quinta-feira, novembro 29, 2012

Queres aprender? Paga


O Primeiro-ministro, Passos Coelho não trouxe boas notícias para o sector educativo, . O governante considera que há margem de manobra para se mexer na área educativa, admitindo que a gratuitidade poderá ter os dias contados. Passos Coelho recorreu-se da Constituição para lembrar que o documento "não trava mudanças no financiamento do sistema educativo que pode assim passar a ser semi-público com a introdução de co-pagamentos nos níveis de ensino que hoje são gratuitos". Em seu entender, a Constituição permite, na área da educação, avançar para um sistema de financiamento "mais repartido entre os cidadãos e a parte fiscal directa que é assegurada pelo Estado". A introdução de propinas no ensino secundário é agora uma possibilidade.

Para aqueles que gostam de elogiar o Velho Botas Salazar, seria bom lembrarem-se que no tempo do ditados o analfabetismo atingia os 70% e metade dos portugueses não sabiam ler nem escrever. Ainda me lembro de com 10 anos ir visitar a aldeia onde tinha nascido o meu pai e haver senhoras que me pediam se lhes lia as cartas que tinham recebido dos filhos ou netos emigrados e que tinham guardadas por não as saber ler. Eu, um miúdo com a quarta classe escrevia as cartas que me ditavam para poderem depois enviar na volta do correio. A Escola Pública e o ensino obrigatório foram uma das grandes conquistas do 25 de Abril e um passo enorme na qualidade de vida das pessoas. Já era ridículo que tenhamos gasto tanto dinheiro em Escolas e equipamentos para apostar na educação e no aumento das qualificações dos portugueses para chegar uma besta como o Passos Coelho e mandar essa gente toda emigrar, perdendo-se um enorme potencial de desenvolvimento e condenando-se este país a trabalho de baixo custo e precário. Pior agora quando se quer voltar a um passado que já pensávamos nunca ter de reviver. Quem tem dinheiro estuda, quem não tem vai trabalhar. Claro que vai começar lentamente dizendo que só quem tem mais rendimentos vai pagar, mas com o passar do tempo, como tem sempre acontecido, o pagamento será estendido a todos e o custo aumentado. Uma vergonha e a destruição de todo um futuro para este país. Sinto asco destes nossos governantes. Pulhas.


E agora. Que vamos fazer?



O Rei vai nu


Um amigo "O Companheiro" teve a amabilidade de me enviar algumas imagens e a possibilidade de as colocar aqui.. Aqui lhe agradeço publicamente pela ajuda e sempre que tiver uma oportunidade e me pareça oportuno certamente que as irei usando. Esta é uma delas a que intitulou "O Rei vai nu". E não é que vai mesmo.

quarta-feira, novembro 28, 2012

O poder de alterne



Depois da abstenção violenta do ano passado o Tótó Seguro este ano resolveu fazer um pacifico voto contra o Orçamento do próximo ano. Votar contra, sabendo, que havia uma maioria para fazer passar o orçamento, ainda vai que não vai, agora coloca-lo em causa, unindo-se a todos os outros partidos que votaram contra, e pedir a fiscalização preventiva do Orçamento já era demais. É que se este governo cai ele ainda corre o risco de ter de ir mostrar como se faz e, como todos sabemos, ele não sabe.
Ou os portugueses entendem que nos partidos do alterne PS e PSD não está a solução e procuram um novo rumo com novas ideias e novas formas de fazer ou então estamos condenados. Passos Coelho ou Tótó Seguro, qual o pior? Muitos diremos Passos Coelho porque já vimos a merda que faz, mas será mesmo necessário colocar lá o Seguro para ver que fará uma merda tão mal cheirosa como este?
Dentro deste sistema não há alternativas porque ele está construído e armadilhado para garantir que o sistema tem sempre um lacaio no poder. O resto, as oposições, a contestação institucional, as entidades reguladoras e até as próprias eleições, tudo funciona para nos poderem convencer que vivemos numa democracia plena e que podemos escolher. Maior mentira não há porque eles tudo controlam, da informação à actividade legislativa. Só com uma nova forma de democracia, mais participativa e mais directa poderemos ansiar a uma democracia verdadeira, mas o problema está em como fazer para lá chegar. Só vejo uma solução, o povo nas ruas, ocupando-as até que o poder caia.Para isso acontecer só é necessária uma coisa, que todos e cada um de nós faça a sua parte, saia do sofá e e exija um futuro com respeito e dignidade. Eu estou pronto assim como muitos de nós, só faltam os outros.

terça-feira, novembro 27, 2012

Foi dia de vergonha na A.R.


Molhado, com frio, um pouco desiludido com tudo isto e sem grande vontade para fazer muita coisa. Há dias em que nos pomos a pensar se realmente vale a pena o esforço. Claro que sei que vale, mais que não seja em nome dos meus filhos, mas há momentos em que nos apetece aparvalhar, como tantos outros que comodamente se sentam no sofá. Como disse nem para escrever estou com muita disposição, (já se começa a tornar um hábito), pelo que deixo o boneco que fiz para ilustrar a aprovação do orçamento. Trabalhar e pagar cada vez mais impostos, que em vez de serem utilizados onde deviam, na saúde, na educação, na segurança social, no pagamento das reformas é esbanjado a pagar uma renda aos especuladores em nome de uma dívida criada para nos escravizar. Eu não quero trabalhar para encher a mula dessa canalha nem dos sabujos que por cá lhes prestam vassalagem. Estou a ficar farto, mas mesmo farto e cada vez com mais ganas de fazer um disparate. Só ainda não sei qual.

O fim do triunfo dos porcos


Hoje há manifestações à porta do parlamento e em Belém. Nas que são convocadas pela CGTP não haverá certamente problemas porque os manifestantes estarão vigiados por duas polícias. A do Miguel Macedo e a da própria CGTP. Nas outras espero que também não, que tudo decorra normalmente pois estar a dar-lhes argumentos para criminalizarem os movimentos sociais não me parece boa ideia. Eles sabem que é dai que vem a principal contestação e onde cada vez mais se juntam forças a exigir a mudança, não só deste governo mas dom próprio sistema de alterne em que vivemos. Eles sabem que são os cidadãos, auto-organizados que os vão derrubar e construir uma democracia mais participativa e responsavel, onde o país fique a salvo de assaltantes no poder que tudo saqueiam e vendem aos seus donos. Eles sabem que a sua hora vai chegar e tudo querem fazer para nos destruir, mas não há governo, por mais polícias que tenha e por mais violência que tente gerar, que possa travar um povo quando ele resolva exigir a mudança. É que a história de que todos os porcos são iguais mas uns são mais iguais que os outros já pertence à história e na nova história que vai ser escrita os porcos não passarão de simples porcos.


segunda-feira, novembro 26, 2012

O espantalho de Belém

Hoje é sem tempo e por isso sem legenda

Dividir o mal por uns e o bem por outros


O chefe do Governo e presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, afirmou este domingo que o executivo quer «distribuir o mal pelas aldeias» e assim «salvar o Estado social».

Se o Estado Social necessita de ser salvo de alguma coisa é mesmo deste Coelho e do gang que o acompanha. Eles sim, são a verdadeira ameaça pois nunca esconderam, mesmo antes de ter a desculpa da crise, que desejavam entregar a saúde aos grandes grupos económicos, as reformas às seguradoras e as escolas a privados. O seu modelo sempre foi o liberal isentando o estado de todo o apoio social. Mas, no seu discurso de mentiras o Passos Coelho acabou por dizer uma meia verdade, é a de que quer distribuir o mal pelas aldeias. Faltou dizer que o bem, os lucros, os bons negócios esses quer distribuir pelos amigos e compadres. Os males para uns e os bens para outros parece ser a politica de justa redistribuição dos sacrifícios.
Felizmente ainda existe uma constituição que garante alguma defesa desse Estado Social e que esta quadrilha de salteadores não pode alterar sem a cumplicidade do Partido Socialista. Esperemos que estes, uma vez mais, não se vendam por trinta dinheiros.

domingo, novembro 25, 2012

Troliteiros do poder


No discurso de abertura do XIV Congresso Regional do Partido Social Democrata, Alberto João Jardim, disse ter sido alertado para eventuais manobras de correlegionários com o objectivo de prejudicar eleitoralmente o partido. Aos delegados ao congresso, o Presidente do PSD-M disse que tal cenário constituiria motivo de expulsão do partido.

Assim se governa na Republica das Bananas, esta é a democracia dos caciques, daqueles que não aceitam nem a critica nem sequer outras opiniões. Na Madeira reina há décadas, por cá cada vez mais as liberdades são contestadas pelo poder, quem se opõe ao roubo a que estamos a ser sujeitos é considerado anarquista ou violênto. Vigiar, controlar, espiar, tudo parece valer para criminalizar quem dia não. Pois que saiba este poder que não o temo, que não me calo e que não me deixarei de manifestar sempre que assim o deseje. Eles têm a força e o poder para me travar, mas não o poderão fazer sem deixarem cair a máscara da hipocrisia e sem terem de mostrar a sua verdadeira face. Não me calo e o único medo que tenho é o de algum dia ter medo. 

Der große Hase


No facebook o amigo Tony Dias colocou esta image e desafiou-me  com um "O QUE PODES FAZER COM ESTA?" Fiquei tramado porque se há coisa em que tenha dificuldade é em meter colocar caras em animais, como aconteceu mais uma vez. A coisa nunca fica muito bem como mais uma vez se provou, mas deu para fazer mais um boneco a mostrar o estado do país, completamente vendido e entregue nas mãos do colonialismo dos mercados. 
 

sábado, novembro 24, 2012

O big bang da economia


Através do facebook, um amigo, enviou-me a imagem da série, "The Big Bang theory". Claro que lhe agradeci pois num momento em que ando sem alguma inspiração e até animo para fazer os meus bonecos e escrever texto, toda a ajuda é bem vinda. Olhei para a imagem e o que me ocorreu foi isto, que me parece representar bem a relação entre a Europa dos mercados e o roubo a que estamos a ser sujeitos, via impostos e privatizações, por um gang de bandidos a soldo desses mesmos mercados. É esse gang e os seus gananciosos donos que temos de correr deste país.

Colonialismo financeiro


Desaceleração na receita faz o défice da administração central e da Segurança Social subir quase 2.300 milhões em Outubro, atingindo já os 8.145 milhões este ano, estando apenas a 855 milhões da meta da troika. Tal facto ficou a dever-se a uma queda de 4,6% nas receitas fiscais só em Outubro. (IRC -19.9%, IVA -2%, I.P.Petrolíferos, -8,2%, I.Veículos -2,1% e só o IRS subiu 2,7%).

Estes números mostram bem o falhanço das politicas deste governo e de como os sacrifícios que nos estão a pedir só nos conduzirão a mais crise e mais sacrifícios. Mas, isto não parece incomodar nem o Gaspar nem os seus donos europeus que não se cansam de o elogiar até o sobem no ranking dos ministros das finanças. Não os preocupa pois o que realmente desejam e roubar todas as riquezas, sejam elas naturais ou empresas com sucesso e criar uma zona de baixos  salários e direitos quase escravos para onde possam enviar as suas empresas mais poluentes e que exijam mais mão de obra e, aproveitando as boas praias, mar gastronomia e serviços transformar este país na sua colónia balnear. É por isso que pagar a dívida não é uma prioridade e pretendem até que se torne eterna pois assim terão sempre juros agiotas para nos cobrar, ficando com grande parte da riqueza que produzimos bem como com o controlo politico sobre o país. Uma forma de colonialismo económico em que roubam os bens e a soberania dos povos.

sexta-feira, novembro 23, 2012

Um cómico em Belém



O Presidente da República fez esta quinta-feira, na entrega dos prémios Gazeta, um discurso irónico à volta do seu "silêncio" e pediu para não relatarem a sua presença, comprometendo-se a não o revelar na sua página do Facebook.No habitual discurso que faz na entrega destes prémios de jornalismo, Cavaco Silva começou por dizer que apenas o seu "caro amigo Mário Zambujal [presidente do Clube de Jornalistas] o convenceria a estar presente: "Ele sabe bem que eu não queria vir, tudo porque eu sabia que teria de subir a este palco e de quebrar o meu silêncio". "Todos sabem que o silêncio do Presidente da República é de ouro, hoje a cotação do ouro foi 1.730 dólares por onça, uma onça são 31 gramas, mais 1,7% do que a cotação do ouro naquele dia de Setembro em que a generalidade dos portugueses ficou a saber o significado da conjugação de três letras do alfabeto português: "tê, ésse, u" (TSU)", afirmou Aníbal Cavaco Silva.

O homem é um cómico e tem tanta, mas tanta piada que quase fiz xixi nas calças.Afinal quando ouvimos o homem a fazer discursos e a falar de economia, ele não está a falar como Presidente da Republica, se calhar nem sabe o que isso é, o que ele está a fazer é stand-up comedy. O homem é um cómico e nós ainda não tínhamos percebido.

A relatividade do tempo


O ministro da Solidariedade e da Segurança Social, Pedro Mota Soares, admitiu hoje que há "situações pontuais" em que ocorrem atrasos nos pagamentos de prestações sociais, casos dos subsídios de desemprego, de doença ou de parentalidade.

Ainda outro dia aqui referi que o tempo é relativo e o que representa para uns não é o mesmo que para outros. Se alguém se atrasa um minuto a pagar um imposto já está a receber cartas do fisco e a pagar juros, mas quando é o Estado que se atrasa não há problema. Basta ver que neste caso o atraso não cria problemas a ninguém, afinal um desempregado não necessita de comer se não trabalha, um doente está de cama e pode dormir todo o dia e isso da parentalidade só é culpa da luxuria do beneficiário. Primeiro cortaram benefícios, depois reduziram o seu valor e está a chega a hora de deixar de os pagar de todo. Há anos que esta cambada anda a descapitalizar a segurança social, a jogar, e a perder, o dinheiro que todos nós descontamos dos nossos salários na roleta da bolsa, para a tornar inviável. Os grandes grupos privados da banca, seguros e saúde, há anos que se babam por este grande negócio. Estes estão lá para lhes encher o bucho e matar de vez com o Estado social.


quinta-feira, novembro 22, 2012

Bater o pé...com pólvora seca


Esta cambada que todos os dias anda a vender Portugal a saldos aos grandes interesses económicos a a transformar o país numa zona de baixos salários e trabalho sem direitos, que todos os dias lambe a sola das botas à Merkel e aos seus preciosos mercados vêm agora armar-se em fortes quando se trata de discutir o Orçamento da união Europeia. A perspectiva de receberem mais uns milhões para forrar os bolsos de alguns é coisa que lhes interessa e uma boa altura para se mostrarem preocupados com o país. Acreditam que com isso os portugueses se vão unir em torno deles para lutar por mais uns milhões. Por mim bem podem meter esses milhões num sitio que eu cá sei, porque também sei que não passam de uns bandalhos que têm de ser corridos. Isso vale muito mais que o dinheiro da UE. Já vimos os resultados que a vinda desses milhões deram em Portugal. Ricos mais ricos e um povo cada vez mais estrangulado pelo uso desse dinheiro na destruição da agricultura, pescas e industria. Só falta ver utilizarem essas verbas para destruírem o estado social e aumentarem as filas de desempregados.


Direitos, liberdades e garantias. O que é isso?


A direcção de informação da RTP, liderada por Nuno Santos, apresentou a sua demissão em bloco. A decisão prende-se com uma divergência sobre imagens da manifestação em frente à Assembleia da República no dia da greve geral. Estas, diz a administração foram facultadas por membros da direcção de informação "a elementos estranhos à empresa".  Foi ainda considerado uma "acção abusiva" e uma "quebra grave das responsabilidades inerentes à cadeia hierárquica" da RTP, podendo ser "uma violação dos direitos, liberdades e garantias".

Esta gente já não respeita nada, liberdade, democracia, direitos, justiça, legalidade, decência. Este Ministro com uma cara que podia fazer um filme de oficial Nazy sem ter de se mascarar já eu provas de que para ele vale tudo e que tudo pode ser feito sem respeitar nada nem ninguém. Este personagem não renega a violência e até, em alguns casos, a parece promover como aconteceu no Chiado e já se começa a notar ter voltado a acontecer no dia 14, dia da Greve Geral. Aliás em todos os dias de greve geral a violência saiu à rua e em todos eles elementos infiltrados foram fotografados e/ou filmados a promoverem essa mesma violência para posteriormente justificar acções policiais. Assim garantem a abertura dos telejornais e o atirar para segundo plano a luta de um povo pela defesa dos seus direitos, postos de trabalho, dignidade e condições de vida.
Mais uma vez digo que estamos  a ser governados por gente que não presta, gente disposta a tudo para segurar o poder e ter um ministro como o Miguel Macedo à frente das polícias garante que o desrespeito pela lei e pelos direitos dos cidadãos pode acontecer a qualquer momento. Quero posso e mando pelo que está na hora de lhe explicarmos que quem manda aqui somos nós e corrermos a pontapé.

quarta-feira, novembro 21, 2012

A festa da austeridade


Ia mais uma vez chamar nomes feios a esta gente pelos ataques que têm vindo a fazer aos povos, empobrecendo-os, cortando-lhes todos os direitos e destruindo o estado social, tudo em nome dos mercados e da ganancia de lucro de alguns. Li as notícias, imaginei o que ia dizer e comecei a procurar a imagem e a fazer o boneco. Agora que tenho o boneco já não tenho vontade de ir procurar as noticias e as declarações destes abutres nem repensar no que lhes queria chamar. Mais uma vez fica o boneco e cada um que imagine o texto que desejar. Desculpem lá, mas ando sem tempo, sem cabeça e sem paciência.

A canção dos gatunos


A direcção do PSD voltou esta noite a apelar a António José Seguro que participe no debate sobre a redefinição das funções do Estado, argumentando que o PS tem "responsabilidades especiais" e a "obrigação" de entrar nessa discussão. "Existe a obrigação de todos de participarem no debate estrutural do Estado por razões de qualidade dos serviços e também por razões orçamentais", disse Moreira da Silva, lembrando que a maioria quer concluir essa redefinição "do ponto de vista conceptual das funções do Esrtado" até Fevereiro. Num reiterado apelo ao secretário-geral socialista, António José Seguro, o vice-presidente do PSD repetiu: "O PS não pode deixar de estar presente". O Governo quer cortar até 2014 quatro mil milhões de euros em despesa.
Moreira da Silva desafiou ainda os socialistas "a clarificarem" a sua posição sobre a despesa pública. " Ou assumem que querem reduzir a despesa para evitar aumentar impostos, como nós queremos, ou decidem que não se deve reduzir despesa mas têm que assumir que querem aumento de impostos",

Esta gente é mesmo reles. Primeiro sobem os Impostos a um nível que se torna insuportável para os cidadãos e para a própria economia do país, destruindo empregos e empresas e agora vêm matar o estado social com a ameaça de ou isso ou mais impostos. Esta "refundação do Estado Social" que querem ter pronta até Fevereiro vai ser mais um ataque à dignidade e a condenação à mais profunda miséria e até à morte de milhares de cidadãos. É por o saberem e também porque para muitas das mudanças que desejam fazer necessitarem de alterar a Constituição que esta cambada de gatunos vem pedir batatinhas ao PS. Assustador é saber que este PS não é de confiança e, em troca de alguns favores ainda lhes faz o favor. Se o país já está mal, se as pessoas já passam por enormes dificuldades imagine-se o desespero quando as reformas forem cortadas, o Serviço Nacional de Saúde e a Escola Pública destruídos e os apoios sociais cancelados. Claro que tudo isto não será feito de uma vez só, mas vai ser colocada a primeira tábua no caixão onde nos pretendem enterrar. Ou se calhar nem isso porque, para está escória da sociedade que assaltou o poder, uma vala comum serve-nos muito bem.
Está na hora de dizermos definitivamente não, de correr com a bandidagem e construir uma sociedade mais justa, mais assente numa verdadeira democracia participativa, na liberdade de escolhermos o nosso próprio caminho e na dignidade de todo os ser humano. Não pode ficar para amanhã tem de começar já hoje e todos, mas mesmo todos, têm de sair para a rua impondo a mudança. 

terça-feira, novembro 20, 2012

Porque não te calas, pentelheiro


Este pentelheiro, como tantos outros que há décadas mamam do nosso dinheiro, que vivem como nababo, que se vendem e vendem o país por dez réis de mel coado podiam ao menos estar calados. Ficavam lá no seu cantinho a mamar mas tinham a decência de pelo menos não virem mandar postas de pescada a dizer o que nós temos ou não temos de fazer. Não encontro o artigo do jornal onde vinham as suas declarações, mas lembro-me que quando as vi só me apeteceu mandá-lo bugiar (para não dizer para o órgão sexual masculino adjacente ao tal pentelho de que ele falou). Esta gente não presta, não consegue ser sequer humana e por isso não faz parte de nós. Esta gente é para escorraçar pois só a sua presença é nociva. Esta gente tem egos e umbigos enormes e só pensam em si. Rua com esta cambada toda ou então vamos obrigá-los a viverem com o ordenado mínimo, o pior castigo que lhes poderíamos dar, pois representaria uma sentença de morte.  Morriam de fome antes do fim do mês.


Esta austeridade é uma festa


Ontem, depois do trabalho, chegado a casa e enquanto fazia umas limpezas e umas arrumações começou a falar na rádio o Vitor Gaspar sobre a sexta avaliação da Troika. Se eu não soubesse que há gente a passar fome, a viver nas ruas e muitos desesperados sem emprego ou meios de subsistência, se eu não soubesse que as contas públicas estão um caos, que as receitas fiscais baixaram imenso e a economia está a dar o berro ia pensar que estávamos no paraíso, ou pelo menos a caminho dele. O défice vai ser canja, a recessão vai-se extinguir como por magia, o desemprego cair e ainda vamos ter a refundação do Estado com serviços públicos de saúde e educação de grande qualidade. É a grande festa que aí vem. Pelo menos para ele que vai receber da Troika mais uns milhares de milhões. Uma festa em que infelizmente nós vamos ficar à porta ao frio do desemprego e da precariedade, ensopados em impostos neste temporal de austeridade.

segunda-feira, novembro 19, 2012

Julgamento dos Submarinos foi ao fundo


Estive a fazer este boneco porque se ia iniciar o julgamento do caso dos Submarinos, mas parece que foi adiado por dificuldades na tradução para Alemão. Não me admira mas como não estive para fazer outro e guardar este para a altura do julgamento vai já. 

Sem compromisso


Mais uma vez ando sem vontade para escrever e por isso, uma vez mais deixo o significado da imagem à vossa imaginação, sabendo que não acreditam que os dois andem enrolados na cama. Aqui a promiscuidade é certamente outra.

Uma pergunta fácil com uma resposta directa


Nem vale a pena escrever um texto para justificar a resposta, basta olharmos para os salários que recebemos, ou para as pensões, ou para o subsidio de desemprego, ou para as cartas do fisco. Isso para não falar do património, das boas empresas públicas e do futuro do país que está a ser desbaratado. A resposta é sim.

domingo, novembro 18, 2012

Soltaram os cães


Além dos nove detidos após a carga policial no dia 14, dia da greve geral, a PSP está empenhada em efectuar mais detenções. Serão cerca de 30 os suspeitos a identificar e podem ser detidos nos próximos dias.

Podem largar os cães que o protesto contra este governo, a destruição do país e a condenação à pobreza de todo um povo vai continuar. Eu nunca atirei nenhuma pedra contra um polícia, sei que muitos que as atiraram, uns porque são gente violenta, (claques de futebol e coisas do género), outros por desespero, (gente que já perdeu tudo o que tem) e outros ainda por profissão, (policias infiltrados). Não creio que esse seja o caminho, mas perante tanta prepotência, tanta desfaçatez, tanta desumanidade já começo a ficar sem argumentos para mostrar alternativas. As noticias do dia mostraram a violência dos manifestantes e serviram para esconder a Greve Geral e justificar a acção da policia Mas a verdade uma vez mais veio ao de cima e já não conseguem esconder a presença de infiltrados a da sua acção entre os manifestantes, a brutalidade da carga policial sobre gente inocente, as detenções ilegais de gente que nem estava na manifestação e a premeditação planeada de tudo o que aconteceu para simplesmente acusarem os movimentos sociais. Agradeço ao governo o mostrar que os movimentos sociais os estão a incomodar realmente ao ponto de os querem incriminar e combater. Agradeço por estarem a mostrar que vale a pena o esforço a a participação nesses movimentos pois são eles quem realmente coloca em causa o seu poder. Não nos vão parar, não nos vão amedrontar e muito menos nos vão vencer porque a razão nunca se calem nem pode ser derrotada. Este país é de todos e não pode ser roubado e o seu povo escravizado e condenado à miséria. Dizemos não hoje e não nos calaremos. Os FdP cairão mais cedo ou mais tarde.

sábado, novembro 17, 2012

Embelezar o Orçamento


Depois de apresentar um orçamento que vai destruir o pouco que resta da classe média portuguesa atirando-a para a pobreza, chegou agora a vez de fazerem uma operação de cosmética para fingir que afinal não vai ser tão mau. Corta na sobretaxa no IRS de 4 para 3,5% em nada altera a desgraça anunciada e fasear o pagamento do IMI superior a 500 euros em três prestações não vai impedir o Estado de penhorar e roubar a casa a milhares de portugueses que, com o seu esforço adquiriram uma casa. Podem tentar embelezar este orçamento mas não deixa de ser uma cagada de merda.
 

Mais um boneco do (des)governo


Mais uma vez tenho de pedir desculpa a quem aqui vem por não fazer nenhum boneco sobre o tema politico do momento, mas honestamente não sei qual é. Ando mesmo farto das noticias, das mentiras, dos casos políticos e de todo o lixo que as televisões e restante desinformação social  propagandeia. Não tenho paciencia para os ouvir falar nem vontade nenhuma de os aturar. Acredito que tudo continue na mesma, com uns a roubar e a destruir, outros a invejarem-lhes o lugar e outros ainda a protestar baixinho para não incomodar muito.
Fiz por isso mais um boneco em que retrato o governo e onde provavelmente muitos não encontrarão razão para ter sido feito agora. Não contesto isso porque realmente não foi feito para isso mas só para meu prazer pessoal. Mas, mesmo assim será que está tão desfasado da realidade actual? É que a merda que fazem é a mesma que fizeram antes e por isso se poderia servir noutra altura também pode servir para agora.

sexta-feira, novembro 16, 2012

Como se rouba um país


Hoje vimos confirmado aquilo que já muitos sabíamos e que ao longo do tempo temos vindo a denunciar; os boys que o governo foi colocando no estado, nos ministérios e secretarias de estado, cerca de 1500, todos receberam subsidio de férias enquanto todos os outros trabalhadores do estado receberam zero. A desculpa é tão esfarrapada que nem merece qualquer comentário e o que prova é que esta gente não está ali de boa fé, não é para ser vir o país mas para se servirem a eles e aos seus amigos, que esta gente se está marimbando para o sofrimento dos cidadãos desde que os seus possam passar nos intervalos da brutal austeridade. Muito criticaram a violência de alguns manifestantes no dia da greve geral, mas fazer o que esta gente faz, atirar para a miséria milhões de cidadãos, de idoso, de crianças, destruir o estado social e vender ao desbarato tudo o que era nosso não é bem mais violento. De cada vez que morre alguém por não ter dinheiro para comprar os medicamentos isso não é mais violento. Crianças a chorar de fome não é uma violência muito maior. Eu não queria estar na pele destes bandalhos se um dia a população lhes lançar a mão, mas a cada dia eles mostram que o merecem. 

Uma vergonha de Ministro


Uma vez mais a realidade desmente o Ministro. Dos 4,5% do défice a alcançar, há dois meses subiram para cinco e já se fala que pode acabar nos 6,5% (vamos ver se fica por aqui). A recessão que devia ser de 1% também parece que vai derrapar e se for só 1,6% já não é mau. Tudo corre mal, não há previsão que acerte e mesmo assim apresenta-se como um iluminado, o homem que tudo sabe e que tem todas as soluções. Um técnico, que responde tecnicamente através da sua folha de Exel como se ela fosse uma bola de cristal. O pior é que não acerta uma e o país vai de mal a pior. Mas é dele a culpa? Não, a culpa é dos portugueses que ficam desempregados e deixam de consumir, é dos trabalhadores a quem rouba salários e assalta com impostos que não vão às lojas e restaurantes, é dos idosos a quem cortou nas pensões e que não aviam as receitas do médico ou até, malandros, deixaram de ir ao médico para não pagar taxas moderadoras.
Este país vai sem destino e em roda livre. Este Ministro é incompetente e não possui o mínimo de bondade ou capacidade para compreender o sofrimento alheio. Este Ministro não presta, é bosta, é porcaria. Este ministro necessita de ir pelo cano abaixo. Puxe-se o autoclismo que já não aguento o cheiro a miséria que ele cria todos os dias.

quinta-feira, novembro 15, 2012

A vergonha de Portugal (uma delas)


Eu até já pensava que ou o Cavaco tinha morrido e ninguém tinha dado com ele, como infelizmente começa a acontecer a muitos idosos no nosso país, ou então tinha emigrado como também acontece cada vez mais a quem não encontra respostas para as suas vidas e necessidades na terra onde nasceu. Afinal parece que infelizmente não foi nenhum desses casos e o Sr. Silva tem andado é escondido para não ter de assumir nenhuma posição perante o desastre, e o saque, a que este governo conduz o país. O Homem não faz nada, mas no dia da Greve Geral tem de aparecer em público para dizer que está a trabalhar. Será que tem medo que lhe cortem um dia de salário como acontece a todos os que corajosamente o aceitam em nome da defesa de um país que o tal de Silva jurou defender? Este personagem é uma aberração e a sua presença na Presidência uma vergonha. Num momento em que necessitávamos de alguém lúcido, inteligente e capaz na presidência para ajudar os portugueses num momento tão difícil, temos um cobardolas, um incapaz e um homem que nem consegue cumprir com o seu juramento de defender e fazer cumprir a Constituição. Demita-se que porcaria já há muita por aí.

Escolher um lado da Barricada


Ontem a CGTP fez o seu comício em frente da Assembleia da Republica e depois de cantar o hino, coisa que me parecia desnecessária sobretudo num dia em que a greve geral afectou mais seis países da Europa, mandou todos para casa. Foi um ver as bandeirinhas vermelhas a correr para a saída. Não Gostei.
Já na conferencia de Imprensa, o Arménio Carlos, depois de demarcar a CGTP da violência que aconteceu, esteve bem quando lamentou os factos ocorridos mas não condenou os manifestantes, afirmando que embora não concorde com esse tipo de luta não lhe compete a ele criticá-la.
Já pior esteve o Ministro Miguel mkacedo, primeiro garantindo à CGTP que conta com eles e que não lhe atribui nenhuma responsabilidade naquilo que aconteceu. Depois quando falou que os problemas existiram porque estavam na Assembleia cinco ou seis profissionais da violência e dá os parabéns à polícia que correu à bastonada milhares de manifestantes. Porque permitiu que a situação do arremesso de pedras durasse todos aquele tempo? Porque não deteve esses cinco ou seis e preferiu bater em milhares que não praticaram qualquer acto de violência? É isto a boa e competente actuação policial? Porque andaram pelas ruas de Lisboa a deter pessoas mesmo que nem tenham estado na manifestação? Porque cercaram grupos de pessoas em esplanadas mesmo não tendo qualquer razão para os deter? Porque, no dia seguinte à visita da Frau Merkel houve actos de violência num protesto dos estivadores e outra vez ontem?
O mal não está só nos homens que nos governam, o mal está no sistema corrupto e que trabalha a soldo dos grandes grupos económicos e dos mercados. Não há dois lugares para se estar, dentro do sistema a pactuar com ele, ou fora recusando servir os seus interesses. Há que escolher. Quando as posições se extremam há que escolher a barricada onde queremos estar. A CGTP brevemente vai ter de optar.

quarta-feira, novembro 14, 2012

O Tempo está sem tempo


O tempo sempre me fascinou. É algo que é inexaurível, constante e sobre o qual tudo o que podemos fazer é tentar medi-lo por nunca o podermos controlar. Se é que o tempo realmente existe, pois não tendo matéria pode ser simplesmente uma invenção nossa. Hoje na Assembleia vi os escudos da polícia e as escadarias serem bombardeados com pedras durante cerca de duas horas sem que nada tentassem fazer para o impedir. Depois, em 30 segundos carregar, limpar a praça, ver os que atiravam as pedras fugir, a policia a bater violentamente nos que nos muros circundantes assistiam ao que se passava e não puderam escapar. No meio das ruas circundantes caixotes de lixo a arder num jogo entre policia e gente revoltada, enquanto se procurava encontrar amigos e familiares perdidos no meio da confusão. Na televisão o Ministro desresponsabilizava a CGTP pelos incidentes, um qualquer deputado do CDS, que passava de carro, descreve o que se passava com autentica guerra urbana, qual Síria, qual Líbano, e onde viu guerrilhas organizadas e "cocktail's molotov" e só não explicou se também viu, kalashnikov's, Mig's21 ou Misseis de cruzeiro.
Vai tudo isto alterar alguma coisa? Talvez venhamos a conhecer uma diferente forma de violência contra o sistema ou praticada por ele. Certo é que este governo e este sistema estão moribundos, o seu tempo chegou ao fim. Não sei quanto tempo terão até ao fim desse tempo, mas já não é muito tempo.


terça-feira, novembro 13, 2012

GREVE GERAL


O Senhor da austeridade


Finda a visita da Frau das Alemanhas cá voltamos à nossa vidinha e aos nossos personagens. Resolvi fazer o Gaspar porque já andava afastado aqui dos meus bonecos há algum tempo e é bom que nos lembremos sempre que ele existe e é responsavel por muita da miséria e fome neste país. É bom relembrar que é ele a cara da austeridade sem sentido, dos números sempre truncados e do afundamento do país.Como o Gollum estava obcecado pelo anel no livro do Tolkien, também este está obcecado pela austeridade, tudo em nome do défice. Isto é o que eles mostram porque na realidade o que está a fazer é a vender este país a patacos aos grandes interesses económicos e a criar uma sociedade de pobreza, sem estado social e em que só os mais fortes sobrevivem. Os mais fracos, esses ou morrem ou aceitam uma vida de pobreza e de trabalho sem direitos...enquanto aguentarem. Na Grécia quem está desempregado já perdeu o direito aos serviços de saúde. Nós vamos no mesmo caminho.

segunda-feira, novembro 12, 2012

Uma visão da visita da Frau Merkel


O Lambe Botas Mor


Confesso que estava sem ideias e até sem paciência, pois não foi dos dias em que a vida me parecesse mais luminosa, para fazer um boneco. Fazer mais Merkel já me enjoa, mas é sem dúvida o tema do dia. A esta hora aquela coisa já deve ter aterrado em Lisboa e já deve haver um monte de vendilhões da pátria a distribuir-lhe sorrisos e a vergar a coluna até a língua lhe lamber as botas cardadas.Certamente aquele que até as solas lhe vai lamber é o Paulinho Portas, um bajulador do poder como não existe outro em Portugal. Aquela cremalheira dentária vai reluzir e talvez lhe agradeça o favor de, quando estávamos já estávamos sem dinheiro, e  nos ter vendido, impingido seria um melhor termo, dois submarinos. (Os Gregos coitados tiveram de comprar seis). Um agradecimento, não porque nos fizessem falta, mas porque as comissões e os subornos fizeram muita gente feliz. Ele que o diga.

sábado, novembro 10, 2012

Desespero ou esperança?


Quando olho para este país e procuro respostas para o futuro que nos espera não posso deixar de sentir algum desespero. No actual sistema de alterne governativo não se encontram as respostas que nos possam dar esperança e as alternativas satélites também não nos dão a confiança que necessitamos. Não dão porque o mal está na própria forma como vivemos a democracia, um sistema já caduco e pouco adaptado aos tempos que vivemos. Há escolhas muito importantes a fazer e o sistema coloca essas decisões nas mãos de quem vive e se alimenta do próprio sistema e por isso não se atreve a colocá-lo em causa. Necessitamos de recriar a democracia, uma democracia mais participativa e mais directa mas isso exigia a participação e o empenho de todos. Criar alternativas ao actual sistema não é só uma necessidade como é urgente. Vivemos tempos de mentiras, tempos em que nos procuram assustar para evitar que possamos escolher outro caminho. São gente vendida ao grande capital, ao grande poder económicos, aos mercados e aos interesses de alguns. Mentem, enganam, aldrabam. Não há um debate livre e honesto sobre as alternativas possíveis. Ai que desgraças que nos vão acontecer se impusermos as nossas regras para pagar a dívida, ai o horror de não pagar, ai a desgraça de fazer zangar os mercados, ai o fim do mundo que seria sairmos do euro, ai isto, ai aquilo. Talvez haja justificações para todos esses ais se continuarmos a pensar e a agir como fazemos, Talvez cada um desses ais seja um verdadeiro ai quando visto isolado , mas deixe de o ser se for pensado em conjunto com uma decidida e verdadeira escolha de mudança por todos. Há tanta maneira de fazer as coisas porque temos de acreditar na inevitabilidade que nos impõem?
Quando olho para este país e procuro respostas para o futuro que nos espera não posso deixar de sentir alguma esperança. Quero acreditar que nós, gente desta terra, de Espanha, da Grécia, da Itália, da França, gente de todo o lado há-de encontrar saídas e soluções. Na vida há sempre escolhas a fazer e todas têm sempre coisas boas mas também consequências não tão boas. Escolher aquelas que minorem essas consequências e que nos permitam uma maior justiça e dignidade parece ser a melhor opção. Vamos ficar sentados e deixar que nada mude e que a miséria se espalhe como uma praga? Não vamos fazer nada?
Eu não me conformo, não me calo e não vou aceitar que seja o sofá a ganhar a batalha. Vou continuar a sair, a reunir-me com outros que como eu não desistem, a ultrapassar o desanimo quando vemos tantos a baixarem os braços, a lutar e a procurar alternativas. Sei que não será ainda hoje que as coisas vão mudar, que vou ter de ter a paciencia de esperar, mas também sei que um dia as coisas terão de mudar. Só espero ainda cá estar para viver esse dia.

PS: Ia fazer este post para dizer que só acreditaria neste Partido Socialista quando visse um seu líder a chorar sobre a pobreza, a miséria e a desgraça a que tinha permitido que este país chegasse, mas depois lembrei-me que há por aí tanta lágrima de crocodilo que nem nelas poderia acreditar. 

A Popota Merkel


Uma amiga sugeriu-me e que gostaria de ver a Merkel feita Popota. Estas coisas quando metem focinhos são mais complicadas e isto foi o melhor que consegui. (Confesso que foi feito um pouco à pressa). Fica  feita a Angela "Popota" Merkel. 
 

sexta-feira, novembro 09, 2012

A pobreza não é um destino traçado


Presidente do Banco Alimentar Contra a Fome, Isabel Jonet, esteve na SIC Notícias esta semana, onde afirmou que os portugueses deviam aprender novamente a ser pobres.

Vir para as televisões fazer a apologia da pobreza porque esteve na Grécia e lá já estão ao nível da miséria, (levam um ano de avanço ou já nem tanto), é triste e mostra bem a vergonha a que estas políticas nos estão a conduzir. Custa ver gente fazer a apologia da caridadezinha, fazendo lembrar os sombrios tempos salazarentos que pensávamos estar erradicados das nossas vidas. Eu acredito que a riqueza pode e deve ser distribuída por todos, que a miséria não é um destino traçado e que os homem podem viver todos com dignidade. O que se está a passar é assustador e os discursos como o que ouvimos mostra que temos de escolher outro caminho. Não podemos aceitar que uns vivam na pobreza, que chorem ao ver os seus filhos com fome, enquanto outros vivem na opulência. Não podemos ver a fome de um alado e outros a dizer que merecem os milhões que ganham à nossa custa. Falar do futuro fazendo a apologia da pobreza é vergonhoso e a partir de hoje, enquanto essa senhora estiver à frente do Banco Alimentar Contra a Fome passarei a contribuir com o que dava nos seus peditórios para outras instituições. Discursos destes são intoleráveis e nem merecem mais comentários. 

A Merkel vem a Portugal III

Como não tinha nenhuma imagem preparada nem tempo para fazer outra fica aqui mais uma dedicada à visita da Angela Merkel a Portugal. É já na segunda-feira, não se esqueçam do luto, com roupas pretas e bandeiras pretas em casas e carros. Também já há manifestações e protestos marcados. Procurem e protestem  contra esta gente que está a saquear o nosso país conduzindo-nos à pobreza, à miséria sem qualquer respeito pela dignidade de povos. 


quarta-feira, novembro 07, 2012

Ele há cada palhação


O presidente do BPI, Fernando Ulrich, disse, depois de questionado se Portugal aguenta mais austeridade, respondeui «ai aguenta, aguenta!». Apesar das dificuldades, «os gregos estão vivos, protestam com um bocadinho de mais veemência do que nós, partem umas montras, mas eles estão lá, estão vivos», disse.

O presidente executivo do BPI, Fernando Ulrich, pediu que as empresas nacionais recorram ao crédito bancário.  A súplica de Ulrich aconteceu  durante a conferência X Fórum Banca, organizada pelo Diário Económico.  «Não falta dinheiro para emprestar a promotores de projetos empresariais. O que não está a aparecer são pedidos de financiamento», apontou o banqueiro. 

Para este palhaço que nunca passou por um dia de necessidade na vida a austeridade é algo que pode ser aplicada sem limites porque os povinho aguenta tudo. Podem morrer alguns, como tem acontecido na Grécia, mas muitos ainda estão vivos e por isso aguentam. Si, porque a crise e a austeridade não lhe tiram o sono, aumentando lucros e como se vê com tanto dinheiro que até suplica que lho peçam emprestado. Dinheiro que recebeu da ajuda da Troika ou que ganha em juros comprando dívida portuguesa a juros de mais de 7% com dinheiro emprestado pelo BCE a 1%. Isto sim é que é gente séria e patriótica. Mas, como não tenho paciencia para esra escumalhao que lhe desejo é que um dia tenha de vicer com um ordenado mínimo para o resto da sua vida, que certamente seria muito curta pois esse dinheiro não lhe chragava para dois dias. Gente que ganha muitas centenas de milhares de euros por mês não pode falar assim. são a vergonha deste país e a demonstração que só correndo com eles podemos encontrar uma solução para a miséria a que nos condenam.

Um cómico em Belém


O Presidente da República, Cavaco Silva, afirmou esta terça-feira que não se irá «reger» por «palpites» nem aceitará «pressões» na avaliação do Orçamento de Estado para 2013. O Chefe de Estado diz que se irá guiar «por pareceres jurídicos aprofundados» e pelo «interesse nacional».

Este personagem é um cómico e até teria piada se não fosse tão trágico termos como Guardião da Constituição alguém que já aceitou deixar passar inconstitucionalidades sob a desculpa dos superiores interesses nacionais. Ao não vetar o Orçamento de 2012 abriu a porta a todas as inconstitucionalidades que se desejem passar em nome dos tais superiores interesses nacionais. Como já por diversas vezes expliquei aqui porque considero que este "coiso que aterrou em Belém" é o principal responsavel pelo estado que chegámos, não o vou fazer outra vez, assim como não vou falar das negociatas do BPN, da Quinta da Coelha ou até do Pavilhão Atlântico. O que queria referir aqui é que esta múmia de Boliqueime já não tem a legitimidade, e desconfio que até a capacidade, para ser Presidente da Republica. Quem não cumpre com o seu juramento e as suas responsabilidades não pode manter-se no cargo. Demita-se já, porque se não o fizer e voltar a não vetar mais um orçamento que viola a Constituição, corre o perigo de ser o povo deste país a correr com ele ao pontapé (na mais pacifica das hipóteses). Demita-se, vá-se embora e leve toda a corja que assaltou este país e o está a espoliar da sua dignidade. Os portugueses já não aguentam mais e um dia a coisa pode correr-lhes mal. Demita-se, vá-se embora.

terça-feira, novembro 06, 2012

Mais uma para a Refundação

Só a eles é que ninguém os refunda de vez.

Somos todos Gregos


O antigo governante Freitas do Amaral afirmou hoje que, "com esta receita", Portugal vai enfrentar "um segundo, um terceiro, um quarto e um quinto" resgates, alertando que o país está "a seguir a Grécia com um ano de atraso".

É fantástica esta nossa comunicação social. Anda meio mundo a dizer que "somos todos Gregos", que a receita aplicada cá é igual à que foi aplicada na Grécia há uma ano atrás e que os resultados serão idênticos, para bastar vir um pavão qualquer dizer isso, com um ano de atraso, para ser logo notícia em todos os jornais. É claro para todos que somos como a Grécia, que vamos passar por aquilo que ela está a passar e ainda muito pior. Todos já viram que a receita aplicada não tem como finalidade ajudar os países a resolverem os seus problemas, mas simplesmente garantir a pilhagem de tudo o que tenha valor, que o país paga a dívida que lhe impingiram, e depois pode ser abandonado à sua sorte. Como são países com sol, mar e um clima que invejam, talvez ainda considerem aceitar transformar estes países em Inateis para os senhores das terras frias poderem banhar-se, empanturrarem-se em "seafood" e dar uma pancadas de golf. Os povos, esses são para esquecer e para transformar em mão de obra barata e sem direitos.


segunda-feira, novembro 05, 2012

O SNS do Futuro...próximo


O Passos Coelho já avisou que agora pretende refundar o Estado, uma estranha forma de dizer que pretende destruir o Estado Social. Também já avisaram que para o ano serão cortes de 4 mil milhões em funções sociais. ou seja saúde educação e segurança social. Prevê-se por isso que para breve  o Serviço Nacional de Saúde, uma das maiores conquista do 25 de Abril, venha a ser destruído na sue essência. Não vai acabar porque esta gente é pérfida, vão deixar um SNS para pobres, um SNS sem condições e onde quem possa nunca recorrerá. Sorriem os grandes grupos económicos de saúde e as seguradoras.
Esta é a minha visão do Serviço Nacional de Saúde do futuro.

Partilhe