quinta-feira, maio 31, 2012

Tão sérios que eles são...para algun


O Decreto-Lei n.º 111/2012, de 23 de Maio, que tem por objecto a definição de normas gerais aplicáveis à intervenção do Estado na definição, concepção, preparação, lançamento, adjudicação, alteração, fiscalização e acompanhamento global das parcerias público-privadas determina que “da aplicação do presente diploma não podem resultar alterações aos contratos de parcerias já celebrados, ou derrogações das regras neles estabelecidas, nem modificações a procedimentos de parceria lançados até à data da sua entrada em vigor.”

Assim sim, o Estado é uma pessoa de bem e cumpre com os contratos que tem. Pena que só o faça com alguns, os mais poderosos e mais ricos, já que com os trabalhadores se sente no direito de rasgar contratos, reduzir ordenados, retirar direitos e alterar regras contratadas. Esta é a coragem, a justiça e a politica deste governo e assim vamos continuar a ser espezinhados enquanto não corrermos com ele.

Cagar no Parlamento

 
Durou três minutos a sessão da Assembleia Legislativa da Madeira onde esta manhã iria ser votada uma moção de censura ao Executivo de Alberto João Jardim. O Partido Socialista retirou a moção devido à ausência do Presidente do Governo Regional, que faltou à sessão plenária. Toda os partidos da oposição tinham anunciado que iriam votar a favor da censura à governação de Alberto João Jardim.

Não se entende muito bem porque está o PS-Madeira zangado com o Bicho-da-Madeira, afinal em todos estes anos de governante nunca compareceu em nenhuma das moções de censura ao governo. Esta falta de respeito por aquele que deveria ser o Centro da Democracia na Madeira não se estranha, tantas têm sido as vezes em que a desrespeitou e tantos foram os atropelos à democracia que por lá acontecem. Se já em Portugal falar de democracia já é um exercício de boa vontade na Madeira há muito que é algo que não se pratica.

quarta-feira, maio 30, 2012

Mais impostos encapotados


Ontem até parecia que o Miguel Relvas vinha tentar melhorar a sua imagem quando anunciou que o governo ia abrir uma linha de crédito de mil milhões para assim permitir às Autarquias endividadas pagar as suas dividas a curto prazo e assim injectar dinheiro fresco na economia salvando empregos e dando uma lufada de ar às empresas com a corda na garganta. Hoje, depois de ler as condições que impôs às autarquias para terem acesso a esse crédito, percebi que na prática afinal se tratava de um novo aumento de impostos, agora encapotado pois são as autarquias que vão ficar com o ónus da culpa. Terão de aumentar todas as taxas municipais para o valor máximo legal ou seja, IMI, taxas de resíduos sólidos, esgotos, derramas, água, electricidade e sei lá mais o quê irão aumentar e como sempre quem vai pagar somos todos nós.
Parabéns ao Gaspar que conseguiu mais um aumento de impostos encapotado, ao Miguel Relvas que veio sorridente dar uma noticia aparentemente boa e ao Fernando Ruas que conseguiu mais dinheiro para construir mais umas rotundas em Viseu. Nós pagamos.
Para além da desonestidade politica de tudo isto a desonestidade sabuja é muito maior.


Tourada à Portuguesa


No passado dia 21/03/2012 foi publicada no  Diário da República a lista dos subsídios atribuídos pelo IFAP no 2.º  semestre de 2011, tal como se havia publicado a listagem relativa ao 1.º semestre de 2011 no dia 26/09/2011. No ano de 2011 o IFAP atribuiu subsídios no valor de €9.823.004,34 às empresas e membros das famílias da tauromaquia.
Ortigão Costa - 1.236.214,63 €
Lupi - 980.437,77 €
Passanha - 735.847,05 €
Palha - 772.579,22 €
Ribeiro Telles - 472.777,55 €
Câmara - 915.637,78 €
Veiga Teixeira - 635.390,94 €
Freixo - 568.929,14 €
Cunhal Patrício - 172.798,71 €
Brito Paes - 441.838,32 €
Pinheiro Caldeira - 125.467,45 €
Dias Coutinho - 389.712,42 €
Cortes de Moura - 313.676,87 €
Rego Botelho - 420.673,80 €
Cardoso Charrua - 80.759,12 €
Romão Moura - 248.378,56 €
Brito Vinhas - 53.686,78 €
Romão Tenório - 283.173,89 €
Sousa Cabral - 318.257,79 €
Varela Crujo - 188.957,35 €
Assunção Coimbra - 330.789,44 €
Murteira - 137.019,76 €

Uma vez mais, quando se sabe que falta dinheiro para a saúde, educação, emprego, apoios sociais, desenvolvimento e até para combater a galopante pobreza e a miséria existem 10 milhões para a brutalidade, desumanidade e vergonha que as touradas representam. Os sacrifícios são para todos, dizem eles, mas os únicos sacrificados aqui somos todos nós e claro o touro.

terça-feira, maio 29, 2012

Da transparência à invisibilidade


O Presidente da República, Cavaco Silva, disse hoje, em Singapura, estar convencido que o caso que envolve o ministro Miguel Relvas e o jornal Público «acabará por ser esclarecido com a devida transparência», escusando-a a fazer mais comentários.

O meu medo é mesmo esse, que haja tanta transparência que nada se descubra e que os culpados se tornem tão invisíveis que ninguém os consiga  apanhar. São tantos os casos de gente que ganhou o poder da invisibilidade, pelo que as nas nossas prisões corruptos e poderosos não se vêem.

Um roubo Top-secret


O Ministério das Finanças classificou como «confidenciais» os documentos enviados à comissão de inquérito ao BPN. No total, são 13 dossiers que estão numa sala, sob o olhar atento de um funcionário parlamentar. A informação só está acessível aos 17 deputados da comissão de inquérito e aos assessores dos grupos parlamentares que os auxiliam. No entanto, os documentos não podem ser fotocopiados ou digitalizados, estando apenas autorizada a sua consulta. 

Ainda recentemente na comissão quando questionada sobre se existe um crédito do BPN aos accionistas da SLN de 160 milhões de euros»,  a secretária de Estado do Tesouro e Finanças, Maria Luís Albuquerque, que explicava a opção de vender o BPN aos luso-angolano BIC Angola por 40 milhões de euros, respondeu que «Não comento valores de créditos concedidos a clientes. Faz parte da documentação confidencial enviada à comissão de inquérito».
Esperemos que um dia esta comissão mostre resultados e que toda a informação possa ser disponibilizada para que todos possamos saber para onde foram os tantos milhares de milhões desaparecidos e que todos nós andamos a pagar bem como a responsabilidade de todos os que roubaram, os que compactuaram, os que lucraram e os que esconderam. É o mínimo que podem fazer.

segunda-feira, maio 28, 2012

Um ano de desgraça

 Há um ano que este governo tomou posse com o Passos Coelho como Primeiro Ministro e a desculpa do acordo da Troika para poder impor e praticar todos os roubos aos salários e direitos. Depois do Passos Coelho nos informar que o seu objectivo era empobrecer os portugueses rapidamente se percebeu que quem mandava não era o incapaz, mentiroso e impreparado Coelho mas o falinhas mansas Vitor Gaspar. Tecnocrata, ultrapassou a Troika pela direita sem respeitar nada nem ninguém tentando passar uma imagem de honestidade e competência. Honestidade que se desvaneceu logo que se percebeu que andava a cavar falsos buracos no orçamento para impor mais medidas de austeridade  e competência que se mostrou ser falsa quando se começou a ver que as suas previsões económicas estão sempre ultrapassadas mesmo antes das medidas que as procuram justificar entrarem em vigor. Isto sem falar da incompreensível politica de aceitar destruir toda a economia em nome do défice condenando tanto o futuro do país como o próprio cumprimento do défice com mais austeridade sobre a recessão. Os quinze por cento de desemprego, as falências, o crédito mal parado, o aumento da despesa pública e a redução das receitas prova-o.

Espiões coscuvilheiros


«
Num email enviado de Silva Carvalho para Paulo Félix (à data funcionário da Ongoing e ex-PJ), a 4 de Setembro de 2011, Francisco Pinto Balsemão, presidente da Impresa, aparece com um nome de código: Balsinhas. Nele, Silva Carvalho pede que vejam “em fontes abertas” tudo o que há “sobre o Balsinhas”, em particular sobre os empréstimos que tinha, em que bancos, quando venciam. Silva Carvalho argumenta que essa informação interessava à estrutura financeira e económica da Ongoing. Tempos depois, recebe um relatório detalhado de 31 páginas sobre Balsemão, que incluía uma cronologia com dados importantes da sua biografia, uma colectânea de recortes de jornais, listas de amigos, inimigos e aliados e até considerações sobre a sua performance sexual.

domingo, maio 27, 2012

Economia de cartomante


O Presidente da República, Cavaco Silva, disse hoje que calcula que a recessão em Portugal possa ficar entre os 2,5 e os 3%, previsões mais optimistas que a de instituições internacionais e, no limiar inferior, do próprio Governo.

Este outro dia já previa que o crescimento fosse já para o fim do ano e agora já calcula que calcula que a recessão em Portugal possa ficar entre os 2,5 e os 3%, Em que números se baseia para fazer as previsões que anuncia dão certo? Tanto que se falou da importância de que ocupasse o cargo de Presidente da Republica pelos seus conhecimentos podia dar ao governo. Pessoalmente parece-me que afinal melhor teria sido eleger uma qualquer cartomante que muito certamente acertaria mais naquilo que diz que o Sr. Silva.

Desaparecidos II - Mário Nogueira


Outro que anda desaparecido é o "Grande Líder" Mário Nogueira. Quem não se lembra da feroz luta contra a avaliação da "Sinistra Ministra" Maria de Lurdes Rodrigues em que não havia um dia em que não aparecesse nas televisões e uma semana em que não fizesse um protesto. Agora, com milhares de professores a irem para a rua, com salários e direitos a serem cortados os discursos são quase silenciosos e os protestos invisíveis. Se no tempo da Sinistra Ministra mordeu a maça envenenada do "memorando de entendimento" agora parece ter-se engasgado com esta laranja podre e amarga.

sábado, maio 26, 2012

As Sereias da Europa


Cantam a salvação da Euro mas condenam a Europa  a morrer afogada nas sua própria austeridade. Se não taparmos os ouvidos ao canto desta gente estamos a caminho do nosso fim. 

Enterre-se o personagem


«O ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares diz-se "pressionado" pelo jornal Público. "Tenho o direito, devo exigir que me seja dado mais de 30 minutos para responder a uma questão que me é colocada por uma jornalista, 24 horas depois de ter estado no Parlamento. Senti-me pressionado e foi nessa base que me insurgi. Não falei com a jornalista em causa. Não houve acusações, é algo que repudio em democracia".»
A maioria PSD e CDS-PP chumbou hoje os pedidos feitos pelo PS e pelos Verdes para ouvir o ministro Miguel Relvas e os restantes envolvidos no caso da alegada pressão sobre uma jornalista do Público.

Este homem já é um cadáver politico por mais que o tentem segurar. Faça-se o funeral.

sexta-feira, maio 25, 2012

Prescrito mas não proscrito


O presidente da Câmara de Oeiras, Isaltino Morais, já não pode ser condenado por corrupção no processo de contas da Suíça, apesar do crime ter ficado provado no julgamento. Em causa está o favorecimento de um empreiteiro a troco de dinheiro, em 1996.
O crime de corrupção por acto ilícito prescreve ao fim de 15 anos. Como se provou que a corrupção ocorreu em 1996, o crime está prescrito.
O advogado do presidente da câmara de Oeiras defendeu hoje que o arquivamento por prescrição do crime de corrupção imputado ao autarca, não significa que Isaltino Morais seja culpado.

Se já nem sei que mais dizer da justiça para os ricos neste país também não entendo como se insiste em permitir que gente que foi condenada por corrupção e por meter as mãos nos dinheiros públicos possa continuar a ocupar cargos públicos. Se não há vontade de condenar nem castigar parece também não haver de impedir que o dinheiro de todos nós continue a passar pelas mãos de quem já foi provado não ser gente de confiança. Vergonhoso.

Desaparecidos I - Paulo Portas


Onde pára o Paulo Portas? Este personagem que não saída das nossas televisões, que andava de feira em feira a falar dos pensionistas e dos agricultores parece ter-se desvanecido no ar. Escolheu gente do seu partido para ministro da Segurança social e os pensionistas cada vez estão pior e também para Ministro da Agricultura cada vez mais aflita e nas mãos dos grandes merceeiros. Das politicas do governo prefere nada dizer e esconde-se viajando por todo o lado sem que disso se vejam quaisquer resultados práticos.
Acreditem que quando sentir que estas politicas prejudicam a sua imagem ainda virá dizer que não concordava com elas, que só as aceitou porque o país necessitava de um governo com maioria e que todo o mal feito é da culpa dos ministros do PSD. É que este para se fazer de santinho só lhe falta a aura.

quinta-feira, maio 24, 2012

Um Pínóquio filósofo e a falar francês


José Sócrates foi ontem acusado por Alan Perkins, administrador do Freeport entre Julho de 2005 e Dezembro de 2006, de ter recebido "pagamentos ilícitos" - cerca de 200 ou 220 mil euros - enquanto ministro do Ambiente para viabilizar o outlet em Alcochete. Segundo a testemunha, "Pinóquio" era o seu nome de código.

"Foram tantos os pedidos, tão sinceros, tão sentidos que" lá fiz mais um Pínóquio filósofo e a falar francês. Quanto ao caso em si já pouco mais tenho a dizer que aquilo que já foi dito pois com a justiça que temos nada de muito relevante se pode esperar, mesmo sendo o Sócrates uma personagem que fez muitos inimigos. Será mais um caso a juntar a tantos outros que mais cedo ou mais tarde será arquivado por erros processuais ou que prescreverá.

Atropelado pela realidade


O Conselho das Finanças Públicas (CFP) alerta que as previsões macroeconómicas feitas pelo Executivo “parecem basear-se em hipóteses excessivamente optimistas”, o que pode colocar em causa os objectivos para o défice.

As previsões da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) são pessimistas no seu relatório sobre previsões económicas, adiantando que Governo terá de implementar novas medidas de austeridade, além das que já estão previstas no programa. O aumento do desemprego e nível do défice mais elevado também contribuem para estas previsões, uma vez que a OCDE prevê que a recessão no País dure, pelo menos, até 2013, uma vez que a economia portuguesa vai recuar 3,2 por cento este ano e outros 0,9 por cento durante o próximo, enquanto o desemprego se fixará nos 16 por cento.

Nada parece correr bem ao Gasparzinho que não acerta numa única previsão mas isso não deve surpreender ninguém pois há muito que avisos não faltam para a calamidade social e a irresponsabilidade que representa atirar mais austeridade sobre um país em recessão. Se foi avisado e nada muda já custa acreditar que seja só por incompetência. Uma teimosia para que já começa a faltar respostas e talvez por isso atira aos bichos o pobre do Álvaro do Coiso.
Há muito que este governo está ferido de morte tanto na sua competência como na sua honestidade e seja pelo caso do Relvas seja pelo desastre económico que está a causar é urgente a sua demissão. Com gente desta não há esperança e só podemos esperar mais austeridade e pobreza.

quarta-feira, maio 23, 2012

Pão ou bombas?


O primeiro-ministro Passos Coelho na conclusão da Cimeira da Nato (Organização do Tratado do Atlântico Norte) em Chicago, Illinois, afirmou hoje que Portugal vai comparticipar no esforço financeiro da Nato para assegurar a operacionalidade das Forças Armadas do Afeganistão para além de 2014.

Em Portugal diz que temos de empobrecer, que não há dinheiro para a  educação, cultura, segurança-social, para nada, mas lá fora oferece comparticipar no esforço financeiro para manter uma guerra em nome dos interesses económicos das grandes potências. Não há dinheiro para a saúde mas há para a morte.

Relvas ou erva daninha?


Luís Montenegro, líder parlamentar do PSD, manifestou a sua “certeza absoluta” de que Miguel Relvas nunca teve intenção de condicionar o trabalho dos jornalistas. O deputado, mesmo assim, defende que o Parlamento deve aguardar pela investigação da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) sobre o caso que envolve o ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares e o jornal Público. Já o  primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, que o Miguel Relvas tenha "atacado a imprensa" na resposta ao jornal Público e defendeu que "o Governo tem privilegiado muita transparência".

Por mais que tentem esconder o Relvas por detrás da ERC, por mais "certezas absolutas" que preguem já ninguém tem dúvidas, se é que alguém alguma vez as teve, que este ministro recebia informações das secretas portuguesas e que as tentou utilizar para calar as investigações da jornalista do Público. Fugir do Parlamento para evitar ter de se defender e só o fazer para a ERC por escrito, não vá entrar em mais contradições ao falar em directo é a consequência de quem tem a consciência pesada. Certamente que o Passos Coelho nem deve querer imaginar o que será perder o seu homem de mão no governo, o homem que faz os todos os contactos, que tece as teias de todos os negócios e apaga todos os fogos pois sem ele também o seu reinado pode ter um fim anunciado. Um fim a que o Relvas não deverá escapar e que se tivesse um pingo de vergonha na cara já teria dado o passo, pedindo a demissão. Quem se deve estar a rir de tudo isto é o Vitor Gaspar, que rimando com Salazar, que também começou como Ministro das Finanças para se tornar posteriormente em Ditador por várias décadas, espera a sua oportunidade para se sentar na cadeira do Coelho.



terça-feira, maio 22, 2012

Vem aí o FMI...de novo

Está aí a chegar de novo a Troika e com eles o famigerado FMI que já tantas mortes provocou por todo o mundo. (Sim, porque o FMI mata com as suas politicas de austeridade e de cortes sociais sobretudo na saúde e no apoio aos mais pobres). Foram outros tempos, tempos de esperança e em que o futuro parecia estar já ali ao virar da esquina.  Ainda me lembro quando se gritava nas ruas que "o povo está com o MFA". Hoje a esperança é pouca, o futuro é assustador e grita-se "fora, fora, fora daqui, a fome e a miséria e o FMI".

Vá para "o coiso" senhor ministro.


"Eu desafio aqui o Partido Socialista a colaborar connosco na elaboração deste plano nacional de emprego, porque o desemprego não é uma preocupação deste Governo só, destas bancadas da esquerda, do Partido Socialista. O desemprego tem de ser uma preocupação de todos nós e todos nós temos de trabalhar em conjunto, sindicatos, patrões e partidos para conseguirmos ultrapassar este coiso... este problema"»
 Álvaro Santos Pereira na A.R.

 O Coiso da Economia quando se referia ao desemprego na Assembleia da Republica tratou-o por "o coiso" como se essa calamidade a que as politicas do capitalismo nos condena como se fosse um problema menor. Este coiso que foram buscar a uma faculdade de segunda qualidade ao Canadá não pára de nos surpreender com as suas parvoíces e o sorriso parvo que ostentava quando chegou já há muito que foi substituto pela arrogância e má educação. Um coiso que devia ser mandado para "o coiso" porque coisos destes não merecem outra coisa.

segunda-feira, maio 21, 2012

De volta às cavernas



O Governo apresenta esta semana a revisão do ensino profissional e vai privilegiar Pesca, caça e agricultura. Os cursos fora desta lista prioritária podem ser os primeiros a perder financiamento.
As orientações estão a ser transmitidas às escolas pelos diretores-regionais de educação e entre elas estão o aumento do número de alunos por turma e a não sobreposição a nível concelhio. Estas estratégias, somadas à perda de verbas do POPH (Programa Operacional Potencial Humano), justificam a redução da rede de ensino.

Engenheiros? Médicos? Professores? Nada disso. Depois de décadas a afirmar que o mal de Portugal passava pela falta de qualificação da nossa mão de obra, de um esforço que custou milhares de milhões na educação, eis que este governo resolve que afinal o nosso futuro está em voltar aos tempos em que o homem sobrevivia da caça e da pesca. Como também falam de agricultura acredito que o regresso não seja ao tempo em que o homem era nómada e recolector, mas com o Primeiro-ministro a falar das oportunidades que o desemprego representa pela mobilidade que dá e a aconselhar à emigração já nem sei o que pensar.
Há no entanto um aviso que quero deixar aqui ao Primeiro-ministro é que tenha cuidado com isso da caça, é que gente ignorante, com fome e com uma arma na mão pode começar a disparar quando lhe disserem que anda por ali a passar um Coelho.

Uma comédia sem graça nenhuma


O chefe do Governo chamou à residência oficial o líder do principal partido da oposição antes da cimeira europeia informal que se realiza na próxima quarta-feira. “Este gesto retoma um clima de diálogo que tinha sido interrompido”, congratulou-se Seguro depois de quase duas horas reunido com Passos Coelho.

domingo, maio 20, 2012

O Polvo do BPN


Duarte Lima parece ter decidido, talvez em troca de medidas de coacção mais leves ou da inocência do seu filho ou mesmo de uma pena mais leve quando do seu julgamento, pôr a boca no trombone e denunciar os seus ex-amigos e colegas, com o BPN, UBS, Banco Insular e sei lá mais quem. Esperemos que na sua ruindade e na sua tentativa de se safar das acusações, se não lhe limparem o sebo antes, venha a acusar muita gente que por aí se pavoneia como mais séria que todos os outros, Ou, como normalmente acontece neste país, tudo isto acabe com a montanha a parir um rato.
A verdade é que mais uma vez aparece o BPN metido ao barulho e são mais muitos milhares de milhões que estão em jogo. Tantos, roubados por tão poucos, que talvez sejam suficientes para justificar e pagar a divida que dizem ser de todos.

Quem se mete com o Relvas...leva


Segundo um comunicado da Redacção do Jornal o Público, “Miguel Relvas terá dito que, se o jornal publicasse a notícia, enviaria uma queixa à ERC, promoveria um “black out” de todos os ministros em relação ao Público e divulgaria, na Internet, dados da vida privada da jornalista”.

Esta não lembra a ninguém, ameaçar que se fosse publicada uma noticia sobre as sua promiscuidade com as Secretas publicava podre da vida privada do Jornalista utilizando a informação que recebeu através dessa mesma promiscuidade e assim acabando a confirmar aquilo que pretendia esconder. Como se não bastasse ainda veio pedir desculpa ao jornal por ter feito aquilo que disse não ter feito. Patético. Se não se demitir ou for demitido estamos perante um personagem descredibilizado e que só se mantém no cargo por ser o apoio do governo com as suas negociatas, pedidos de favor e distribuição de tachos.

sábado, maio 19, 2012

A Europa começa a acordar



Um turista de outro mundo


O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, parte esta quinta-feira em viagem oficial a Timor-Leste, Indonésia, Austrália e Singapura. Por um período de dez dias, é a mais longa deslocação desde que chegou a Belém.

Com a Europa a viver uma tragédia grega, o desemprego a bater recordes lá vai o Sr. Silva fazer umas férias para o outro lado do mundo. Certo é que vai promulgar a nova lei laboral antes de embarcar e depois durante dez dias vai dizer que não fala de politica interna quando está no estrangeiro. Mais uma vez vai fugir para não ter de assumir as responsabilidades daquilo que vai fazer. Um número já visto e repetido muitas vezes. Na verdade, e apesar dos momentos difíceis que atravessa a Europa e o Mundo, é que ninguém vai sentir a sua falta e para os funcionários do Palácio vão ser dez dias de paz e sossego sem aquela gente a chatear. Boa viagem Sr. Presidente, gaste lá mais uns milhares dos milhões que o Estado, (nós) lhe oferecemos todos para governar o Palácio e não tenha pressa de voltar que não vai deixar muitas saudades por cá. Para mim não deixa mesmo nenhumas.

sexta-feira, maio 18, 2012

Chantagem


A Comissão Europeia garantiu hoje que não mudou de posição quanto ao desejo de que a Grécia permaneça na zona euro, apesar de Durão Barroso ter defendido que quem não respeita as regras de um "clube" deve sair.

Os lideres desta Europa que muitos ainda chamam de União parecem não entender que o caminho que escolheram está  chegar ao fim que a dita união já não passa de um cadáver em estado de decomposição. Mesmo perante uma Grécia despedaçada pelas medidas de austeridade e que em eleições já disse não estar disposta a mais pobreza e miséria que lhe impuseram, insistem em manter as politicas e as exigências. Ameaças e chantagem são a politica e a prática desta Europa merkeliana e dos sabujos que lhe lambem as botas mas se agora é a Grécia que lhe começa a fazer frente, mais cedo ou mais tarde será a vez de Portugal, Espanha, Itália, .... lhe seguirem o exemplo, não por gosto mas por "inevitável"  necessidade. Este é o resultado da ganancia de alguns e da cegueira de muitos outros e se nada for feito para alterar as actuais politicas a guerra que sempre acompanhou no passado as grandes recessões económicas e a que já aqui me referi várias vezes pode muito bem vir a ser um realidade.

Passos Ladrão, o teu lugar é na prisão


Por já terem passado alguns dias e por já ter referido no post anterior as afirmações do Passos Coelho sobre os benefícios  de ficar desempregado, ("Estar desempregado não pode ser um sinal negativo. Despedir-se ou ser despedido não tem de ser um estigma. Tem de representar também uma oportunidade para mudar de vida. Tem de representar uma livre escolha, uma mobilidade da própria sociedade."), não pensava fazer um outro sobre o assunto, mas como há gente com mais imaginação e talento pelo que eu não resisti em publicar aqui um excerto do texto do Ricardo Araújo Pereira, sobretudo depois de muitos já lhe gritarem aos ouvidos, "Passos Ladrão, o teu lugar é na prisão".
"Sigamos o exemplo de Passos Coelho e descortinemos oportunidades em todas as desgraças. Porquê ficar apenas pelo desemprego? Os acidentes rodoviários são uma oportunidade para trocar de carro. Os incêndios são uma oportunidade para organizar uma grande churrascada com amigos. As cheias são uma oportunidade para fazer um passeio de barco bem romântico. E a cadeia é uma oportunidade para descansar e descobrir novas sensações no duche".

quinta-feira, maio 17, 2012

O êxito de um governo


Durante muito tempo tenho chamado a este governo de incompetente mas hoje tenho de dar a mão à palmatória e dizer que estou errado. Quando vi os números do desemprego atingem novos recordes todos os dias e os desempregados já vão em mais de um milhão e para os jovens atinge os 36,2% e revi as declarações do Passos Coelho tenho de concluir que está a atingir todos os seus objectivos. O primeiro foi o de tornar os portugueses mais pobres, o segundo o de possibilitar às pessoas a oportunidade para mudarem de vida e se tornarem mais móveis e finalmente o de promover a emigração dos nossos jovens mais qualificados. Os meus parabéns ao Passos Coelho e sua trupe pelo êxito das suas politicas.

Do parque à triste realidade


Depois de quatro dias de ocupação do Parque Eduardo VII de novo em casa e de novo na vida  chamada de "real". Li alguns comentários que por aqui foram colocados desvalorizando aquilo que aconteceu, mas para quem lá esteve foram momentos enriquecedores e a demonstração que é possível outro mundo e outra forma de relacionamento sem o peso da propriedade privada e da posse. Ver gente que vive com quase nada a partilhar o pouco que tem e a trabalhar em conjunto para o bem de todos é uma lição de vida e que juntamente com os debates, workshops e assembleias fez daquele espaço um laboratório de alternativas e uma demonstração de que a inevitabilidade da miséria e pobreza não é real. Real são as pessoas e real é a possibilidade de todos vivermos com dignidade respeitando-nos uns aos outros.
Foram quatro dias em que não li jornais, não vi televisão e não fui bombardeado pelas noticias e comentadores do regime. Hoje já sei que o desemprego bateu novos recordes e que o novo Presidente Francês ia levando com um raio em cima quando viajava de avião para se encontrar com a Fuhrer Merkel. 
O desemprego só mostra o falhanço desta sociedade e mais não é que o reflexo do mercantilismo em que transformaram a politica e as nossas vidas e o "raio que quase partiu" o Hollande só me fez lembrar tanto líder, sobretudo Sul-americanos, que morreram em "trágicos acidentes" que hoje todos sabem terem sido perpetrados pelos "chacais" CIA. Claro que neste caso não me parece que o Hollande seja um caso semelhante até porque é farinha do mesmo saco do poder estabelecido, mas era uma boa oportunidade para fazer um boneco.

sábado, maio 12, 2012

A PRIMAVERA GLOBAL é já hoje


Faltam poucos dias para este blog fazer seis anos e meio e até hoje nos seus 3224 dias de vida nunca houve um em que não aqui tenha vindo para dizer alguma coisa ou pelo menos publicar os meus bonecos.
Depois desta pequena introdução quero dizer que durante uns dias, pelo menos entre hoje e dia 15 este blog vai estar parado para eu poder participar activamente nesta Primavera Global que vai ligar numa mesma indignação e grito de mudança quase 400 cidades por todo o mundo. Vivendo nos seus arredores é na minha cidade de Lisboa que estarei nos próximos dias. Às 14 horas vou participar na Manifestação que sairá do Rossio em direcção ao Parque Eduardo VII onde espero que muitos se juntem a debater livremente a democracia, o futuro em todos os seus aspectos, da Divida ao Serviço Nacional de Saúde, da Educação à falsa informação, do consumismo às novas formas de relacionamento e partilha. Espero que por lá haja música, jantares comunitários, alegria e o desejo de ocupar aquele espaço e criar ali uma nova forma de estar. Sei que já existem mais de 50 actividades previstas para estes quatro dias, que vão dos debates de ideias, ao Yoga e até um espaço dedicado às crianças. Espero que tudo isso seja só o inicio e que muitos mais se juntem e partilhem ideias, musica e tudo aquilo que desejarem. O espaço será de liberdade estará aberto à participação de todos para poderem partilhar tudo aquilo que desejarem. A mudança faz-se criando, saindo do conforto dos nossos lares e ocupando as ruas e os parques.
Vamos, por isso, todos à manifestação e depois acampar no Parque Eduardo VII.
Para os interessados aqui deixo alguns links.

 APELO
A Primavera Global está mesmo a chegar...e não somos apenas uma andorinha! Somos já mais de 40 países, mais de 350 cidades no mundo, 7 cidades em Portugal - Faro, Évora, Lisboa, Santarém, Coimbra, Porto e Braga. E todos os dias este número cresce...

Em vários locais do país teremos manifestações/concentrações no dia 12 de Maio e haverá um conjunto de iniciativas em espaço público que farão destes dias um imenso e descentralizado Fórum de Ideias na Rua (debates, concertos, refeições, oficinas, cinema, actividades para crianças, etc...) de 12 a 15 de Maio. Esta foi a forma como a Primavera Global pt decidiu aderir ao apelo internacional de um Global May/Global Spring - Acções Globais. E o sucesso é já garantido...mas contamos com todos vocês, pessoas, colectivos e movimentos, para dar maior visibilidade ainda a este evento. Se desejarem participar e criar iniciativas apareçam nos locais agendados e tragam as vossas propostas - em Lisboa temos um email para o efeito: primaveraglobal2012.eventos@gmail.com para onde poderão enviar as vossas propostas de iniciativas no âmbito e no espírito da Primavera Global.

A Primavera Global está a chegar e vai ser certamente um evento único de demonstração da vitalidade dos movimentos sociais emergentes nestes últimos tempos articuladas com organizações e colectivos mais antigos e com iniciativas cidadãs de ampla diversidade.

Convidamos todos a participarem, divulgarem e a construírem esta Primavera Global em Portugal como uma ocasião muito especial de articulação em rede, descentralizada e autónoma, de Indignação e Mudança.

A impotência da Justiça


Nada melhor para "ilustrar" o post anterior que esta noticia que faz capa do SOL.

"CORRUPÇÃO PRESCREVEU. A Relação mandou repetir parte do julgamento de Isaltino Morais, e entretanto o crime de corrupção prescreveu. A Justiça portuguesa revela-se uma vez mais impotente".

Mesmo depois de condenado em todas as instâncias judiciais toda esta canalhada que por aí anda ainda consegue ficar em liberdade, e manter-se os cargos públicos onde praticaram a corrupção. Infelizmente estas são as leis e a justiça que temos.

sexta-feira, maio 11, 2012

Secretas promiscuidades


Algum tempo depois das eleições legislativas de Junho de 2011, Jorge Silva Carvalho, então já administrador da Ongoing, (que paga ao ex-espião 40 mil euros por mês), enviou, por correio electrónico, ao ministro dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, um relatório detalhado com um plano para reformar os serviços de informação, propondo para directores do SIS (Serviço de Informações de Segurança) e do SIED (Serviço de Informações Estratégicas de Defesa) funcionários da sua confiança e apontando ainda os nomes daqueles que não deveriam assumir cargos dirigentes. Confrontando com a notícia, Miguel Relevas respondeu que recebe informações de várias fontes, não se recorda dessa em particular.
Silva Carvalho, quando ainda ao serviço do SIED, enviava resumos diários da imprensa nacional (“clipping”) para Miguel Relvas era este secretário-geral do PSD. Já então também vários responsáveis da Ongoing recebiam igualmente das secretas esse resumo diário.

Esta promiscuidade entre os Serviços Secretos e privados para dai tirar vantagens negociais e económicas, misturadas com interesses partidários, num país em que a justiça funcionasse e fosse livre e independente, já teria enviado para a cadeia muita gente. Por cá vai ser mais um processo interminável e que quando chegar perto do fim com a absolvição dos poucos que serão acusados, por irregularidades processuais, prescrição ou qualquer outro motivo do género. Muito provavelmente estaremos entretidos nessa altura com algum jogo de futebol ou com a justiça a gabar-se porque conseguiu condenar um desgraçado qualquer que roubou uma carcaça de um supermercado.

Os Espremidos


Infelizmente nas brincadeiras destes dois os entalados são sempre os mesmos; os que não podem fugir e que menos têm.

quinta-feira, maio 10, 2012

Mente, engana e ludibria


O ministro das Finanças, Vítor Gaspar, garantiu que "Eu não minto. Não engano. Não ludibrio. A política de verdade é para mim uma convicção absoluta", disse Gaspar durante uma audiência da comissão parlamentar do Orçamento em resposta às duras críticas dos deputados da oposição.

Se não mente, engana ou ludibria então só pode ser incompetente pois que se saiba ainda não acertou nenhuma previsão que tenha feito. Muitas delas já estavam erradas mesmo antes da entrada em vigor dos orçamentos ou dos Pec's ou Deo's como agora lhe prefere chamar. Pelas consequências das suas mentiras, enganos ou ludibriações ou da sua incompetência o que lhe restava fazer se fosse honesto ou consciente era demitir-se e pedir desculpa aos portugueses.


Este nem com um milagre de Fátima lá vai


O economista João César das Neves defende que o problema da Saúde em Portugal não tem que ver com dinheiro, mas é religioso, sustentando que «o Serviço Nacional de Saúde (SNS) não existe, é uma ficção».
........
O professor de economia da Universidade Católica afirmou ainda que «falar sobre o SNS é como discutir a paz no mundo, a fome em África, a globalização», acrescentando:«É apenas uma maneira de fazer congressos em sítios simpáticos».
A verdade, defende, é que o SNS é uma entidade abstrata e «aquilo com que temos de nos preocupar é com aquilo que é real, com as pessoas e os prestadores de cuidados de saúde que nos são próximos».
Contudo, João César das Neves afirmou ainda que «o problema da pastoral da saúde não é tratar dos pobrezinhos, que isso até os comunistas e os ateus o fazem».
.......
João César das Neves, contudo, reconhece que «a despesa é absolutamente brutal» e que «por isso é que o setor da Saúde está em dieta», porque «sofre de obesidade, fuma, é sedentária e já mudou de médico várias vezes, sem melhorar». Como resultado, disse, a Saúde em Portugal «sofre de tensão alta, tonturas e depressões».

Se há dias em que questiono a minha sanidade mental, mas depois leio algo do César das Neves e compreendo que anda por aí muita gente a falar nas televisões e a escrever nos jornais que, ou o faz para que eu enlouqueça de vez, ou não bate bem da cabeça. Vindo de quem vem já não devia estranhar pois este individuo é autor dos mais alucinantes textos que tenho lido por aí, mas mesmo assim ainda me consegue surpreender. Podem ler todo o artigo [AQUI].

quarta-feira, maio 09, 2012

Ladra mas não morde?



Angela Merkel escreveu a Francois Hollande sublinhando as "decisões necessárias" que estão pela frente e que têm de ser coordenadas por ambos. A chanceler alemã enviou a François Hollande uma carta em que o felicita formalmente pela sua eleição como presidente da França. Nela, Angela Merkel sublinha a necessidade de acção e a responsabilidade partilhada dos dois países fundadores do projecto de integração na Europa, referindo ainda querer "continuar com François Hollande o caminho da responsabilidade comum" e "trabalhar para o bem dos dois países (Alemanha e França) e da Europa". "Temos de tomar as decisões necessárias à União Europeia e à Zona Euro, para preparar as nossas sociedades para o futuro, salvaguardando e avançando no caminho da prosperidade de forma sustentável”, frisa Merkel.

Já a gestora de fundos Schroders de fundos diz que "uma potencial disputa com Merkel" é o resultado que mais se pode recear com a eleições de Hollande. No entanto, é provável que os mercados e as agências de "rating" exerçam pressão para que o francês reduza o défice orçamental e não acredita que François Hollande consiga alterar as políticas de austeridade defendidas por Merkel para a Europa. “Este pode ser um caso em que o ladrar de Hollande é pior do que a mordidela”, conclui a Schroders.

Como já era previsível a primeira forma de tentar fazer o Hollande "baixar a bola" é pela sedução e oferecendo-lhe a partilha da Europa com a Alemanha, enquanto os mercados ameaçam atacar a sua economia se não ceder. Sorrisos e palmadinhas nas costas para o convencer que tem muito a ganhar se aceitar partilhar o poder em troca de esquecer as ideias que defendeu nas eleições, coisa que para os políticos parece muito fácil de fazer. Se resolver que é honesto e não aceitar voltar atrás na palavra dada aos franceses que o elegeram então é bom que se prepare para sofrer o ataque dos cães de fila da Europa. Mas, infelizmente, como diz a Schroders o mais provável é este seja mais um caso em que cão que ladra não morde.

O Delfim de Wolfgang Schäuble



Jean-Claude Juncker pretende deixar a liderança do Eurogrupo em Junho e a discussão sobre a sua sucessão à frente do Eurogrupo foi ontem relançada pelo ministro alemão das Finanças. Wolfgang Schäuble, assumiu, pela primeira vez, que não descarta a hipótese de ocupar o cargo mas sublinha que há outras pessoas capazes, como por exemplo, o português Vítor Gaspar. "Pessoalmente, aprecio muito o ministro das Finanças de Portugal, Vítor Gaspar", disse o político conservador alemão, embora considere "que seria difícil" explicar semelhante nomeação devido ao facto de Portugal ser um país intervencionado.

Porra, se a Europa está como está e o Vitor Gaspar só é Ministro das Finanças de Portugal, o que seria dela se ele mandasse nas políticas económicas de todo o espaço Europeu. Para nós, que nos livrávamos  dele seria uma lufada de esperança, mas deixar um ditador ficar à frente do Eurogrupo, sobretudo sabendo como no caso do Durão Barroso que acabam por ser "mais papistas que o papa", acabaria inevitavelmente por colocar toda a Europa a pão e água.

terça-feira, maio 08, 2012

O lucro do prejuizo



Pingo Doce começou a cobrar custo da promoção de 50% a fornecedores.
Fornecedores que não aceitem “pagar” o custo da campanha temem que os seus produtos sejam retirados dos supermercados do grupo JM.
Os fornecedores dos supermercados Pingo Doce, detidos pelo grupo Jerónimo Martins, estão a ver os seus piores receios confirmarem-se: os custos da polémica campanha de 50% de desconto em compras a partir de 100 euros, realizada no 1º de Maio, será repercutida nas facturas que os produtores vão receber nas próximas semanas. "A promoção, decidida de forma unilateral pelo Pingo Doce, será paga pelos fornecedores".

Tanto já foi dito sobre o Pingo Doce e do seu dono o Alexandre Soares dos Santos que acreditamos que pouco mais há para dizer, mas eles conseguem sempre surpreender. Agora foi a noticia de que a cadeia de supermercados que possui na Polónia foi condenada por abuso sobre os trabalhadores locais, obrigando-os a trabalhar mais horas que as contratualizadas, muitas vezes sem pagar e proibindo mesmo que perdessem tempo a ir à casa de banho. Como se não bastasse ter transferido a sua sede fiscal para a Holanda para fugir aos impostos, depois da vergonhosa promoção feita no 1º de Maio ficámos a saber que chantageiam os seus fornecedores para que o prejuízo do lucro seja passado para eles compulsivamente.
O Pingo Doce é o único supermercado que serve a zona onde vivo, mas há já vários meses que prefiro aceitar a dificuldade de me deslocar para não lá gastar um cêntimo que seja. Se outros fizessem o mesmo e os fornecedores deixassem de lhe vender os seus produtos talvez esta gente percebesse que isto do "vale tudo" tem de acabar. Estou farto deste capitalismo que só pensa em engordar esquecendo que sem consumidores acabaria por falir. Muitos ainda não se deram conta disso, mas quem tem a faca e o queijo nas mãos somos nós, bastando para isso que nos unamos naquilo que queremos.
 

Grécia, berço da democracia


Há dois anos debaixo de um plano de assistência financeira que lhes impõe dolorosos sacrifícios, os gregos foram ontem às urnas castigar de forma expressiva os dois partidos que desde 1974 dividem os lugares na política e no aparelho de Estado.
Nova Democracia (direita) e PASOK (socialistas), que nos últimos meses de transição política assumiram o cumprimento do plano de austeridade, arriscam-se a não ter votos suficientes para formarem uma coligação governamental. Os resultados eleitorais  deram uma vitória da Nova Democracia (ND) com 20,9% dos votos. O PASOK, que venceu as eleições de 2009 com mais de 40% dos votos, passa para terceira formação política, com apenas 14,6% de apoio popular. De permeio, está o Syriza, uma formação de partidos de esquerda, com 15,2% dos votos, para quem os resultados expressam "que a barbárie do memorando não tem lugar" na Grécia.

Se já anates dizia que éramos todos Gregos agora ainda mais o devo dizer quando, por um lado vão ser vitimas da chantagem e das manobras anti-democráticas de uma Europa mais preocupada com os mercados especuladores que com os povos e por outro quando representam a esperança do fim da falsa inevitabilidade a que dizem estarmos condenados. Hoje começa uma guerra e temos de escolher de que lados estamos.

segunda-feira, maio 07, 2012

Sarkozy, o fim de um pequeno lider


O socialista François Hollande venceu ontem, como se esperava, a segunda volta das presidenciais em França, batendo Nicolas Sarkozy por pouco mais de 3%, numa das mais disputadas corridas ao Eliseu das últimas décadas. Sarkozy deixa a política entrando para a História como o primeiro chefe de Estado a falhar a reeleição em mais de 30 anos. 

O Reinado do Sarkozy chegou ao fim. Não sei se o que lhe vai ocupar o lugar será melhor ou se tudo continuará na mesma, mas pelo menos é um prazer saber que este pequeno "Lord Farquaad" caiu, ainda por cima com a vergonha de ser o primeiro Presidente Francês que não consegue ser reeleito. Ele merece.
 

Integridade e corrupção


O combate à corrupção em Portugal está abaixo do esperado para um país desenvolvido, segundo um relatório do Sistema Nacional de Integridade. «Nenhum Governo até hoje estabeleceu, objectivamente, uma política de combate à corrupção no seu programa eleitoral, limitando-se apenas a enumerar um conjunto de considerandos vagos e de intenções simbólicas». O documento revela que, apesar dos esforços, muitas das leis criadas «estão viciadas à nascença, com graves defeitos de concepção e formatação», resultando na sua ineficácia, para além de se constatar a ausência de uma estratégia nacional de combate à corrupção.

Do governo para o privado e do privado para o governo, com muitos boys, muitos negócios e muitos lucros. Pagamos nós.



domingo, maio 06, 2012

Pacta sunt servanda


«O governo alemão vai permitir ao candidato à Presidência francesa François Hollande "salvar a face", mas espera que ele mantenha os compromissos assumidos em nome da França, nomeadamente o tratado orçamental, disse o ministro das Finanças germânico.
Wolfgang Schaeuble declarou que "Dissemos ao senhor Hollande que o pacto orçamental foi assinado e que a Europa funciona na base do 'pacta sunt servanda'", ou seja, os compromissos são para serem cumpridos, independentemente do governo que os assina". "Sempre disse que todos os governantes eleitos têm de poder 'salvar a face', por isso vamos discutir isto de forma amigável, mas não vamos mudar os nossos princípios", enfatizou o governante alemão.»

Mais do mesmo. O governo alemão até está disposto a fazer o favor de aceitar que os franceses escolham outro Presidente que não o Sarkozy, mas exigem que ele se comprometa com as politicas que impõem à Europa e aceite que quem manda são eles. Bom seria que este Hollande fosse homem de palavra e batesse o pá à Merkel, mas a a história já nos mostrou que estes eleitos de alterne acabam todos por fazer o mesmo e seguir as mesmas políticas. Não vamos ter de esperar muito tempo para tirar as dúvidas.
 

Sugem sempre das Sombras da Noite


EM EXIBIÇÃO

sábado, maio 05, 2012

O Nacional-Solidarismo


A discursar em Cascais, numa conferência, o presidente da Comissão Europeu, Durão Barroso, revelou o recado que trazia na bagagem. “Portugal enfrenta desafios que não são fáceis. Contudo, os portugueses sabem que não há alternativas à resposta que se está a dar", lembrando que não existe um plano b: o único caminho é apoiar as medidas do memorando e pôr travão nas divergências.

Para Durão Barroso, se não houver consenso em Portugal, por parte dos diversos agentes políticos, tendo em vista a aplicação das reformas de que o país necessita, mais difícil será obter solidariedade dos parceiros da União Europeia.
O presidente da Comissão Europeia entende que “quanto maior for o consenso nacional, mais será evidente a solidariedade dos parceiros europeus”. Nesse sentido, defende, o programa de apoio está dependente de união, numa altura em que surgem sinais de ruptura e com o PS a distanciar-se das políticas do Governo.

Resumindo, não há alternativa, não há plano b e ou assinamos os tratados que querem fazemos o que a Troika manda, comemos e calamos e nem mesmo os usuais partidos de alterne do poder podem sequer manifestar desconforto, impondo uma união à força. Este é o discurso de um cara de cherne que fugiu do governo para ocupar um tacho de subserviente marioneta como Presidente da Comissão Europeia. É o discurso de quem dizia que estando no Centro do Poder podia ajudar mais os portugueses. Esta é a Europa, que dizem ser uma União, de que fazemos parte.

A teia da realidade


A execução orçamental do primeiro trimestre deste ano é pior que a do mesmo período do ano passado, mesmo retirando o efeito de factores extraordinários. A conclusão é da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO), que publicou o relatório de análise à execução orçamental.
O défice do Estado atingiu 1.637 milhões de euros nos primeiros três meses do ano, um agravamento de 745 milhões face ao período homólogo. No entanto, frisa, "excluindo os factores específicos, o saldo global do Estado registaria uma deterioração de 252 milhões de euros em termos homólogos, ficando aquém da melhoria implícita do OER/2012 [orçamento rectificativo]". A UTAO nota ainda que o défice das administrações públicas também se deteriorou "significativamente" em termos homólogos. No caso do saldo primário, frisa, a diminuição de 474 milhões "contrasta com o aumento de quase dois mil milhões que se encontra implícito no OER/2012".

Bem podem andar os ministros e até o Presidente numa campanha de propaganda barata a anunciar luzes no fim do túnel que a realidade se vai encarregar de demonstrar que as politicas de austeridade e de empobrecimento ainda vão condenar mais o país e o seu futuro. É que os ministros podem mentir, (e todos sabemos que mentem muito), até podem aldrabar nos números nas previsões no Orçamento de Estado, mas a realidade acaba sempre por trazer ao de cima a verdade.
Destruindo a economia, baixando os salários e promovendo o desemprego, inevitavelmente acaba por destruir empresas e reduzir o consumo o que faz o estado cobrar menos impostos, seja no IRC, IRS ou IVA, o que por sua vez faz aumentar o défice. Podem ir disfarçando e adiando mas, mais cedo ou mais tarde, lá terão de  inventar um buraco ou um agravamento da crise internacional para encobrir a realidade. Agora cabe a cada um de nós fingir ou querer acreditar nessa canalhada ou fazer alguma coisa para correr com ela. Para mim a escolha parece evidente.



sexta-feira, maio 04, 2012

As insónias do Miguel Relvas


De acordo com dados do Eurostat revelados, esta quarta-feira, Portugal chegou ao final de Março com uma taxa de desemprego de 15,3 por cento, a terceira mais elevada da União Europeia e que representa uma subida de três décimas em relação a Fevereiro. «São números preocupantes. O desemprego tira-nos o sono e é muito motivador para o trabalho que estamos todos os dias a desenvolver», disse Miguel Relvas.

Se ao governo estes números tiram o sono imagine-se o que não fazem a quem está desempregado e àqueles que já se vêm a contribuir para o novo máximo que vai inevitavelmente ser batido em Abril, em Maio, em Junho,...em Dezembro ou em Janeiro.  Mais dia menos dia ainda vão implementar mais uma medida que facilite os despedimentos e a precariedade ou que aumente o número de horas de trabalho em nome ao combate ao desemprego.

Não há destinos traçados, só caminhos e escolhas


A tempestade está aí, mas este país, qual Titanic, continua em frente na direcção do seu trágico destino. Hoje soube-se que em Março o desemprego já ia nos 15,3%, a terceira maior taxa da Zona Euro. Em quanto já irá hoje e até onde irá chegar, se até o Primeiro Ministro, no dia dos trabalhadores, nos veio dizer que o aumento do desemprego irá continuar.
Vais deixar ou vais finalmente assumir a tua indignação e exigir a mudança? Está na hora de Portugal ter uma Primavera que lhe renove a esperança e construa o futuro.

quinta-feira, maio 03, 2012

Alexandrita no 1º de Maio



Tinha pensado não falar mais  sobre a vergonhosa campanha orquestrada pelo Pingo Doce no 1º de Maio, que procurou transformar o  Dia do Trabalhador no dia do consumidor. Aceitou vender tudo a metade do preço para ter as lojas a abarrotar e criou as condições para a violência do desespero nestes tempos em que a pobreza alastra. Apelou ao pior de cada um e com isso trazer ao de cima o irracional que existe em todos nós. Lutas por um sabonete ou um pacote de bolachas que provavelmente nem fazia muita falta a ninguém. Policias, conflitos, confusão e desespero para uns e alegria vitoriosa de quem conseguia sair ileso com um carrinho cheio de compras. Como disse no principio tinha pensado não referir mais este assunto pois há muito que já deixei de consumir ou respeitar o Merceeiro com sede fiscal na Holanda, mas ouvir um orgulhoso gestor, ou chefe ou qualquer coisa do Grupo Pingo Doce a fazer-se santinho, a falar de tudo isto como se a data do 1º de Maio fosse um acaso, tinha de ser no dia 1 porque é quando as pessoas fazem as compras do Mês, porque as pessoas não compram no dia 30 nem no dia 2, só compram no dia um, que tudo foi feito só para ajudar os seus clientes, que foi uma acção de ajuda social, fazendo inveja a qualquer Madre Teresa de Calcutá, meteu-me nojo. Nem vergonha têm na cara.

12-15 Maio Vamos fazer a diferença


Não tenho prazer nenhum em ser pessimista mas há dias em que, olhando para aquilo que me rodeia, olhando para os políticos que temos e para a passividade das pessoas, me custa ver a saída para o buraco onde este sistema capitalista e liberal nos atirou. Estou farto de mentiras, de hipocrisia e de falsas esperanças sempre adiadas para um amanhã que nunca chega.

Que fazer então? Ficar em casa como tantos fazem? Desistir? Se há momentos em que parece o mais acertado há muitos mais em que sei não ser essa a solução. A solução só pode estar em nós, em todos nós unidos pela vontade de encontrar novos rumos e novos caminhos. É isso que me dá a força para, em vez de ficar sentado no sofá sair para a rua e procurar outros que como eu não aceitam resignar-se à inevitabilidade que nos querem impingir. É por isso que no próximo dia 12 de Maio vou uma vez mais desfilar nas ruas de Lisboa, como outros farão no Porto, em Coimbra, em Madrid, em Nova Iorque ou em mais centenas de outras cidades por todo o mundo. É por isso que depois vou ficar no Parque Eduardo VII a debater e a procurar força e soluções para gerarmos a mudança. De 12 a 15 de Maio vou ocupar o espaço público e aí procurar criar uma zona de liberdade e solidariedade, longe dos preconceitos e das certezas que nos impingem. Não sei quantos se me juntarão, mas sei que serão mais que aqueles que foram antes e que este movimento não pode parar de crescer, afirmando a indignação e exigindo a mudança. Se todos nus juntarmos poderemos derrotar o conformismo. Vais ficar parado a ver?

Partilhe