sábado, abril 30, 2011

A Negociação


Continuam as negociações com o FMI para discutirem qual vai ser o preço para nos poderem fecundar, neste bordel à beira-mar plantado.

O ascensorista social

Paulo Portas veio dizer que defende a igualdade de oportunidades e por isso é o elevador da sociedade.
Igualdade de oportunidade muitos defendem, mas muitos também só respeitam os que conseguirem lugar no elevador. É que o elevador não pode levar todos e os outros, os que por razões diversas do esforço o não conseguirem, são abandonados à pobreza e à exploração. Não há igualdade de oportunidade para aquele que chega conduzido pelo motorista do pai ao colégio privado e o que chega ao liceu com frio e fome. Não há igualdade de oportunidades para quem, depois da escola, tem professores privados para lhes dar explicações e os que têm de ir trabalhar para ajudar na casa. Não há igualdade de oportunidades para os que, ainda não acabaram o curso, já têm um lugar de assessor numa das empresas de um familiar ou amigo do pai e aqueles que entram num mercado de precariedade e desemprego. Mais que igualdade de oportunidade há que dar primeiro igualdade de condições de vida, condições em que se possa crescer com dignidade e segurança.

sexta-feira, abril 29, 2011

No, I can't


Médicos e psicólogos do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, responsáveis pelos cuidados com os presos no centro de detenção de Guantánamo, no sul da ilha de Cuba, ocultaram evidências de abusos e torturas infligidas intencionalmente aos detidos, segundo um estudo publicado nesta terça-feira.
O governo dos Estados Unidos usou a prisão de Guantánamo ilegalmente para obter informação dos detidos, independentemente de serem suspeitos ou não. Informam também que parte dos prisioneiros afegãos e paquistaneses eram inocentes, incluindo motoristas, agricultores e cozinheiros, que foram detidos durante operações de inteligência em zonas de guerra.
Catorze adolescentes passaram pela prisão de Guantánamo enquanto suspeitos de terrorismo. Apenas um prestou informação relevante para a segurança dos EUA. Os restantes representavam um risco baixo ou nulo.

Obama é o homem que se arrisca a ser dos mais detestados no Mundo pela desilusão em que transformou toda a esperança que conseguiu criar, ao ponto de ganhar um Prémio Nobel sem nada ter ainda feito. Tantas promessas, tanta coisa para fazer e o resultado é um enorme nada. Falou contra Guantanamo, a tortura e a ilegalidade que representava, prometendo encerrar esse local de vergonha. Continua aberto e em atividade. Prometeu acabar com a guerra no Iraque e acrescentou-lhe uma no Afeganistão e agora na Líbia. Falou de acabar com os grandes especuladores responsáveis pela crise económica e a miséria de tantos milhões por todo o Mundo, para a economia continuar em crise e os especuladores a enriquecerem cada vez mais.
Tanta conversa e tanta esperança para dar nisto. Em nada.

Eles também se sacrificam muito


O Presidente da Galp, Manuel Ferreira de Oliveira, teve uma remuneração de 1,33 milhões de euros no ano passado, (menos 236,8 mil euros do que em 2009), só ultrapassado pelo Presidente da PT, Zeinal Bava , que recebeu 1,41 milhões de euros.

Podem ser todos muito bons e muito competentes, podem dar milhões de lucros às empresas que lideram, mas nada disso faz com que estes salários não sejam imorais e vergonhosos em qualquer altura, mas muito mais quando se fala de crise e bancarrota. Quando tanta gente passa por tantas dificuldades, pelo desemprego, pela fome e pela pobreza. Solidariedade? Sacrifícios repartidos por todos? Haja vergonha.

quinta-feira, abril 28, 2011

A cegueira do poder


Cegos. Quando surgiu por aí a patética escolha do Fernando Nobre para cabeça de lista do PSD por Lisboa, grande foi a onda de indignação, merecida, que se abateu contra ele. Só uma das criticas me pareceu injusta, a de ter aceite o cargo sem conhecer sequer o programa eleitoral do partido. Injusta, não por não ser justa, mas por ser comum a todos os candidatos de todos os partidos que ainda não apresentaram o seu programa. Todos, aceitaram ser candidatos a deputados para defenderem um programa que não conhecem. Muitos vão ser deputados e aceitam calmamente que, pela disciplina de voto, poderão ter de votar contra aquilo que acreditam ou contra a sua consciência.
Podemos nós votar em quem claramente está lá pelo cargo e não pela representação dos que o elegeram? Eu não.

Um Coelho cor-de-rosa


Começou com a mensagem de Páscoa no Facebook e agora alastra-se pelo jornalismo cor-de-rosa. Na realidade começou antes, começou quando as sondagens começaram a mostrar que, pelas suas ideias e capacidades políticas nunca chegará a Primeiro-ministro. Quando não se conquista pela inteligência, solidariedade e honestidade, aposta-se na má-língua, na imagem de photoshop moral e na foleirice.

quarta-feira, abril 27, 2011

De costas voltadas

Diabruras democráticas


Três ex-presidentes mais o actual reuniram-se no dia 25 de Abril, 37 anos depois de 1974, para dizer que a Democracia deve ser substituída pela unanimidade nacional nos partidos daquilo a que chamam "arco do poder". Uma espécie de suspensão da Democracia da Manuela Ferreira Leite mas em versão light. O que for escolhido pelo voto não interessa para nada porque tudo está já combinado e o apoio parlamentar na Assembleia garantido. Ganhe quem ganhe, ganha o FMI.

terça-feira, abril 26, 2011

Gritos 4

Por mais filmes que alguns façam acabam sempre por ser iguais. Está-lhes no sangue

Estranha forma de democracia


Muitos têm falado a favor da nomeação de um governo de Salvação Nacional patrocinado pelo Silva de Boliqueime que vai fazendo de conta que conta para alguma coisa chamando, "para ouvir" a Belém tudo quanto é gente. Dos partidos aos independentes, dos banqueiros aos industriais, dos patrões aos sindicatos, e até uma coisa chamada de "Compromisso Portugal" que se costuma reunir lá para os lados do Beato quando lhes cheira a possibilidade de darem mais uma dentada nos dinheiros do Estado. Este compromisso, que sempre se preocupou mais com o aumentar os lucros que com o país vem agora armado em defensor de Portugal e também eles apelar a um governo de inspiração cavaquista que junte toda a direita, do Ps ao CDS, num enorme desígnio nacional. Isto, mesmo estando marcadas eleições para Junho, retirando todo o valor à vontade nela expressa pelos portugueses. Até mesmo esta Democracia de fachada que temos os parece incomodar e não me posso deixar de lembrar das palavras da Manuela Ferreira Leite quando nos propôs uma suspensão da democracia. Assim, valeria sempre mais a palavra de um qualquer grupo de "Vampiros", que ninguém escolheu ou passou procuração que a escolha de qualquer eleição.

segunda-feira, abril 25, 2011

O 25 de Abril dos Mercados

Do Canto Livre à tanga do tango


Provavelmente a maioria dos que me visitam e vão ler este post já nasceram depois do 25 de Abril de 1974. Isso nada tem de especial e é só uma consequência da inexorável passagem do tempo, mas isso talvez faça com que muitos não entendam porque outros tanto falam dele com tanto carinho e um sentimento tão forte. Eu que o vivi gostava de o poder transmitir mas isso é uma tarefa impossível para mim que não tenho nem a arte nem o engenho para tal tarefa. Só posso dizer que representam um dos dias em que nos sentimos mais felizes nas nossas vidas. Em que realmente acreditámos que a liberdade existia, que um mundo diferente era possível, em que as coisas não tinham de ser sempre como sempre tinham sido. Cada dia era um dia em que o amanhã era sempre desconhecido e novo, cheio de possibilidades e de esperanças. Foi o dia em que todo um povo cantou, não porque os outros cantavam, mas porque tinha vontade de cantar.
Hoje isso pouco ou nada vale e só alguns o ainda o revivem assim nas suas memórias, hoje temos um Cavaco em Belém, um aldrabão em São Bento, um deslumbrado pelo poder na Lapa e o FMI na Praça do Comércio. Hoje a juventude já se foi e ficou a impossibilidade de voltar a acreditar em alguém ou nalguma coisa. Resta a esperança que algo possa mudar, que algo possa melhorar, embora o caminho que percorremos não ser esse, e a certeza que nunca deixarei de acreditar na liberdade. Este mundo pode não estar preparada para ela, mas acredito que um dia alguém ainda a poderá desfrutar em toda o seu esplendor. Eu só lhe senti o cheiro durante algum tempo e nunca mais a esqueci.

domingo, abril 24, 2011

A Ressurreição


Neste dia de Páscoa não podia faltar um quadro da ressurreição, neste caso não de um filho de Deus, mas de um grande filho da "política". Eu há muito que aqui tenho avisado que ele não estava morto nem mesmo sequer bem enterrado. Nem chega a ser um milagre.

Boa Páscoa para todos


Hoje é Domingo de Páscoa e a Páscoa não é Páscoa sem um coelhinho da Páscoa.

sábado, abril 23, 2011

Com a saúde não se brinca


Não tivesse sido reproduzido nas rádios e televisões e nunca teria visto as "pindéricas" imagens da comunicação ao país do Passos Coelho e da sua companheira que foram publicadas na página do PSD e nas suas páginas do facebooks e blogs, porque não frequento locais de tão má fama. A imagem da Laura a mostrar os dentes em primeiro plano com o Coelho a falar em segundo, sentados naquele sofá vermelho, é totalmente surrealista. Quanto ao som, é patético ver o esforça que agora tenta fazer para tentar desdizer a primeira coisa que disse quando foi eleito líder, de que iria "privatizar" o Serviço Nacional de Saúde. Já percebeu que se há coisa em que os Portugueses não aceitam perder é o Serviço de Saúde que têm e que foi e ainda é uma das maiores conquistas que ainda restam do 25 de Abril. Podem aumentar impostos, reduzir salários, servirem-se dos dinheiros públicos, que os portugueses aguentam tudo. Mas, com a saúde não se brinca, e quem brinca perde as eleições.

Corrida Eleitoral


As últimas sondagens começam a mostrar que, nem o Passos Coelho já era Primeiro-ministro, nem o Sócrates estava morto, havendo mesmo uma em que já está à frente do Coelhinho. É a diferença entre um sacana aldrabão com a escola toda e um sacana aldrabão que nem tem jeito nem capacidades para pelo menos isso fazer bem. No PSD já se agitam as águas e começam a aparecer as garras e parece que a pergunta que muitos já fazem é de quem será o próximo líder do PSD.

sexta-feira, abril 22, 2011

Uma maça bichada


Eu sei que a minha mente tem de ter problemas de sanidade, mas se é assim que vejo o discurso da ajuda externa que posso eu fazer. Uns vêm uns senhores engravatados a sair de luzidios carros a dizerem umas coisas com um ar muito sério e num tom muito convincente de quem anda a salvar o país. Eu vejo isto.

O vencedor antecipado


Vão haver eleições e pelo menos dois destes personagens vão fazer parte do próximo governo. Um é certamente o Paulo Portas que se aliará ou ao Passos Coelho ou ao Sócrates para garantir uma maioria. Nem precisa de fazer campanha. Ganhe quem ganhe ele ganha sempre e nós perdemos todos.

quinta-feira, abril 21, 2011

O mestre de cerimónias da desgraça nacional


Ainda há poucos meses uma minoria dos portugueses se deram ao trabalho de reeleger o Sr. Silva de Boliqueime para a Presidência da Republica. Agora começamos a pagar por isso. Primeiro quando no seu discurso de posse abriu as hostilidades que vieram a levar à quedo do governo passados poucos dias e à chegada do FMI. Agora, põe-se de lado e passa a batata quente para o governo e oposições, como sempre fez no passado em relação a tudo. Deu inicio ao baile, mas recusa-se a participar nele.

Só à marretada


Normalmente ouvir o Marinho Pinto é ouvir alguém que não tem papas na língua e que chama os bois pelos nomes. Já quando veio apelar à "greve" ao voto nas próximas eleições parece-me uma irresponsabilidade e um perigo. Talvez ele não encontre nos partidos um que lhe agrade, (eu também não), mas esta é a última hipótese que temos de tentar travar a desgraça que se anuncia ir desabar sobre todos nós; a chamada ajuda externa. A abstenção e até o voto em branco acabam por ser a aceitação desta situação. Só o voto em quem é contra esta ajuda, contra a miséria, os cortes na segurança social, nos salários e o aumento do desemprego e da precariedade nos pode dar alguma esperança. Sei que a esquerda que temos se preocupa mais com o seu umbigo que com o país, ou então já se teriam unido e tentado criar uma alternativa de vitória à esquerda, mas mesmo assim são a única saída que nos resta. Ou isso ou corrermos os FMIs, os FEEFes e quem os apoia ao pontapé.

quarta-feira, abril 20, 2011

O Nobre bebé com idade para ter juizo


Um dos casos mais caricatos da política portuguesa dos últimos anos tem sido a novela da participação cívica do Fernando Nobre nos terrenos da política. Cedo mostrou não ter muito jeito, mas mesmo assim 600 mil portugueses ainda foram enganados na sua conversa. Depois, foi o que se viu, com o faz o que disse que nunca faria, o contradizer agora o que tinha acabado de dizer pouco tempo antes, para acabar a trocar os pés pelas mãos voltando a desdizer o que já tinha dito e desdito. O Passos Coelho bem pode limpar as mãos à parede com a asneira que fez e quanto mais procura justificar o que o Fernando Nobre disse e desdisse mais se baralha e enterra.

Os conspiradores


A vitória antecipada do Passos Coelho nas próximas eleições já começa a ser colocada em dúvida por muita gente, mesmo dentro do próprio PSD . É que este PSD há muito que é um autentico saco de gatos e há sempre quem seja oposição ao líder da altura, quer seja por vingança, maldade ou simplesmente para manter poderes subterrâneos no partido. As recusas em aceitar os lugares de deputados de Manuela Ferreira Leite, Marques Mendes e António Capucho a que se pode juntar a revelação do Pacheco Pereira, no dia em que se soube que não seria mais o cabeça de lista do PSD a Santarém, sobre o SMS enviado aos deputados no dia em que o governo discutia o peque quatro na União Europeia, facilmente se pode concluir que a vida não está fácil para os lados da Lapa. Sem esquecer o Sr. Silva de Boliqueime.

terça-feira, abril 19, 2011

A harpa e o tridente

Uma Europa tão nossa amiga


Segundo parece o papão FMI entrou em Portugal em missão de charme e mostram-se muito sensibilizados com as nossas dificuldades e até compreensivos quanto à necessidade de não condenar Portugal a uma eterna recessão, propondo um juro de 3,5% num empréstimo a médio prazo. Já os nossos companheiros da União Europeia de que o Durão Barroso é Presidente da sua Comissão, querem ver-nos castigados e a sofrer impondo que o juro seja de 5,5% e pagos a curto prazo. Um castigo não aos governantes, mas sim aos cidadãos deste país condenados à fome e à miséria. Com amigos destes passo eu bem e se defendem a livre concorrência então mais vale Portugal negociar diretamente com o FMI mandando os nossos "parceiros" bugiar. Podíamos até reunir com os que estão na mesma posição que nós, (Irlanda e Grécia) e com os que irão estar muito brevemente, (Espanha, Bélgica,...) e estudar como conjuntamente poderíamos pressionar esta Europa a mudar.

segunda-feira, abril 18, 2011

O estratega do PSD


Dizem que este é o braço direito do Paços Coelho e o seu mentor da estratégia que tem vindo a ser seguida pelo PSD. O homem sempre me pareceu um trauliteiro e aquele sorriso não me parece que convença muita gente e, se a isso somarmos a falta de qualidade e de jeito do Passos Coelho não me surpreendia nada que ainda voltássemos a ver o Sócrates a festejar mais uma vitória no próximo dia 5 de Junho. Curiosamente, após algum tempo em que todos já davam como certo o Passos Coelho como futuro Primeiro-ministro, já começa aparecer muita gente a acreditar que isso não vai acontecer. Triste é que estas sejam as únicas soluções que parecem possíveis quando há mais partidos e outras alternativas possíveis. Podemos até não acreditar muito nelas, mas as que têm governado Portugal há mais de 30 anos já mostraram não servir.

O Nobre tacho


Afirmações de Fernando Nobre:
“No caso de não ser eleito presidente da Assembleia da República, renuncio imediatamente ao cargo de deputado”.
"Ainda não vi o programa do PSD, mas confio em Pedro Passos Coelho".
“Não aceito que os que me apoiaram, num processo que se encerrou, se sintam donos do meu destino”
"A página no Facebook não tinha de estar aberta a todos os insultos. Houve vários lóbis que se concentraram em ataques pessoais ao meu carácter".

Que posso eu pensar disto? Que mesmo em crise, ou talvez por causa dela, não são todos os tachos que lhe servem, que nem sabe bem aquilo que vai defender mas isso não interessa para nada comparado com as suas ambições pessoais, que se está nas tintas para a opinião daqueles a quem andou a pedir apoio na campanha eleitoral e que não gosta de ser criticado. A mim pessoalmente nunca me convenceu mas conheço gente que não merecia e se sente enganada e triste. Pode fechar todas as páginas que desejar no facebook que já poucos devem acreditar nele e haverá sempre blogs e páginas do facebooks que não deixarão esta vergonha passar em claro.

domingo, abril 17, 2011

A magia do FMI

O padrinho


O país está doente como está e, embora eu nem acredite que a terapia que esta gente escolheu cure a maleita e muito provavelmente vai mesmo acabar por o matar, é fantástico ver como os esta gente continua a entreter-se com os seus duelos privados e com a ânsia do poder. O mais alto magistrado, a primeira figura da Republica, esse continua sem se mexer e a preferir incentivar e esperar para ver quem sai vivo da contenda. Afinal na casa deles nunca faltará o pão mesmo que nunca tenham razão.

sábado, abril 16, 2011

Portugal e a Comissão Europeia

As vantagens de ter um palhaço português na Comissão Europeia

A torta guerra da direita mais à direita


Uns dias falam de coligação, de união, de partilha, noutros apunhalam-se nas costas. Para uma frente unida contra o Sócrates, (e por Portugal segundo eles), nunca via nada de tão desarticulado e mal-parido. Ambos querem votos dos ex-socretinistas, mas ambos sabem que o melhor lugar para aumentarem a votação é nos votos do outro. O PSD com o seu discurso liberal e o CDS sem ter outro lugar onde caçar eleitores que não seja nos descontentes do PSD.

sexta-feira, abril 15, 2011

O largo consenso nacional


Já nem me lembrava deste boneco que fiz há algum tempo e que acabei por nunca publicar. O famoso largo consenso nacional de que todos falam mas ninguém parece realmente estar disposto a fazer. A ânsia de poder é tão grande que nenhum parece disposto a partilha-lo.

Chegou o Senhor dos Olhos Azuis

Poul Thomsen é o homem do FMI que nos vem "governar" nos próximos anos. Já o fez na Islândia, depois na Grécia, onde era conhecido pelo Senhor "olhos azuis", a agora chegou a vez de Portugal. Na Grécia deu os resultados que se vêm e, apesar das duras medidas de austeridade, com mais impostos, desemprego, cortes nos salários, pensões e apoios sociais e fim dos subsídios de férias e Natal, provavelmente terá de lá voltar quando a Grécia tiver de recorrer a uma segunda ajuda do FMI. Por este caminho estamos tramados, mas ainda nos resta uma última hipótese de o evitar; nas próximas eleições vamos todos votar em partidos que dizem recusar esta ajuda. Ainda é possível.

quinta-feira, abril 14, 2011

Portugal desfralda a bandeira da fome


Teixeira dos Santos já veio dizer que para Maio ainda há dinheiro, mas que para Junho os cofres estão vazios. Depois de tanto tempo a dizerem-nos que tudo estava bem, que as receitas cresciam mais que o previsto e as despesas baixavam, que as nossas exportações não paravam de subir vem agora dizer que o governo iça a bandeira preta da fome. Não que a fome seja novidade para muitos portugueses que há muito vivem na desgraça do desemprego e dos salários de miséria, mas agora é o país que declara insolvência. Se a verdade é que já não há pão ou se essa afirmação é só uma forma de aceitarmos mais pacificamente as medidas que vão ser impostas pelo FMI, não sei. O que sei é que esta cambada toda que tem andado a desgovernar o país, para que outros se governem muito bem, quando se for embora tem o futuro garantido, lugares de luxo reservados, cá ou na Europa. Talvez fosse a hora de olhar para o que se vai passando na Islândia onde o povo assumiu nas suas mãos o controlo e a tomada de decisões mais importantes, abolindo o capitalismo e exigindo decência e honestidade. Esta gente devia ser toda julgada por crimes contra os cidadãos do seu país e por traição a Portugal pela perda de soberania e independência que causaram. Mas não só os que agora ocupam cargos, também os que já ocuparam, os que querem ainda vir a ocupar, de São Bento a Belém, todos são culpados.

Quanto vale a palavra de um Nobre?

quarta-feira, abril 13, 2011

O Novo governo - Ministro agricultura

“É absolutamente decisivo que a agricultura tenha peso político no Conselho de Ministros, tenha força como prioridade num programa de Governo e sobretudo que alguém seja capaz de por o ministério a funcionar a tempo e horas ao serviço do cliente que é o agricultor”,Paulo Portas. Paulo Portas o homem que vai fazer renascer a agricultura ! “ Paulo és o Ministro da Agricultura de que Portugal precisa”. Por um apelo patriótico: Paulo Portas Ministro da Agricultura ! O homem certo no lugar certo.

De tanto falar de agricultura, se o Paulo Portas vier a integrar um futuro governo deviam obriga-lo a ser ministro das batatas. Ele merece e, pelas suas visitas às feiras, já vimos que até já tem um fatinho e um boné de agricultor. Só falta mesmo meter-lhe uma enxada nãos mãos.

O mestre e os anjinhos

Depois do jogo do empurra de quem vai negociar a "ajuda" a Portugal, com o Cavaco a lavar as mãos, o Passos Coelho a não saber o que fazer, veio o Sócrates dar-lhes a volta a todos. O governo ai liderar as negociações, deixando os outros todos a reboque daquilo que decidirem fazer. Vem assim o Sócrates vender a imagem de ser mais responsável e de ser quem mais preocupado está com o país.
O Sócrates sempre foi um excelente vendedor de banha da cobra e, contra um anjinho como o Passos Coelho, não me admira nada que no próximo dia 5 de Junho esteja a comemorar mais uma vitória eleitoral.

terça-feira, abril 12, 2011

Nota blogosférica

Olá meus amigos!
Durante esta semana vou estar fora de Lisboa para passar uns dias com a família, pôr alguma leitura e sono em dia. Vou tentar não interromper a publicação dos meus bonecos pelo respeito que me merecem todos os que me visitam, mas com uma única Internet móvel para partilhar por todos e sem praticamente ouvir noticias terei de recorrer a imagens que tenho guardadas no meu computador para os fazer. Poderão por isso não ser os apropriados aos acontecimentos mas procurarei que reflictam o que penso dos personagens retratados. As minhas desculpas por isso.
Um abraço a todos
Kaos

O festim do FMI


Dizem que hoje chega o FMI à Portela. Eu pensava que eles já cá estavam há muito tempo. Vêm porque vão chegar muitos milhares de milhões a Portugal. Os primeiros que chegarem já têm destino traçado, são para a Banca, os outros lá irão parar à outra dimensão onde já se eclipsaram as ajudas europeias, seja na forma de TGVes, de submarinos ou BPeNes.
Quem paga? Nós, os nossos filhos e os filhos deles. Agora que dizem estar a chegar o FMI, que nos afirmam ir cortar direitos, trabalhos e salários de fazer já uma greve geral, de irmos todos para a rua dizer-lhes não. Dizem que não podemos sobreviver sem a ajuda, mas olhe-se para o estado em que se encontra a Grécia um ano depois de ter recebido a mesma ajuda. Continua falida, com os gregos mais pobres e com menos direitos e com taxas de juros de 15%. Imaginam como vamos estar daqui a um ano?

Mon AMI Passos Coelho

Fernando Nobre encabeça lista do PSD por Lisboa e é candidato a presidente da Assembleia da Republica.

Lembram-se do discurso nobre do Fernando quando foi candidato a Presidente de Republica? Lembram-se do grande movimento de cidadania, do discurso contra os partidos e pela transparência na vida politica, contra o compadrio, o negócios de lugares e agora aceita o segundo lugar nas presidenciais, que não obteve, para aceder ao cargo de segunda figura da Republica. Ele há gente por aí.

segunda-feira, abril 11, 2011

O Congresso do PS

Não sei se este congresso conseguiria entrar para o livro de recordes, como o mais longo comício eleitoral de um partido, mas merecia. Três dias de exaltação ao Messias do PS com muito marketing à mistura. Muitos dos que já acreditavam numa vitória do Passos Coelho por KO, ficaram certamente um pouco mais apreensivos. Este por mais que o crucifiquem nasce sempre de novo.

Encontro das "esquerdas"


Para quem não é militante do PCP ou do BE é quase incompreensível que estes dois partidos não se unam, como única solução possível, para fazer frente ao capitalismo vigente, ao ponto a que nos trouxeram e sobretudo ao futuro que nos destinam. Talvez por isso ambos resolveram mostrar abertura a "contactos", mas ambos partiram para a reunião com o discurso feito e a estratégia decidida; cada um por si. Nunca se viu uma verdadeira vontade de sequer tentar. É pena porque são muitos que acreditam que as coisas podem ser diferentes e não vêm ninguém realmente empenhado em o conseguir.

domingo, abril 10, 2011

Congresso do PS


Porque apoia o PS o Sócrates depois de ver o que foram os seis anos do rei reinado como primeiro-ministro? Porque sabe que ele é o único, dentro do partido, que ainda pode ganhar as próximas eleições. Campanhas, propaganda e venda da banha da cobra são o seu terreno natural e quem o der como morto e derrotado pode vir a ter uma surpresa.

Portugal e o futuro

sábado, abril 09, 2011

FEEF, HOTEL & SPA

Nem carne nem peixe


“Aqui têm o porquê de um apoio condicional ao pedido de ajuda externa. O Governo saído das eleições terá, a meu ver, legitimidade reforçada para negociar em concreto a política económica e social que definirão o nosso futuro”, afirmou Paulo Portas.

Este não é carne nem peixe, vai ser parceiro de governo de um PSD a quem não se cansa de lançar críticas e deseja e apoia a chegada do FMI, condicionalmente. O Paulinho das feiras continua Paulinho e das feiras, sejam elas mais populares ou mais de vaidades. Já lhe cheira a poder e tresanda de arrogância.

sexta-feira, abril 08, 2011

Pasajeros TGV con destino a Poceirão embarcarse en la Línea 1


Na entrevista à RTP, o Sócrates afirmou que se for reeleito a avaliação dos professores é para avançar assim como o TGV entre Caia e o Poceirão (Pasajeros TGV con destino a Poceirão embarcarse en la Línea 1). Podemos não gostar dele e considerá-lo um aldrabão e o coveiro do país, mas temos que reconhecer que tem mais jeito para a propaganda que todos os outros juntos. é neste terreno que ele se sente à vontade e, mesmo quando anuncia aquilo que sabe ser impopular para muitos, consegue convencer muitos mais da sua razão e determinação. Quem já suspira de alivio acreditando na sua derrota eleitoral pode muito bem vir a ter uma má surpresa, (sobretudo porque a alternativa Passos Coelho não mostra vir a ser melhor).

FMI a solução fatal


Não vinha, não vinha, mas já todos sabíamos que um dia ele ia chegar. Esse dia chegou e com ele o FMI, bicho papão com que nos assustaram durante tanto tempo e à conta do qual tantos direitos sociais e de trabalho nos usurparam . Os mesmos que o agitavam assustadoramente são os mesmos que agora o recebem em aplausos afirmando que só peca por tardia a sua vinda. Chamem-lhe FEEF, FMI ou FIM que o resultado vai ser o mesmo: despedimentos na função pública, cortes nos salários e nas pensões, fim dos subsídios de Férias e de Natal e muito mais pobreza e miséria. Tudo para os que tudo têm possam continuar a ter ainda mais sem se preocuparem com os que quase nada têm e tudo vão perder.
Temos neste momento nas mãos a última arma que nos resta , a possibilidade de votar contra aqueles que defendem a sua vinda e o seu reinado de pobreza; PS, PSD e CDS. Dia 5 de Junho vamos poder dizer-lhes não. Ou vamos entregar-lhes o nosso futuro numa urna de voto?

quinta-feira, abril 07, 2011

Portugal ajoelha frente à União Europeia. Vem aí o FMI

Quem manda realmente?


Bastou o Presidente do BCP primeiro e o do BES depois virem dizer que Portugal necessita imediatamente de pedir um empréstimo de urgência de 15 mil milhões de euros e que iam deixar de emprestar mais dinheiro ao estado para que todos, mesmo os que eram contra a entrada do FMI. o pedirem agora.
Não temos de recuar muitos anos para nos lembrarmos da altura em que o Estado financiou e deu o seu aval à banca para esta poder recorrer aos dinheiros do BCE a juros de um por cento e que depois emprestava a a 6, 7 e 8 por cento ou para lembrar quando o estado gastou milhares de milhões para evitar que a contaminação do BPN e do BPP destruísse a banca cá do jardim. Já temos de recuar mais no tempo para descobrirmos a partir de quando a banca tem sido beneficiada no pagamento de impostos e dos negócios chorudos proporcionados pelo estado. São estes mesmo senhores, a que os mercados já consideram como lixo, que agora exigem que o estado peça 15 mil milhões, certamente na esperança de lhe darem uma boa dentada.
O Sócrates é um teimoso e há muitos anos que anda a destruir a economia do país e a hipotecar o nosso futuro, mas estes senhores, que o apoiaram quando ele era uma mina de ouro para os interesses da banca, não são certamente os que meteram a mão na consciência e num ataque de nacionalismo estão preocupados em salvar Portugal. A sua gula pelo lucro é tão grande que, para ganharem um euro não hesitam em atirar o país para o chão. Bastou falarem e o Engenheiro já lhes garantiu os milhões que desejavam através da ajuda externa.

quarta-feira, abril 06, 2011

Entrelaçados e entalados


Primeiro vem um e diz que não casa mas aceita adoptar o outro na família, para o outro logo oferecer uma aliança sem falar em casamento Aliança sem namoro não aceito, diz o primeiro, mas o segundo sabe que a sua família nunca aceitará o outro como noivo. Uma tragédia pior que a do Romeu e Julieta onde o único que se fica a rir é o cavalo do poder.

A gueixa e o general

Partilhe