terça-feira, janeiro 31, 2012

Super Egg-man


Ouvir o Marcelo é sempre um momento, que evito, de opinião barata misturado com ferroadas de veneno politico que no dia seguinte são transformadas em notícia e em mais um caso politico. Isso vale o que vale, ou seja muito pouco mesmo quando diz que os "Cavaquistas" que atacam o Passos Coelho devem calar-se e "desamparar a loja", (sem dizer se isso se aplica ao próprio Cavaco) para logo de seguida chamar a Miguel Relvas um erro de "casting" deste governo. Mas onde o gostei de ouvir foi a criticar mais uma medida da União Europeia que obriga os produtores a oferecerem melhores condições de alojamento às galinhas, o que lhes vai custar muito dinheiro (que não têm). Nesta altura a UE devia pensar mais nas condições de vida das pessoas que na das galinhas. Não podemos deixar de concordar com ele, embora também fosse bom saber se há realmente a vontade deste governo e desta Europa em se preocuparem com as pessoas porque até agora nunca o demonstraram.
Mas está errado que a UE se preocupe com as condições de vida dadas às galinhas? Não, como defensor dos direitos dos animais até acho muito bem. Ai a economia, os custos, a concorrência. E, é aí que está o mal, é quando, como também temos feito com os direitos dos trabalhadores, aceitamos baixar os padrões de qualidade, de decência, de condições de vida, para poder competir com outros que não os têm. Esta subserviência ao mercado global, esta aceitação de jogar um jogo já viciado à partida é que nos conduziu ao ponto em que nos encontramos, um ponto em que temos de escolher entre as condições de vida de pessoas e galinhas.

Onde já vai o abismo.


Preocupado com as próximas eleições, onde se espera que o povo francês dê um pontapé no cu, o Sarkozy, enquanto anunciava novas medidas de austeridade afirmou que "A Europa já não está à beira do Abismo". Eu até acrescentaria mais, que o abismo há muito que ficou para trás e que a queda é grande, muito grande para quem não tem para-quedas.

segunda-feira, janeiro 30, 2012

Volume 1: A conquista da Grécia


"Há debates e propostas no seio da zona do euro, entre elas uma da Alemanha" para "reforçar o controle dos programas e das medidas" adoptadas na Grécia. "A actuação externa poderia ser dirigida pelas instituições europeias e teria também alguns poderes de decisão". Segundo o Financial Times, um comissário nomeado pelos ministros de Finanças da zona do euro teria o poder de impor um veto às decisões tomadas pelo governo grego em matéria orçamentária.
A Grécia excluiu a possibilidade de ceder soberania à União Europeia (UE).

Esta Europa já nomeia Primeiro-ministros de países sem se preocupar com a democracia e a soberania. É o poder imposto pela força do dinheiro. Mil milhões a mais ou mil milhões a menos a Grécia vai ter de ceder até porque a "Europa" já colocou o seu Cavalo-de-Troia na chefia do governo Grego. Portugal vem logo a seguir.


Arménio Carlos. E agora?


Que vai mudar no sindicalismo em Portugal com a saída do Carvalho da Silva e a entrada do Arménio Carlos para líder da Intersindical? Uns dizem que nada, outros que vai haver uma maior colagem ao PCP e outros que a luta se vai radicalizar mais. Honestamente não sei, mas talvez um pouco a soma de todas elas. Mais ou menos ligado ao PCP vai continuar, como ele, a ser bem comportado e a deixar descansado o poder por saber que não será dali que nascerão os famosos tumultos que o Passos Coelho tanto parece temer?
Alguma coisa vai ter de mudar porque algo vai ter de acontecer. É impossível manter esta paz podre entre os que vêm os seus direitos e o seu trabalho a sua vida, serem destruídos e aqueles que no poder continuam a vender o país e a alma aos assassinos mercados especuladores. Está na hora dos sindicatos deixarem a sua posição de defensiva em relação ao ataque aos direitos dos trabalhadores e assumirem a luta, não só pela sua defesa mas para lançarem um verdadeiro conta-ataque ao grande capital e os seus acólitos. Já não se trata de mais ou menos um direito, mas da própria existência como seres humanos. Há muita gente, crianças, idosos a viverem na miséria e a passarem fome. Como agora se diz, está na hora dos Sindicatos deixarem a sua "zona de conforto".

domingo, janeiro 29, 2012

Orçamento armadilhado


O défice do ano passado acabou por ficar abaixo do previsto, mas só porque em cima da hora conseguiram utilizar o Fundo de Pensões da Banca para tapar o incumprimento em quase 3%. Ficámos agora a saber que em 2011 os buracos que o ministro encontrou foi ele que os cavou, pois as despesas até foram abaixo do orçamentado mas infelizmente as receitas também. Para 2012 o Ministro apresentou um orçamento que aumenta ainda mais os impostos, reduz a despesa cortando subsídios e salários sem olhar à economia e à miséria que está a fomentar e onde publica números para recessão muito abaixo do já previsto quer pelo FMI, OCDE, UE ou qualquer pessoa com meio palmo de testa. Já fez uma correcção ao Orçamento sete dias após começar o ano, já informou da necessidade de um Orçamento rectificativo e todos os dias vão surgindo rubricas não orçamentadas, nos Ministérios, nas Autarquias para não falar do BPN onde ainda continuamos a pagar centenas de milhões do dinheiro que outros roubaram ou dos 500 milhões que a tal transferência do Fundo de Pensões da Banca nos vai colocar nas costas todos os anos. Se só isso já mostrava que este Orçamento é uma ilusão mais certeza temos quando vemos as medidas recessivas a destruir a pouca economia interna que ainda temos e com isso a reduzir as receitas futuras. A externa a ser afectada pela recessão em Espanha e na Europa, mais a crise das dividas soberanas a falência da Europa, a especulação e a subserviência dos nossos governantes. Em Abril já vai este país andar com as mãos na cabeça, com mais medidas de austeridade a serem decretadas como inevitáveis, um novo financiamento da Troika na ordem do dia e a economia a implodir assim como as receitas do Estado. Este Orçamento de Estado para 2012 não é um Orçamento, é uma bomba relógio.

Se na familia é mau, no governo é ainda pior


Não há vez que eu aqui coloque um boneco do Álvaro em que não apareça um "Anónimo" a, no mínimo, mandar-me trabalhar, e a louvar as excelsas qualidades do dito. Isso só me faz ter vontade de ainda lhe fazer mais bonecos. Para mais porque este ainda é o único que ainda me faz só-rir entre o vómitos que o ver ou ouvir gente deste governo me causa.

sábado, janeiro 28, 2012

Cada um tem o "espião" que merece


Ex-espião do SIED pediu demissão do cargo na Ongoing. Jorge Silva Carvalho, ex-director do Serviço de Informações Estratégicas de Defesa (SIED) e protagonista no processo de alegadas fugas de informação dos serviços secretos para a Ongoing, justifica a decisão com o facto de não querer «servir de arma de arremesso para ataques de grupos empresariais» e lamenta «a campanha injuriosa, manipuladora e cheia de falsidades» contra o próprio e a Ongoing.

Não ando mesmo com vontade de escrever e já nada que eu aqui possa escrever é novidade. A vergonha, o compadrio, as guerras de poder, os negócios, o dinheiro, tudo já é noticia, tudo já é dito com uma naturalidade e com um desplante de quem já nem se dá ao trabalho de esconder. Já vale tudo.

Corte e costura na liberdade


Todos nos lembramos das acusações do PSD ao governo dos Socretinos sobre o controlo que estes exerciam sobre a informação. Recentemente alguns jornalistas mais críticos do actual governo e sobretudo os que se atreveram a criticar as suas relações com Angola, o Presidente José Eduardo dos Santos e a sua "real" família, viram os seus contratos não serem renovados e as suas colunas e programas terminarem. Também alguns blogs, pelos mesmos motivos foram atacados e destruídos. O blog Braganza Mothers é um bom exemplo disso tendo ele e todas as contas ligadas ao seu mentor o brilhante "Arrebenta" sido vitimas dessa fúria em silenciar as criticas. Felizmente a Internete ainda é um espaço amplo e solidário pelo que por cada blog ou site que seja atacado e destruído há dois que surgem para continuar a sua luta (reabriu aqui).
Este sistema capitalista está a rebentar pelas costuras e já não olha a meios para tentar retardar aquilo que é inevitável; a sua queda. (Infelizmente a alternativa é uma terrível guerra a nível global que causará muitos milhões de mortos). Silenciar as vozes incomodas começa a não ser só um capricho de um ou outro líder, mas uma necessidade do poder instituído. Num mundo em que a informação corre livre a nível global a liberdade e a democracia são um vírus que os pode destruir e eles sabem disso. A rendição dos países ocidentais ao poderio das novas economias, anti-democráticas, como a China ou Angola acaba também para contribuir para isso, pois se é verdade que de lá chega muito dinheiro também o poder absoluto dessas ditaduras o acompanha.
É por isso que as vozes incomodas começam a ser bloqueadas e se vê um interesse tão grande em os Americanos fazerem aprovar a sua lei de controla da Internet, o SOPA (Stop Online Piracy Act) e por cá Parlamento Europeu já se antecipou e aprovou o ,АСТА (Anti-Counterfeiting Trade Agreement ). Tudo em nome da pirataria mas a dar ao poder a capacidade de fechar sites a seu belo prazer.
Já vivi tempo de ditadura neste país e não gostei mesmo nada e é por isso que estarei ao lado de todas as lutas pela liberdade de expressão e para derrotar os que a ameaçam. Muitas vezes me perguntam se não receio fazer este blog e não me calar, tanto aqui como na rua. Infelizmente não me posso dar a esse luxo e, como já aqui disse uma vez, só tenho medo de um dia vir a ter e ceder ao medo. Esta é uma luta de todos e a que ninguém se pode pôr de parte. É o futuro, o nosso e o dos nossos filhos que está em jogo.

sexta-feira, janeiro 27, 2012

O naufrágio do Gaspar


Gosto de fazer bonecos em que utilize estátuas. É como se a imagem do personagem representado ficasse mais solidamente representado.
Como tenho andado sem grande vontade para escrever, mas também isso nunca foi o meu forte, aqui fica só uma pequena "legenda" em forma de pergunta: Conseguirá o Vitor Gaspar atingir o Bom-Porto de uma choruda reforma do Banco de Portugal ou irá ao fundo juntamente com o seu barco chamado Portugal?

O Milagre dos Silvas


A "Plataforma Cidadã de Resistência à Destruição do SNS" preocupada com as recentes declarações do Senhor Presidente da República, informa que no próximo dia 28, Sábado, às16 horas, irá repetir o histórico "milagre das rosas" à porta de Belém, evitando, assim, que o senhor Presidente passe fome.
Como de acordo com as suas recentes alegações o seu miserável rendimento é insuficiente para suportar as despesas do seu excelso agregado, aproveitamos também para lhe entregar em mão o Manifesto da Plataforma (http://www.manifestosns.tk/?page_id=31), com as assinaturas recolhidas até à data, em nome dos milhões de portugueses que nos próximos longos e negros meses ficarão impossibilitados não só de comer, como também de adoecer, na sequência da nova legislação para a Saúde, que embora totalmente alheia ao espírito da Constituição da República, o Sr Presidente não impugnou.
Esta será uma "cerimónia" pública. Convidamos todos os utentes do SNS a participarem nela, contribuindo com a oferta de um pãozinho duro e bolorento."

Eu vou. Difícil vai ser arranjar o pão bolorento que cá por casa evita-se o desperdício alimentar, mas por uma boa causa até ofereço um pãozinho da véspera aos Silvas nesta hora de grande aperto. Sempre pode fazer uma açorda.

Sábado 28 Janeiro às 16 Horas

quarta-feira, janeiro 25, 2012

Os Padres estão caros com'o raio.


«Durante séculos, a majestosa cidade de Braga especializou-se na produção de um produto: padres. Basta percorrer as monumentais ruas da cidade para perceber a importância que a religião e a Igreja Católica têm para a região. São edifícios e mais edifícios (muitos deles de grande dimensão) dedicados à produção e formação de sacerdotes. Hoje em dia, a indústria de produção de sacerdotes bracarenses está em declínio”. (…) Porquê? (…) A grande causa do declínio da Igreja Católica em Portugal é simplesmente a falta de competitividade. A indústria de produção de padres perdeu competitividade, pois os custos de produção de novos sacerdotes são demasiado altos e o preço do sacerdócio é extremamente elevado.»
Álvaro Santos Pereira, O Medo do Insucesso Nacional

Foram "pérolas" como esta que levaram o Passos Coelho ir buscar este Álvaro a uma desconhecia universidade canadiana e promove-lo a Super-Ministro da Economia. Quando alguém fala de uma industria de produção de padres e conclui que a grande causa do declínio da Igreja Católica em Portugal é simplesmente a falta de competitividade entramos num mundo de infinitas possibilidades de abordagem do assunto. É como entrar numa outra dimensão, num mundo de loucura, um mundo em que tudo pode ser imaginado e a relação entre tudo o que existe pode ser alterada ao ponto de envergonhar o próprio surrealismo. Talvez até se possa propor o "franchising " de Padres Bracarenses semelhante ao dos Pasteis de Belém. Este governo sem este Álvaro não teria graça nenhuma.

Estátua da Madeira


Jardim queixa-se das "estratégias para virar portugueses contra portugueses". Alberto João Jardim fez críticas violentas ao "continente". O presidente do governo regional da Madeira queixa-se de estratégias vindas do continente para virar portugueses contra portugueses e afirma mesmo "que se não querem que a Madeira faça parte do país que o digam de uma vez por todas".

Tenho pena é dos madeirenses entalados entre a loucura de um governo cego pela austeridade e cobarde nos sacrifícios e a prepotência arrogante de um Rei de Republica das Bananas que arruinou a ilha e escondeu o facto para poder gastar ainda mais. Vão murchar muitas flores na Pérola do Atlântico.

terça-feira, janeiro 24, 2012

Ajudem os Silvas


Onde está a tão apregoada solidariedade dos portugueses? Veio o pobre do Sr. Silva manifestar as suas dificuldades em pagar todas as suas despesas com os meros 10 mil euros que recebe das pensões e em vez de apoio todos se mostraram indignados com as suas afirmações. O homem que trabalha que nem um Mouro, que descontou 40 anos como professor universitário, mais 30 no Banco de Portugal sem falar dos 8 anos como Primeiro-Ministro e já vai em mais 6 de Presidente da Republica. Ele já trabalhava ainda estava na barriga da mãe, um homem que pode dizer que nunca tem dúvidas e raramente se engana e que todos sabem ainda estar para nascer alguém mais honesto que ele. Um homem sentimental que adora o sorriso das vacas no campo e aprecia o prazer, o deleite que sentem quando as ligam à ordenha mecânica. Um homem que tem a difícil missão de defender a Constituição, mas não quer criar problemas ao governo vetando um orçamento carregadinho de inconstitucionalidades. É a esse homem que negamos solidariedade.
É para corrigir essa situação que logo às 17:30 vou a Belém juntar-me ao movimento que pretende fazer uma recolha de moedas para entregar ao aflito Sr. Silva. Temos de ser uns para os outros, não é?

PS: Eu bem queria fazer bonecos de outros "bonecos" deste nosso Jardim, mas o Sr. Silva não deixa

Um cadáver que há muito estava morto


A verba está consignada em Orçamento do Estado - 4,5 milhões de euros por mês para este ano. Este dinheiro serve para o pagamento de despesas do gabinete de Cavaco Silva, Casas Civil e Militar e também para pagamento de despesas de anteriores Presidentes da República, escreve o jornal.
Cavaco Silva recebe 2900 euros por mês para despesas de representação que são são acrescentados aos cerca de dez mil euros de pensões que o Presidente da República aufere.

Para mim há muito que o Sr. Silva foi um cancro que vitimou este país já desde o tempo em que foi o responsavel pelo inicio desta era de compadrio estado/grupos privados, surgimento de bancos como o BCP, BPI, BPN ou BPP. destruição da nossa agricultura, pescas e industria a troca de verbas europeias que depois foram esbanjadas e cedidas com muita pouca utilidade para Portugal. Foi com ele que começaram as parcerias publico/privadas e da era do betão e do alcatrão. Foi com ele que foram liberalizadas a regulação e a supervisão dando carta branca a todo o tipo de trafulhices protegidas por uma justiça tornada inoperante face ao dinheiro. Quando da sua primeira eleição para Presidente da Republica afirmei neste blog que não lhe reconhecia a capacidade nem a moralidade para isso. É que, contrariamente ao que ele afirmou, não acredito que ainda esteja para nascer gente mais honesta que ele.
Agora, finalmente caiu a máscara e para além da sua incapacidade óbvia para o cargo também surge a sua hipocrisia e falta de respeito por todos os que passam dificuldades. Se depois de tudo isto ainda houver quem o defenda e acredite nele, então merecem todo o mal que nos está a acontecer. O Sr. Silva deve ser considerado um cadáver politico porque é o que ele merece.

segunda-feira, janeiro 23, 2012

Só falta chamarem-nos de parvos



Passos Coelho afirmou que “todas as pessoas, independentemente da posição que ocupam, fazem sacrifícios importantes. Os sacrifícios têm que ser repartidos por todos. Não há ninguém que fique de fora”.

Aí está uma descoberta do Passos Coelho que até lhe pode dar o Nobel da Matemática; descobriu a maneira de alguns não fazerem parte do todo. Basta chamarem abono suplementar ao que dantes se chamava Subsidio de Férias ou de Natal e os "boys" não necessitam de perder as mordomias como acontece com os cidadãos a quem trata como idiotas. E, enquanto não mostrarem a sua indignação e correrem com esta escumalha que mente e engana, carregando de sacrifícios os que menos têm enquanto "apaparica" os seus amigos, acabam por ser realmente idiotas aos olhos dos bandalhos que nos governam. De que estão à espera ainda não entendi.

O mendigo de Belém


O primeiro-ministro Pedro Passos Coelho comentou as polémicas declarações de Cavaco Silva sobre a sua reforma. «Todas as pessoas, independentemente da posição que ocupam, fazem hoje sacrifícios importantes sejam aqueles que tem reformas maiores ou aqueles que têm reformas mais pequenas».

Realmente o sacrifício que o Sr. Silva está a fazer é igual ao de um reformado que receba uma pensão mínima. Tem razão, Sr. Primeiro-ministro, são para (quase) todos.

domingo, janeiro 22, 2012

A Saúde ao preço da morte


Portugal e os seus cidadãos vivem neste momento um dos mais fortes ataques do capitalismo liberal globalizado, com a especulação, a corrupção e o compadrio a serem utilizados contra os direitos e a dignidade de vida de todos nós. É claro que com maior ou menor qualidade de vida todos nós sobrevivemos à redução de salários, ao aumento de preços e destruição da coisa pública. Menos transportes públicos, aguentamos, menos direitos no trabalho, sobrevivemos, mas a destruição do Serviço Nacional de saúde é um crime contra a vida daqueles que não podem pagar as fortunas exigidas nos privados. Claro que os nossos políticos não padecem desse mal já que não lhes falta meios para pagarem os seus serviços e os grandes grupos económicos se babam pelo fim de tudo o que seja saúde pública. Para esta gente a linguagem do dinheiro vale mais que a da vida das populações. É por isso que esta iniciativa da Plataforma Cidadã de Resistência à Destruição do SNS é importante e merece o nosso apoio. Defender a saúde pública, mais que uma opção é uma obrigação de todos nós em nome da justiça e da vida.

Há lojas a quem a crise não bate à porta


Estive mesmo para pôr um daqueles balõezinhos de fala da banda desenhada, só que fiquei com a dúvida do que deveria lá escrever, se "Tem cartão laranja de desconto?" ou talvez, "Embrulho ou é para ocupar já?".

sábado, janeiro 21, 2012

Quem pode sobreviver com uma pensão de 10 mil euros?


O Presidente afirmou ganhar 1.300 euros da CGA, para a qual descontou durante 40 anos sobre o seu vencimento de professor universitário e investigador da Fundação Calouste Gulbenkian. Do Banco de Portugal, para onde descontou 30 anos, Cavaco Silva disse não saber quanto receberá (8.235 euros). Mas adiantou que a soma dos dois valores não chegará para as suas despesas (em 2011 foram 141 mil euros em pensões).

Se fosse gozar com a Senhora que o pariu fazia muito melhor. Esta gente já não tem vergonha na cara e sobretudo este exemplar de múmia que vive num palácio com um orçamento que quase duplica o da Casa Real Espanhola (16 milhões) e que tem uma casa na Praia da Coelha comprada com dinheiros que os seus amigos do BPN lhe deram a ganhar. O que ele merecia era viver com o rendimento mínimo para ver o que sofrem aqueles que ele ajuda a empobrecer todos os dias. Correr com esta escumalha não só é necessário como é essencial.

Capa para um livro que merecia ser escrito

sexta-feira, janeiro 20, 2012

Acordo Laboral


A UGT assinou o Acordo Laboral que negociou com o governo e os patrões, esquecendo todos os que devia representar. Sempre foi uma Central Sindical que serviu bem os governos, que foi assinando todos os acordos para que eles pudessem assinar acordos e fazer o foguetório, como acabou por fazer de novo. Só que desta vez a coisa é mais grave porque legaliza o despedimento sem justa causa, bastando para isso a vontade do patrão, coloca os horários da nossa vida nas suas mãos e transforma a UGT em lixo laboral. A ar acanhado com que o João Proença surge aos microfones tentando justificar-se com as exigências da Troika (enquanto o Passos Coelho se gabava de a ter suplantado) e reagindo com ar zangado e carrancudo a qualquer pergunta dos jornalistas, mostram-no bem. Não é para isto que serve uma Central Sindical nem é por masoquismo que os trabalhadores pagam a sua quota sindical. Correr com esta gente é necessário pois são uma vergonha para o sindicalismo.

A saúde está de partida


Uma associação francesa está em Portugal para recrutar todo o tipo de profissionais das áreas médica e paramédica. O objectivo é preencher vagas em instituições públicas e privadas francesas. Mais de 700 médicos e enfermeiros portugueses já se mostraram interessados em trabalhar em França onde estes profissionais poderão ganhar €3.900 mensais em França. (Um jovem diplomado, em Portugal, pode ganhar €2.000 brutos).
Segundo a Lusa, estão a decorrer, também em Lisboa, outros recrutamentos para profissionais de saúde, neste caso para o Norte da Europa.

Depois de a Jerónimo Martins ter aceite o desafio do Passos Coelho e ter feito emigrar a sua sede fiscal para a Holanda, é agora a vez dos médicos fazerem as malas e partirem. Se a isto juntarmos a quantidade de médicos que têm pedido a reforma antecipada para escapar às medidas de austeridade do governo sobre os pensionistas, quem ouviu o Paulo Macedo afirmar na véspera que espera cumprir com a promessa eleitoral de, no fim da legislatura, todos os portugueses terem um médico de família, tem de ficar desconfiado das palavras do Ministro.
Custa entender esta política de exportar os nossos jovens mais qualificados e em que Portugal investiu milhões de euros. É que mesmo estando Portugal condenado a transformar-se no INATEL da Europa, ainda há serviços qualificados que quem vier a banhos vai exigir. Não vai bastar termos sopeiras e homens do lixo e por este andar nem esses vão ficar por cá.

quinta-feira, janeiro 19, 2012

Passos de Coelho no Jardim do Alberto João


Quem no final vai acabar por se lixar? Os mesmos de sempre, os Madeirenses e os "Contenentais". São sempre os povos que pagam a incompetência e a hipocrisia dos governantes que com ou sem crise acabam sempre mais gordos e mais ricos. Como muitos deles já têm dito, as crises são fornecem boas oportunidades.


Estes até vendiam a mãe


A participação de capitais angolanos em empresas portuguesas de comunicação social é normal e decorre de Portugal ter uma economia aberta, disse hoje em Luanda Miguel Relvas, ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares português.

Venderam a EDP ao democrata Partido Comunista Chinês e agora vão pojar-se aos pé do honesto e democrata José Eduardo dos Santos para lhes venderem o Canal um da nossa televisão pública. Valores como a liberdade, justiça, direitos humanos, corrupção são palavras proscritas nos negócios do governo mais liberal e capitalista que existiu em Portugal.
Como bem diz o Ministro somos uma economia aberta o que quer dizer que tudo está à venda, das nossas empresas à própria soberania do país . Mas não é só por cá, muitos outros países europeus estão a ser atirados para a bancarrota para poderem ser comprados pelos "mercados" em época de saldos. O que se está a passar é um assalto, um roubo consentido pelos nossos impotentes e incompetentes governantes. Se ainda somos um país, se ainda temos uma história, uma cultura e uma identidade tudo isso não pode ser assim desbaratado e destruído por hipócritas vendilhões do templo. Há coisas que não se vendem nem têm preço.

quarta-feira, janeiro 18, 2012

Palhaçada sindical

Assisti práticamente em directo à saída da reunião dos membros da Concertação Social. Todos foram ao microfone dizer de sua justiça e, ao ouvir o que cada um dizia, só me dava vontade de lhe fazer logo ali um boneco. Aos "patrões" o mais dificil era esconderem o sorriso de satisfação e a pressa de irem abrir o champanhe para festejar. O Ministro, como cada vez que fala só diz disparates, repetiu o discurso que lhe mandaram decorar tendo eu muitas dúvidas que tenha percebido o que andou ali a fazer. Mas quem ganhou o prémio do boneco foi o João Proença, envergonhado, a querer justificar tudo com o acordo com a Troika e a querer tirar dali uma vitória com o não aumento do horário de trabalho em meia-hora. Os patrões trocaram um chouriço por um porco e a UGT e o seu Proença uma vez mais trairam os trabalhadores que deviam representar, deixando-os sem o chouriço nem o porco. A figura de palhaço atrapalhado que fez em frente aquele microfone devia ser mais que suficiente para os trabalhadores da UGT lhe barrassem a entrada da porta em sindicatos para sempre. Se quer fazer o jogo do capital e dos patrões então que jogue limpo e se vá juntar a eles e não ande a vender os direitos de quem trabalha em troca sabe-se lá de quê. Ou será que ainda um dia destes vai ter direito a uma medalhinha em Belém e um cadeirão numa qualquer empresa portuguesa de capitais chineses com sede fiscal na Holanda?

Economia. Se são pararelas nunca se vão encontrar


Em 2009, quando o índice foi apresentado pela primeira vez, a economia paralela representava 24,2% do Produto Interno Bruto (PIB) português. Um ano depois, em 2010, a economia não registada, como prefere chamar-lhe o seu autor, cresceu 2,5%, o que faz subir o peso para 24,8%. Em Valor a economia paralela representou 42,7 mil milhões de euros. Em 2011, a barreira dos 25% do PIB vai seguramente ser ultrapassada, dado que os factores que a fizeram crescer em 2010 se agravaram no ano passado. Entre esses factores está o aumento de impostos e da taxa de desemprego.

O problema é reconhecido, as razões conhecidas e as soluções são atiradas para a fiscalização e punição que, como já se viu não surte efeito. Se é reconhecido que as causas são o aumento dos impostos e ainda os aumentam mais e o desemprego que é facilitado, estão a combater o fogo com gasolina. Dizem-nos que se todos pagassem o que é devido, todos pagaríamos menos, mas o que não vemos é que o dinheiro recolhido seja aplicado em nosso beneficio, mas sim daqueles que mais têm e que mais fogem ao seu pagamento. Será a Senhora da Mercearia que não passa factura de um quilo de batatas é mais culpada que o Mega Merceeiro que transfere a sede fiscal para a Holanda. Quem utiliza as offshores? São os que ganham mil euros ou os que têm milhões?
Não vou exigir factura na tasca nem apontar o dedo nas lojas locais, algumas mais velhas que eu e com quem cresci. Muitos dos que lá trabalham jogaram à bola e brincaram comigo. Mas, sendo no meu bairro, ou no Porto ou em Faro não são esses os que lixam a vida da grande maioria de nós. Esses são os que tentam resistir, muitas vezes por não terem alternativas, aos grande tubarões da distribuição, que não se cubem de utilizar todos os truques, até a vender abaixo de preço a que compraram para os destruir. Até a utilização de produtos que produzimos ou fabricamos, o simples comer as couves do nosso quintal é economia paralela. Devíamos pagar os 23% do IVA.
E assim alegremente lá vamos nós de crise em crise, de buraco em buraco, de sacrifício em sacrifício enquanto os direitos são destruídos simplesmente porque os Mercados assim o exigem.

terça-feira, janeiro 17, 2012

Fim da carreira

Ser ou não ser hipócrita por um pentelho


"50% do que eu ganho vai para impostos. Quanto mais ganhar maior é a receita do Estado com o pagamento dos meus impostos, e isso tem um efeito redistributivo para as políticas sociais."
Eduardo Catroga sobre os mais de 45 mil euros que vai ganhar como Presidente do Conselho Consultivo da EDP para juntar à sua humilde pensão de 9 mil.

Se haver altos salários é bom para o Estado, porque se empenha ele tanto em promover a redução dos salários em Portugal? Será que desejam conscientemente o mal para o país? Será que são só burros ou incompetentes? Ou as duas coisas. Ou será que somos todos filhos, uns da mãe e outros filhos da puta?
Quanto ao "pentelho" da questão é que o Catroga é um mãos largas e sacrificasse a que lhe paguem ainda mais para ele poder ajudar ainda mais o país e os seus pobrezinhos, redistribuindo ainda mais. E, ainda há quem lhe chame hipócrita.

segunda-feira, janeiro 16, 2012

Está a chegar a hora da França


A agência Standard & Poor’s (S&P) fez uma vaga de cortes que abrange nove países e retira à França e à Áustria a nota máxima de avaliação. Portugal passa a ter uma nota já considerada “lixo” financeiro.

Já nem vou falar de mais uma agência financeira ter atirado Portugal para o lixo. Isso já é corriqueiro e são sempre mais um murro no estômago do Passos Coelho que, para nosso mal, os merece a todos. Agora, estou é curioso para ver se o Merkozy continua, ou se o Sarkozy começa a sentir o rabo da França mais apertadinho ou a Merkel a chamar preguiçosos aos franceses. A culpa é da guerra entre o Dolar e o Euro para mostrar que os lideres não têm culpa nenhuma. São os mercados, até chegam a reconhecer que são especuladores, e por isso tudo isto é uma injustiça. Mas será?
Se existem regras quem as fez? Se é crime quem rouba é porque alguém fez uma lei que diz que roubar é crime. Se não é crime especular com o futuro de países, promovendo a miséria dos seus povos, é porque nunca desejaram fazer uma lei em que especular seja considerado um crime. Porque fazem umas leis e não fazem as outras? Perguntem-lhes.

A triste Rosa


Este Seguro é tão triste que nem me dá vontade de rir

domingo, janeiro 15, 2012

Um Futuro cada vez mais negro


A agência de notação financeira Standard & Poor's baixou hoje o 'rating' a nove países da zona euro. Entre eles, confirmou a agência, estão a França e a Áustria que perdem assim a classificação máxima de 'AAA'. Portugal passou a ser considerado lixo.
Ministério das Finanças considera "infundada" a decisão sobre Portugal e lamenta que a metodologia da agência de notação tenha mudado para uma análise sistémica da Zona Euro.

Parece que as coisas não vão por bom caminho e nem os os pasteis de nata do Álvaro, nem a severa austeridade do Gaspar parecem ser solução. Já ouvimos o Primeiro-ministro apelar aos jovens licenciados e aos professores a emigrarem, a Manuela Ferreira Leite que os tratamentos de hemodiálise para quem tenha mais de 70 anos fique reservado a quem tenha dinheiro para o pagar. Só estou à espera da hora do Vitor Gaspar vir sugerir que quem não tenha emprego e mais de 40 anos já não tem nada a esperar desta vida e só constitui um problema para os país.

Novos "comunistas" vieram à luz


Quando se conheceu o resultado da venda da EDP ao Partido Comunista Chinês e os nomes das nomeações para os tachos, não houve quem não reparasse que o cartão partidário foi considerado como um requisito essencial para o lugar. Ter ajudado o Passos Coelho a chegar ao poder também parecia ter sido levado em grande conta. Mas afinal parece que não, tantos têm sido os desmentidos do governo, dos próprios, dos accionistas, dos comentadores, dos amigos, etc. Segundo dizem não foi o governo quem deu a lista de nomes mas foram os próprios Chineses quem os escolheu. Não deve ter sido bela beleza da Cardona ou pelo pentelho do Catroga. Então só posso concluir que foi uma vez mais o cartão do partido a condicionar a escolha, nesta caso não o laranja do PSD, mas o vermelho do Partido Comunista Chinês.

sábado, janeiro 14, 2012

Álvaro. A Nata do nosso Governo


O Álvaro Santos Pereira, o simplesmente Álvaro é dos Ministros que não consigo levar a sério, é como os palhaços no circo, não têm de fazer grandes habilidades nem mostrar grandes talentos, basta-lhes fazer palhaçadas para nos fazerem rir. O triste nisso é que lhe está atribuído um super-ministério, que vai da economia, ao trabalho ou aos transportes, e tudo o que conseguimos ouvir é falar de bandeirinhas portuguesas, de transformar o Algarve na Florida Europeia e agora de fazer franchising dos Pasteis de Nata. Portugal necessita de economia como necessita de emprego e o responsavel é o Álvaro, o tal que, quando aparece, me dá vontade de rir. Mas, se há uns que choram de alegria, a verdade é que este me faz rir de tristeza.

Um tacho de pentelhos


Há realidades que são tão reais que se podia acreditar que ninguém duvidaria da rua realidade. A transferência das acções do Jerónimo Martins Portugal para o Jerónimo Martins Holanda é um desses casos. A partidarização e o compadrio na nas nomeações para os melhores tachos, como já tinha acontecido na Caixa Geral de Depósitos e aconteceu agora com a EDP e Águas de Portugal. O mais incrível, é que estas realidades tão reais são desmentidas e colocadas em dúvida. Não há bicho careta, comentador, "senadores" que não saiam em acérrima defesa e até indignação por haver quem possa pensar que a realidade que viu é real. Jornais, televisões, rádios não poupam nos custos de servir os seus donos. E, a realidade deixa de ser o que é para passar a ser uma outra, nem que seja por um pintelho. Assustador é que haja tanta gente para quem a nova realidade seja mais real que a própria realidade que viveram.

sexta-feira, janeiro 13, 2012

Republica Independente do Banco de Portugal


Segundo o Boletim Económico de Inverno do Banco de Portugal, as medidas previstas nesta altura pelo Governo de Passos Coelho não são suficientes pare reduzir os custos do Estado, apelando a novas medidas de contenção e a cortes no consumo público.

O conselho de administração do Banco de Portugal, liderado por Carlos Costa, decidiu, “no respeito pelas convenções colectivas de trabalho a que o Banco está obrigado (acordos de empresa e Acordos Colectivos de Trabalho para o sector bancário), manter o pagamento dos subsídios de férias e de Natal aos colaboradores no activo”.

Esta gente não tem nem moral nem vergonha na cara. Austeridade fica para os outros que dentro da Republica Independente do Banco de Portugal, sacrifícios e cortes não entram. Basta ver que temos um Presidente no Banco que ganha mais que o Presidente da Reserva Federal Norte Americana.
O que eu ainda não entendi é porque deve o Banco Central do país, o banco do Estado português ser tão independente de todos os poderes, sejam eles a Assembleia da Republica, governo, ou Presidência da Republica. (Faria mais sentido ser a Justiça a ter esta independência, a não estar sujeita a pressões de quem lhes paga os ordenados que ao Banco de Portugal).
Depois estranham que quando vêm falar de sacrifícios os mandem à merda.

Velhos e pobres! Atiram-se para a valeta

A antiga líder do PSD Manuela Ferreira Leite entende que os doentes com mais de 70 anos que necessitem de tratamentos de hemodiálise os devem pagar. “Tem sempre direito se pagar”, disse. O que não é possível é manter-se um Sistema Nacional de Saúde como o nosso, que é bom, gratuito para toda a gente. Ferreira Leite insistiu que, se a hemodiálise continuar a ser disponibilizada para todos, então o sistema não funcionará “nem para ricos, nem para pobres”, concluindo que “racionar significar sempre alguma coisa que não é para todos”.

Ontem estava eu muito descansado a fazer este blog quando fui surpreendido por uma conversa televisiva em que o empregado do Merceeiro do Pingo Doce, António Barreto, afirmava que em Portugal não havia coragem para discutir se vale a pena gastar dinheiro em cirurgias ou tratamentos caros em pessoas com mais de setenta ou oitenta anos. (Sempre afirmando que ele próprio já tem 70 anos, mas esquecendo-se de dizer que nunca lhe faltaria dinheiro para o tratamento). Se um mata, outro diz esfola e a Santa Manuela Ferreira Leite acabou por fazer as lindas afirmações que retirei de uma noticia de um jornal.
Ao empregado do Merceeiro só posso dizer que ainda bem que este assunto não é discutido porque ele está acima de qualquer discussão; é um direito humano garantido pela Constituição e, só o falar-se disso é já por si uma vergonha. Sobre o que disse a velha líder do PSD nem tenho palavras. Condenar à morte idosos só porque não têm meios para pagar o tratamento, (que podem chegar a 1900 euros mensais), é uma desumanidade sem limites. Já agora, informo a senhora que racionar não é tirar aos que menos têm para dar aos mais ricos, mas distribuir o que há por todos.

quinta-feira, janeiro 12, 2012

Arrogante prepotência


O tribunal intimou o ministro das Finanças a facultar à associação sindical da ASAE, no prazo máximo de oito dia, o resultado da auditoria à avaliação de desempenho dos inspectores daquela polícia. Vítor Gaspar não cumpriu. Incorre em multa e em responsabilidade criminal, civil e disciplinar.

Este Gaspar parece acreditar que pode fazer o que desejar e que não é obrigado a respeitar as regras e as leis. Isso é obrigação dos outros mas nunca dele. A democracia é um aborrecimento pois ele não vive num mundo de pessoas com vidas e sentimentos mas sim de números e enganos.

A Grande Loja do Tacho


O presidente da autarquia do Fundão, Manuel Frexes (PSD), e o vice-presidente da Câmara Municipal do Porto, Álvaro Castello-Branco (CDS-PP), foram designados para a administração da Águas de Portugal, confirmou o gabinete de imprensa do Ministério da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território

Fala-se muito de crise, mas há negócios e lojas a quem não faltam clientes. Eduardo Catroga, Celeste Cardona, Paulo Teixeira Pinto, Rocha Vieira, Braga de Macedo, já são clientes satisfeitos e as vendas continuam a bom ritmo. Há até quem já conheça o responsavel da loja por Pedro Tachos Coelho.

quarta-feira, janeiro 11, 2012

Menage a deux


O presidente francês, Nicolas Sarkozy, e a chanceler alemã, Ângela Merkel, estiveram reunidos uma vez mais para decidirem do futuro da Europa.
Durante a conferência de imprensa o Presidente francês Nicolas Sarkozy haveria de deixar bem clara esta ideia: nada se fará sem o acordo mútuo do eixo franco-germânico. E foi neste clima que mais uma vez Merkel e Sarkozy se encontraram para guindar o futuro de um continente.
Os dois líderes voltaram a insistir no novo pacto fiscal decidido que pode chegar no final do mês, durante o Conselho Europeu, o que permitiria a sua adopção no primeiro dia de Março. “Estamos a contar que as negociações estejam concluídas nos próximos dias”, declarou Sarkozy.

A dupla Merkozy continua a discutir em almoços o futuro de toda uma Europa que se rebaixa e acata. Já decidiram que em Março vamos assinar o novo pacto fiscal, não importando se isso tiverem de passar por cima da nossa Constituição. O governo e o seu "caniche laranja" logo arranjarão uma qualquer lei especial com o beneplácito do Sr. Silva para aprovarem há pressa na Assembleia que o vai possibilitar. O que pensam os cidadãos é coisa que não perguntam porque não lhes interessa nada.

Ministro de porcelana...Chinesa


Uma nota interna do Ministério das Finanças dá por oficial um défice de 5,4 por cento este ano, 0,9 pontos acima da meta traçada. (Cerca de 500 milhões de euros).
O Governo de Pedro Passos Coelho está a trabalhar num cenário de medidas adicionais este ano, para compensar um desvio orçamental decorrente do agravamento do cenário macroeconómico e do custo para a Segurança Social das pensões dos bancários, que foram transferidas para o Estado e que vai permitir que o Governo cumpra com o défice estabelecido com a troika no ano passado, mas provocando um aumento do défice deste ano.

Se o anterior Ministro das Finanças, (Teixeira dos Bancos e que chegou a ser considerado o pior Ministro das Finanças da União Europeia), não havia maneira de acertar uma previsão económica a médio prazo, o actual Vitor Gaspar parece não conseguir acertar numa curtíssimo prazo. Passaram-se 9 dias do inicio de execução do Orçamento de Estado para 2012, e já anunciam buracos de mais 0,9 por cento no défice e que todos nós vamos pagar em mais austeridade e pobreza. Se as previsões do Ministro sempre foram, para muitos, irrealistas e como não creio que seja nem burro nem ignorante em finanças, só posso concluir que foi pouco verdadeiro. Enganou as pessoas e o país com previsões erradas.
Ou o mal é do Ministro ou é do sistema, ou até pode ser dos dois. Em qualquer caso algo terá de mudar, ministro ou sistema, preferencialmente os dois. Mas, parece que nem os negócios da China vão salvar este governo.

terça-feira, janeiro 10, 2012

Compadres e compadrios na toca do Coelho


A assembleia geral de accionista da EDP vai escolher no próximo dia 20 de Fevereiro o conselho geral e de supervisão. Entre os novos nomeados seis têm ligação ao Governo, entre os quais o futuro presidente Eduardo Catroga e também Celeste Cardona e Paulo Teixeira Pinto, que em 2010 encabeçou a equipa que elaborou o projecto de revisão constitucional do PSD.

O Passos Coelho bem disse que com ele no governo iam acabar os cargos de nomeação partidários e o compadrio. Como até agora, desde que é Primeiro-ministro, sempre fez o contrário daquilo que disse em campanha acabou por não ser surpresa para ninguém. Há que pagar favores e nisso o Coelhinho já mostrou ser honesto, coisa que não consegue fazer em tudo o resto.

Na Loja dos Aventais


Segundo parece, 90% dos deputados dos três maiores partidos de alterne da nossa democracia, incluindo os três lideres parlamentares pertencem à Maçonaria. Pela amostra, se lhe somarmos os que andam pela justiça, pelas autarquias, pelas empresas, pelos bancos, pela comunicação social, pelas policias pelas secretas e sei lá mais onde não nos custa acreditar que sejam homens de aventalinho quem realmente governem este país. Se o utilizassem só para trocar receitas, assar umas febras e falar de futebol não ficava muito preocupado mas quando vejo tantos "compadres" juntos vêm-me logo à cabeça a palavra compadrio que a realidade não cessa de demonstrar. Assim, nunca se sabe o que vão comprar quando entram na Loja, tanto pode ser um taxo como um perdão ou até uma caixa de robalos. A estas Lojas não vai a ASAE.

segunda-feira, janeiro 09, 2012

Pianto pagliaccio


A Associação Nacional de Farmácias (ANF) garante que vai suspender a partir de hoje o crédito ao Governo da Região Autónoma da Madeira, alegando que o mesmo “não tem cumprido o plano de pagamentos para recuperar a dívida ao longo dos próximos oito anos”. O Executivo liderado por Alberto João Jardim deve cerca de 77 milhões de euros à ANF, que não recebeu o dinheiro de uma parte da dívida que deveria ter sido paga. “O pagamento não foi efectuado, nem foi dada qualquer explicação”, diz a associação em comunicado. Assim, a partir de amanhã, todos os beneficiários terão de solicitar directamente ao Governo Regional a comparticipação no preço dos medicamentos, que até agora era logo descontada pelas farmácias.

Mesmo depois de se saber do buracão de 6 mil milhões nas contas da Madeira o Bicho da Madeira não se poupou, nem aos habitantes da ilha, a lautas inaugurações bem regadas nem a fartas promessas. Agora que já se reconfirmou no poder chegou a hora de começar a pagar mas como sempre quem vai pagar em sacrifícios e pobreza são os cidadãos. Lá como cá, uns engordam outros apertam o cinto.

Praticar o patriotismo


Paulo Portas apela ao patriotismo para ultrapassar a crise. Não procuremos grupos ou partidos, sejamos cada um de nós a praticar o patriotismo todos os dias.»

Com a perda de soberania que a atitude subserviente deste governo tem praticado na Europa e perante o poder dos mercados, pelo desbaratar das nossas melhores e estratégicas empresas para as mãos da família Eduardo dos Santos e filha e agora do Governo da China, vir apelar à pratica do patriotismo faz pouco sentido. É ter dois pesos e duas medidas.

domingo, janeiro 08, 2012

Cada vez sorrimos menos


Face neutra e sorriso fechado. Um estudo científico realizado pelo Laboratório de Expressão Facial da Emoção da Universidade Fernando Pessoa aponta para uma diminuição «significativa» na exibição de qualquer tipo de sorriso e o aumento da expressão neutra em mulheres e homens. No universo das 15.243 fotografias analisadas verificou-se que a expressão facial de emoções negativas é mais frequente e intensa do que a de emoções positivas. Um padrão que se acentuou expressivamente no ano passado.

Realmente, com esta Europa, este governo, este Presidente, esta oposição e tanta corrupção e compadrio cada vez mais temos menos razões para sorrir. Mas, também é verdade que tristezas não pagam dívidas e por isso continuo a defender o mote deste blog; Se há quem chore de alegria porque não havemos de rir de tristeza.

Sabe tão bem não lhes pagar nada


A transferência do domicilio fiscal da empresa Jerónimo Martins para a Holanda tem sido um dos assuntos desta semana. Primeiro foi a indignação geral e até políticos do PSD vieram apelar a um boicote ao Pingo Doce. Depois vieram os jornalistas e comentadores do sistema defender o homem com a afirmação de que iria continuar a pagar os mesmos impostos em Portugal, que só fez aquilo que todos nós faríamos se pudéssemos, (mas não podemos), o que muitos outros já tinham feito, para terminarem que não tinha sido cometida nenhuma ilegalidade. Também nos comentários dos blogs houve uma enorme mobilização em defesa do homem utilizando os mesmos argumentos. Hoje, a coisa chegou ao ponto de o próprio Primeiro-ministro também o fazer no Parlamento. Afinal parece que é só parte do IRS referente aos dividendos dos accionistas que será dividido entre Portugal e a Holanda. Perde-se algum dinheiro, mas nada que não possa ser compensado com mais umas décimas nos aumentos de impostos quando chegar a altura de inevitável Orçamento rectificativo.
Primeiro gostava de afirmar aqui que aquilo que ele fez é inaceitável, como inaceitável é que 18 das 20 empresas do PSI20 já o tivessem feito antes. Não me interessa que sejam só uma parte dos impostos que sejam perdidos e não a sua totalidade. Se é em Portugal, com os consumidores portugueses que fez e continua a aumentar a sua fortuna não há razões para que não pague a totalidade dos seus impostos em Portugal. Quanto ao argumento de que só fez o que todos nós faríamos, chegando a apresentar o exemplo da compra de gasolina em bombas em Espanha, parece esquecer um pormenor. É que quem compra em Espanha vê o seu salário cada vez mais curto em meses que parecem cada vez mais longos enquanto ele só vê os seus lucros a aumentarem. Uns fazem-no por necessidade, outros por ganância. Quanto ao estar a fazer o mesmo que muitos outros já fizeram, não me parece um bom argumento. Certamente já muita gente roubou coisas no Pingo Doce e isso não justifica que todos o devamos fazer também. Já quando falamos de não ter cometido nenhuma ilegalidade, facto que o Passos Coelho não deixou de salientar no Parlamento, não chega a ser argumento. Não foi ilegal porque as leis feitas por ele e gente como ele o permitem. Se a lei está mal, mude-se a lei e não se justifique o injustificável apoiando-se nelas.
É por tudo isto que continuo a afirmar que não comprarei nada nos supermercados deste Senhor e apelo a todos que boicotem o Pingo Doce, assim como também há muito boicoto o Continente do Belmiro. Esta gente merece o nosso desprezo.

sábado, janeiro 07, 2012

Dueto improvável - Portas e Silva


O ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, sublinhou hoje que "Só posso reconhecer a extraordinária colaboração que recebi sempre do senhor Presidente da República, cujas competências em matéria de política externa são muito relevantes".

Eis um Dueto improvável se recuarmos aos tempos em que um era Director do Independente e outro Primeiro-Ministro. Agora, o que os aproxima. Um é Ministro fantasma, que viaja, viaja e que surge esporadicamente por cá em sessões protocolares. O outro é Presidente que, incapaz de assumir as suas responsabilidades, faz discursos inócuos onde todos gostam muito de ler recados e lições. Que os pode unir então? Talvez a vontade de ficarem ambos com as mãos limpas e uma imagem imaculada quando este governo cair de maduro. O Coelho que se lixe.

Dia de Reis e de camelos


Não podia deixar passar o Dia de Reis, em que segundo as histórias, os Três Reis Magos foram levar oferendas ao recém nascido Deus Menino. Nós por cá a única coisa nova que temos é uma ano que já nasceu com péssimo aspecto. Para lhe trazerem as oferendas escolhi três Reis deste governo, não pelas personagens mas por aquilo que oferecem. Um traz a incapacidade, outro o compadrio politico e o outro a ditadura dos sacrifícios. O seu Deus são os Mercados, a Maria chama-se Merkel e o José, Sarkozy. Para o papel de Burro podemos escolher o Álvaro e para Vaca, para não ofender as senhoras do governo, pode ficar o Paulinho das Feiras. A pomba do Espírito Santo, essa caga-nos em cima e nós,como já devem ter adivinhado, não passamos de Camelos.

Partilhe