terça-feira, julho 31, 2012

Um "safari" prisional


Sei que o acontecimento não é novo e refere-se a meados da década de 90 mas já nessa altura o Miguel Relvas mostrava as qualidades humanas que se lhe conhecem. Como presidente Comissão Parlamentar da Juventude visitou a cadeia de Coimbra onde fez o seu discurso começando por agradecer a oportunidade de ali estar porque "É sempre importante conhecer os presos no seu habitat natural".  

Relvas e o seu boneco


O Relvas já se demitiu? O Passos ainda não o demitiu? Ah, pois é, já me esquecia que o Relvas tem o boneco debaixo do braço.

segunda-feira, julho 30, 2012

Caça à Função Pública



Estes escolheram os funcionários Públicos como o inimigo, a fonte de todos os males , a culpa da miséria de todos os outros, promovem a imagem dos maus da fita, dos grandes beneficiados do sistema para que os trabalhadores privados concordem que é sobre esses malandros que devam cair todos os cortes, toda a austeridade, toda a violência. Mas são funcionários públicos os policias que os guardam e evitam que alguém mais desesperado lhes dê uns bons e merecidos tabefes, são funcionários públicos os bombeiros, os médicos, os enfermeiros, os professores, os homens e mulheres que todas as noites nos limpam as ruas. São gente que, como nós, sofrem e muito mais profundamente a violência deste governo, que, como nós, sente os meses cada vez mais cumpridos e os salários mais curtos. São gente com vidas e problemas como todos os outros e por isso a luta de uns em defesa do emprego e da dignidade de uns deve ser assumida por todos. funcionários públicos ou do privado a luta é de todos e não é com atirar com os males de uns para cima dos outros que se trava esta escumalha que todos os dias nos rouba. Quando todos apertamos o cinto e vemos os preços dos combustíveis e da energia subirem a GALP aumenta os seus lucros em mais de 50%. Não pode haver aqui funcionários públicos e privados, há uma luta para travar e o inimigo não é certamente o vizinho do lado.

A nova face do Demo...Crato


A minha amiga do DemoCrato em tempos pediu-me um boneco para ilustrar o seu belo blog. Fiz um diabinho mas agora parece que chegou a hora de lhe mudar a face de forma a condizer mais com a forma como tem tratado os professores e a educação. Fiz-lhe este retrato.

domingo, julho 29, 2012

Anjinhos do diabo


Um grita por austeridade, por custe o que custar, que se lixem as eleições, o outro escreve cartas aos militantes a dizer que mais impostos nem pensar. Ambos fazem parte do mesmo governo e ambos têm culpas repartidas nas consequências das suas politicas, como o desemprego, a pobreza, a miséria e o derrapar das contas públicas com a divida a aumentar de dia para dia sem se ver ainda o fundo do buraco em que continuamos a cair. Um faz de mau o outro quer mostrar-se um santinho, mas quem paga é sempre o mesmo.

O bordel do Poder


sábado, julho 28, 2012

Vai estudar Relvas - III



Lista de Luz Negra


O presidente da EDP disse estar de acordo com a criação de uma lista negra que integre pessoas que devam mais de 75 euros de electricidade ou gás. António Mexia adiantou que esta lista negra permitirá «condições de informação fácil» às empresas que vão entrar no mercado da electricidade.


Impõem uma austeridade brutal, fazem subir o desemprego a números nunca vistos, aumentam impostos e a pobreza no país, vendem a EDP ao Governo Chinês, aumentam brutalmente os preços, preparam a liberalização do mercado da electricidade e agora pretendem que quem deva 75 euros passe a estar referenciado numa lista negra. Claro que o Mexia, que com o seu "pornográfico" salário concorda totalmente. A electricidade que como a água, saúde, educação, transporte se tornaram em bens essenciais deviam ser garantidos a todos independentemente dos seus rendimento e não ser uma fonte de negócio e de lucros brutais para gente gananciosa e sem respeito pelo ser humano como individuo com sentimentos, sofrimento e necessidades.

sexta-feira, julho 27, 2012

Um Génio Chamado Relvas - Vai Estudar Relvas

                
Segundo a Teoria do Einstoino no Mundo Académico a melhor forma de obter uma licenciatura Académica passa pela fórmula 



Em que E representa equivalências, o M, muitas e o C as cadeiras. 

Que se lixem as eleições - II




quinta-feira, julho 26, 2012

O Merceeiro mais rico de Portugal


Soares dos Santos, da cadeia Pingo Doce, é o homem mais rico de Portugal, a sua fortuna cresceu este ano oito por cento, para 2,1 mil milhões de euros, ultrapassando Américo Amorim. O empresário tinha passado do quarto lugar em 2010 para segundo em 2011, depois de ter registado uma fortuna de 330 milhões de euros quando o ranking da revista surgiu, em 2004.

Como se vê há gente para quem a crise sabe a doce e a cada dificuldade que cada português sofre são mais uns euros que mete ao bolso. Desejou a chegada da ajuda europeia, defende a austeridade mas coloca a sua residência fiscal na Holanda para que os seus lucros não sejam tocados nem contribuam para ajudar o país. Aliás o país nada mais é que um mercado e ele o merceeiro para quem o lucro é o único objectivo. Desde o dia 1º Maio que não coloco os pés em nenhum estabelecimento deste individuo e não vai ser com o meu dinheiro que vai enriquecer mais.

Que se lixem as eleições


Portugal está como nós sabemos e a Europa caminha para a implosão. A Grécia prestes a ser abandonada, a Espanha à beirinha do abismo do pedido de ajuda externa e a Itália já se perfila e até a Alemanha da Frau Merkel já é ameaçada pelas Agências Financeiras. Aguarda-se a convocação de mais um Cimeira  Europeia para encontrar soluções e de onde sairão todos muito sorridentes afirmando que agora sim, o problema vai-se resolver. Não há no futuro uma réstia de luz que nos possa dar esperança que tudo vai correr bem. De mentira em mentira vão-nos espremendo sem que isso mostre qualquer resultado a não ser a necessidade de nos espremerem ainda mais. Há muito que prevejo uma nova Guerra Mundial para esta década, e o espectáculo a que assisto só me faz temer cada vez mais que eu pudesse ter razão.

quarta-feira, julho 25, 2012

O Povinho dos impostos de ouro


A receita do IVA e de outros impostos sobre o consumo no primeiro semestre do ano foi 5,2 por cento inferior à do mesmo período de 2011, segundo dados hoje divulgados pela Direção Geral do Orçamento.

Alguém me explica qual é a lógica de estar a "matar" um povo se isso só lhe faz perder dinheiro? Para que servem os sacrifícios se não contribuem em nada para a melhoria das receitas? Porque isentem tanto em matar a galinha dos ovos de ouro?

Burro-crato


Este começou por não saber que consequência teriam as suas medidas no despedimento de professores e confessou-o no parlamento, agora que esse número se torna real até o ministério recua e dá ordem para  as escolas evitarem os horários zero. Imagino a confusão que não irá por esse país, com reformas curriculares, turmas e horários de professores num pandemónio. Se nas escolas ninguém se deve entender imagino que no Ministério a coisa deva ser ainda mais confusa.
Estava na hora de este Demo-Crato, tão acertivo sobre a avaliação, (tirando a do Relvas), fizesse a sua auto-avaliação e concluísse que estava reprovado e se demitisse. Certamente que professores e pais há muito que o chumbaram.

terça-feira, julho 24, 2012

Moda Verão 2012


Depois de no ano passado ter decidido poupar nas despesas do seu Ministério abolindo as gravatas no Verão, e sabendo como a Ministra é determinada, acredito que este ano tenha preparado um guia com as roupas que os ministros deste governo devem utilizar neste Verão. Não posso adivinhar qual será a moda deste verão, mas certamente para o Vitor Gaspar será só uma tanguinha para se lembrar que pôs o povo de tanga, e para o Relvas um aventalinho e uma capa de estudante.

Vai estudar Relvas


segunda-feira, julho 23, 2012

Usura


As férias são uma boa altura para colocar as leituras em dia. Embora tanto a palavra usura como agiota sejam de significado comummente conhecidos resolvi fazer uma busca para tentar perceber a sua origem. Aprendi [aqui] que "Até a Idade Média a palavra usura era utilizada como sinonimo de juro. Essa prática era proibida, pois acreditava-se que dinheiro não poderia gerar dinheiro. A cobrança de juros era considerada uma forma de se explorar uma pessoa que estava passando por uma situação difícil, portanto todos os empréstimos financeiros deveriam ser realizados sem cobrança de nenhuma taxa" e que " A igreja acreditava que o usurário que adquirisse lucro sem nenhum trabalho e até dormindo contrariava a Palavra de Deus". Depois de ler isto lembrei-me de quanto a Europa andou pelo mundo a pregar o Cristianismo e a Palavra de Deus aos infiéis. Ou se esqueceu daquilo que ensinou ou acredita que o seu Deus mudou de opinião como podem confirmar Gregos, Portugueses Irlandeses, Espanhóis e Italianos (por agora).  

Quanto vale um kwanza


De há uns tempos para cá que não há ministro ou secretário de Estado que não passe por Luanda. (Alguns mais valia tirarem o passe que devia ficar mais barato). Portugal está à venda e ali há uma classe dirigente residente,  bem abastada e com a vontade de negócio. Energia, comunicação social, construção, banca, tudo se vende e tudo compram. Sabendo-se que em Portugal cada vez mais governa o dinheiro que os interesses do país é natural que alguns fiquem preocupados por ser a filha de um governante que há mais de 30 anos governa com pulso de ferro, reprime manifestações e onde a corrupção é moeda de troca corrente, quem cada vez mais manda em sectores estratégicos para Portugal.
Longe vão os tempos em que a politica internacional acenava com os direitos humanos, com a liberdade e democracia. Agora, vende-se a EDP e a REN ao Partido Comunista Chinês e Angola é recebida de braços abertos, sem uma palavra, uma critica, sem uma pequena observação. Com o fim da cortina de ferro já não há necessidade de pensar nos povos como forma de impedir o avanço "comunista". Os povos são agora só gado e é o dinheiro que fala cada vez mais alto. Os mesmos que há algum tempo chamavam de ditador, corrupto, assassino e outras coisas do género ao José Eduardo dos Santos são os mesmos que hoje se curvam perante ele no beija mão submisso.

domingo, julho 22, 2012

Políticos. Como os vejo. Miguel Macedo


Ainda o Miguel Macedo nem sonhava em ser Ministro da Administração Interna, noutros tempos Ministro do Interior, já a minha companheira, sempre que ele aparecia na televisão comentava: "Este fulano lembra-me sempre um Nazi". Tenho que concordar com ela e que ele certamente fazia na perfeição o papel de um oficial das SS. 

Manual de Tosquia


Eis um Manual muito em voga na Europa embora muitos críticos afirmem que a violência do modelo apresentado pelo Vitor Gaspar correr o perigo de, ao tirar-lhe a lã, poder matar o animal. É usual dizer-se que quem não quer ser lobo que não lhe vista a pele, mas maior verdade é que quem não queira ser cordeiro que não deixe que lha vistam.


sábado, julho 21, 2012

Mais um casamento por conveniência?


Será que virão a caminho mais abstenções violentas ou inconstitucionalidades sim mas só se forem pela metade?

Sorridente, honesto, carpinteiro....será que é...


Andavam para aí a dizer mal do Sr. Doutor, questionavam a equivalência da 32 das 36 cadeiras e ainda colocavam dúvidas sobre a frequência e avaliação das outras 4. Consegui uma fotografia do seu Exame em que fez mais uma cadeira, não com professor dessa cadeira mas com o Reitor da Lusófona e pela qual em que foi premiado com 18 valores. Vejam lá como foi possível andarem a dizer mal de alguém tão bondoso, tão honesto e ainda por cima um carpinteiro tão bom a fazer cadeiras. Tal tem sido o seu calvário que se agora o pregarem na cruz ainda o promovem a filho de Deus.

sexta-feira, julho 20, 2012

Políticos. Como os vejo. António José Seguro


Sonha em um dia ser um grande bailarino, mas nem sempre sonhar é suficiente, também é necessário ter-se jeito o que não é o caso. Não é com abstenções violentas e inconstitucionalidades só pela metade que lá irá. Fazer o mesmo que os outros tendo como unica diferença o fazer com menos brutalidade não resolve, só prolonga o sofrimento
.

Políticos. Como os vejo. Jerónimo Sousa


Coerente no discurso que há anos se repete incessantemente sem atingir nenhum fim. Tão preocupado com a legalidade de tudo o que faz que acaba por não fazer o que podia e devia. Preso ao sistema que ele próprio condena pelo que acaba por viver no seu seio. 

quarta-feira, julho 18, 2012

Políticos. Como os vejo. Paulo Portas


Como eu sempre vi como o Paulo Portas devia gostar de ser visto*, mas na realidade parece-me muito mais uma "mulher da vida" que uma da realeza.

Um realeza tonta


Confirmando a paz da falta de notícias e as dificuldades de aceder à net a solução que encontrei foi a de tentar publicar bonecos que tenho feitos e guardados à espera de melhor oportunidade. Podem não reflectir o que foi dito ontem no telejornal, mas reflectem muito daquilo que eu pensei e penso delas.

terça-feira, julho 17, 2012

Férias desta merda toda


Chegou a minha vez de ter uns dias de descanso na companhia da minha família e longe da confusão do dia a dia. Longe da televisão, da rádio e pelos vistos quase sem internet. O que isto quer dizer é que terei muita dificuldade de continuar a frequentar a blogosfera e de manter este blog vivo. Vou tentar no mínimo fazer um post diário mas não prometo nada. Umas férias vão-nos fazer bem a todos.
Um abraço a todos
Kaos  

A solução Marcelista para o Dr. Relvas... Marques Mendes


Marcelo Rebelo de Sousa sugeriu, este domingo, os nomes de Marques Mendes  para ocupar o cargo de ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares, considerando que neste momento o Governo tem «um buraco» neste lugar. «Não há ministro da Presidência no Governo e Passos Coelho precisa de um», disse Marcelo sublinhando que o primeiro-ministro deve «encontrar um a sério».
Para ocupar as funções que Miguel Relvas desempenha no Governo, Marcelo sugeriu
Luís Marques Mendes, que foi ministro-adjunto de Cavaco Silva e ministro dos Assuntos Parlamentares de Barroso. Para Marcelo, Marques Mendes estará em vantagem por ter ocupado aqueles dois cargos governamentais, ter sido líder do PSD e «conhecer o que é a coordenação política». 

Oh Marcelo, tu és um cómico. Então dizes que o governo necessita de encontrar um ministro da Presidência "a sério" e propões o Marques Mendes.  Já agora porque não o Santana Lopes ou até o Sócrates que foi da JSD.
O que é preciso mudar não é o Relvas é o governo todo.

segunda-feira, julho 16, 2012

Rigor e exigência


Este Nuno Crato, que vai ficar conhecido no futuro como o Ministro que promoveu o maior despedimento colectivo da história ao deixar de fora no próximo ano mais de 10 mil professores, gosta muito de falar da necessidade de haver um maior rigor e exigência no ensino, com mais avaliações e menos facilitismo. Mas, como sempre é pela boca que morre o peixe a acaba por ser um seu colega de governo que mostra que todo esse discurso é só da boca para fora. Questionado sobre a licenciatura do Dr. Relvas começou por nada dizer, depois que a Universidade em causa seria avaliada dentro do programa de auditorias existente e na data prevista para agora nomear uma comissão que faça essa avaliação com a máxima urgência. Até poderia parecer que estava a tentar esclarecer o que se tinha passado, mas afinal a avaliação pedida é para ver se a universidade acatou as recomendações feitas na auditoria de 2009 quando a licenciatura em causa é de 2006/2007. O que parece que se pretende restaurar é a credibilidade da Universidade Lusófona, (com um bom relatório a mostrar que agora está tudo bem), e não esclarecer o caso da licenciatura. É que isto de rigor e exigência é bom para a escola pública mas pode-se fechar os olhos quando estão em causa interesses privados de amigos e colegas.

Trabalhadores públicos e privados


Segundo Paulo Portas, que participava no Congresso do CDS Madeira, com esta decisão do TC ( que declarou a inconstitucionalidade da suspensão do  pagamento dos subsídios de férias e de Natal a funcionários públicos ou  aposentados), há "um problema político"  que é necessário "procurar resolver com soluções que não são simples nem  são fáceis". "Não será comigo que Portugal vai diabolizar a função pública", garantiu  Paulo Portas, considerando, no entanto: "Temos de saber e entender que,  se o problema de Portugal é défice do Estado, não é justo pretender que  o sector privado tem a mesma responsabilidade de ajudar". 

Temos assistido nos últimos tempos a mais uma campanha para tentar criar uma "guerra" entre quem trabalha para o Estado e quem trabalha para privados. Dividir para reinar é uma velha forma de governar e nisto este governo em nada diverge dos anteriores, A verdade é que todos nós, trabalhemos para o público ou para o privado temos sido vitimas das políticas desumanas e das  medidas de austeridade deste governo. Mas, esta teoria que nos querem impingir cai pela base quando se sabe que em relação aos reformados os cortes não distinguiram publico e privado e todos viram os seus subsídios cortados. Também a desculpa de que os funcionários públicos ganham mais que os trabalhadores do privado não faz sentido quando se sabe que os cortes só se efectuam para ordenados superiores a mil euros. e mil euros são iguais para todos. Também o argumento do Portas, que só vem a Portugal quase exclusivamente para participar em actividades do seu partido, é ridícula, porque se o défice é do Estado isso não implica que tenham sido os vencimentos dos funcionários que o criaram. Um médico no hospital trabalha para o Estado, um professor trabalha para o Estado, um Juiz trabalha para o Estado, um funcionário das finanças trabalha para o Estado e todos eles prestam serviços a todos e não só ao próprio Estado. Quem geriu mal foram quem governou, gente como o Portas que comprou submarinos e carros blindados, quem fez parcerias Público Privadas ruinosas, quem deu tachos a boys e ajudou a enriquecer muitos privados. Se o problema do Portas é atribuir a responsabilidade do défice a quem teve realmente culpa e a quem contribuiu fortemente para isso estamos de acordo. Apontem-se os antigos governantes, os banqueiros, os "merceeiros e trolhas do regime" e cobre-se a eles. Esses sim é que deviam ser chamados a suportar o custo do descalabro das contas públicas e nunca quem sempre trabalhou para patrões, sejam eles o estado ou um privado, no país que desde sempre teve os mais baixos ordenados da Europa.

domingo, julho 15, 2012

Uma posição à PSD


Firmino Pereira, que é vice-presidente do PSD/Porto e da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, defendeu a saída do Governo do ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, por considerar que Miguel Relvas “está a fragilizar a imagem do Governo”.
«O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, Luís Filipe Menezes, avisou o seu vice-presidente de que as críticas feitas por este ao ministro Miguel Relvas “não se podem repetir”. “O militante Firmino Pereira é também vereador da minha Câmara e ocupa provisoriamente um lugar de vice-presidente, na substituição de Marco António Costa”, afirmou.
Segundo Menezes, de um lado tem “um vereador que durante mais de uma década foi um bom trabalhador, efectuou serviços importantes ao serviço do projecto de Gaia e ao serviço do presidente”. Do outro lado afirmou que tem alguém em quem delegou “circunstancialmente um conjunto de obrigações de representatividade” e “que não tem defendido posições públicas que são coerentes com as da maioria dos oito vereadores, dos membros da Assembleia Municipal e com as do presidente da câmara”.
“Feito este balanço, vou ter uma posição à PSD, que é uma atitude ponderada. Já avisei o vereador e vice-presidente da câmara de que por agora manterei as funções que ali ocupa, mas que daqui por diante não poderei tolerar mais que haja dissonâncias em relação às posições institucionais da câmara e do presidente, na medida em que isso é incompatível com o lugar de representação do presidente da Câmara”, anunciou. »
Luís Filipe Menezes manifestou ainda a “total confiança” no ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares e admitiu que este tipo de ataques não o surpreendem, pois “tocar em Miguel Relvas significa tocar no cerne político do Governo”.

São estes aqueles que se dizem defensores da democracia e da liberdade. Como é possível que alguém que tropedeou o lider do seu próprio partido para lhe ocupar o cargo, (e depois ser a vergonha que todos viram), vir ameaçar alguém com  demissão do cargo na Câmara se emitisse opiniões sobre o Relvas por serem diferentes das suas. Já todos tínhamos ficado a saber que o Menezes e o relvas são "amigos", (como prova o caso da nomeação da administração da Metro do Porto), mas utilizar o seu poder para calar opiniões pessoais é demais. Esse tal Firmino Pereira, se tivesse espinha já tinha apresentado o seu pedido de demissão e o Luís Filipe Menezes se vivêssemos numa verdadeira democracia já teria sido demitido pelas suas declarações. Esta gente não tem vergonha nenhuma na cara.

Licenciaturas instantâneas



sábado, julho 14, 2012

O Grande Baile


O Primeiro Ministro Passos Coelho reafirmou a sua total confiança no Ministro Miguel Relvas.

O que quer dizer que sendo tão evidente para todos que a sua licenciatura é uma treta, quando o Miguel Relvas cair o Passos Coelho deveria cair com ele.

Já nem com tachos lá vai


Depois de enfrentar um duro debate do Estado da Nação na Assembleia da República, o primeiro-ministro presidiu esta noite à reunião do Conselho Nacional do PSD para ouvir críticas às suas políticas de austeridade. Porém, o encontro do PSD seria marcado pela ausência de grande parte dos ministros e secretários de Estado, o que obrigou Passos Coelho a puxar dos galões e avisar que essa é uma atitude inaceitável.

A coisa começa a descambar dentro do Governo e já nem a distribuição de tachos começa a evitar o descontentamento dentro do PSD. Este governo começa a dar sinais que o seu fim se aproxima e já há ratos a abandonar o barco.

sexta-feira, julho 13, 2012

Há merda na ventoinha


O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, garantiu no debate sobre o Estado da Nação que o Governo "não está nesta altura a preparar qualquer aumento de impostos" e que recusa "pôr porcaria na ventoinha para assustar os portugueses".

Se não fosse tão triste até dava vontade de rir. Com o descalabro das contas públicas no primeiro trimestre e o chumbo do Tribunal Constitucional aos cortes dos subsídios de férias e Natal aos funcionários públicos e pensionistas para o ano de 2013 não é só previsível como certo que vem aí mais austeridade e com ela mais impostos. A porcaria há muito que foi posta na ventoinha e há muita mais à espera de vez. Com a cagada que este governo tem feito não é de estranhar.



Debate do Estado da Nação



quinta-feira, julho 12, 2012

De volta ao passado


O comissário do Conselho da Europa para os direitos humanos alertou hoje que há crianças portuguesas a emigrar para trabalhar por causa da crise e famílias a retirar idosos das instituições para beneficiar das suas reformas. Os alertas do comissário Nils Muiznieks surgem num relatório que resulta de uma visita a Portugal, entre 7 e 9 de Maio, durante a qual se debruçou sobre o impacto da crise e das medidas de austeridade sobre os direitos humanos. [AQUI]

Enquanto a Comissão Europeia nos impõe a austeridade o Conselho da Europa vem-nos alertar para as suas consequências. Duas Europas, duas visões e nós fomos logo escolher a pior. A pior para nós, porque para os grandes especuladores e para os mercados que controlam a politica europeia estamos no bom caminho. O do seu enriquecimento que  tudo o resto não lhes interessa assim tanto. Ou aceitamos voltar a um passado que tanto queríamos deixar para trás ou então temos de tomar uma atitude e mudar.

Grande Europa


Esta Europa é um espectáculo. Passos Coelho diz que não necessita de mais tempo, mais dinheiro ou de renegociar seja o que for, o Vitor Gaspar veio dizer em Agosto espera que a Troika desaperte um pouco a garrote que tem sobre Portugal por termos sido tão cumpridores, mas o Presidente do BCE já veio dizer que abrandar a austeridade a Portugal seria um mau sinal para os mercados e que isso deve ser evitado. Isto no mesmo dia em que a Espanha vê confirmado pela segunda vez neste ano o aumento do défice para este ano, prolongado por mais uma ano a necessidade de atingir os 3% de défice e trinta mil milhões adiantados do empréstimo à banca. Também no mesmo dia o Messieur Hollande foi visitar a Rainha de Inglaterra e afirmar ao Mister Cameron que defende uma Europa a diversas velocidades. Lá se vai o projecto de uma Europa unida e solidária para alegria da Frau Merkel. Uma Europa unida no controlo do dinheiro dos países mas de costas voltadas quando se trata de sacrifícios, direitos ou pobreza dos outros povos.
 

quarta-feira, julho 11, 2012

Política folclórica


Cargo em grupo de folclore valorizou currículo de Relvas. Um currículo invejável o deste Sr. Doutor num processo de doutoramento exemplar. Sem parecer do Conselho Cientifico, sem notas, sem nada mas com uma licenciatura de excelência. Talvez isso explique porque a sua palavra deve ser vista como algo de sagrado. Vai ao Parlamento e proclama que o caso das pressões sobre os jornalistas do jornal Público está encerrado e sente-se ilibado em toda a linha pelo relatório da ERC embora este diga que a sua actuação deve "ser objecto de um juízo negativo do plano ético e institucional". Mas se o Sr. Dr. Relvas diz está dito.

A Cadeira


Cavaco Silva recebeu, hoje, numa cerimónia na Presidência da República, uma cadeira personalizada concebida pelo designer Paulo Lobo, austera e de trabalho, conforme pediu o presidente.

Como manobra de markting para a fábrica de cadeiras parece-me uma publicidade bem concebida, já quanto à cadeira não sei se não preferia ver o Sr. Silva sentado numa semelhante a uma outra, de que em tempos, um salazarento "Botas" caiu. Também era austera e de trabalho.

terça-feira, julho 10, 2012

Mon amie Hollande


François Hollande e Angela Merkel, todos sorrisos e linguagem corporal a denotar bom entendimento, juntaram-se em Reims para festejar os 50 anos do pacto de reconciliação franco-alemã.
“A nossa amizade inspira a Europa. Não queremos dar lições. Queremos simplesmente dar o exemplo”, disse Hollande.
“A Europa é bem mais do que uma moeda, e a relação franco-alemã é neste aspecto incontornável. Marcou de forma muito forte a unificação europeia, e fê-la progredir”, disse Merkel. “Mas não é uma relação exclusiva, convida quem quiser a associar-se-lhe”.

Este Hollande mal lhe prometeram a divisão da Europa já esqueceu as criticas que fazia à politica europeia e já alinha com a Frau Merkel. Ainda o vamos ver falar alemão.

Este nem com missas se safa com os médicos


O ministro da Saúde tinha convocado para este domingo à tarde uma reunião com os sindicatos dos médicos. Um encontro a que os dirigentes já tinham avisado no sábado à noite que não iriam comparecer. O Sindicato Independente dos Médicos (SIM) e a Federação Nacional dos Médicos (FNAM) não gostaram de ouvir o ministro da Saúde admitir o recurso a uma requisição civil. A greve vai mesmo ter lugar nas próximas quarta e quinta-feira.
O ministro Paulo Macedo deslocou-se à sede do Ministério da Saúde pouco depois das 15 horas, como havia estabelecido para a reunião com os representantes dos médicos, para sair três horas depois, sem chegar a reunir com os sindicatos.

Já estava na hora de haver um sindicato com poder e tomates para meter esta gente na ordem. Já chega de chantagens e ameaças a todos os sindicatos que falam em fazer greves pelos seus direitos e para se defenderem dos roubos em que este governo se tornou especialista. Se todos os trabalhadores se unissem e parassem este país este governo tinha de rever as suas politicas. É que um país são as pessoas que o compõem e esta gente anda muito esquecida disso assim como essas pessoas também parecem necessitar de voltar a aprender que o país é seu.

segunda-feira, julho 09, 2012

A Caravana portuguesa


Triste alternativa


O António José Seguro sempre me pareceu ser uma personagem errada, no momento errado, por ser uma cópia barata do Sócrates e demasiado parecido com o Passos Coelho para lhe ser alternativa credível. São todos demasiadamente iguais no percurso e na forma como chegaram à liderança dos seus partidos. Vieram das juventudes partidárias, onde fizeram a sua aprendizagem politica, com todos os defeitos e vícios que isso cria, só chegaram ao poder quando as alternativas estavam esgotadas e, mesmo assim, por serem homens do aparelho que durante anos manobraram as estruturas dos respectivos partidos. Sem ideias nem ideais tudo o que ambicionam é o poder.
Sendo assim que alternativa é o Seguro? Basta ver as suas posições, a sua abstenção violenta para se perceber que nenhuma. Andou a defender que só se deveria ter cortado um dos subsídios para se mostrar mais simpático que o governo sem ver que com isso apoiava a ilegalidade que agora o Tribunal Constitucional veio provar. Vem agora defender que a solução para o país é prolongar o "reinado" da Troika por mais uma ano como se isso resolvesse alguns dos problemas do país; desemprego, recessão, um país submisso ao grande capital especulador e sem uma economia produtiva que lhe permita libertar-se das amarras com que o tornaram dependente. Não apresenta soluções, só criticando sem ter uma resposta alternativa que não seja o prolongamento da agonia. Não questiona as soluções nem combate as ilegalidades, simplesmente tenta torná-las mais "cor-de-rosa". Uma nulidade que mesmo assim ainda corre o risco, ou melhor nos faz correr o risco, de um dia chegar a Primeiro-ministro. Mais do mesmo para que tudo fique na mesma.

domingo, julho 08, 2012

Com as orelhas a arder


Já nem dentro do PSD há quem não faça piadas com a licenciatura do Relvas. Dos comentadores, aos jornais e às redes sociais as imagens e as anedotas não param. Depois do caso da espionagem, das secretas, da ameaça aos jornalistas e agora da licenciatura só a sua ligação estreita aos interesses dos poderes económicos que sustentam este governo, (e segundo alguns o aventalinho) impedem a sua queda. Só falta saber até quando.
Pessoalmente estou-me nas tintas para que o homem seja dr ou engenheiro e parece-me bem mais grave tanto a sua participação no caso das secretas e/ou também nas pressões e ameaças sobre a Comunicação social, embora este caso da licenciatura mostre bem a idoneidade que representa que é este personagem. Se tivesse vergonha na cara já há muito tinha pedido a demissão, se tivéssemos um Primeiro-ministro com alguma dimensão politica há muito que o tinha demitido, e se tivéssemos um Presidente digno desse cargo há muito que a tinha exigido. Mas este é o país que somos e estes os políticos que temos.

Um par de patins é o que lhe faz falta




Questionado sobre se não está hoje arrependido de não ter pedido a fiscalização preventiva da norma agora considerada inconstitucional pelo Tribunal Constitucional (TC), Cavaco Silva respondeu com outra pergunta, a da razão que terá levado a que nunca nenhum Presidente da República tenha submetido normas do OE à fiscalização preventiva. "Porque terá acontecido? Talvez porque se um Presidente da República mandasse para o Tribunal Constitucional para fiscalização preventiva, a declaração de inconstitucionalidade de uma simples alínea inviabilizaria totalmente o orçamento. Deixava de haver orçamento", disse.

Ou talvez porque nunca nenhum Presidente da Republica anterior tenha tido um Orçamento de Estado cheio de inconstitucionalidades. Talvez porque nenhum outro governo tenha desprezado tanto a Constituição como este que age como se ela nem existisse e tivesse um Presidente da Republica tão abananado.
A desculpa deste Sr. Silva mostra que não tem nem estatura moral nem institucional para ocupar o cargo. O seu primeiro dever como Presidente da Republica é cumprir e fazer cumprir a Constituição. Fez um juramento solene em que o faria e afinal nunca vetaria um orçamento por mais inconstitucionalidades que contenha. Que confiança dá uma personagem destas? Eu digo, nenhuma. Demita-se.

Partilhe