segunda-feira, Outubro 31, 2011

Fado Oriental

...
Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal
Vai tornar-se uma imensa China laboral

O diabo está nos detalhes


O Presidente da República considerou hoje que as conclusões da última cimeira da zona euro "vão no sentido correto", mas que há "detalhes técnicos" por esclarecer, e observou que "o diabo às vezes está nos detalhes".

Ele lá sabe isso dos detalhes e dos diabos, afinal na sua santa honestidade tem andado com alguns ao colo.

domingo, Outubro 30, 2011

Os Sobreiros das Patacas


«Em entrevista exclusiva ao Correio da Manhã, a ministra da Agricultura e Ambiente, Assunção Cristas, admite ter dado informação errada ao parlamento sobre a barragem do Tua. Mas, mesmo assim, já ordenou o abate de 1104 sobreiros e 4134 azinheiras.
A zona onde se vai construir a barragem está inserida numa região classificada como património da Humanidade pela UNESCO, que agora pode ser posta em causa com esta decisão. Na primeira grande entrevista que dá como ministra, Assunção Cristas diz também que não sabia que o escritório de advogados Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva e Associados, onde trabalhou antes de ir para o Governo, tem como cliente a concessionária da barragem do Tua, a EDP. »

Mas afinal que raiva é esta do CDS para com os sobreiros? Parecem ser a sua árvores das patacas.

O Rei da Respública do raio que o parta


Para a Cimeira Ibero-Americana, que decorre no Paraguai, Aníbal Cavaco Silva arrasta atrás dele um séquito de 23, no qual se incluem mordomo e médico pessoal. O mesmo Presidente, que se eternizou na célebre frase "Ninguém está imune aos sacrifícios", já tinha suscitado consternação aquando da visita aos Açores em Setembro, por se ter feito acompanhar de uma comitiva de 30 pessoas, entre as quais estavam o chefe da casa civil e sua esposa, quatro assessores, dois consultores, um médico pessoal, uma enfermeira, dois bagageiros, dois fotógrafos oficiais, um mordomo e 12 agentes de segurança. Já recentemente Cavaco Silva recebeu as credenciais de seis embaixadores tendo cada um sido acompanhado por 60 cavalos e charanga da GNR.

É o que dá ser-se Rei de uma Republica. A Presidência receber por ano mais de 14 milhões de euros, o dobro do orçamento da Casa Real Espanhola, dá para isto e muito mais. Que não faltem festas, passeios e charangas . Quem perdeu os subsidio de férias, Natal e parte do salário e vê quem afirmava que todos tínhamos de fazer enormes sacrifícios a esbanjar à grande e à francesa, como se deve sentir? Pessoalmente sinto-me indignado mas também muito zangado e Irritado.


sábado, Outubro 29, 2011

Preso a Portugal


O Ministério Público brasileiro acusou formalmente, esta quinta-feira, o ex-deputado português Duarte Lima do homicídio de Rosalina Ribeiro. A Interpol terá sido contactada para que inclua o nome de Duarte Lima na lista de pessoas procuradas. A denúncia foi encaminhada ao Juízo da 2ª Vara de Saquarema pela Promotora de Justiça Gabriela de Aguillar Lima, que também requereu a prisão preventiva de Duarte Lima.

Não sei se o homem matou ou não matou porque embora ainda não condenado já é acusado com Interpol e tudo. Como Portugal não extradita cidadãos portugueses para o Brasil enquanto se ficar aqui pelo Jardim não vai ser preso fisicamente mas nunca mais se libertará do estigma que tem na testa. A sua honra só poderia ser restabelecida se aceitasse entregar-se à justiça brasileira e ser julgado e absolvido. Mas, parece-me que vamos ver o homem muito tempo por aqui.

O pobre Pinóquio


'Só vamos sair desta situação empobrecendo', Passos Coelho

Empobrecendo? Quem? Ele? Os seus amigo?, O Presidente? Os altos quadros do Estado? Os seus lacaios? Os banqueiros? Ou só todos nós?
É que alguns já não têm mais onde ir buscar dinheiro para uma existência digna, enquanto outros enchem os cofres das offshore.

sexta-feira, Outubro 28, 2011

Chegaram os temporais


Os líderes europeus saúdam os esforços de Portugal e «Convidam os dois países a manterem os seus esforços para alcançar as metas acordadas e estarem preparados para tomar quaisquer medidas adicionais necessárias para atingir esses objectivos».

Chegaram os temporais e parece que não pára de chover no molhado. Felizes os que têm onde estar abrigados.

Contágio


Ao optarem por tratar as pessoas como a variável menos importante no orçamento do estado para 2012, exigindo-lhe sacrifícios colossais e cortando os subsídios de férias e natal, o governo abriu a Caixa de Pandora da indignação. Não há agora dia em que um jornal, nos mails, nos blogs e nas redes sociais não surjam as mordomias com que os nossos políticos continuam a viver. Sejam os subsídios de transporte do Ministro que tem casa em Lisboa, as pensões vitalícias, (que duplicam quando fazem 60 anos), as milionárias reformas antecipadas, os ordenados e prémios obscenos, os carros, as casas e as negociatas. O Ministro já veio dizer que quer atenção redobrada sobre manifestações de risco. Têm medo porque brutalizam um povo e já nem conseguem esconder os vícios privados sob a capa da mentira de públicas virtudes.

quinta-feira, Outubro 27, 2011

Até lhe chupam os ossinhos


O primeiro-ministro Passos Coelho justificou hoje a decisão de eliminar os subsídios de férias e de Natal apenas na função pública dizendo que um corte generalizado não seria visto de forma credível na Europa e que deixaria Portugal sem ajuda externa já em Novembro.
O primeiro-ministro afirmou que "Não vale a pena fazer demagogia sobre isto, nós sabemos que só vamos sair desta situação empobrecendo - em termos relativos, em termos absolutos até, na medida em que o nosso Produto Interno Bruto (PIB) está a cair", e admitiu que Portugal pode fazer tudo em termos internos, mas isso não ser suficiente para assegurar o crescimento económico.

Que espera ele conseguir com este discurso? Que as pessoas se calem e aceitem o seu destino de pobreza sem mesmo lhes darem uma certeza de que este caminho tem uma luz no fim do túnel? Pensa ele mobilizar as pessoas para trabalharem mais e melhor cortando-lhes os salários e os subsídios e não repartindo os sacrifícios por todos para agradar aos senhores da Troika? Quem o ouve hoje e quem o ouvia antes de ser eleito pode aceitar que este "coelho" se considere com legitimidade para continuar no cargo? Rua com esta escumalha, já.

O Anjinho Correia


Por uma questão de "identificação" com os cidadãos que vão ficar sem subsídio de férias e de Natal, Ângelo Correia, antigo deputado e ministro, afirma aceitar o corte de 14% nas subvenções vitalícias de ex-políticos que trabalhem no sector privado, tal como foi já anunciado pelo ministro das Finanças. Já quanto à eliminação pura e simples dessa pensão, no caso de antigos titulares de cargos públicos que estejam a trabalhar no privado, Ângelo Correia não concorda, por se tratar de um "direito adquirido".

Este mesmo Senhor, há um ano atrás no programa Plano Inclinado (minuto 33:05) defendia que "Nós não tivemos a ousadia e a necessidade de explicar a diferença entre direitos adquiridos [...] - direito à vida, direito à liberdade - e os outros, que são os direitos decorrentes da economia, que não são adquiridos. Só o são, enquanto a economia for sólida."

Este gente não tem mesmo vergonha na cara. Porque não se metem, caladinhos a ver se ninguém dá por eles, no buraco de onde nunca deviam ter sido? Mas não, ainda vêm falar da necessidade de todos fazerem sacrifícios e de que vivemos acima das nossas possibilidades. Quando lhes toca a ele os direitos adquiridos são inalienáveis, quando só toca nos outros deixam de ser direitos e passam a regalias. Oh Ângelo, e se fosses à merda.

PS: Actualmente é presidente dos Conselhos de Administração do Grupo Fomentinvest e da Lusitaniagás, vogal do Conselho de Administração da Fundação Ilídio Pinho, presidente da Câmara de Comércio e Industria Árabe Portuguesa e cônsul honorário do Reino Hashemita da Jordânia em Portugal.

quarta-feira, Outubro 26, 2011

Até onde irá a loucura desta gente


Passos Coelho pediu aos portugueses para se "empenharem a sério a salvar o país" e à Europa que "encontre um rumo":

Este apelo só pode ser uma palhaçada. Sabendo que o Passos Coelho é mentiroso, um dos maiores mentirosos que passaram pela política portuguesa, e não me estou a esquecer que antes dele existiu um José Sócrates, que está a fazer uma politica desastrosa que criará um buraco colossal de recessão ,destruindo a economia, os empregos, o nível de vida e o estado social e que existem cada vez mais cidadãos indignados com com a miséria a que os condenam enquanto ao lado vêm o sistema financeiro a banquetear-se lautamente com as nossas vidas, não só cá mas por todo o mundo, tenho muitas dúvidas que vá encontrar muita motivação para lhe fazerem a vontade. Os professores já começaram com uma greve informal às horas extraordinárias não remuneradas para reuniões de planeamento e outro tipo de trabalho burocrático. Mais virão, para além da rua que vai ser ruidosa e tumultuosa exigirem uma outra democracia, mais transparente, mais justa e mais participativa. E tudo isto, ainda fica dependente de um rumo que a Europa consiga encontrar.

Uma hipocrisia tão legal como imoral


Miguel Macedo, ministro da Administração Interna, anunciou que vai renunciar ao seu subsídio de alojamento, depois de uma notícia avançada pelo Público ter revelado que este recebia o apoio, apesar de ter casa própria em Lisboa. "Por decisão pessoal minha, amanhã mesmo, vou formalizar a renúncia a este direito que a lei me dá".
Também o secretário de Estado das Comunidades José Cesário já informou que pretende abdicar do subsídio de alojamento que lhe é atribuído por lei, afirmando que não basta ser sério, é preciso parece-lo.

Se a hipocrisia pagasse imposto não havia mais necessidade de austeridade que esta gente pagava o suficiente para acabar com a divida externa e ainda financiar a economia. O subsidio que recebiam, e provavelmente muitos outros que eles ou outros receberão por qualquer outro motivo, até pode ser legal, mas é também imoral. Quando pedem sacrifícios enormes aos portugueses, lhes cortam os subsídios de Natal e de Férias, foi necessário que um jornal "metesse a boca no trombone" e a indignação pública fosse enorme para eles afirmarem ir desistir daquilo que nunca deveriam ter aceite receber. Não são os poucos milhares de euros que se vão poupar, uma migalha na despesa do estado, que é importante, o que é significativo é a atitude e o que isto revela sobre a sua forma de estar na vida pública. Migalhas, mas que mesmo assim só para ir visitar a família esta gente necessita do mesmo dinheiro que três famílias, que ganhem o ordenado mínimo, têm para viver durante um mês (os tais que vivem acima das suas possibilidades). Sem esquecer que quem definiu e aceitou oferecer esta benesse aos seus ministros e secretários de estado foi o próprio Passos Coelho, o tal que prometeu, antes de ser governo, não ir aumentar impostos nem roubar subsídios.

PS: Boneco do m(iguel) & m(macedo) baseado na ideia de um amigo que lhe agradeço.

terça-feira, Outubro 25, 2011

Despreziveis mentirosos


Anda por aí este vídeo de declarações quando era oposição que tem causado muita indignação a muita gente. Indignação sobretudo para aqueles que votaram Passos Coelho por acreditarem em todas aquelas mentiras. Para quem prometeu um governo de verdade só a demissão seria um acto com o mínimo de dignidade, coisa que pelos vistos falta muito a muita gente.


Personagens que desprezo


Há noticias que nos causam asco por certo tipo de gente, mas também não nos surpreendem porque, na verdade, já sabíamos que com aquela gente há sempre mais um subsidio ou pensão ou subvenção que recebem. Esta de que são cerca de 400 antigos políticos recebem subvenções vitalícias. Entre ele, estão muitos gestores que acumulam a pensão com o actual vencimento como é o caso de Carlos Melancia - 9150 Euros, Jorge Coelho - 2400, Zita Seabra - 3000, Ferreira do Amaral - 3000, Armando Vara - 2000, - Duarte Lima 2200, Ângelo Correia - 2200 e até Dias Loureiro - 1700 euros. Deve ser para colocar na nova conta do BPN enquanto se passeia na sua fazenda em Cabo Verde.
Numa altura em que estão a cortas subsídios e salários a tanta gente, criando pânico, desespero e miséria a tantos milhões de portugueses, há tanta gente continua a usufruir de todas as regalias e mordomias. Muitos deles o que ainda vêm dizer que todos temos de fazer sacrifícios porque temos andado a viver acima das nossas possibilidades.

segunda-feira, Outubro 24, 2011

Os soldados são filhos do povo. E os polícias?


Volto ao assunto do post anterior por vários motivos. Primeiro porque me permitiu utilizar um dos belos desenhos do Abel Manta, depois porque me parece relevante que as declarações do Vasco Lourenço possam ajudar a mostrar que não estaremos sozinhos nesta premente necessidade de agir, de mudar, de acabar com este regime de mentira, de roubo, de subjugação a que estamos sujeitos perante o poder do capitalismo financeiro. Outra razão, é a de que as revoluções têm de ser feitas pelos povos, não pelos militares pois isso acaba muitas vezes em ditaduras em que se vai de mau para pior. É a nós todos que cabe a escolha e as decisões que determinam o nosso futuro, é a nós que cabe a criação e participação numa democracia mais verdadeira. Finalmente a última mas não menos importante a de sabermos que não estamos sós, que ao nosso lado há gente disposta a lutar. Cheira a cravos.

Está a chegar a hora de escolher o lado da trincheira


O capitão de Abril Vasco Lourenço que o poder foi tomado por um «bando de mentirosos» e apela aos militares para estarem ao lado da população caso se verifique repressão policial nas ruas. O coronel, actualmente na reserva, acredita que as medidas de austeridade vão gerar convulsão social com repressão da polícia. A confirmar-se esse cenário, Vasco Lourenço espera que os militares estejam do lado da população.
«A população certamente não vai aceitar de bom grado essas medidas e eles vão tentar fazer pressão. Vamos ver como vão reagir as forças de segurança quando tentarem utilizá-las para fazer a repressão, depois espero que os militares tenham a vontade e a força suficiente para, como se passou no Egipto, dizer 'não' à repressão», afirmou.

Disseste que não ias admitir tumultos, coelhinho. O pior é se aqueles que esperas que te venham defender virem as armas para o teu lado. Está a chegar a hora de escolher o lado da trincheira em que cada um quer estar. Não te ponhas a pau Coelhinho que ainda vais corrido a pontapé. Já faltou mais.


domingo, Outubro 23, 2011

Uma estranha Trindade sem nada de Santíssima

O amigo Gustavo Gouveia, nos comentários a um post, deu a ideia de fazer o boneco da Santíssima Trindade (ST) com o Cavaco, Passos Coelho e Paulo Portas. A primeira coisa que tive de ir procurar é o que raio era essa coisa da ST e descobri que eram o Pai, o Filho e a pomba a que o Alberto Caeiro diz ser a única pomba feia do mundo. O Pai só podia ser mesmo o Sr. Silva, o Filho, o seu descendente partidário e para a pomba o santinho com ar de virgem ofendida do Paulo Portas. Também o símbolo de adoração desta trindade não poderia ser a cruz porque aquilo que eles adoram mesmo é o dinheiro. Grave é que ainda haja quem continue a adorar esta canalha.

Ser trafulha é feio Sr. Ministro

Miguel Macedo tem um apartamento na zona de Lisboa, em que habita durante a semana. Mas, mesmo assim, recebe um subsídio mensal de habitação de cerca de 1400 euros. O Ministério da Administração Interna (MAI) justifica a legalidade desta situação com o facto de o governante ter a sua residência permanente em Braga.

Esta gente defende que os outros apertem o cinto, que aceitem viver na miséria com cortes nos salários, retirada de subsídios de férias e de Natal, aumentos de impostos e do custo de vida mas para eles mantêm as regalias mesmo que conseguidas através de esquemas e aldrabices. Esta gente que defende que quem ganha 485 euros por mês vive acima das suas possibilidades considera que para ir passar o fim-de-semana a Braga necessita ganhar mais 1400 euros. Esta gente não presta e não nos representa. Correr com eles a pontapé ainda é pouco.

sábado, Outubro 22, 2011

Chegou a hora de caçar vampiros


São amigos, cresceram juntos, cada um nos Jotas dos seus partidos e ambos chegaram a lideres desses mesmos partidos sem nunca terem feito nada de relevante que o justificasse ou que mostrasse terem a estatura e a qualidade para isso. Um, através da mentira e do descrédito total a que o Sócrates foi votado, ascendeu a Primeiro-ministro, cargo para o qual demonstrou não estar minimamente preparado e a aplicação cega de uma agenda ultra-liberal está a destruir a pouca economia que ainda restava e a conduzir os portugueses à miséria e à fome por muitos e muitos anos. O outro, pelas mesmas razões do seu amigo navega nas águas da confusão, incapaz de fazer uma oposição credível e necessária, (porque não sabe ou não quer) e afirmou, mesmo antes de conhecer o desastroso orçamento do Gasparzinho que a possibilidade de votar contra era de 0,001%. Com o CDS a esconder-se para ver se ninguém se lembra que também eles fazem parte deste governo, os partidos mais à esquerda divididos e sem força para travar o avanço do capitalismo desenfreado só restamos nós, cidadãos para lhes fazer frente. A luta tem de ser feita na ocupação das ruas, no protesto constante e na exigência de uma verdadeira democracia em que sejam respeitados. Já não se trata de uma necessidade, já se trata da própria sobrevivência de muitos milhões. A rua é nossa e temos de a ocupar.

Abruxadas da velha senhora


Manuela Ferreira Leite não acredita que quando se fala em medidas temporárias «seja por dois ou três anos; devem ser muitos mais anos». Ferreira Leite deixa uma sugestão: «Por que não, durante dois ou três anos, a saúde e a educação serem pagas por todos aqueles que podem pagar?

Lembrando-me da famosa "graçola" da suspensão da democracia lembrei-me de fazer um ditadorzinho mas não resisti a imagem que me vinha à cabeça, a de bruxa. Foi mais forte que eu e e a ideia dela a cozinhar uma poção agradou-me. É que com os critérios de riqueza desta gente muitos nunca poderiam consultar um médico e muitas crianças seriam obrigadas a abandonar os estudos (nem entendo como seria conciliável com o ensino obrigatório). E será que os dois ou três anos dela são iguais aos que não acredita e diz deverem ser muito mais do Ministro?
Com a oposição que temos não vejo forma de travar esta gente, esta loucura liberal dum capitalismo desenfreado. Só as pessoas, condenadas à pobreza e à miséria por esta gente podem mudar este destino. Só juntando-se e ocupando as ruas, exigindo a mudança será possível. Há um movimento por todo o mundo, ocupando ruas e praças exigindo novas democracias cidadãs e o fim do poder financeiro dos especuladores e banqueiros. Já nem a ocultação e a manipulação dos médias o consegue esconder e o movimento alastra tornando-se maior a cada dia. Talvez a luz ao fundo deste túnel repleto de bruxas, múmias e outras personagens do assombro.

sexta-feira, Outubro 21, 2011

As prendas de Natal do Sr. Ministro


Sei que ainda estamos em Outubro mas todos já compreendemos que para a grande maioria dos portugueses, os tais 99%, o Natal vai ser uma merda, sem dinheiro e sem prendas, mas para o Sr. Ministro vai ser um Natal de abastança com aquilo que nos está a roubar. Pois então feliz Natal Gaspar e espero que te engasgues com alguma espinha do bacalhau ou um osso do peru que pelo andar do trenó é um perigo que nós não vamos correr (nem comer).

Eurobondes a motor


O presidente Durão Barroso anunciou os planos da Comissão Europeia para criar obrigações europeias, ‘eurobonds', garantidas pelo orçamento comunitário, para financiar transportes. Não se trata, por isso, do projecto de ‘eurobonds' em que muitos vêm a salvação para os problemas do euro.

Ainda me lembro do fatídico ano de 2009 em que despoletou a crise do sub-prime e o pânico que se gerou de que a economia mundial podia entrar numa grave recessão económica. Lembro-me de ouvir os pungente apelos ao não protecionismo e da opção de esquecer o défice em favor da luta contra a recessão. Obama, Merkel, Durão Barroso, e todos os outros defensores dos capitais o repetiram e autorizaram a ultrapassagem do limite ao défice. A Alemanha até nos vendeu dois submarinos e foram criadas facilidades e subsídios para incentivar a compra de carros novos. Salvava-se assim a poderosa industria Alemã e Francesa de automóveis. à custa do aumento dos défices dos outros países. Mal passou a tormenta, logo os mesmos que incentivaram ao aumento do défice foram os mesmos a critica-lo e a exigir medidas duras para o equilibrar.
Bastou agora o crescimento da Alemanha mostrar algumas debilidades e imediatamente surgem estes eurobonds que vão garantir mercado para a poderosa industria Alemã.
Quem paga manda e todos nós temos de assistir ao empobrecimento de muitos países europeus em nome da sua prosperidade. Afinal o mais caricato de tudo isto é que no fim quem paga somos nós e mesmo assim não mandamos nada.

quinta-feira, Outubro 20, 2011

Uma personagem e meia


Diogo Freitas do Amaral está muito pouco confiante numa eventual solução para a crise do euro. O facto de Merkel ter “os olhos fechados” é “grave porque a União Europeia deixou de ser uma união de estados subordinados ao princípio da igualdade, para passar a ser directório dirigido por duas pessoas, ou por uma pessoa e meia, porque a segunda vai sempre atrás”, considerou, numa alusão implícita a Nicolas Sarkozy, o presidente francês. “Há outra coisa que me preocupa na senhora Merkel, que é hoje a presidente da UE, embora ninguém tenha votado nela: governa por conferências de imprensa, em vez de o fazer através de decretos ou leis, o que é a primeira vez na história”.

Quando até os paladinos da direita, que a servem e dela se alimentam, começam a dizer aquilo que eu há muito penso tenho de ficar preocupado. Como não acredito que eles tenham virado à esquerda e sei que eu não voltei à direita isso só pode reconhecer que a verdade se tornou tão evidente e tão grave que já nem eles a podem tapar. Há muito que todos sabemos que quem manda na Europa é a Alemanha com a França a reboque. Quando defenderam o Tratado de Lisboa muitos preferiram, não ver, aceitando a submissão à pata germânica de pouco valendo agora as suas lágrimas de crocodilo.

Um mata, outro esfola e outro aplaude


Van Zeller, presidente do Conselho para a Promoção da Internacionalização (CPI) admite que os privados venham a seguir o exemplo do Estado."É uma das possibilidades. As empresas, ao preferirem não despedir, podem cortar nos subsídios ou noutras regalias para evitar despedimentos" depois de já António Saraiva, actual presidente da CIP, ter também admitido a retenção dos subsídios de férias e de Natal no sector privado.
Para Cavaco Silva a eliminação dos subsídios de férias e Natal, nos próximos dois anos, para funcionários públicos e pensionistas, é uma “violação de um princípio básico de equidade fiscal”.

Van Zeller trocou os lugares do I pelo P mas continua a ser Presidente de qualquer coisa onde acaba sempre a defender a perda de direitos de quem trabalha em nome de mais lucro para os patrões. O argumento do retirar direitos em troca de não despedir já mete nojo porque acabam sempre a fazer as duas coisas. Também o ex-sindicalista, agora Patrão dos patrões, o António Saraiva, já apareceu a defender o fim dos dois subsídios, Natal e Férias no sector privado. Esta gente tem uma máquina registadora no lugar do coração e parecem acreditar que só a escravatura seria um regime que lhes possibilitaria serem "competitivos". Infelizmente nada disto me surpreende pois quando ouvi o Coelho aldrabão a anunciar o corte nos subsídios para quem trabalha para o Estado soube imediatamente que os patrões do privados rapidamente viriam reclamar o mesmo em nome das dificuldades. E, claro que o Sr. Silva teria de lhes vir dar uma mãozinha ao considerar que a sua aplicação só aos trabalhadores do Estado viola o principio da equidade fiscal. Acabou por não defender o fim da medida mas a sua aplicação a todos, o que pode parecer justo para alguns esquecendo que a injustiça está na medida e não em quem é aplicada.

quarta-feira, Outubro 19, 2011

Somos governados por drogados?


Bagão Félix considerou hoje que, "no Estado, o último aumento de impostos é sempre o penúltimo: é o último antes do próximo". O antigo ministro das Finanças afirmou hoje que o Estado está "viciado" em impostos e despesas.

Nós lembramo-nos bem de quando sua Excelência foi Ministro. Nem as receitas extraordinárias impediu que ficasse agarradinho de vez e não há cura de desintoxicação que lhe valha.

Memórias do passado para não repetir no futuro


O Feiticeiro de Oz continua a ser um filme com personagens que se adaptam perfeitamente ao que têm sido e são os nossos governos. No papel da menina meio-parvinha o Passos Coelho está perfeito, o Leão sem coragem assenta ao Sr. Silv de Boliqueime como uma luva, para o espantalho sem cérebro quem melhor que o Simplesmente Álvaro e para o Homem de Lata sem coração a escolha só podia ser a do Vitor Gaspar. Bem nos prometem uma estrada feita com tijolos de ouro mas tudo o que vemos no horizonte são buracos negros e um túnel que parece não ter fim.

terça-feira, Outubro 18, 2011

O que se faz aos ladrões? Prendem-se


Ladrões, gatunos, filhos da puta, muitos são os nomes que chamam a este "gajo" e à corja de que faz parte. Uma corja que não existe só por cá, mas que governa todo o mundo. Eu nem sei como lhe chamar para mostrar a minha indignação, mas também a minha determinação em correr com esta cambada. Eles representam a criação de mais pobreza e mais miséria todos os dias um pouco por todo o lado. No passado dia 15 quase mil cidades por todo o planeta manifestaram-se num protesto contra este sistema e esta cambada. Por cá, pela primeira vez em 36 anos, não acontecia desde o cerco à Assembleia Constituinte em 1975, a escadaria da Assembleia da Republica foi ocupada por participantes numa manifestação. É na rua, na ocupação do espaço publico que está a força de quem deseje fazer a mudança. Temos todos de nos levantar dos sofás, desligar as televisões, sair para a rua e participar na exigência da mudança. Só juntos o podemos fazer.

Conselho de um Estado doente


O Presidente da República convocou o Conselho de Estado para o próximo dia 25 de Outubro tendo como ordem de trabalhos o tema “Portugal no contexto da crise da Zona Euro”.

Coitado de Portugal com médicos destes a querer curar os males que afectam o país na crise da Zona Euro. Nunca descobrirão a causa da doença porque a causa são eles mesmos. Eles são o vírus, eles representam o sistema em toda a sua maldade. Eles, a coberto dos seus Bilderbergs, Iluminatis, OpusDeys e Maçonarias causam a pobreza e a miséria que se alastra para defenderem o seu poder e a riqueza de alguns. A cura não está em Conselhos de Estado, em Conselhos de Ministros ou em Cimeiras Europeias, a cura está nas mãos de todos nós, assumindo as nossas responsabilidades e o nosso destino. Depende só de nós.

segunda-feira, Outubro 17, 2011

Crimes económicos

Durão Barroso quer sanções penais para abusos financeiros...Quando foi 1º Ministro de Portugal e deixou um défice de 7%.

Nos últimos dias tem-se falado muito na criminalização das más práticas governativas e económicas por uma única razão; José Sócrates. Esquecem é que muitos outros também têm telhados de vidro e talvez fosse bom começar-se pelo principio do fim a que estamos sujeitos hoje, o Sr.Silva de Boliqueime. Depois é só fazer a lista dos Primeiros-Ministros desde então e colocar-lhes as algemas. Aproveitava-se também para acusar desde já o Passos Coelho antes que tudo que é economia em Portugal esteja completamente destruído.

Nota blogosférica de 16OUT2011

Ai fim de seis anos falhei hoje pela primeira vez a colocação de um post, mas foi por uma boa causa; Participei na manifestação Internacional do 15 de Outubro, na Assembleia Popular, na vigília que se seguiu e na ocupação do espaço público durante todo o domingo e só agora cheguei a casa. Tinha preparado uns posts para serem lançados automaticamente durante estes dias mas já não chegaram ao dia de hoje. Vou agora tentar recuperar o tempo perdido, ou melhor ganho.


domingo, Outubro 16, 2011

O que mudou


Tínhamos um Primeiro-ministro que era mentiroso, tão mentiroso que acabou por ter de dar o lugar a um outro que se dizia paladino da verdade. Era um momento de mudança e passámos a ter um ex-Primeiro-ministro mentiroso e um Primeiro-ministro que já estava a mentir quando prometia que nunca mentiria. Hoje, acredito que o ex continua a ser o que era e ao actual não pára de crescer o nariz. O que mudou, deixámos de ter um Teixeira dos Santos para ter um Vítor Gaspar, um Pinho para ter um Álvaro, um projecto de comboio de alta-velocidade para um de velocidade-alta e os PEC´s passaram a buracos colossais. O que também mudou, para além dos boys, foi o despudor do capitalismo chico-esperto, que hoje fala na perda de todos os direitos sociais e laborais, sem terem vergonha na cara. Ah, já me esquecia mudou o discurso do Presidente da Republica que antes dizia que os portugueses não aguentavam mais sacrifícios e hoje defende e apela a sacrifícios ainda maiores.

A música de um Demo-Crato muito "Particular"

O montante dos cortes no orçamento da Educação para 2012 triplica a poupança que foi recomendada no programa de ajuda externa a Portugal. O Ministério da Educação e Ciência já confirmou que serão da "ordem de grandeza" de 600 milhões de euros. O memorando de entendimento com a troika, assinado em Maio passado, apontava para uma redução de custos de 195 milhões. Secretário de Estado diz que cortes anunciados pelo ministro Nuno Crato se destinam a ajustar o orçamento do sector às "possibilidades reais" do país.

Os Colégios do ensino particular e cooperativovão receber 85 mil euros por turma e vêem reforçado o financiamento por turma em cinco mil euros, em relação ao valor previsto. No total, existem 1893 turmas financiadas através deste regime, o que representa uma despesa de mais de 161 milhões.

Dizem-nos que o país está de tanga, que não há dinheiro, aplicam-se medidas brutais, quer no corte de salários, nos subsídios de férias e de Natal, aumenta-se o número de horas de trabalho em mais meia hora por dia, aumenta-se o IVA em 17% para muitos dos bens essenciais, aumentam o preço no acesso à saúde, cortam nas pensões e para poupar meia dúzia de milhões de euros cortam-se direitos e serviços essenciais. Não há dinheiro. Na educação deixam-se dezenas de milhares de professores no desemprego e contratam-se outros ao mês. Não há dinheiro, dizem. Mas, para as escolas privadas parece não faltar e, não só não cortam, como ainda aumentam a comparticipação do Estado. O sonho desta gente é um país em que saúde, ensino, reformas, bancos, transportes, luz, água, ar, empresas e serviços, tudo seja privado e financiado pelo estado. O grande sonho da mama capitalista que não só procura trabalhadores sem direitos e a baixo custo como ainda lhes quer "comer" a parte que pagam em impostos.
Chega de mentiras, hipocrisia e enganos. Não somos mercadorias ao serviço dos mercados e políticos. Somos gente que desejamos controlar os nossos destinos e ser feliz.

sexta-feira, Outubro 14, 2011

15 OUTUBRO - INDIGNADOS

A mudança começa já amanhã


A Moodys deu-lhe um murro no estômago, depois a não aprovação do FEE pela Eslováquia estava a provocar "um ataque de coração" e agora está na hora de lhe pregarmos um enorme susto. Há algum tempo mostrou receio de tumultos, mas o que deve temer mesmo é a indignação de um povo que cada vez menos entende que tanta austeridade só sirva para criar mais pobreza, mais desemprego, mais recessão sem que se perspectivem melhorias no futuro. Na Grécia, apesar da crise o governo compra 400 tanques para se defender do próprio povo. Em Portugal a crise agrava-se bem como as situações de miséria.
Dia 15 os portugueses vão sair à rua bem como milhões de cidadãos por todo o mundo o vão fazer também para combater este capitalismo. Esta é a hora de exigir a mudança e uma democracia em que cada um tenha o direito de participar efectivamente nas decisões que afectam a sua vida. Se acreditas que o mundo pode ser melhor e queres que um dia os teus filhos possam viver nele, sai à rua no Sábado e faz ouvir a tua voz. A presença de cada um é importante porque só todos juntos podemos promover a mudança. Eu vou.

quinta-feira, Outubro 13, 2011

Restaurantes a pão e água


Os empresários da restauração vão recusar-se a cobrar o IVA se a taxa subir para o patamar máximo de 23%. "Vamos estudar de que maneira poderemos fazê-lo", garante a AHRESP, a associação do sector, que ontem reuniu dois mil empresários.

Eu ia dar-lhes uma outra ideia para protestarem, recusarem-se a servir e até mesmo meter na rua os membros do governo e os deputados que aprovarem este orçamento de 2012 que lhes entre no restaurante. Depois lembrei-me que esta gente não come nos mesmos restaurantes que nós mortais e nos que eles frequentam o preço do IVA não o incomoda muito.

As reduzidissimas hipóteses de isto correr bem


O secretário-geral do PS, António José Seguro, afirmou que é «reduzidíssima» a hipótese do seu partido chumbar o Orçamento do Estado para 2012. António José Seguro remete uma decisão final para depois da apresentação do documento por parte do Governo, o que acontecerá na próxima segunda-feira, mas vai já adiantando que «a probabilidade disso acontecer é 0,0001%».

Uma percentagem tão pequena como a que me parece ir ser a percentagem do PS em futuras eleições se mantém este António como líder. É que a única segurança que dá é a de se chamar Seguro e isso é mesmo muito inseguro. Quanto à aprovação do orçamento para 2012 por parte do Partido Socialista parece ser mais um erro eleitoralista, primeiro porque vai ficar colado à carnificina fiscal que por aí vem e depois porque algo está a mudar um pouco por todo o mundo com o desabar do liberalismo financeiro. Dia 15 de Outubro lá estarei no Marquês de Pombal para dar uma mãozinha.

quarta-feira, Outubro 12, 2011

O grande plano para salvar o capital


O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, manifestou "total apoio à estratégia definida" pela dupla franco-alemã para tentar ultrapassar a crise da dívida europeia. Obama "sublinhou que a França e a Alemanha concordaram em fornecer uma solução global e durável às dificuldades da zona euro antes da cimeira do G20 em Cannes" de 3 e 4 de Novembro", Quanto às medidas "rápidas" para regularizar a crise na zona euro, mas não forneceram detalhes.
Já as Bolsa reagiram em alta com perspectiva de solução global para a crise e as cimeiras da União Europeia e da Zona Euro já não vão realizar-se a 17 e 18 deste mês, mas sim no dia 23 para permitir finalizar uma estratégia global para a crise da Zona Euro.

Ou me engano muito ou o plano é mais do mesmo e vamos ver os Estados a deitar mais biliões de dinheiro público, dinheiro dos nossos impostos, no buraco sem fundo dos bancos. Numa sociedade capitalista dependente dos bancos, com políticos que "trabalham" para eles em beneficio da grande especulação financeira que mais se pode esperar de tão "brilhante" plano.

Do buraco financeiro ao eleitoral


Quem mais cai no buraco eleitoral madeirense é o António José Seguro, que depois de se empenhar pessoalmente na campanha vê o PS dar um trambolhão, perder metade dos deputados e ser ultrapassado pelo PS. Também o Louça não fica bem na fotografia pois foi o único partido concorrente às eleições que não elegeu nenhum deputado. Até o partido dos animais elegeu um. Mas o Jerónimo não se pode ficar a rir ao perder um dos dois deputados que tinha na Ilha mesmo justificando o resultado com «a dispersão de votos em candidaturas inconsequentes e até provocatórias».
Quem também ganhando as eleições as perdeu é o Passos Coelho que agora se vai ter de aturar o Jardim, que não vai querer pagar a dívida, vai continuar a gastar e a vociferar contra os "contenentais" e contra o governo.

terça-feira, Outubro 11, 2011

Os tanques do medo


Enquanto a crise da dívida Europeia continua com a possibilidade de a Grécia ficar sem dinheiro em questão de semanas, e com o sistema bancário europeu a entrar em colapso, a Grécia parece ter tomador uma decisão importante para enfrentar o futuro imediato: comprar 400 tanques aos EUA no valor de "dezenas de milhões de dólares.
O número dois do governo de Papandreou, Theodoros Pangalos, afirmou que "se deixamos o euro, os bancos teriam de ser defendidos com tanques"
[Traduzido daqui que na comunicação social portuguesa não se encontra nada]

Hoje lá, amanhã pode ser cá. Esta parece ser uma boa resposta para aqueles que falam em austeridade e em sacrifícios. A mentira fica bem demonstrada quando não há dinheiro para os cidadãos mas não falta para comprar armas para combater o seu próprio povo. Lá como cá vivemos a mentira e a subjugação aos grandes interesses económicos a à especulação financeira, presos a uma divida que não contraímos e a um futuro de miséria que nos querem impor.
Se a mentira existe e se subsiste é porque o sistema a esconde a verdade que o desmascararia. Todos os que nele participam e o não denunciam são colaboradores e não podemos contar com eles. Só os povos, mostrando a sua indignação e exigindo uma democracia verdadeira onde todos sejamos parte integrante das decisões que a todos nos afectam, podem fazer a mudança. No dia 15 de Outubro por todo o mundo e também cá pelo jardim milhares de manifestações e protestos vão encher as ruas de centenas de cidades. No próximo sábado vamos todos encontrar-nos no Marques de Pombal e vamos desfilar até aquela que devia ser a casa da democracia, a Assembleia da Republica. A presença de todos é importante demais para que alguém fique em casa. É o futuro de todos que está em causa.

Banana, banana, banananas.....Bananas


O PSD conquistou este domingo a 10ª maioria absoluta em legislativas regionais da Madeira, mas com o pior resultado de sempre, conseguindo apenas 48,56 por cento e 25 deputados, apenas dois acima do limiar da maioria absoluta, e perderam perto de vinte mil votos em relação ao sufrágio de há quatro anos.

Já li tanta notícia, tanto blog a falar da vitória do Bicho da Madeira que já tudo foi dito ou escrito. Fico-me por isso pelo assinalar o facto e por fazer um boneco, mistura de comediante meio apalhaçado e o famoso quadro do Rene Magritte adaptado à Republica das Bananas em que se transformou a Madeira.

segunda-feira, Outubro 10, 2011

O bilheteiro do Museu

O secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas, afirmou que vai acabar com a entrada grátis dos museus ao domingo, admitindo reservar apenas um dia por mês para as visitas gratuitas. O governante destacou a necessidade de poupar, considerando que «o facto de haver menos dinheiro é uma oportunidade para administrar melhor o dinheiro do contribuinte».

Quando se viu a escolha e sabendo como os governos normalmente tratam a cultura, especialmente quando há crise, pouco ou nada se pode esperar deste nem sequer Ministro. Vai poupar as entradas em Museus aos Domingos. Deve ser uma fortuna.

E o cuzinho lavado com água de malvas? Não querem?

A descida da Taxa Social única já deu o que tinha a dar. Agora, a alternativa para aumentar a competitividade das empresas passa pelos horários e dias de descanso. A medida-bandeira de Passos Coelho pode morrer às mãos do próprio partido. O primeiro a insurgir-se foi Marques Mendes, que defendeu um aumento de meia hora de trabalho por dia - uma proposta que não é descartada por Miguel Frasquilho.O deputado acredita que é uma solução a "ponderar" e acrescenta a redução das férias anuais. "São medidas que servem para um aumento da produção", justificou.

E porque não duas horas por dia, ou quatro, ou oito, ou um colchão no canto da fábrica, aumentava ainda mais a produção. Férias? Férias para quê? Acaba-se com elas e então é que a produção batia todos os recordes. Melhor mesmo era deixarem utilizar o chicote, aí é que ninguém nos agarrava. Era a produção em todo o seu esplendor com fogo de artifício e tudo.


domingo, Outubro 09, 2011

O Super-Álvaro


Tinha mesmo de ser. No post anterior quando escrevi que andava à procura de uma imagem entre o Super e o pateta fez-se luz. Eu aflito sem encontrar uma boneco e só então tinha junto as duas palavras que são o nome de uma personagem. O Super-Pateta.
Devia agora escrever aquilo que queria ter escrito mas são quase 5 da manhã e os olhos já não ajudam de tanto se quererem fechar. Resumindo, Era o comboio de alta velocidade que já não vai haver para haver um de velocidade alta, que vai fechar mais de 250 km de linha de comboios, que o seu bom coração também é super e que nos próximos dois meses já não deverá haver mais aumentos nos transportes (ficamo-nos só pelo aumento de 25% de Setembro), que vai cobrar portagem nas Scuts, criar uma rede de combustível low-cost e que deseja que os carros a gás possam estacionar em parques cobertos. De economia parece que se esqueceu de falar.

Os "Incredibles" super-ministros

Era minha intenção escrever qualquer coisa sobre a prestação parlamentar do nosso Álvaro a que alguns teimam em chamar de Ministro. Procurava uma imagem, para fazer o boneco, qualquer coisa entre o super e o pateta mas acabei por dar com este "Incredibles" e não resisti. O Álvaro, esse ficará para outra altura.

sábado, Outubro 08, 2011

Impostos para uns e recapitalização para outros


Os resgates aos bancos da União Europeia já custaram aos contribuintes quatro biliões de euros desde que em 2008 foi necessário começar com este tipo de ajuda financeira às instituições bancárias. O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, confirmou a proposta de uma «acção coordenada» para ajudar à recapitalização dos bancos. «Propusemos aos Estados-membros para avançarem com uma acção coordenada para recapitalizarem os bancos e desembaraçarem-se de activos tóxicos».
A chanceler alemã, Angela Merkel, considerou que uma eventual recapitalização dos bancos é "dinheiro bem empregue".

Afinal é fácil entender porque estamos em austeridade e a fazer sacrifícios. Não há dinheiro para a economia porque o dinheiro é enterrado nos bancos que alegremente vão aumentando os seus lucros. Tanto se falou do BPN, mas esse é uma gota no oceano daquilo que andamos a pagar em nome da recapitalização dos bancos. Usaram e abusaram do crédito fácil, criaram os activos tóxicos que foram negociando para ganhar mais dinheiro fácil até ao dia em que tudo estoirou. O que deveria ter acontecido? Devia-se ter responsabilizados os banqueiros obrigando-os a repor tudo o que ganharam nesse jogo sujo, mas não, a banca nunca podia falir nem os banqueiros ser criticados pelo que a solução foi oferecer-lhes mais dinheiro dos contribuintes. Tiram-se os activos tóxicos e derramam-se sobre os cidadãos e aumentam-se os impostos para encher os cofres dos bancos. O que me custa a entender é como ainda exista quem diga que temos de pagar uma dívida pela qual não fomos responsáveis para enriquecer ainda mais aqueles que foram os verdadeiros responsáveis. Nem a dívida nem a responsabilidade por ela são nossas pelo que nada temos de pagar.

A Branca de Neve no Jardim do Bicho da Madeira


«A inauguração da sede do Sindicato dos Professores no Funchal, juntou ontem o improvável num mesmo acto oficial – o presidente do Governo da Madeira, Alberto João Jardim, e o líder da Fenprof, Mário Nogueira. "Se o problema da dívida existe, e aqui de dimensão agravada, é bom recordar que não é por responsabilidade de quem, honestamente, tem como quotidiano o trabalho", referiu no discurso o sindicalista, que ao CM frisou não estar ali a fazer campanha pelo PSD madeirense.»

Até pode não ter estado a ajudar a campanha eleitoral do João Jardim, mas que parecia e que ajudou não restam dúvidas. Basta ter ouvido o Bicho da Madeira referir a sua oposição à avaliação dos professores para perceber que o Mário Nogueira se deixou enrolar mais uma vez. Primeiro quando mordeu a maça envenenada do Memorando de Entendimento que a Sinistra Ministra lhe estendeu e agora quando aceita estar ao lado do "Caçador" que se rebelou contra o governo do seu partido. Desconfio que ele gosta de fazer o papel de Branca de Neve.

sexta-feira, Outubro 07, 2011

Um coiso que não serve para nada


Medina Carreira afirmou na TVI24 que ela, Constituição, "não serve para nada [porque] não paga despesa nenhuma".

Ouvir o Medina Carreira é olhar para um túnel sem luz ao fundo. Por ele, o nosso Nostradamos prendia todos os ex-governantes pelo que fizeram ao país e fazia o que eles não fizeram, transformar o trabalho assalariado em trabalho escravo e se necessário até de chicote. Felizmente quando esteve ele no governo deste país nunca fez aquilo que acusa os outros de não terem feito. Mas, há sempre uma desculpa, a Constituição. É uma chatice, só cria problemas e empecilhos. Felizmente, porque isso faz com que já sirva para muita coisa.
Mas, melhor que eu diz o Manuel António Pina no "JN" Ora a Constituição, mesmo não pagando "despesa nenhuma", serve obviamente para alguma coisa: para Medina Carreira ter sobre que falar. Dir-se-á ainda que as circunstâncias de Medina Carreira o contradizem, já que as suas prestações televisivas não servem para nada e, contudo, pagam-lhe as despesas.»

Partilhe