segunda-feira, fevereiro 28, 2011

Ancora de Estabilidade

Nem sempre o que se diz é o que é, nem sempre o que se vê mostra toda a realidade. Pedro Passos Coelho afirmou que o PSD é uma ancora de estabilidade. Só se for deste governo.

120 quilometros hora e 5% depois

O Zapatero em Espanha reduziu a velocidade máxima nas autoestradas para 110 km por hora e reduziu o preço dos bilhetes de comboio em 5% para incentivar o seu uso e poupar combustível numa altura em que o petróleo já chegou aos 120 dólares. Embora duvide da utilidade desta redução de velocidade, imagino que por cá o governo já pensa em reduzir para 100 quilometras, (gostamos de fazer sempre mais que os outros), mas os bilhetes de comboio aumentarão mais 5% para compensar o aumento da gasolina. .

domingo, fevereiro 27, 2011

Brincar às guerras


Um telegrama divulgado pela WikiLeaks e enviado para Washington pelo então embaixador dos Estados Unidos em Lisboa, Thomas Stephenson, arrasa os negócios do Ministério da Defesa português.
“No que diz respeito a contratos de compras militares, as vontades e acções do Ministério da Defesa parecem ser guiadas pela pressão dos seus pares e pelo desejo de ter brinquedos caros. O ministério compra armamento por uma questão de orgulho, não importa se é útil ou não. Os exemplos mais óbvios são os seus dois submarinos (actualmente atrasados) e 39 caças de combate (apenas 12 em condições de voar)”,
Nas mensagens enviadas a Washington, o embaixador passa a imagem de um país de “generais sentados”, dizendo que o Ministério da Defesa não é capaz de tomar decisões e que “os militares têm uma cultura de status quo, em que as posições-chave são ocupadas por carreiristas que evitam entrar em controvérsias”. O embaixador sublinha ainda que o dinheiro na Defesa é gasto de forma imprudente e que Portugal tem mais almirantes e generais por soldado do que quase todas as outras forças armadas.

Assim se mostra a utilidade das nossas forças armadas sem força para fazer frente a qualquer armada. Assim se mostra que, como não temos nem o dinheiro, nem razões que justifiquem os muitos milhares de milhões que se gastam na sua manutenção, mais um pasto para generais que uma necessidade efectiva. A cada vez maior "policiatização" das forças armadas representa mais a necessidade de o poder as utilizar mais para se defender dos seus próprios cidadãos que de uma qualquer ameaça estrangeira. As revoltas nos países do Magrebe, com a Líbia à cabeça, são disso um bom exemplo.

A voz do dono


O PSD apresentou na Assembleia da República uma proposta para a criação de um regime de contratos de trabalho a prazo orais para jovens.

Já não bastava aos contratos serem a prazo e cada vez a precariedade ser mais "eterna" para a gora ainda virem propor que esses contratos nem fiquem registados em papel. Não há produtividade ou competitividade que o possam justificar e só a possibilidade de darem aos patrões ainda um maior poder discricionário o pode justificar. É por isto que querem substituir o Engenheiro da Independente?

sábado, fevereiro 26, 2011

Um pedido de PECasamento


“Não sei o que o Governo pretende fazer com o PEC. O Governo apresentou em Bruxelas o Programa de Estabilidade e Crescimento até 2013, não sei se o Governo o quer rever. Se o Governo o quer rever é porque provavelmente acha que não está correcta e precisa de ser revista ou melhorada. Até o Governo se pronunciar não direi mais nada, o Governo é que sabe. Nós estamos sempre dispostos a ouvir a e conversar”, disse.

Ele disse e assim eu já não tenho de dizer mais nada. O tango continua.

A vez do Coelho


Sei que esta imagem não é bem a de uma pin-up, mas o modelo também não será bem aquilo que nos querem vender nem por se chamar coelho alguém é sempre uma coelhinha.

Fazer bonecos com pin-ups e não fazer o Paulo Portas é como ser Ministro e não comprar submarinos.

sexta-feira, fevereiro 25, 2011

Uma pin-up submarina


Fazer Pin-ups e não fazer o Paulo Portas era quase como ter o Paulinho das Feiras como Ministro e ele não comprar submarinos.

O regresso das Pin-up


Quando andei a procurar imagens para fazer os meus bonecos acabei a ver pin-ups e lembrou-me de quando há uns anos já tinha feito uma colecção de bonecos com elas e os políticos da altura (quase todos os mesmos que ainda andam por aí). Apeteceu-me fazer mais e só podia mesmo começar pela vedeta principal, o Engenheiro da Independente.

quinta-feira, fevereiro 24, 2011

A boa saúde da crise


A ministra da Saúde, Ana Jorge, admite a criação de um imposto para a saúde, embora considere que ainda não é altura para fazê-lo. «Não necessitamos no imediato, até porque seria necessário mexer na constituição», disse. Ana Jorge considera ser necessário o combate ao desperdício e o tempo de crise é bom para «por ordem na casa». Só aqueles que realmente necessitem devem usufruir de taxas moderadoras desde que fazendo prova de condição de recursos demonstrem necessitar.

Afinal para que usa o governo o dinheiro que desconto todos os meses? Pensei que a saúde estivesse aí incluída, mas pelos vistos vai deixar de estar. Mal seja possível já têm pensada umas mudançazinhas na Constituição para retirar o tendencialmente gratuito que colocaram lá há uns tempos e claro a gratuitidade do Serviço Nacional de Saúde. E, esta crise até dá muito jeito, ao ponto de já considerarem que quem só pagar as Taxas Moderadoras está a usufruir de um apoio social. O PSD quer, o PS também diz que sim e os grandes grupos económicos ligados à saúde sempre o desejaram pelo que o SNS, uma das últimas conquistas do 25 de Abril, tem os dias contados. Talvez então este país perceba de vez que esta gente não é aquilo que necessitam e que estas politicas só os levarão a menos direitos e mais pobreza.

Santo, fada ou outra coisa qualquer


Apeteceu-me fazer um post sobre esye personagem, mas não me consegui decidir se ele deveria ser o São Francisco de Assis, o Frei Tuck ou...



simplesmente mais uma fada rosa interessada em juntar o PS e o PSD num grande bloco central que lhes garanta o poder eterno. Decidam vocês.

quarta-feira, fevereiro 23, 2011

A loucura do poder


O dirigente líbio Muammar Kadhafi ameaçou os rebeldes com uma resposta similar à usada em Tiananmen (a repressão na Praça Celestial, na China, em 1889) e de Fallujah (no Iraque), onde as tropas americanas teriam usado armas incendiárias de fósforo branco.
"Os jovens que se estão a manifestar estão a ser drogados e movem-se por dinheiro. Eles estão apenas a imitar o que aconteceu na Tunísia e no Egipto."
"Capturem os ratos. Tirem-nos de suas casas e acabem com eles, onde quer que estejam".
"Os países estrangeiros querem desestabilizar a Líbia. As cadeias de televisão estão a trabalhar para o diabo".

Como é possível o poder enlouquecer alguém ao ponto de mandar bombardear o seu próprio povo. Pode haver muitas explicações, mas nenhuma que não justifique o internamento imediato num hospício.


A matilha anda agitada


Guilherme Silva admite "acertos necessários" com o PCP para aprovação de uma moção de censura ao governo. Questionado sobre o assunto, Passos Coelho afirmou que “se há pessoas do meu partido que estão a falar de crise política”, então “falam demais”.

Quando cheira a sangue a matilha agita-se. Há gente com tanta fome de poder dentro do PSD para apanharem ainda alguns restos do que resta de Portugal que o Passos Coelho se vai ver aflito para os manter quietos.

terça-feira, fevereiro 22, 2011

Quando a realidade envergonha


Os números do Instituto Nacional de Estatística (INE) revelam que há 416,3 mil indivíduos entre os 18 e os 59 anos que vivem em agregados familiares nos quais nenhum dos elementos tem trabalho.

Como vive esta gente? Não me perguntem que nem consigo imaginar, nem como sobrevivem, nem o desespero de verem os seus filhos com fome e despejados na miséria. Que discurso pode fazer um dos nossos politico que não fique logo desacreditado por esta realidade. Um país em que tantos vivem na pobreza extrema e os outros no medo de também lá poderem cair. Vidas sem esperança algumas, vidas precárias de outros.

PS: Claro que há o outro lado da moeda, gente como o Mexia da EDP que ganhou num ano 17,5 milhões de euros, os Dias Loureiros refugiados um pouco por todo o lado, ou os Guedes que têm de abandonar 30 cargos de topo em empresas para poderem ser Ministros de Portucale. a engenharia independente dos Freeports ou dos BPNs que por aí há. Esses não contam para a estatística da pobreza em Portugal.

A arma de destruição Massiva do PCP


Talvez sem se aperceber o Bloco de Esquerda acabou por fazer um grande favor ao PCP quando apresentou a sua Moção de Censura e depois quando respondeu ao anuncio do seu chumbo pelo PSD e CDS com a promessa de também ele não viabilizar uma outra Moção apresentada pela Direita. Fica assim o PCP com a única Moção de Censura que pode passar no Parlamento. Vai ser engraçado ver PSD e CDS aprovar uma Moção dos "comunistas que comem criancinhas ao pequeno-almoço" e o BE roer as unhas por ver todo o protagonismo nas mãos do PCP.

segunda-feira, fevereiro 21, 2011

A verdade escondida


O governo vem felicitar-se por ter aumentado as receitas, mas se aumentou os impostos é natural, o Sócrates falar de boas noticias por em Janeiro o défice publico ter diminuído, mas se reduziu salários e prestações sociais não é nenhum milagre. Os Socretinos tentam esconder debaixo do tapete a realidade do desemprego, da recessão e da pobreza que cresce todos os dias. Mas, a realidade do dia a dia essa não desaparece nem se esconde.

Um novo género de ditadura


O comendador Joe Berardo diz que Portugal vive uma "democracia podre" e defende ser necessário "mudar o sistema político", nem que seja com "um novo género de ditadura que todos temos de aprender", recordando que também quando "Salazar tomou conta de Portugal não havia alimentação e havia bombas em Lisboa todos os dias nos anos 30".

O que é um novo género de ditadura? Uma assim parecida com a de Salazar? O comendador pode ter tido muito jeito para ganhar dinheiro, para convencer o Estado a "oferecer-lhe" o Centro Cultural de Belém para guardar a sua colecção de arte e para pôr os bancos a encontrar uma solução para a divida de mil milhões que não tinha dinheiro para pagar, mas talvez fosse bom que deixasse de dar opiniões sobre politica. Já nos bastou a Manuela Ferreira Leite e a sua ideia de seis meses de suspensão da democracia. Dedique-se aos seus Jardins de Budas que é o melhor que tem a fazer.

domingo, fevereiro 20, 2011

O grande banquete


Os países da União Europeia (UE) não acreditam que Portugal possa continuar a financiar-se nos mercados internacionais. Segundo afirmou uma fonte da zona euro à agência Reuters, Portugal vai pedir ajuda à UE em Abril e garante que o plano de resgate está feito e que só falta que Lisboa recorra ao Fundo de Estabilização Europeu na versão participada pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).

O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, admitiu, que a União Europeia (UE) está preparada para resgatar financeiramente Portugal.

A toalha está estendida, a mesa posta, os comensais sentados e já todos se babam para a refeição que se adivinha. O pior é que no menu estão as nossas vidas, a precariedade, ordenados baixos, desemprego e a pobreza.

Precaver o futuro?

O Parlamento chumbou hoje, com votos contra do PS e PSD, projetos de BE, PCP e CDS que limitavam as remunerações dos gestores públicos e alargava a limitação aos órgãos diretivos de institutos públicos, autoridades reguladoras independentes, empresas regionais, municipais, intermunicipais e metropolitanas.

Numa altura em que o país não tem dinheiro para nada pode parecer estranho que não pense que pode poupar alguma coisa com gente que ganha milhares, dezenas de milhares e em alguns casos centenas de milhares de euros, sem contabilizar os cartões de crédito, carros, telefones, prémios e todas as outras alcavalas que recebem. Porque será que votaram contra? Talvez, porque já sabem que um dia, quando deixarem de ser deputados, o seu futuro passa por ocuparem cargos nessas em presas públicas? Se o seu destino fosse irem parar a uma fábrica ou trabalharem numa caixa de supermercado não tivessem aprovado as leis de trabalho que retiram direitos e facilita os despedimentos e tivessem exigido que o acordo para aumentar o ordenado mínimo para 500 euros fosse cumprido.

sábado, fevereiro 19, 2011

O Pote do poder


Na entrevista que deu à RTP, Passos Coelho diz que haver eleições este ano só depende do Governo. É preciso que Sócrates "se deixe de fitas e governe". Porque os social-democratas não estão "cheios de vontade de ir ao pote".

Este Coelho quando fala baralha-se muito e na tentativa de esconder a realidade acaba a por deixar fugir-lhe a boca para a verdade. Não que tivesse dúvidas que não é para governar e resolver os problemas dos portugueses que querem chegar ao poder, mas é revelador que acabe a falar do governo como o"pote". Que de tanta fome de poder não se transforme num João Ratão.

Sad Bad Mad

sexta-feira, fevereiro 18, 2011

Tempestade (II)

Tempestade (1)

Em época de ventania e tempestade resolvi procurar imagens para fazer um boneco da intempérie que varre Portugal, na rua, na politica e nos mercados. Como algumas vezes acontece encontro, não a imagem que imaginei, mas uma outra que me apetece fazer, mesmo que não diga o que eu queria dizer. Algumas vezes lá tento dar a volta ao texto para justificar o boneco que fiz, noutras nem sei como o poderia fazer. É o caso desta, em que porque raio havia eu de fazer o Engenheiro de Leão ao vento, aguardando a tempestade. Podia dizer que é porque é líder de um governo de um homem só ou porque impõe a sua lei e a sua vontade a qualquer custo, mas nunca seria credível. O Leão é demasiadamente digno e honrado para poder representar uma tão baixa e triste personagem.

Perderam-se 60 mil votos. Alvisseras a quem os encontrar


O mapa oficial dos resultados das eleições presidenciais de 23 de Janeiro, publicado ontem em Diário da República, refere um total de 4 431 849 votantes, menos 60 448 do que o inicialmente anunciado, 4 492 297.

Depois dos milhares que não puderam votar devido à trapalhada do cartão único sabemos agora que se perderam 60 mil votos. O Ministro Rui Pereira, que já se devia ter demitido no próprio dia das eleições presidenciais, melhor já se devia ter demitido muito antes e muitas vezes tantas têm sido as trapalhadas porque passou o seu reinado como Ministro da Administração Interna, nem agora mostra vontade de resignar ao cargo. O Jorge Coelho demitiu-se só pela tragédia da Ponte de Entre-os-Rios e este agarra-se ao lugar como uma lapa. Todos querem que se demita, da direita mais extrema à mais extrema esquerda. Faça-lhes a vontade a eles e a nós também.

quinta-feira, fevereiro 17, 2011

Afinal quem estava enganado?

Depois de o Eurostat ter divulgado que a taxa do desemprego se manteve em Dezembro em Portugal nos 10,9%, Valter Lemos sublinhou que a tendência quanto ao desemprego é de "estabilidade" e que 2010 foi "bastante melhor" do que as previsões da "esmagadora maioria" dos comentadores e organizações internacionais. "Todos os que pensaram que Portugal ultrapassaria os 11% em 2010 falharam. As previsões do Governo foram as mais certeiras", disse o responsável .
Valter Lemos em 3FEV2011

O secretário de Estado do Emprego admitiu, esta quarta-feira, que os números do desemprego 11,1 por cento registados no último trimestre de 2010 são «valores bastante elevados»
Valter Lemos em 15FEV2011

Com tantos enganos e erros quem devia estar na fila do Centro de Emprego era este Valter, a sua ministra e já agora todo o resto do governo. O país já não os aguenta.

PS: Quem venha a este blog regularmente já deve ter notado que basta o desemprego subir uma ou duas décimas e lá estou eu a fazer mais um post sobre o assunto. É que o problema não está nas décimas, mas nos milhares de trabalhadores e famílias que isso atira para a miséria e desespero. Não se trata de números mas de pessoas.

Os Boys and Girls



O CDS-PP acusou a ministra do Trabalho de beneficiar 40 dirigentes da Segurança Social, todos do PS, e perguntou o que «está por detrás da criação destas chefias e promoções».
A ministra do Trabalho, defendeu que a «ideia era evitar vazios legais e dar seguimento ao que tinha sido inscrito no Orçamento de Estado para 2009. Alguns desses nomes que referiu como sendo "boys and girls" encartados do PS são pessoas que trabalham na Segurança Social há mais de 30 anos», lembrou Helena André.


Parece-me que até podiam trabalhar na Segurança Social há 50 anos que o estranho é que sejam todos do PS. Isso e que seja em 2011, durante um orçamento de austeridade extrema, que venha cumprir o que estava inscrito no orçamento de 2009.

Já não há vergonha e um cartão de partido continua a valer muito. Hoje valem os rosas, amanhã valerão os mais alaranjados

quarta-feira, fevereiro 16, 2011

Entre o Paraiso ou o Inferno escolhe o purgatório.


O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho anunciou esta terça-feira, à saída da reunião com a bancada parlamentar social-democrata, que o partido decidiu não «viabilizar esta pseudo-moção de censura» do Bloco de Esquerda, confirmando o voto de abstenção. «O PSD não está, não esteve e nunca estará à espera de um oportunismo politico para derrubar o governo».

Expliquem-me melhor que eu não estou a perceber bem. Se para o PSD este governo faz tudo mal, se está a conduzir o país para o descalabro total, se tem todas as culpas e responsabilidades, se as sondagens lhe dão uma vitória em eleições, se o Bloco de Esquerda lhe estendeu a passadeira para chegar ao governo, porque não vem em "salvação" do país? Se não gostam do texto que justifica a moção do BE, apresentem uma do PSD. Tenham a coragem de o fazer, ou então calem-se de vez que tanta hipocrisia já mete nojo.
Digo isto, não porque acredito que um governo do Passos Coelho fosse melhor que o do Sócrates, seria certamente a mesma porcaria ou pior ainda, mas pelo menos que se acabe com este espectáculo degradante de ver alguém afirmar todas as suas virtudes, qualidades e capacidades mas depois recusar assumi-las. Que fique demonstrado de vez que o mal não são (só) as pessoas mas sim as politicas e as soluções que defendem.

Moção de censura nuclear


Uma moção de censura que pouco ou nada vale e que todos já conheciam o destino mesmo antes de o ser, acabou por ser uma bomba nuclear para muita gente. Para o BE que a anunciou porque colocou à mostra muitas das fractura que por lá se sentiam, sobretudo da decisão de apoiarem o Manuel Alegre, Para oPSD que acabou por mostrar que há os que querem o poder já e os que preferem deixar passar a tempestade da austeridade mas, como acontece com o CDS, mostrarem preferir o jogo politico a serem a solução daquilo que dizem ser a ruinosa governação socretina do país. Quem deve ter ficado satisfeito foi o PCP que viu o Bloco a ser criticado por todos e o valor de uma sua moção de censura ganhar muito mais importância no futuro. Para os Socretinos foi mais uma oportunidade de mostrarem que não há neste momento nenhuma alternativa à sua governação e ganha mais um tempo para se preparar para o previsível assalto ao poder lá mais para o fim do ano.
E para nós o que fica? Mais do mesmo, mais austeridade e mais cortes nos direitos sociais e uma falta de alternativa de poder que possa fazer frente e ser ganhadora contra o alterne PS/PSD habitual.

terça-feira, fevereiro 15, 2011

Dia dos Namorados 2011

A politica em Portugal anda tão assanhada, andam todos com um ar tão zangado que foi necessário um comentário num dos blogs onde publico os meus bonecos, para me lembrar que não tinha lembrado aqui a passagem do dia dos namorados. E, não foi fácil encontrar um par que pudesse utilizar para o assinalar. O melhor que consegui foi relembrar o último grande momento de "amor" da politica cá do Jardim; Cavaco Silva e Dias Loureiro. Quem não se lembra do esforço do Sr. Silva para manter o ex-dirigente da SLN, apesar de todos os dias se saberem mais noticias sobre os nublosos e ruinosos negócios que culminaram na nacionalização do BPN. Agora, um continua em Belém e o outro vive abastadamente nas suas propriedades em Cabo Verde, terra do obscuro Banco Insular tantas vezes utilizado nas trafulhices que já nos custaram mais de 5 mil milhões de euros. Quem sabe se as acções do BPN do Sr. Silva e/ou a famosa casa da Aldeia da Coelha não terão sido terão sido tão baratos e lucrativos por serem verdadeiras provas de amor.

A sucata europeia


Importar carros usados é mais barato desde o início deste ano. Tudo porque o Governo alterou, no Orçamento do Estado para 2011, a carga fiscal para os compradores que, nalguns casos, pode diminuir mais de 40% se os carros importados tiverem mais de cinco anos.
É uma boa notícia para os consumidores, sobretudo para aqueles que vão comprar bons carros, mas também favorece a importação de carros mais antigos e com problemas. O que significa que os veículos novos vão vender-se cada vez menos e que o País vai tornar-se num consumidor mais activo da chamada sucata europeia.
in "Económico"

Não sei se é boa ou má noticia, não sei se o imposto devia ser maior ou nem existir, (se estamos na Comunidade Europeia), o que sei é que o país está de tanga e a única solução é comprar menos lá fora e produzir mais cá dentro.

Para isso o que necessário? Mais campos cultivados, mais fábricas a produzir aquilo que os portugueses necessitam e taxando depois a entrada de produtos idênticos. (Dizem que isto vai contra o espírito europeu, mas os portugueses não comem espírito nem a abertura das fronteiras nos tem impedido de estarmos cada vez mais pobres). Há que criar mais empregos em Portugal e reduzir os gastos que fazemos lá fora. Acreditar que num mundo cão como este em que vivemos, num mundo onde a competitividade é feita com países que não respeitam os trabalhadores nem leis ambientais ou de qualidade e segurança, iremos ser capazes de exportar o suficiente para compensar o que importamos é acreditar no Pai Natal, é enganarmos-nos a nós próprios. Repovoar o interior e apostar na agricultura, fazer mais barcos e reconquistarmos o mar que já foi nosso em tempos, criar fábricas e acabar com a corrupção é necessário.


segunda-feira, fevereiro 14, 2011

Memórias de uma ministra

O primeiro-ministro é uma pessoa de invulgar coragem e determinação. E isso tem sido um benefício para o País", afirmou Maria de Lurdes Rodrigues, em entrevista ao DN e à TSF para o programa ‘Gente que Conta'.

Há personagens que quase se tornaram míticas neste blog, personagens que o povoaram durante meses e algumas mesmo anos. Esta foi uma delas e só por isso lhe faço mais este boneco. Não por estar na prateleira da Fundação Luso-Americana. Não por considerar que "coragem e determinação" são suficientes para se governar, esquecendo a competência, justiça e respeito pelos outros. O exemplo do seu próprio mandato mostram-no bem. Se faço o seu boneco é porque há personagens que merecem ser recordadas, não pelo que fizeram, mas como exemplo de uma desgraça que não devemos deixar acontecer de novo.

Estado da democracia


Paulo Portas foi reeleito para a liderança do CDS com a confortável maioria de mais de 95% dos votos e já se sabe que também o Sócrates, que vai a votos no PS no próximo mês de Março, deverá ser reeleito por uma maioria igual senão maior. São eleições que fazem lembrar as realizadas em tempos mais salazarentos ou países como a Coreia do Norte e noutras ditaduras do género. Desde o momento que os partidos mudaram a sua forma de eleger os lideres, com a realização de directas algum tempo antes do congresso, que acabou toda a luta politica dentro dos partidos e deu como resultado eleitos com quase 100% dos votos.
Não que me fizesse grande diferença a forma como cada um garante o poder dentro da sua casa, mas o que me assusta é saber que é gente desta que procura transferir para a escolha do poder no país o mesmo tipo de politica e de pressão sobre quem vota. Basta ver que vivemos num país em que um"pinóquio"compulsivo consegue ser reeleito primeiro-ministro, em que as alternativas de poder são o mesmo pinóquio e um Passos Coelho igual a ele. Infelizmente esta é a democracia de alterne em que nos transformamos.

domingo, fevereiro 13, 2011

É só fumaça

Gasolina barata? Toma!


A Galp Energia divulgou, que em 2010, o lucro ajustado da petrolífera nacional disparou 43% para 306 milhões de euros, mas o lucro real aumentou para 441 milhões. O primeiro é influenciado pelas cotações do petróleo e o segundo valor resulta das normas contabilísticas, uma vez que é sobre ele que a Galp paga impostos.

Mesmo sem entender muito bem o que isto quer dizer, há uma coisa que entendo, é que a Galp aumentou os lucros em 43% e o preço dos combustíveis não param de subir. Manuel Sebastião, presidente da Autoridade da Concorrência, deu uma entrevista em que mais uma vez nos vem dizer que não encontra nada de estranho no preço da gasolina e dá uma explicação tão complicada que chega a passar por Roterdão. A entidade pode ser reguladora, mas nós é que acabamos a não regular bem se tentamos entender como os combustíveis estão hoje muito mais caros com o preço do barril de petróleo a 100 dólares que há uma ano quando estava a 150. Nós é que não entendemos como é melhor para os portugueses esta suposta concorrência entre petrolíferas, que só tem feito subir o preço, que haver uma Galp do estado onde os fabulosos lucros pudessem ser utilizados para baixar os preços. Eu pelo menos não entendo.


sábado, fevereiro 12, 2011

O dia do Egipto


Dia 11 de Fevereiro de 2011, um dia histórico e de esperança para o povo egípcio. Cabe-lhes agora defender aquilo que conquistaram, coisa que nós cá em Portugal não conseguimos fazer depois do 25 de Abril de 74. Boa sorte para eles.

As boleias do capuchinho rosa


Quem se anda sempre a armar em lobo mau, sempre disposto a "papar" o capuchinho Rosa ao pequeno-almoço e que no fim acaba sempre quem acaba por lhe dar boleia nos momentos mais complicados? Afinal, ao capuchinho e ao ricaço põe sempre o Passos a mão por baixo. Foi assim nos PEC's, no orçamento de estado e vai ser na moção de censura.

sexta-feira, fevereiro 11, 2011

Paralamentar parlamentarices


Hoje o Francisco Louça surpreendeu toda a gente ao anunciar que vai apresentar uma moção de censura ao governo dos socretinos, sobretudo depois de ainda há poucos dias o ter considerado isso como algo sem sentido e por se recusar a dar a mão à direita. Realmente correr com este governo é importante, mas mais importante era encontrar uma alternativa de poder à esquerda. Retirar de lá o Sócrates para dar ao Passos Coelho não me parece que vá melhorar a vida dos portugueses. Que esperança pode isso dar aos desempregados, aos trabalhadores precários, aos reformados, aos trabalhadores e aqueles que pouco ou nata têm?
Se a esquerda não estivesse tão preocupada e tão bem instalada no seu quintalzinho, se estivesse realmente preocupada com as condições de vida dos portugueses e em travar a destruição do estado social, teria de ser capaz de se entender na criação de uma grande força eleitoral de esquerda que fosse uma verdadeira alternativa de poder e de governação deste país. É assim tão difícil potenciar o que os une em detrimento do que os divide em nome dos portugueses.

A vingança da Múmia de Boliqueime


Embora o procure disfarçar sob o seu cínico sorriso, o Silva de Boliqueime é uma personagem sinistra e vingativa (para não referir aqui de novo todos os outros defeitos e o mal que causou a este país com as suas politicas). No seu discurso na pífia vitória de reeleição já deixou escapar muito desse seu ressentimento, mas agora que já não vai voltar a necessitar dos votos dos eleitores vai finalmente mostrar o seu verdadeiro ser. Ainda não tomou posse para o seu segundo mandato e já começou a vetar os diplomas de governo sem se esconder por detrás de inconstitucionalidades. Vêm ai tempos conturbados e vamos ver o Sr. Silva como é, um tiranete sem a máscara hipócrita do democrata. Portugal só pode ir de mal a pior.

quinta-feira, fevereiro 10, 2011

O circo central


Não há dia em que não apareça alguém do PSD a criticar o Sócrates e o seu governo, considerando que está a levar o país para a desgraça. Eles já nos disseram que têm todas as respostas, todas as soluções, as pessoas certas para os lugares certos, a competência e a vontade de servir Portugal. Praticamente já são o governo, só falta saber quando vão assumir as funções. Já se discutem e já se anunciam os próximos ministros em público, certamente também já nomearam em particular muitos administradores e gestores de empresas públicas e já aceitam inscrições na lista dos "Bóis". Só não entendo porque continuam a dizer que só serão governo na altura que desejarem se afirmam que este governo já não governa e podem ser governo já.
É o dilema laranja, o tentar deitar abaixo o governo e ir para eleições para chegar já ao poder e apanhar com as impopulares consequência das medidas de austeridade ou deixar esse trabalho sujo para o Sócrates e tentar ganhar as eleições mais tarde quando as coisas acalmarem. A vontade de chegar ao poder é muita e sabem que agora ganhariam as eleições. É que o Engenheiro já mostrou que papa lideres do PSD ao pequeno-almoço e se lhe dão um ano para fazer a sua propaganda nunca se sabe como será.

Uns pagam...outros não


Os quatro maiores bancos privados em Portugal registaram uma queda nos lucros em 2010, face a 2009. Em conjunto, os resultados do BES, BCP, BPI e Santander Totta caíram 10 milhões de euros (só lucraram 1.435 milhões de euros). Mas os impostos pagos desceram para metade: os cofres do fisco receberam menos 150 milhões de euros.

Enquanto para os que menos têm a crise lhes traga menos salários e direitos sociais e mais aumento nos produtos essenciais e nos impostos (só em Janeiro as receitas subiram 15%)parece que ainda há aqueles para quem ela passa ao lado sem os incomodar. Sendo a Banca um dos negócios mais lucrativos, à muito que é taxada com impostos muito abaixo dos valores cobrados às outras empresas, sejam elas médias, pequenas ou micró. Para ajudar à festa ainda contratam contabilistas que com jogos financeiros reduzem o pagamento ao mínimo e agora, como se isso não bastasse ainda veio o governo desagravar-lhes a carga fiscal. Todos temos de contribuir para salvar o país da bancarrota, ou melhor quase todos que a Banca parece estar imune a essa responsabilidade. Um pouco como no "Animal Farme", onde também todos os animais eram iguais, embora houvesse uns que eram mais iguais que outros.

quarta-feira, fevereiro 09, 2011

Impressão digital de Luis Amado


Felizmente o Ministro Luís Amado esqueceu-se que, para assinar o acordo com os EUA para lhes oferecer todos os dados, da impressão digital ao perfil de ADN dos cidadãos portugueses em nome da luta contra o terrorismo, tinha de ter o acordo da omissão Nacional de Protecção de Dados. Felizmente porque agora veio essa comissão chumbar o acordo por considerar "abusivo, excessivo, demasiado genérico, [de] difícil controlo de pesquisas indevidas, sem garantia da protecção dos dados [...] e [falho] de salvaguarda da pena de morte".
São voos da CIA, Guantanamo, informações secretas, tudo oferecemos mesmo à revelia das posições da União Europeia. Esta subserviência deste governo aos EUA já fede.

O peso da dívida publica


Na antiga Grécia, Zeus, o Deus dos Deuses condenou o Titã Atlas a carregar com o peso do mundo para toda a eternidade. Na actual mitologia capitalista quem reina acima de todos e de tudo são os "mercados" que nos resolveram condenar a carregar com o peso da crise que criaram e de uma dívida pública que insentivaram. A Santa Europa a que tantos cantaram louvoures e outros, menos, que ainda a idolatram, primeiro fez o milagre da multiplicação do dinheiro em troca da destruição do nosso sistema produtivo, na industria, agricultura e pescas. Depois, como não havia mais nada para destruir, passou a dar metade do dinheiro se nós apresentássemos a outra metade que não tinhamos. Sem problemas, eles emprestavam a juros muito baixos. Construiram-se rotundas, pavilhões e piscinas por todo o lado, compraram-se Ferraris e carros de luxo como em nenhuma outra altura, surgiram os BPN's deste país enquanto o compadrio e a corrupção prosperavam. A Europa via e sorria. Calmamente continuou a engodar o país e agora, quando ele já está endividado até aos cabelos, é hora de cobrar. Sobem-se os juros para valores impossiveis de pagar e aí está um pais inviavel.
Está tudo perdido?
Não há esperança de salvação?
Claro que há, é aceitarmos a subserviência ao poder do grande capital e transferirmos o pouco que resta da nossa soberania para as mãos dos grandes da Europa. Heil Frau Merkel, que do alto do seu pedestal já olha a Europa conquistada sem ter de dar um tiro. Começou o IV Reich.

terça-feira, fevereiro 08, 2011

A prova oral da ministra


A Ministra Isabel Alçada vai esta quarta-feira fazer um exame oral ao parlamento e é bom que estude bem a matéria que certamente vai ter de saber bem como explicar coisas como o fim da área projecto, ou do estudo acompanhado ou ainda do desporto escolar. Mas, a pergunta mais difícil será explicar como vai cumprir a promessa, feita ainda neste passado fim de semana, de não haver despedimentos na função pública com o fim de mais de 30 mil horários nas escolas públicas. Até agora esta ministra, como tinha feito a anterior a sinistra Maria de Lurdes Rodrigues, sempre justificaram as suas malfadadas medidas com a melhoria do ensino, coisa que agora não poder fazer.
Melhor mesmo é chumbarem-na a ela e às medidas que pretende implementar. Há certamente no estado melhores sítios para cortar despesa do estado que na educação, onde ainda há tanta coisa para melhorar. Certamente que faz mais falta um professor que dezanove dos vinte motoristas que o Sócrates tem à sua disposição na presidência de ministros.

Banca: Chovem lucros durante a tempestade financeira


Todos nos recordamos bem que a crise que justifica todas as malfeitorias porque passamos foi criada pela ganancia do sistema financeiro apoiada sobretudo na especulação imobiliária. Não foram só responsaveis por casos de fraude descobertos, pela especulação dos mercados mas também o são pela divida externa do país. (Basta ver que a maior parte da nossa divida externa é privada e bancária e não do estado como tanto gostam de apregoar). Faria por isso sentido que a banca fosse o sector que mais se estivesse a ressentir da crise por ser o seu centro e origem. Mas não, nunca vimos a banca parar de aumentar os seus lucros mesmo durante o epicentro da crise apesar dos muitos lamentos que ouviamos dos seus responsaveis. Senão veja-se o que aconteceu no ano de 2010 em que os três maiores bancos privados tiveram um lucro que excedeu os mil milhões de euros. Nada tenho contra a banca ganhar dinheiro, mas pareceria lógico e justo que o estado exigisse à banca uma maior comparticipação nos sacrificios que pede ao país, sobretudo sabendo que de todas as actividades económicas é a que menos impostos paga e que mais engenharia financeira faz para pagar cada vez menos. Sem falar nos offshores e em todas as outras maningâncias que utilizam para escapar ao fisco. Mas não, o estado continua a olhar para o lado e a não se meter com os lucros da banca e da especulação mostrando bem que quem governa este país não são os interesses dos cidadãos, mas sim o grande capital, ou como agora gostam de lhe chamar os "mercados".

segunda-feira, fevereiro 07, 2011

Mentiras e papões


O PSD reagiu às declarações do primeiro-ministro, que tinha afirmado que o partido de direita tem na sua agenda despedimentos na Função Pública e privatizações, acusando José Sócrates de "recorreu, de uma forma intensa, não só à mentira como também tentou agitar o papão do medo".

Isto é um bocado confuso porque se misturam verdades com mentiras para no fim tudo acabar como uma enorme mentira. Acusar o PSD de querer privatizar tudo é verdade, mas como levar isto a sério de quem ainda não parou de o fazer e tem na mão uma enorme lista de privatizações? Despedimentos na Função Pública são um sonho antigo da direita portuguesa e por isso o Sócrates não nos veio dar nenhuma novidade, nem faz sentido quando já ele tem 30 mil professores na calha e muitos outros já não devem andar a dormir muito bem. Basta imaginar a Merkel a lembrar-se de "pedir" a Portugal para reduzir o número de funcionários públicos.
Não é o papão do medo que mais assusta os portugueses mas sim a realidade do desemprego e da miséria, Uma realidade que não vai mudar enquanto não se mudar o paradigma de vida que vivemos. Uma realidade que não vai mudar enquanto não sairmos desta letargia e conformismo e escolhermos um novo caminho baseado na participação activa e solidariedade e não no consumismo e produtividade.

PSP ortugal

Ele há dias em que penso num texto que quero escrever, faço uma imagem que se lhe possa adaptar e depois quando vou escrever o texto ele acaba por não encaixar na imagem. Uma espécie de dislexia entre o que quero dizer e aquilo que acabo por fazer. Mas, como escrever o texto dá menos trabalho que fazer o boneco é evidente que acaba por ser ele a ser publicado.

domingo, fevereiro 06, 2011

Venha o diabo e escolha


Infelizmente a esquerda deste país sabe que em eleições pela queda deste governo não lhes vai permitir chegar ao poder. Não é um partido que tem normalmente resultados perto dos 10% de votos e que não se prevê que venha a ter muito mais. não o pode aspirar. Enquanto o PCP e o BE andarem a atrapalhar-se um ao outro e a discutir, "a minha é maior que a tua" não é possível criar-se uma verdadeira alternativa com possibilidade de chegar ao poder e travar o avanço descontrolado do capitalismo liberal. Só este pensamento deveria ser o suficiente para ambos mostrarem disponibilidade e abertura para encontrar uma plataforma, por mais mínima que fosse, que ajudasse a criar essa alternativa com possibilidade de vitória. Mas não é, e por isso estamos condenados a ter como primeiro-ministro ou o Sócrates ou o Passos Coelho. Venha o diabo e escolha.

O bordel Europeu da Madame Merkel


Esta Europa está transformada num autentico bordel dirigido pela Madame Merkel com os países a prostituirem-se perante o grande capital, agora chamado de "mercados". Como se já não bastassem as directivas europeias sobre tudo e mais alguma coisa, do tamanho dos preservativos ao tamanho dos tomates, vêm agora também querer controlar os aumentos de salários, idades de reforma e politicas sociais. Todos somos obrigados a importar o que de pior existe sem a contrapartidas das vantagens que têm. Setenta anos depois de um louco de bigodinho ter tentado conquistar a Europa com canhões vem agora uma anafada loura conquistar-nos sem disparar um único tiro. Agora se começam a ver as verdadeiras intenções e consequências do tratado de Lisboa. Porreiro pá.

sábado, fevereiro 05, 2011

Ai Portucale, Portugal

Sete anos depois do início do caso Portucale, 11 arguidos sentam-se a partir de hoje no banco dos réus. O principal arguido no processo relacionado com o abate ilegal de sobreiros, o empresário Abel Pinheiro, está acusado por um crime de tráfico de influência e um crime de falsificação de documentos. Além do empresário ligado ao CDS-PP, são ainda arguidos Carlos Calvário, José Manuel de Sousa e Luís Horta e Costa (ligados ao Grupo Espírito Santo), António de Sousa Macedo (ex-director geral das Florestas), Manuel Rebelo (ex-membro da Direcção Geral das Florestas), António Ferreira Gonçalves (ex-chefe do Núcleo Florestal do Ribatejo), Eunice Tinta, João Carvalho, Teresa Godinho e José António Valadas, todos funcionários do CDS-PP.

Ministros de fora Paulo Portas, Luís Nobre Guedes e Telmo Correia, respectivamente, ministros da Defesa, do Ambiente e do Turismo no governo de Pedro Santana Lopes, são referidos em todo o processo, inclusivamente surgem nas escutas telefónicas, mas não foram constituídos arguidos e apenas Telmo Correia está arrolado como testemunha. Todavia, o tribunal considerou "o despacho conjunto 204/2005 ilegal, designadamente por não ter acautelado a prévia realização de estudo de impacto ambiental". O documento é assinado pelos três ministros e permitia o abate dos sobreiros.

No despacho de pronúncia, Abel Pinheiro é descrito como "um homem da confiança pessoal, que tinha contactos e acesso directo a alguns dirigentes do CDS-PP, designadamente de Paulo Portas e de Luís Nobre Guedes, facto que ele próprio publicitava perante terceiros". Relativamente a Telmo Correia, o despacho faz menção de uma conversa entre Abel Pinheiro e o arguido José Manuel de Sousa, ligado ao BES, onde o empresário ligado ao Grupo Grão-Pará diz ao gestor que "estava garantida a assinatura do ministro Telmo Correia, uma vez que este último assina qualquer merda".

Mais casos Além do caso Portucale, o despacho de pronúncia refere mais dois alegados casos de influência política: a alteração do Plano Director Municipal de Gaia e a aprovação de um empreendimento na Quinta do Montado, propriedade de um fundo de investimento imobiliário gerido pela ESAF - Espírito Santo Fundos de Investimento Imobiliário. E ainda uma aprovação ao alargamento da concessão à AENOR que seria financiada pelo BES. No caso de Gaia, o tribunal refere que a questão "foi discutida entre o arguido Abel Pinheiro e Miguel Relvas, enquanto destacados elementos do CDS-PP e do PSD" e ainda o dirigente socialista Jorge Coelho.

Abel Pinheiro e os administradores do GES são acusados de tráfico de influências, enquanto os funcionários do CDS-PP vão responder pela acusação de falsificação de documentos. Em causa estão suspeitas quanto ao preenchimento de recibos de donativos para justificar a entrada de um milhão de euros nas contas do partido, em Dezembro de 2004. Um dos alegados doadores chamar-se-ia Jacinto Leite Capelo Rego.

Só gosto mesmo é de os ver nos horários nobres da nossa televisão a falarem de competência e seriedade. E conseguem fazer isso sem se rirem.

Partilhe