. Passe lá como passe o Papa, o que é certo que nos vieram à carteira. Mais uma vez obrigado ao amigo Joãopft pela ideia.

Qual um abutre,...

watchmen

quarta-feira, Maio 12, 2010

Um país, um funeral

Abel manta

Papa Constâncio 1º

papa

"A mudança do clima internacional tornou inevitável que o nosso ajustamento tenha que ser agora mais abrupto, mais rápido e mais severo", lê-se numa nota do banco central português assinada por Vítor Constâncio

Para arrumar dois assuntos de uma só vez, a visita do Papa e a despedida do quase ex-governador do Banco de Portugal, em demanda da catedral das finanças europeias, o BCE. Um pede-nos penitencia para a alma e que sejamos mais comedidos com o que fazemos com a pilinha e o outro penitencia nos salários e severidade nos sacrifícios. Ambos nos pedem que acreditemos no que dizem e nas soluções que apresentam pela fé. Graças a Deus que sou ateu.

terça-feira, Maio 11, 2010

Os Deuses do nosso fado

deus

Os Deuses não estão mesmo connosco. O nosso grande Abraão das finanças também não.

Passageiros com destino ao Poceirão fazem favor de entrar

TGV para o Poceirao

A crise vai obrigar a linha de TGV Lisboa-Madrid a parar no Poceirão, freguesia da Marateca, concelho de Palmela. Eu, para apanhar o TGV vou até à Avenida de Roma apanhar o comboio, o que passa pela Ponte 25 de Abril, para Setúbal onde, apanho um outro comboio que me leva até ao Poceirão para depois apanhar finalmente o TGV. Muito se discutiu a viabilidade económica de cada linha do TGV, mas se obrigam o passageiro a perder três horas só para apanhar o TGV, esta não o será certamente. Não me parece lógico que quem apanhar o TGV em Madrid tenha como destino o Poceirão, uma terra que fica no meio do Deserto do Mário Lino. Devem andar a brincar connosco. Ou constroem tudo ou não constroem nada, que são milhões a mais para fazer uma linha fantasma.

segunda-feira, Maio 10, 2010

O povo saíu à rua num dia assim

Benfica papal

Que me desculpe o povo deste país mas gente mais aparvalhada não há. É comodista, resignado e pouco dado a incomodar-se. Não sai à rua para defender os direitos que todos os dias lhe roubam, não sai à rua para defender os empregos que lhe tiram, não sai à rua para defender os salários que cada dia são mais de miséria, não sai à rua para correr com os corruptos que por ai andam, não sai à rua para exigir justiça, não sai à rua para acabar com a pouca vergonha dos compadrios pagos a milhões nem para impedir que o dinheiro dos nossos impostos seja utilizado para salvar os bancos e não o país. Não sai à rua para lutar mas vai em peso saltar para a rua quando o seu clube ganha um campeonato e vai voltar a sair para ver o papa. Depois, quando tudo desabar, lá vão a Fátima pedir aos santinhos que os salvem. Ontem à noite bem tentei saber notícias deste país e deste mundo, mas só dava futebol e mais futebol. Horas e horas como se nada mais fosse importante. Hoje saltaram de alegria e amanha vão ver o papa. Bons temas de conversa para terem depois de amanha na bicha do centro de emprego.

A Extrema unção

Extrema unção

Ouvi dizer que parece que, aos países, é o Papa que dá a Extrema Unção

domingo, Maio 09, 2010

Ele era, "The king of the world"

capitatitanic

As côdeas do Valentim

Côdeas metro

O Estado pede a Valentim Loureiro que devolva 30 mil euros pelos salários auferidos enquanto presidente do Conselho de Administração do Metro do Porto. «Realmente chegou à câmara uma carta que dá conhecimento de que tinha de devolver os vencimentos magros que lá tinha auferido». «Quem participa em situações destas ganha 1000 euros, como eu ganhava. Porque os administradores executivos, como era o professor Oliveira Marques, ganhavam 10 mil. É legítimo que mesmo sobre essa côdea se diga que devolvam porque não têm direito?». «As Pessoas têm de ser remuneradas não apenas pelo trabalho que fazem, mas pelas responsabilidades que assumem».

1000 Euros podem ser côdeas para o Valentim, mas Côdeas dessas eram banquetes para muitos. É disso que ele se parece esquecer. Todos sabemos que esta gente come de muitas gamelas e que lhes basta ter o nome de uma lista de administradores não executivos para engordarem a conta bancária. Como ele reconhece nem é pelo trabalho que são pagos, basta dizerem que assumem muitas responsabilidades. Lata não lhes falta.

sábado, Maio 08, 2010

Olha o Nemo, vejam é o Nemo,...o Nemo. E onde estão os Cavaquinho?

Nemo

O país está no estado em que está e ouvir o nosso Presidente a falar é assustador. Só podemos mesmo ir ao fundo.

Ataque a Wall Street

wall street

Foi a pior quebra desde o 'crash' de 1987. Wall Street está com receio do contágio grego. Os receios de um contágio da crise grega a outras economias europeias, como Portugal e Espanha, alastraram-se às praças norte-americanas.

Gandá pinta pá. Portugal já faz abalar os alicerces do mais poderoso país do mundo. Wall Street já treme com medo de nós.

sexta-feira, Maio 07, 2010

BCE

bce

A elite do Banco Central Europeu veio reunir-se em Lisboa, o Sr. Silva aproveita para condecorar o Jean-Claude Trichet, sabe-se lá porquê e o amigo da onça do Constâncio para aconselhar que se aproveite a crise para retirar mais uns direitos e apertar ainda mais o cinto aos que menos têm.


quinta-feira, Maio 06, 2010

"Abafador" de gravadores

roubar gravadores

Deputado do PS filmado a furtar gravador a jornalistas.

O deputado Ricardo Rodrigues já tinha dito que não estava a gostar das perguntas feitas durante a entrevista. De repente, levantou-se da cadeira e saiu apressado. Antes, pegou discretamente os gravadores dos jornalistas da SÁBADO e meteu-os nos bolsos das calças.
«Porque a pressão exercida sobre mim constituiu uma violência psicológica insuportável, porque não vislumbrei outra alternativa para preservar o meu bom nome, exerci acção directa e, irreflectidamente, tomei posse de dois equipamentos de gravação digital, os quais hoje são documentos apensos à providência cautelar», explicou Ricardo Rodrigues.
Em causa estariam perguntas relacionadas com «Débora Raposo, condenada em 2008 por burla e falsificação de documentos, num caso que defraudou em vários milhões de euros a Caixa Geral de Depósitos de Vila Franca do Campo, nos Açores. E em que ele próprio chegou a ser arguido, mas não acusado», diz a Sábado. Ricardo Rodrigues recusou ainda abordar, e levantou-se nessa altura, o tema da sua demissão, em 2003, do Governo Regional dos Açores, em que era secretário regional, na sequência de boatos, com repercussão pública, que o ligavam a um escândalo de pedofilia no arquipélago.

Partilhe