sexta-feira, Agosto 31, 2012

Défice de honestidade?


O ministro das Finanças Vítor Gaspar revelou à troika que o défice este ano vai derrapar para 5,3%, ou seja 1,2 mil milhões acima do previsto.

Afinal para que serviu o "custe o que custar", a destruição da economia, a austeridade, o desemprego, os impostos se no fim nem aquilo que era a meta é atingido. Nem com as privatizações, com a invenção dos "buracos colossais" o conseguiu fazer. Muitos andam há um ano a avisar das consequências desta politica económica e a dizer que assim não seria possível cumprir.
Se o Ministro não o sabia devia demitir-se por incompetência, se o sabia e insistiu no modelo então devia demitir-se por faltar à verdade.


Relvas foi a Timor



O pobre do Miguel Relvas anda de quarentena e não pode aparecer em público não vá alguém mandá-lo estudar. A solução passou por mandar o moço de pago a  preço de ouro, António Borges, fazer o frete de falar da nova Parceria Público Privada para a RTP e resolveu fazer uma viagem até Timor. Teve foi a pouca sorte que a sua fama de licenciado em equivalências já deu a volta ao mundo e quando lá chegou já tinha uma faixa afixada na parede do Hotel a dizer-lhe, "vai estudar Relvas". Mas o homem é multifacetado e não deixou de ganhar créditos para mais duas licenciaturas quando voltar a Portugal, uma de Piloto pelas horas de voo e uma outra em Poesia por ter afirmado que "porque aquilo que nos une a todos é a língua e a língua é o petróleo desta relação, é o que nos dá força, é o combustível desta relação e nós temos de continuar nesse caminho". Amanhã já vou falar com o meu depósito de gasolina e se não surtir efeito quem sabe lá coloque os Lusíadas que fica mais barato que ir à bomba. 

quinta-feira, Agosto 30, 2012

A bonecreira eo fantoche


Pensei fazer uma marioneta para representar a forma submissa e de lambe botas como o Passos Coelho se comporta perante a Troika que é o mesmo que dizer perante a Heer Merkel. Só depois de fazer o boneco é que percebi, ele nem chega a ser uma marioneta pois não passa de um fantoche.

Troika nossa que estás em Lisboa


De acordo com Marcelo Rebelo de Sousa, esta quinta avaliação pode ser uma de duas situações (mais austeridade ou mais tempo) e falou de formas “imaginativas”. A imaginação humana, quer a portuguesa, quer a europeia é ilimitada”, sublinhou. “Se eu fosse ao Governo não pedia coisa nenhuma, dá sempre péssima impressão, estar a pedinchar é a pior coisa que se pode fazer para conseguir alguma coisa. Deixar à ‘troika’ que é constituída por gente inteligente, o perceber o que é preciso fazer se for preciso fazer”, disse.

Concordo quando diz que não devíamos pedir mais tempo ou mais dinheiro, devíamos simplesmente informar a troika das nossas decisões e da forma que estaríamos dispostos a pagar o empréstimo. Todos sabemos que, aproveitando as dificuldades que estamos a passar, muitas delas criadas,  incentivadas e impostas por eles, estamos a ser vítimas de um assalto colossal dos Mercados e dos Senhores do Mundo dispostos a sangrar o país até ao fim. Todos sabemos que esta gente se está nas tintas para os Portugueses, assim como para os Gregos, Espanhóis ou outro qualquer que consigam abocanhar pelo que a solução não é a resignação mas sim mostrar que não nos subjugamos à sua ditadura financeira. Somos um país e um povo soberano e não podemos aceitar que três Zé Ninguém aqui desembarquem e decidam o nosso futuro. Não aceitamos negociar com moços de recados e só nos sentaremos à mesa em igualdade de direitos e de soberania. Juntos, Portugueses, Gregos, Espanhóis, Italianos, e todos os que se desejarem juntar para combater e ditadura dos mercados encontraremos certamente melhores soluções que aquela que esta escumalha nos oferece. Quanto ao Professor martelo pode muito bem ir fazer crónicas para um qualquer televisão alemã ou participar nas Universidades da Juventude Merkleniana que nós agradecemos.

quarta-feira, Agosto 29, 2012

Tudo em nome da austeridade...dos outros


Pequenas notícias que alegraram o dia:

- Os membros dos gabinetes ministeriais não podem "ser prejudicados nos seus direitos, regalias, subsídios e outros benefícios sociais de que gozem na sua posição profissional de origem", pelo que quem recebeu o pagamento de férias em 2012 poderá também vir a receber o subsídio de Natal.

- Quando o Governo decidiu converter o Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público (IGCP) em empresa, no início de Junho, o Ministério das Finanças garantiu que tal alteração não iria aumentar a remuneração dos administradores. No entanto, os estatutos da entidade, publicados em Diário da República, mostram o contrário. Em vez de ficarem limitados ao salário do primeiro-ministro, os três gestores vão ter direito à média de vencimentos que auferiram nos últimos três anos.
 
- Os políticos estão a receber este ano mais dinheiro por mês em relação a 2011, apesar dos cortes de subsídios e de salários que foram aplicados no decorrer deste ano.
A subida média nos salários dos governantes e dos deputados foi de 81 euros. A remuneração média dos representantes do poder legislativo passou de 5605,5 para 5686,6 euros (uma variação de 1,5%) e que, de acordo com o ministério das Finanças, pode ser explicado pela atribuição de factores variáveis nos seus salários, como é o caso de subsídios de deslocação. A verdade é que no final do ano, este acréscimo salarial vai corresponder a dois mil euros.
 
Todos os dias somos "surpreendidos" por notícias como estas e ainda há portugueses que se sentem culpados por terem sido demasiadamente esbanjadores por terem vivido com os salários mais baixos da Europa. Há ainda quem acredite que os sacrifícios são necessários e estão a ser distribuídos igualmente por todos e que só assim poderemos pagar uma divida pela se sentem responsáveis. Que mais factos necessitam para ver que andamos a ser roubados e espoliados nos nossos direitos e vidas, que andamos todos a apertar o cinto para que outros possam encher mais o bandulho?

Pobres mas de espírito


Todos se devem lembrar de quando o Sr. Silva que era de Boliqueime mas agora prefere a Quinta da Coelha, quando foi informado de que haveria um corte dos subsídios de férias e Natal e de 10% nos salários dos trabalhadores do Estado e nos pensionistas, ter vindo afirmar que assim ele e a sua Maria não teriam dinheiro para pagarem as suas despesas. (Queixa desnecessária pois como os Administradores de muitas empresas públicas, assessores do governo e os funcionários e pensionistas do Banco de Portugal ficaram isentos desses sacrifícios).

Vem esta introdução porque agora chegou a vez de ser um deputado do Congresso Nacional espanhol, Guillermo Collarte, 58 anos, que se queixou de estar a passar as "Canutas" (em tradução livre, estaria a "Passar as Passas do Algarve") apesar de ganhar mais de cinco mil euros por mês. Guillermo afirmou em entrevista, ao jornal La Voz de Galicia, que estava a sentir dificuldade para fazer face a todas as despesas pessoais. As palavras do deputado do PP provocaram indignação e polémica nas redes sociais.
Cá como lá são os políticos que desacreditam a própria politica e que provam a necessidade de se mudar este sistema e esta democracia que já não nos representa. Está na hora de exigirmos uma democracia mais verdadeira, participativa e directa. Com gente como esta não vamos lá.

terça-feira, Agosto 28, 2012

Gasolina derramada


Com as gasolineiras gananciosas, (a Galp aumentou os seus lucros em quase 60% no primeiro semestre do ano), com uma entidade reguladora ou incompetente ou em compadrio e com um Ministro da Economia incompetente perante um Ministro das Finanças também incompetente e insaciável o preço da gasolina e do gasóleo não vai parar de subir. Ganham as gasolineiras, ganha o governo nos impostos lixa-se a economia, o país e todos nós.

Para ver na RTP



segunda-feira, Agosto 27, 2012

O Astro que nos entra casa dentro


Engana-se ou engana-nos todos os dias e mesmo assim mantêm as mesmas politicas. É mentiroso ou incompetente por não acertar uma previsão orçamental que faça e mesmo assim mantêm-se no governo. Pagamos nós com mais impostos, mais recessão, mais austeridade precariedade e desemprego.
Se esta gente é tão amante das avaliações de desempenho pois que se lance uma avaliação popular aos resultados, à competência e à honestidade deste ministro e se for negativa corra-se com ele. Ou só quando todos andarmos à pancada para chegarmos aos caixotes de lixo (da Quinta da Marinha ou da Coelha porque os outros estarão vazios) é que correremos com esta gentinha que não mostra qualquer respeito por quem vive neste jardim à beira mar plantado. É que realmente We Habe Chaos In The Garden.

Vai trabalhar...vagabundo


Os beneficiários do Rendimento Social de Inserção (RSI) serão obrigados a prestar trabalho social, até 15 horas semanais. Pedro Mota Soares, ministro da Solidariedade e Segurança Social, esclareceu que esta ocupação terá até 15 horas semanais, as quais serão distribuídas, no máximo, por três dias úteis, não podendo, ainda, ultrapassar as seis horas diárias. Farão parte deste trabalho social tarefas como a limpeza de espaços exteriores (por exemplo, jardins); a conservação e recuperação (com pequenas obras) de instituições sociais; a ajuda na realização de eventos culturais; o apoio às redes de bibliotecas, arquivos e museus municipais; entre outras. Tudo, enfim, o que se possa enquadrar no conceito de “actividade socialmente útil”.

Depois de descobrir que podia duplicar a capacidade dos lares de idosos se colocasse mais uma cama em cada quarto e a capacidade das creches se duplicasse o número de crianças por sala encontrou agora forma de arranjar mão de obra ainda mais barata. (15 horas semanais x 4 semanas = 60 horas para receberem 90 euros por mês ou seja 1,5 euros por hora). Por outro lado também gostava de saber qual é o conceito de "actividade socialmente útil", pois se fazer limpezas ou tratar de jardins públicos o é certamente, não duvido que ser professor, enfermeiro, médico, maquinista ou polícia também o são. Porque não substitui-los também por beneficiários do RSI?
Nada tenho que quem recebe o RSI tenha de cumprir requisitos para ter direito a ele. Formação profissional, obrigação de integrarem os filhos na sociedade, obrigação de aceitarem empregos quando surgissem e até pequenas colaborações pontuais em autarquias. Assim o que vão conseguir é substituir empregos por trabalho comunitário e, se esse trabalho faz falta então ofereçam um emprego aos beneficiários do RSI. Isso sim, seria reintegrá-los.

PS: Antes que apareçam por aqui os anónimos a dar exemplos de casos de abusos no RSI para contestarem a sua existência lembro que também há ministros que são doutores por equivalência e outros que adoram submarinos, banqueiros que roubam, autarcas que têm primos na Suíça e outros que fogem para o Brasil e empresários que fogem ao fisco e por isso ninguém sugere a sua extinção.

domingo, Agosto 26, 2012

Os 3 estarolas desembarcam em Lisboa


Estes três estarolas vão chegar a Portugal para fazerem mais uma avaliação de como decorre o cumprimento do plano da Troika. Três funcionários que vêm de um qualquer gabinete do FMI e que vão desembarcar em Portugal para nos dizerem se vamos ter de aplicar mais austeridade, se vamos ter de cortar mais salários, que "anéis" temos de vender e quantos mais portugueses devem ficar desempregados ou sem acesso à saúde. Três personagens que ninguém elegeu que chegam a um país que se diz soberano, um país com séculos de história e onde tantos morreram em defesa da sua independência, e que nos vão dizer como temos de governar e quanta miséria e fome temos de sofrer para que alguns agiotas  possam engordar. Tudo em nome de um empréstimo para pagar o dinheiro que alguns embolsaram e agora nos dizem ser culpa nossa. Um empréstimo de muitos mil milhões que dizem ser culpa de quem ganhava o ordenado mínimo mais baixo da Europa, de quem sempre viveu com dificuldades para fazer o salário chegar ao fim do mês enquanto meia dúzia engordava com BPN's, parcerias e outras roubalheiras
A dívida é nossa e dizem que temos de aceitar pagá-la, mas também nos dizem que nada vai mudar pelo que não temos a mínima garantia que mais dia menos dia não nos apresentem uma nova factura de um novo empréstimo feito em nosso nome sem que para isso nos peçam sequer a opinião. Vamos continuar a deixar que alguns aldrabões continuem a fazer dívidas em nosso nome? Até quando?

Subsídios há muitos...seus palermas

 

Alguns assessores do Governo contratados e pagos pelos gabinetes ministeriais no sector privado receberam o pagamento do subsídio de férias.  Contrariamente a todos os outros funcionários públicos, que viram o subsídio de férias a ser retirado, alguns assessores receberam o pagamento pelas férias adquiridas e vencidas em 2011.
 
Podia começar este post de muitas maneiras. Por exemplo dizendo que se o Natal é quando o homem quiser então também o Vitor Gaspar considera que pode ser Pai Natal quando quiser.  Ou podia falar de portugueses de primeira, os governantes, os seus assessores, os gestores da CGD ou os funcionários e pensionistas do Banco de Portugal e de segunda que são os funcionários públicos, os professores, os médicos, os enfermeiros, os trabalhadores de empresas públicas e muitos outros, em que uns recebem os seus subsídios de férias e Natal como recebiam todos os anos enquanto aos outros é roubado inconstitucional mente.  Podia chamar mentiroso a este governo, primeiro por ter mentido na campanha eleitoral dizendo que não ia cortar nos subsídios depois por ter negado esse pagamento aos boys que ia contratando para assessores, chefes de gabinete ou até motoristas quando o Diário da Republica publicava as suas contratações com direito a esses subsídios. Podia começar este post de qualquer uma destas maneiras ou até de outra qualquer assim como o podia vir a acabar chamando-lhes aldrabões, ladrões, mentirosos, filhinhos da mãe deles mas parece-me que só a notícia e o que ela representa é suficiente para não ter de fazer post nenhum.

sábado, Agosto 25, 2012

Está na hora de ser lobo


Todos os dias, quer seja nos blogues, nas redes sociais ou nos cafés, transportes, um pouco por todo o lado se ouve a indignação contra a roubalheira e o compadrio que este governo representa e contra estas politicas que conduzem o país à miséria e os portugueses ao desespero da precariedade no trabalho,  no desemprego e na vida. Todos dizem que isto assim não vai lá e que é necessário correr esta escumalha toda a pontapé (os mais moderados). Todos dizem, mas todos olham para o lado à espera de ver quem o vai fazer, à espera de um qualquer Dom Sebastião ou talvez de um milagre. O vizinho do lado também está a olhar para o lado, o Dom Sebastião há muito que é poeira nos desertos bem a sul do Rio Tejo e o melhor mesmo é deixarmos os milagres para Fátima. A solução não passa por olhar para o lado mas olhar em frente e assumirmos cada um de nós os nossos destinos nas nossas mãos.
Quando vou a uma manifestação contra o desemprego e a precariedade e estão lá três mil pessoas como é possível mudar seja lá o que for? Quando vou a reuniões de indignados e somos vinte ou trinta pessoas a discutir alternativas que deveriam ser debatidas e decididas por todos como podemos apresentar soluções?
Só, como agora está na moda dizer, saindo do nosso espaço de conforto e participando activamente na busca das alternativas e na ocupação das ruas exigindo a mudança poderemos ser donos do nosso futuro. Há reuniões de indignados um pouco por todo o lado, (onde não houver criem-nas), há um movimento global que há mais de um ano tenta incorporar essa necessidade de mudança e dar-lhe corpo. O que faz falta é que todos assumamos a nossa responsabilidade na sua forma e no seu conteúdo. Vamos todos juntar-nos e fazer a diferença. Vamos ocupar os parques, as ruas e exigirmos um mundo melhor, mais justo, mais solidário e não um em que uns que podem querem e mandam têm tudo e outros quase nada.
Não olhes mais para o lado, olha em frente e faz a diferença. Afinal está tudo nas tuas mãos.

Um filme feito para televisão


O Governo terá decidido concessionar todo o serviço público de televisão, por um período de 15 a 25 anos, entregando o primeiro canal da RTP a um privado e fechando o segundo canal.
António Borges, que coordena a responsável pelo processo de privatizações, classificou ainda esta hipótese de «muito atraente sob vários pontos de vista, porque significa que não se vende a RTP e mantém na propriedade do Estado, mas entrega-se a um operador privado que tem provavelmente melhores condições para gerir a empresa como normalmente acontece».

No dia em que se noticiou que a execução orçamental está a derrapar havia necessidade de fazer algum ruído e foi escolhido este personagem, que todos afirmavam ser uma sumidade mas que acabou corrido de todos os cargos internacionais que ocupou, para o fazer. É o fim da televisão pública mas em mais uma "parceria público privada", em que quem ficar com o canal 1 arrecada, no mínimo, a taxa que todos pagamos na conta da electricidade e quem sabe que mais compensações. O canal 2, aquele que realmente tem alguma qualidade e faz algum serviço público extingue-se. Resumindo, vou continuar a  pagar um canal de televisão só que em vez de pagar um público passo a pagar um privado. 

sexta-feira, Agosto 24, 2012

Já cheira mal


Execução Orçamental abre a porta a novas medidas de austeridade. A receita fiscal do Estado caiu 3,5 por cento entre Janeiro e Julho deste ano, quando comparada com o mesmo período de 2011, de acordo com os dados revelados esta quinta-feira no Boletim de Execução Orçamental da Direção-Geral do Orçamento. Só em impostos indirectos a quebra foi de 4,7 por cento. São números que comprometem a meta de 4,5 por cento para o défice negociada com a troika e que abrem a porta a medidas adicionais de consolidação ainda este ano.

Puxe-se o autoclismo que esta merda já cheira mal.

Uma boa alternativa de negócio


Dois irmãos de Rye Brook, no estado de Nova York criam papel higiénico que vem com anúncios impressos:

Esta notícia cheirou-me logo mal e facilmente entendi porque até hoje ninguém tinha tido esta ideia de merda. É que se eu pretendesse anunciar um qualquer produto não ia desejar que andassem todos a limpar os seus ânus sujos nele. Mas, a ideia até podia ser aproveitada  e transformar um produto que só pode ser um desastre comercial num êxito. Substituam os anúncios pela cara dos nossos políticos que nos governam e não haveria ninguém que não desejasse sujar-lhes as "trombas" com "cócó". Já que só fazem merda então seria uma boa forma de sublimar o desejo de os mandar directamente à dita cuja.

quinta-feira, Agosto 23, 2012

O bueiro de Portugal



16 casais por dia ficaram desempregados em Julho. De acordo com os dados recolhidos pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional , em Julho deste ano, face ao mês homólogo, há mais 4.388 casais (um aumento de 99,3 por cento).

A dívida das administrações públicas aos bancos portugueses subiu em mais de 10 mil milhões de euros no primeiro semestre, de acordo com os dados hoje divulgados pelo Banco de Portugal no Boletim Estatístico.

O Governo já admite arrecadar quase menos três mil milhões de euros em impostos face ao que está previsto no Orçamento Rectificativo, um valor que representa menos 8,5% de receita do que aquele que estava previsto.

Escolhi só três notícias de uma lista quase infindável que provam o falhanço destas políticas e a destruição da economia e da vida dos portugueses. Como este governo não se mostra com o mínimo de vontade de mudar essas políticas cabe-nos a nós exigi-lo e promover essa mudança. Cada dia que passa é um dia perdido e maiores dificuldades para o futuro.

Ensino Crato-profissional


«Os nossos planos são chegar a 50 por cento ainda este ano, do ensino secundário. Pretendemos que os jovens escolham as suas carreiras e acreditamos que chegar aos 50 por cento na parte da escolaridade obrigatória no ensino profissional é um objectivo que faz sentido para o país», disse Nuno Crato, ministro da Educação, à saída da reunião que os membros do Governo realizaram esta terça-feira com os parceiros sociais.

Nada tenho contra quem seja electricista, canalizador ou cozinheiro, antes pelo contrário respeito-os muito mais que qualquer licenciado com o curso feito com mais equivalências que exames ou que de um ministro incompetente, mas há aqui duas questões que convêm esclarecer. A primeira é como pensa o governo, num toque de mágica, atingir esse número num ano. Vai iniciar campanhas de lavagem cerebral aos alunos do secundário para que essa seja a sua opção? Vai fazer avaliações tão exigentes que metade se vê sem outra possibilidade que optar por essa via?
Já a segunda questão é a de saber qual a aposta de desenvolvimento que se deseja para o país. Até agora todos falavam e foi feita uma clara aposta na qualificação dos nossos jovens, nas novas tecnologias e na inovação. O que parecem desejar agora é criar mão de obra menos qualificada para abastecer um mercado de trabalho de baixos salários. Olhando para as politicas de empobrecimento dos portugueses essa parece ter sido claramente a via escolhida. resta saber se esse é também a escolha dos portugueses.

quarta-feira, Agosto 22, 2012

O Rei bobo da Coelha


Hoje, por razões tristes e até traumatizantes da minha vida pessoal  não estou com vontade de dizer nada. Fica por isso mais um boneco da pasta com a colecção dos que aguardam melhor ocasião ou oportunidade para serem publicados. Neste caso o Rei bobo da Quinta da Coelha.

O Santinho do Largo do Caldas


Paulo Portas afirmou, durante a cerimónia no Museu da Electricidade, em Lisboa, que formalizou o financiamento de mil milhões de euros do China Development Bank à eléctrica portuguesa, que "Portugal quer ficar na vanguarda da relação com a China", e que "Portugal fará na Europa o que trouxer à Europa fora dela".

Presunção e água benta cada um toma a que quer, mas o que me preocupa é que são mais mil milhões que qualquer dia me vêm dizer que estou a dever e que tenho de pagar.

terça-feira, Agosto 21, 2012

Eram térmitas mas já é caruncho


O líder do PSD-Madeira, Alberto João Jardim, considerou que foi o Governo Central, de coligação PSD/CDS-PP, a dar o primeiro passo de separatismo ao remeter ao arquipélago o pagamento da sua dívida. "Quando um Estado como Portugal diz 'amanhem-se lá na Madeira e paguem o que fizeram', está dado o primeiro passo de separatismo, mas quem deu o passo foi o Governo de Lisboa".

Dê-em lá a independência ao homem e não se pensa mais nisso.

O Punk Gay Russo


O Tribunal Supremo de Moscovo não volta atrás. A celebração do orgulho gay na capital russa está proibida nos próximos 100 anos, repetiu o tribunal municipal nesta sexta-feira, após o recurso interposto pelo defensor dos direitos dos homossexuais, Nikolai Alexeyev.  

Na Rússia quem se manifeste contra o Putin, (filho da Putina), pode ter quase a certeza que acaba preso, com a cabeça partida ou as duas coisas. Quem lhe seja oposição não está livre de desaparecer ou aparecer assassinado. É assim que funciona este regime a quem também dão o nome de democracia (tem as costas muito largas a democracia).
Chegam agora mais duas noticias do país dos Czares, a condenação à prisão do grupo Punk anti-Putin "Pussy Riots" por terem cantado numa igreja e a proibição do Tribunal de Moscovo da celebração do orgulho gay durante os próximos 100 anos. Finalmente pode o Ocidente ficar feliz pois tem agora a Democracia e os direitos humanos porque tanto berraram na altura em que a Russia ainda era chamada de União Soviética.

segunda-feira, Agosto 20, 2012

Estrada para o paraíso


Em plena Silly Season em que uns descansam a pensar como nos vão lixar já em Setembro e outros a pensar como vão conseguir pagar as contas, as noticias estão cheias de futilidades e só por isso se compreende o destaque que foi dado ao discurso do Pontal do Passos Coelho e à sua piada de que Portugal começaria a crescer já em 2013. Muitos já vieram afirmar não acreditar nessa possibilidade, mas vendo bem há sempre uma alternativa para tornar isso possível. Se daqui até ao fim do ano conseguir acabar com toda a produção nacional em 2013 basta fazer um fosforo que já passaria a haver crescimento.É um pouco como acabar com o aumento de desempregados despedindo toda a gente pois a partir dai as estatísticas já não podiam mostrar um aumento do desemprego. Bastava ao Passos Coelho contratar alguém para lhe engraxar os sapatos e até veríamos as estatísticas a mostrar um inversão na tendência com a diminuição do desemprego.  E, por este andar corremos mesmo o perigo de chegar a 2013 num estado em que não podemos piorar mais. O Passos Coelho aponta-nos uma estrada para nos levar ao paraíso já no próximo ano, mas todos sabemos que no fim dela estará o inferno para todos os que não forem banqueiros, administradores dos grandes grupos económicos, motoristas do Paulo Portas, amigos de algum governante ou boy do partido.

O jogo orçamental


De dia para dia diminuem as hipóteses do PS se abster no Orçamento do Estado para 2013. O discurso de Passos Coelho na rentrée do PSD, deu mais um contributo nesse sentido. A hipótese, nomeadamente,  de o Governo avançar com mais uma sobretaxa sobre "a generalidade dos portugueses" como resposta ao acórdão do Tribunal Constitucional que inviabilizou novo corte do 13º e no 14º meses a funcionários públicos e pensionistas é recusada pelos socialistas, que continuam a defender outro caminho que não o da austeridade. 

Cá por mim isto ainda acaba em mais uma abstenção violenta e, infelizmente, a democracia que temos não nos dá qualquer direito de opção que não seja sofrer os resultados de mais um orçamento desastroso para o país e para os seus cidadãos. Exigir mais democracia e mais participação é essencial e urgente.

domingo, Agosto 19, 2012

Um filme animado para animar a tarde de domingo



A três meses da convenção e 13 anos depois da sua fundação, o BE prepara-se para renovar o núcleo dirigente e trazer para a primeira linha os dois deputados eleitos pelo Porto: João Semedo e Catarina Martins. Em declarações ao PÚBLICO, Louçã assumiu esta hipótese, classificando-a como “de grande consenso”, que une “a capacidade de diálogo” do médico Semedo e “a renovação geracional” da actriz Catarina Martins. Explicou que uma liderança bicéfala é mais indicativa do trabalho colectivo e, ao contemplar um homem e uma mulher, representa “a sociedade tal como ela é no século XXI”.»

Sempre será uma alteração esta de uma liderança bicéfala  após uma liderança que tantas vezes foi acéfala.

Um pecado original


O preço da gasolina e do gasóleo vai voltar a aumentar na próxima semana, entre dois a três cêntimos, com o diesel muito próximo da barreira dos 1,5 euros por litro, o que seria um novo recorde.

Há semanas que a gasolineira e o gasóleo não param de aumentar como já tem acontecido tantas vezes. Como das outras vezes, quando se começar a falar muito disso na internet e as televisões começarem a fazer reportagens com os automobilistas nas bombas, vamos ter uma semana ou dias em que o combustível baixará um ou dois cêntimos para depois aumentar durante mais quatro ou cinco. O petróleo já esteve mais caro mas o preço dos combustiveis em Portugal continua a bater recordes.
Ainda me lembro quando qualquer aumento era considerado uma tragédia para a economia nacional e para as empresas. Agora, com o governo a ser um dos beneficiários por receber mais impostos com o aumento dos preços, com as gasolineiras a aumentarem os seus lucros, (a Galp aumentou os seus lucros nos primeiros seis meses do ano em 59%) ninguém põe um travão a isto.

sábado, Agosto 18, 2012

Tadinhos dos Banqueiros


«A remuneração que BCP, BPI e CGD vão pagar ao Estado pelo apoio público concedido através de instrumentos de capital contingente ("CoCos") vai ser dedutível na factura fiscal que estas instituições terão de suportar ao longo dos próximos anos. No total, os três bancos poderão abater mais de 400 milhões de euros aos seus encargos com impostos, o equivalente a um quarto dos custos totais que terão com a ajuda estatal nos próximos cinco anos e que podem ascender a mais de 1.650 milhões. »

Como há quem tenha muito mais arte para dizer o que me apetecia dizer deixo aqui um texto do blog "O Jumento".
Tenho pena dos nossos queridos banqueiros, foram eles as grandes vítimas da orgia de consumo dos tesos, dos abusos de Sócrates na noite longa da asfixia democrática quem em bom tempo acabou graças ao 25 de Abril do movimento dos Relvas. Compreende-se que sejam os contribuintes a financiar o aumento de capital e a suportar os juros como o nosso Gasparzinho muito bem decidiu. 
Tadinhos dos nossos banqueiros que foram abusados por um insaciável Sócrates que os obrigou a baixar as calcinhas e comprar dívida soberana portuguesa. Aliás, a taradice de Sócrates era tanta que tinha um verdadeiro fetishe pelas dívidas soberanas que ainda os obrigou a comprarem outras dívidas, como a grega. 
Tadinhos dos banqueiros que eram obrigados a dar cartões Visa a torto e a direito, eram ameaçados por clientes pobres que tinham perdido a vergonha e que quando queriam consumir acima das suas possibilidades e a juros dignos de proxenetas forçavam os banqueiros a fazer horas extraordinárias abrindo banquinhas de cartões de crédito nos corredores dos hipermercados. 
Tadinhos dos nossos banqueiros, foram obrigados a instalar-se na Zona Franca da Madeira para transformarem os impostos de que o país precisava em dividendos para distribuir pelos seus accionistas. 
Tadinhos dos nossos banqueiros que foram obrigados a corromper-se, a empregar ex-políticos e familiares de dezenas de altos quadros da Administração Pública a troco de favores e negócios que nunca pediram. 
Tadinhos dos nossos banqueiros que foram forçados a manter uma das bancas mais permissivas a branqueamento de capitais, como foi defendido por algumas polícias e organizações internacionais. 
Tadinhos dos nossos banqueiros a quem os consumidores pobres gulosos e insaciáveis forçaram a desviar o crédito à actividade industrial para crédito ao consumo e à habitação. 
Tadinhos dos nossos banqueiros que foram forçados a financiar contra a sua vontade as grandes obras públicas promovidas pelo Estado. 
É por terem sido vítimas de tanta injustiça que o mesmo governo que cortou subsídios a funcionários e pensionistas, muitos deles já falidos, vem agora dar sob a forma de deduções de impostos quase metade do que roubou em 2012 e foi impedido de voltar a roubar porque o TC não lho permitiu. 
É por terem sido vítimas de tanta injustiça que o governo decidiu poupá-los a impostos devolvendo-lhes os juros de um empréstimo cujos juros serão suportados pelos portugueses. 
É por isso que quando ouço alguns destes canalhas, designadamente, o do BCP e o tal dr do BPI que nunca acabou qualquer curso criticarem o Tribunal Constitucional por ter declarado ilegal o corte dos subsídios, acho que o que eles mereciam era serem vítima das inconstitucionalidades que defendem na hora de roubar aos outros, muitos deles seus clientes.
Se é legítimo roubar vencimentos e subsídios à margem da lei constitucional também o é adoptar leis penais de excepção para levar a tribunal estes refinados canalhas, chulos e oportunistas que desde a privatização da banca que não fazem outra coisa senão roubar os portugueses e levar o país à ruína. Até abriria uma excepção e acabaria com o limite dos 25 anos de prisão, alguns destes canalhas merecem muito mais.

O Super Desempregado



Este nem para herói de Banda desenhada

sexta-feira, Agosto 17, 2012

Há subornos sem subornados?


«Foi literalmente aos molhos que os funcionários da sede nacional do CDS-PP levaram nos últimos dias de Dezembro de 2004 para o balcão do BES, na Rua do Comércio, em Lisboa, um total de 1.060.250 euros, para depositar na conta do partido. Em apenas quatro dias foram feitos 105 depósitos, todos em notas, de montantes sempre inferiores a 12.500 euros, quantia a partir da qual era obrigatória a comunicação às autoridades de combate à corrupção. Os dados constam do relatório final da investigação da Polícia Judiciária (PJ) no caso Portucale, que, no entanto, nada conclui em relação à origem daqueles montantes.
Quanto ao negócio da compra dos submarinos pelo Estado português, este foi finalizado com o consórcio alemão GSC (German Submarine Consortium) em Abril de 2004 pelo então ministro da Defesa Paulo Portas, e tem sido alvo de investigações, tanto em Portugal como na Alemanha, por suspeitas de corrupção. No processo alemão, os dois gestores acusados decidiram admitir a actuação criminosa para obter uma pena suspensa, tendo dito que entregaram ao cônsul honorário de Portugal em Munique o montante de 1,6 milhões de euros. Este, por sua vez, disse perante a justiça alemã que manteve encontros com o ministro Paulo Portas e o primeiro-ministro Durão Barroso, para a concretização do negócio.»

Tenho aqui dito que a solução para os nossos problemas passa por uma mudança do sistema, acabando com esta democracia de alterne, transformando-a numa mais verdadeira e participativa. Mas isso só será possível com uma Justiça realmente preocupada em fazer justiça e não só em cumprir com o "Direito" que pouco mais é que um conjunto de leis, muitas delas feitas em escritórios de advogados para servir os interesses dos mais poderosos. Não sou jurista, juiz ou advogado, mas se há quem confesse um crime de suborno e seja condenado por isso, estranha-se que do outro lado não haja ninguém condenado por o ter aceite. Mas, com a justiça que temos já nada se estranha.

Mercenários


Mais um filme em exibição

quinta-feira, Agosto 16, 2012

O Discurso do Pontal


Ia escrever qualquer coisa sobre o discurso do Passos Coelho na Festa do Pontal do PSD, mas é tão patético e triste que me fico pelo boneco

Submarino ao fundo


O presidente do CDS-PP, Paulo Portas, desvalorizou hoje a polémica do alegado desaparecimento de documentos relacionados com a compra de submarinos, considerando que as noticias sobre este assunto "emergem quando convém e submergem quando deixa de interessar".


O problema não é as noticias andarem a emergir e submergir , o problema é o assunto já não ter sido colocado em doca seca e se terem investigado e acusado todos os que através da corrupção e do suborno roubaram o país. Nem vale a pena negar que houve crime pois na Alemanha já houve acusados, julgados e condenados exactamente por subornos feitos em Portugal e na Grécia. O problema é que estes caso há muito que foi afundado no abismo que é a nossa justiça. 

quarta-feira, Agosto 15, 2012

Renovação Marcelista



Ouvir o Professor Martelo é sempre uma perda de tempo, mas não deixa de ser um momento de comédia. No último Domingo considerou que estava na hora do Passos Coelho fazer pequenos ajustamentos no governo. Coisas pequenas, como queimar o Álvaro,

Crucificar a Cristas e

esconder o Relvas. Por mim podem ir os três e já agora levar todos os outros com o Coelho à cabeça. Ficaríamos todos bem melhor.

E o abismo aqui tão perto


terça-feira, Agosto 14, 2012

Queremos assumir o nosso destino


Todos andam muito preocupados a discutir finanças e economia para encontrarem a solução para a crise, desemprego, precariedade, recessão, pobreza e sobretudo para se saber como pagar a divida externa. O que ninguém parece querer discutir é aquilo que poderia fornecer a solução para todos esses problemas; a democracia. Continuamos a eleger gente neste sistema bipolar e de alterne em que tudo prometem em campanha para depois fazerem o que querem sem sequer se darem ao trabalho de disfarçar. Fazem negócios, endividam-se, desbaratam o que é nosso sempre protegidos pela comunicação social que controlam, pela força das leis que fazem para os servir e da policia que as fazem cumprir. O melhor que nos permitem é alguns desfiles bem educados na Avenida em dias marcados, umas greves e alternar entre dois poderes que comem da mesma malga. Os novos eleitos vêm clamar contra o estado em que os seus antecessores deixaram o país, retiram-nos direitos, aumentam impostos porque a culpa e a divida são do país e por isso nossas. Uma divida que foi feita sem nos perguntarem nada, sem sequer nos informarem de nada e que agora tem de ser paga também sem nos perguntarem nada. Nem se a queremos pagar, como a queremos pagar, ou o que decidimos fazer para a poder pagar.
Se o sistema permite que nos endividem sem nossa autorização, porque havemos de continuar a confiar nesse mesmo sistema? Se ele não nos dá o controlo sobre as nossas vidas e sobre as acções de quem nos governa como podemos considerar que esta democracia é um sistema que nos represente? Está por isso na hora de exigirmos mudanças, não só nas caras de quem nos governa mas na própria forma de como a governação é exercida e as decisões tomadas. Queremos fazer parte do processo de decisão para assim assumirmos pessoalmente e conscientemente as escolhas feitas. Até lá é um engano a divida que dizem que temos e um roubo a austeridade que nos impõem. Exigimos uma democracia verdadeira e participativa pois todos os que têm sido eleitos têm mostrado não possuir as qualidades, a honra e a honestidade que nos permita confiar neles. Queremos assumir nas nossas mãos o nosso destino. Indigna-te e exige.

Vamos de mal a pior


Numa votação em real time no site do Económico que juntou mais de 11.000 votos válidos, José Sócrates foi votado como o melhor primeiro-ministro. Mário Soares pode ter conseguido estabilizar o país no período pós-revolucionário, Cavaco Silva ter sido o primeiro a conseguir completar um mandato, Durão Barroso até pode ter saído de São Bento para a presidência da Comissão Europeia, mas foi José Sócrates o escolhido, pelos leitores do Económico, como o melhor primeiro-ministro do país. Passos Coelho e Santana Lopes fecharam o pódio.

Isto nem o valor de uma sondagem tem e sabemos bem o valor que elas têm, mas num país de "alterne político", não me admira nada o resultado desta votação. Sócrates foi um aldrabão que nos lixou a todos, e quando saiu do poder saiu quase escorraçado, mas esta corja que lá está agora consegue estar a fazer ainda pior. Continua o compadrio, a existir os "amigos"e os negócios pouco transparentes com a agravante de não mostrarem qualquer vergonha, competência, respeito pelas pessoas ou pesar pela miséria que criam, destruindo direitos, o estado social e a economia.
Não estará na hora de não olharmos para a governação como um jogo em que agora governa um, depois governa o outro mas decidirmos que esta gente que está ao serviço dos grandes grupos económicos e dos mercados não nos serve e só nos cria mais problemas que aqueles que resolve? Não está na hora de dizer que, se aqueles que nos têm governado nos colocaram na situação em que estamos, os que governam agora nos dizem que todos temos uma divida para pagar, então que digamos nós que não queremos continuar num sistema que permitiu que isso acontecesse e que a partir de agora assumimos o controlo das decisões que dizem respeito ao nosso futuro? Se vivemos numa democracia temos direito a exigi-lo.

segunda-feira, Agosto 13, 2012

Até os dedos nos levam


Os números positivos das exportações portuguesas estão a ser empurrados pela evolução muito favorável de dois produtos: combustíveis e ouro. A venda destas duas categorias de bens representou 41% do aumento das exportações nacionais nos primeiros seis meses do ano.
Segundo os números do Instituto Nacional de Estatística (INE), Portugal exportou 1855 milhões de euros em combustíveis e lubrificantes no primeiro semestre. Mais 612 milhões que no mesmo período de 2011 (mais 49%). Ao mesmo tempo, a venda de ouro cresceu de 208 para 382 milhões de euros (83%). As exportações de ouro estão a aumentar há cinco anos consecutivos. Entre janeiro e junho, as empresas ganharam 132 vezes mais dinheiro com a venda de ouro que em 2007.
A soma dos dois produtos resulta num incremento de 786 milhões em relação ao ano passado. Uma fatia decisiva dos 1903 milhões de aumento das exportações. Sem combustíveis e ouro, as vendas de bens ao exterior estariam a crescer “apenas” 5,7%, em vez dos 9,1% registados desde o início do ano.
O ritmo de crescimento das exportações tem sido muito elogiado por economistas e responsáveis políticos. No entanto, alguns temem que esta evolução seja pouco sustentável. O facto de grande parte do aumento ter origem na venda destes dois produtos parece dar razão a essas preocupações.
“Não se pode dizer que esteja a acontecer algo de muito importante ou estrutural nas exportações”, explica Ana Costa, economista do ISCTE. “O saldo da balança comercial está a melhorar principalmente devido à contração do mercado interno.”

Este governo que tem estado a destruir toda a economia tem tido no aumento das exportações e no saldo comercial a bandeira com que nos tentam convencer que estamos a ir no bom caminho. A primeira grande mentira é a de que tenham sido as suas politicas que tenham contribuído para esse aumento pois já antes no tempo do Engenheiro e dos seus Socretinos esse aumento era uma realidade e, como agora se prova, muito à custa da venda dos anéis dos portugueses, sejam eles os de família ou do país nas privatizações. A segunda porque o saldo comercial é conseguido à custa da redução de consumo interno proveniente do desemprego e da pobreza criada.
Mas nem era necessário o INE apresentar estes números porque a pobreza do país e proporcional ao aumento brutal aos número de lojas de compra de ouro que vão surgindo por todo o lado.

Sem mendigo em Belém


Alegrem-se portugueses que esta será uma imagem que não terão de ver quando forem  ali para os lados de Belém ou da Quinta da Coelha porque segundo parece o Sr.Silva e os outros reformados do Banco de Portugal sempre vão receber os subsídios de férias e Natal e assim ele e a sua Maria já não terão de passar pela situação de não terem dinheiro para pagar as suas despesas. É que este banco só tem o nome de Portugal por acaso, porque é outro mundo e outra realidade não sujeita a qualquer austeridade decretada do governo.

domingo, Agosto 12, 2012

Uma candidatura e uma sujestão


É domingo, estou cansado e não me apetece ficar mal disposto a ouvir notícias e a corja que nos anda a condenar à miséria e a roubar-nos a dignidade de seres humanos pelo que me apeteceu fazer mais um boneco da anedota do governo. Assim aproveito para deixar um ideia que apliquei durante as férias e que surtiu algum efeito. Comprem uns post-it amarelos, escrevam "Vai estudar Relvas" em cada folha e vão-os colocando por aí. Ficam bem em todo o lado, multibancos, montras, sinais, mesas de café, etc. Ele merece.

Lá voaram os submarinos


Grande parte da documentação dos submarinos desapareceu do Ministério da Defesa. Sumiram, em particular, os registos das posições que a antiga equipa ministerial de Paulo Portas assumiu na negociação.
"Apesar de todos os esforços e diligências levadas a cabo pela equipa de investigação, o certo é que grande parte dos elementos referentes ao concurso público de aquisição dos submarinos não se encontra arquivada nos respectivos serviços [da Defesa], desconhecendo-se qual o destino dado à maioria da documentação".
Nos últimos anos, já tinha sido noticiado o desaparecimento de vários documentos do negócio concretizado, em 2004, quando Durão Barroso era primeiro-ministro e Paulo Portas ministro de Estado e da Defesa Nacional. Mas, agora, é o próprio Ministério Público não só a reconhecer o problema como a atribuir-lhe uma dimensão que vai para além dos casos pontuais já noticiados.

O melhor mesmo é irem a casa do Paulo Portas e pedirem para consultar as 80 mil fotocopias que ele levou do Ministério na altura que deixou o governo, mas mesmo que isso fosse possível aposto que por coincidência os documentos desaparecidos do Ministério também teriam desaparecido da colecção particular do Paulinho.
Falando um pouco mais a sério, o que é assustador é saber que é a mesma gente que fez o negócio dos submarinos que continua a fazer negócios em nome do Estado com o nosso dinheiro. Assim este país só pode mesmo ir ao fundo.

sábado, Agosto 11, 2012

Somos governados por canalhas e pulhas


O Banco Central Europeu recomendou aos países que estão a sofrer altas taxas de desemprego uma bateria de medidas estruturais que inclui reduzir mais os salários e as indemnizações por despedimento.
Para aumentar a competitividade, o BCE considera «urgente» reduzir os «custos laborais e as margens de lucro excessivas», especialmente nos países com uma alta taxa de desemprego. Primeiro, o banco central sugere medidas como «reduzir o salário mínimo», «relaxar as leis de protecção laboral», «permitir o contrato individual de trabalho» e «abolir a correlação entre salários e inflação».

Para quem tenha dúvidas sobre qual o futuro que estes canalhas têm definido para a Europa este relatório é claro. Menos protecção social e salários mais baixos em nome da economia global e dos mercados. Nos últimos dois anos o salário médio em Portugal já foi reduzido em 107 euros, já reduziram de 30 para 10 dias por cada ano de trabalho as indemnizações por despedimento, já possibilitam o despedimento sem justa causa, já diminuíram o valor do subsidio de desemprego, já aumentaram a idade da reforma e reduziram o seu valor mas ainda não lhes basta. Para esses pulhas 485 euros de salário mínimo ainda é muito e há que reduzi-lo enquanto promovem o aumento dos custos na energia, transportes, justiça, saúde e educação. Para esses FdP somos gado a quem podem explorar e utilizar como desejam e depois atirar para o lixo quando já não servimos. É esta gente que temos de combater e correr do poder assumindo-o como colectivo de cidadãos numa verdadeira democracia. Estamos fartos e está na hora de o demonstrarmos. Juntem-se, debatam e criem alternativas. Só assim podemos derrubar esta gente que nos trata como escravos do mercado.

Um filme para este fim-de-semana


 

sexta-feira, Agosto 10, 2012

Trabalhar por 50 Centimos à hora


A Becoming Green, uma empresa britânica está a empregar presos a quem paga 3 libras por dia (3,77 euros). E em simultâneo tem despedido funcionários.
A empresa de instalação de painéis de energia solar, aderiu a um programa promovido pelas autoridades britânicas que visa a ocupação dos prisioneiros e nos últimos meses integrou dezenas deles nos seus serviços.  A empresa garante que foi autorizada pela prisão a pagar 3 libras aos presos e que o acordo é para um mínimo de 40 dias, mas pode prolongar o «emprego» pelo tempo que quiser, pelo mesmo valor. Confirma ainda que nesse período despediu outros trabalhadores mas defende que isso faz parte «do ambiente normal de um call center».

Isto pode parecer mais um caso isolado de uma empresa oportunista, mas se prestarmos atenção isto só é a consequência das politicas liberais e capitalistas que governam a Europa. Cada vez mais o trabalho é precário, sem direitos e com salários cada vez mais baixos. Esta é a politica em curso agravada pelo ataque ao estado social, (saúde, educação, segurança social) e serviços públicos (transportes, energia e água). Em nome dos mercados e do aumento da riqueza de alguns condenam à miséria muito milhões. Pagar a presos menos de 50 cêntimos por uma hora de trabalho é pior que escravatura pois assim nem casa e alimentação têm de fornecer. Perdeu-se a vergonha e entrámos no mundo do vale tudo.
É por isso que a solução não passa pelos partidos do regime e exige a mobilização dos povos para nas ruas debaterem novas vias, novas soluções e exigirem a mudança. Uma democracia verdadeira, mais participada, mais directa é essencial. É isso que os movimentos dos Indignados e as acampadas andam a dizer há mais de uma ano sempre sobre a mira das policias e da comunicação social do regime dispostos a silenciar esta alternativa. Mas esta apatia que se assiste por parte das populações não pode continuar para sempre a cada vez mais gente compreende que não pode ficar em casa sentada no sofá à espera de um qualquer Dom Sebastião que lhe venha resolver o problema. A solução está em cada um de nós para juntos fazermos a mudança. Não esperem por milagres que o milagre é a capacidade que todos nós temos para pensar, para debater e para decidir. Está tudo nas nossas mãos e na nossa vontade.

Escombros de um governo

 
«Um complexo turístico no Alqueva, uma fábrica de painéis fotovoltaicos em Abrantes e a exploração mineira em Torre de Moncorvo: só com três projectos falhados, Portugal 'perdeu' investimentos de 3.000 milhões de euros e 8.000 postos de trabalho.»

Um país, um governo, uma estratégia, um modelo político e económico a desabar. Este governo e esta economia "troikana" mostram não ser uma alternativa credível ao desenvolvimento e ao emprego. Portugal começa a deixar de ser atractivo para investir, não pela falta de competitividade dos trabalhadores mas sim por se estar a transformar num pântano de pobreza sem recursos naturais que justifiquem qualquer investimento. Se não mudarmos de rumo, se não encontrarmos alternativas estamos condenados a transformar-nos em escombros do capitalismo. Passos Coelho já o é.

quinta-feira, Agosto 09, 2012

Há os filhos do povo e os da outra


Não é uma novidade, mas é sempre bom lembrar e confirmar. Recentemente tive a necessidade de me dirigir ao banco para tratar de um assunto e confirmei aquilo que já sabia. De todos os que trabalham na Caixa Geral de Negócios só os Administradores vão ter direito a receber os subsídios de férias e Natal. A justificação passa por fazerem parte do mercado concorrencial. Só os administradores porque, pelos vistos, quem lá trabalha não passa de mobiliário e não faz parte desse mercado. Já agora relembrar a controvérsia que a nomeação desta administração criou, tanto por ter aumentado o número de administradores como por alguns dos nomes escolhidos parecerem tê-lo sido mais por critérios de cor politica que de experiência na área. É que este governo pode ser mau, aldrabão e estar a lixar os portugueses mas não esquece os amigos nem dos favores que deve e como diz, se devemos temos de pagar.


Os deslocados da vida


«O Estado gasta mensalmente 15.800 euros com o subsídio de alojamento que é pago aos membros do governo (e chefes de gabinete) que têm a residência de origem a mais de 100 quilómetros de Lisboa. No total são anualmente 189.600 euros.
Actualmente, um ministro, nove secretários de Estado e seis chefes de gabinete recebem o subsídio. De acordo com os despachos até agora publicados em “Diário da República”, Álvaro Santos Pereira, ministro da Economia, é o único titular de uma pasta governamental a receber este apoio.

Dividindo isso por todos a coisa dá quase mil euros mensais por cabeça o que não é nada mau num país onde o ordenado mínimo é de 500 euros. Mas, parece-me bem que quem tem de abandonar a sua casa e muitas vezes a sua família para servir o país possa ser compensado por isso. Gostava era de saber porque não recebem idêntico tratamento os professores, os médicos, os enfermeiros e outros funcionários que todos os anos são obrigados a saírem das suas casas para também eles servirem o país, ensinando, tratando ou prestando serviços essenciais ao país e aos portugueses. Já agora porque não todos aqueles que, seguindo o conselho do Primeiro Ministro, foram obrigados a emigrar por o seu país não conseguir dar-lhes a possibilidade de terem um trabalho e um futuro digno. Será que Ministros, Secretários de Estado e Chefes de gabinete pertencem a uma raça diferente?

quarta-feira, Agosto 08, 2012

Mais um choque nos consumidores


Governo agrava factura da luz e do gás com novo sobre-custo. Apesar do Governo ter decretado ‘tolerância zero' às rendas excessivas e sobre-custos no sector energético, os consumidores vão ser penalizados com um novo encargo na factura da electricidade e do gás natural. O Executivo prepara uma nova medida que obriga as empresas do sector e as famílias a pagarem todos os custos associados à supervisão, acompanhamento e fiscalização das concessões de electricidade e gás natural que, até agora, eram suportados pela Direcção-Geral de Geologia e Energia. (Os consumidores de electricidade pagam hoje quase tanto em subsídios como em energia. Estes encargos pesam hoje mais de 40% no bolso das famílias.)

Não tarda nada ainda nos vêm dizer que é mais uma medida para incentivar a economia e facilitar a vida aos portugueses. Depois de venderem a EDP ao governo chinês, de aumentos brutais no ano passado, vários aumentos este ano, inventaram agora mais esta para agravar ainda mais os orçamentos familiares. É só sacar tudo o que podem e quem paga são sempre os mesmos. Há quem diga que este governo pretende fazer um retrocesso civilizacional nas condições de vida dos portugueses colocando-nos na década de cinquenta do passado século, mas eu digo que o que desejam é voltar ao século XIX, com trabalho sem direitos e iluminação à luz da vela.

Partilhe