segunda-feira, Dezembro 31, 2012


2012 foi  um ano em que vimos o nosso país, como está também já a acontecer a outros povos em outros países e desejam fazer a muitos outros, ser pilhado por gatunos que, em nome de uma dívida fajuta e odiosa, nos procuram condenar à pobreza e à miséria numa terra sem direitos para uns e mordomias para muitos e riqueza para outros, eles. 2013 vem já aí e os mesmos gatunos continuam a pilhar este país podendo por isso prever-se que o enorme diluvio social que se aproxima. Na arca desta gente só cabem eles, os seus amigos e o dinheiro, essas malditas folhas de papel que atiçam tão fortemente a ganância de alguns que os fazem deixar de ser pessoas e os torna em predadores insensíveis a qualquer humanidade. Todos os outros que se lixem, que se afoguem na crise e na desgraça que criaram.
Mas, não tem de ser assim. Podemos mudar este destino que nos traçaram e escrever um outro bem mais agradável e justo. Podemos correr com os ladrões, podemos restaurar a justiça e fazer um país novo, mais democrático e mais solidário. Está nas nossas mãos e só acontecerá se todos, os que já há muito o exigem e lutam por isso e os outros, os que até agora têm ficado em casa, por medo, por preguiça, por conformismo ou por outro motivo qualquer, se juntarem e o exigirem. Eu acredito que isso é possível e irá acontecer. Quando não sei, mas este povo vai acordar e vai dizer não aos que lhe mentem e o querem condenar a não terem um futuro. também não sei como será, mas este povo vai dizer sim a uma vida melhor, com mais justiça e sobretudo com mais humanismo e solidariedade. Espero que 2013 seja esse o ano e esse tempo e o tempo em que reconquistemos o orgulho de sermos quem somos. Assim 2013 seria certamente um ano extraordinário e para recordar para sempre. 
Aproveito também para deixar aqui os votos de um Bom Ano de 2013 para os meus amigos, também para os que não o sendo são gente de bem. Que todos encontrem aquilo que desejam e procuram e que todos façam da amizade e da solidariedade a força que precisam para vencer as dificuldades.
Um grande abraço para todos.



A repartição dos sacrifícios


O ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, foi passar os últimos dias do ano ao Rio de Janeiro, Brasil, e esteve num dos mais luxuosos hotéis da “Cidade Maravilhosa”, o emblemático Copacabana Palace. Mas não foi o único. O ex-administrador do BPN – Banco Português de Negócios, Dias Loureiro, e o ex-ministro das Cidades, Administração Local, Habitação e Desenvolvimento Regional, José Luís Arnaut, também lá estiveram. [ in I ]

É a chamada repartição dos sacrifícios que o Passos Coelho gosta tanto de falar. Uns fazem o sacrifício de passar por dificuldades e até miséria e fome outros o de ir para hotéis de luxo em Copacabana festejar o Ano Novo. Claro que há os que têm pouco para festejar em relação ao ano que finda e menos a esperar do que aí vem enquanto outros só se podem congratular pela forma como lhes correu a vida em 2012 e pelas perspectivas que 2013 lhes oferece. Festejam o aumento das suas riquezas pessoais, das negociatas, das privatizações, dos tachos e até da simpatia de uma justiça que lhes permite continuarem impunes perante casos como o do BPN. Até quando não sei porque espero que no novo ano os portugueses finalmente percebam que este país é deles e que os gatunos que vivem da sua riqueza à custa da sua miséria só lá estão porque os deixam lá estar, e que finalmente lhes peçam responsabilidades e os façam pagar por tudo o que roubaram. Este são os meus votos para 2013.



A Ratoeira do euro


Confesso que a preparar uns bonecos para o ano novo e para o aniversário do blog deixei passar o tempo e quando queria um para colocar na manhã de hoje não tinha feito nada. Havia duas possibilidades, saltava e não colocava nenhum ou ia aos restos que aqui tenho guardados e nunca publicados. Escolhi este sem saber muito bem porquê ou melhor simplesmente porque me apeteceu. Tirando isso, não tenho texto para o acompanhar nem razão nenhuma porque foi este e não outro.Cada um que faça a leitura que desejar ou então não faça. Claro que podia falar da ratoeira que foi a entrada no euro ou coisa do género, mas fica mesmo só assim.

domingo, Dezembro 30, 2012

Um crime contra a vida


O Governo deu mais um passo para a privatização dos sectores da água e dos resíduos, ao aprovar um pacote legislativo que abre a possibilidade de empresas privadas poderem gerir os sistemas multi-municipais.

 Este governo, para além de todas as outras malfeitorias que está a fazer, tem vindo a privatizar tudo o que é público, oferecendo aos seus amigos, a preços de saldo, bens, empresas e património que pertencem a todos nós. A desculpa é uma vez mais as contas públicas e a malfadada e fajuta dívida e, embora tudo o que dai vai resultar é alguns a beneficiarem com aquilo que devia ser de todos, por incrível que possa parecer, ainda há quem acredite que essa é a solução. Se isto já é um crime contra a a economia o que dizer da vontade de privatizarem também a água, um bem essencial à vida e que não pode ser de ninguém. Muitos dizem que a água vai ser o petróleo do século XXI, a grande negociata de um bem que é escasso, (há zonas do planeta onde já morrem milhares por não ter acesso a água potável), e que cada vez será mais valioso. Entregar nas mãos de especuladores algo tão precioso como a água é um crime e espero que todos nos unamos na condenação e sobretudo em tudo fazer para o não permitir. A água é de todos e algo de que nunca podemos prescindir. Estes bandalhos, que nos andam a roubar direitos e salários querem agora roubar-nos o próprio direito à água, um bem que é de todos e por isso nem lhes pertence. Vamos dizer não tão alto e não o permitir em nome da vida.

2013, algo porque vale a pena lutar


Quando termina um ano é normal, por um lado fazer-se o balanço do que acaba e as previsões para o que se segue. O balanço é tão triste e as previsões tão desgraçadas que me questiono se vale a pena falar sequer nisso. Prefiro falar daquilo que, dificilmente poderá acontecer, mas que ainda é uma esperança. A nível de Portugal pouco ou nada há a dizer porque a esperança já só é uma e comum a todos. Que estes bandalhos desapareçam e sejam substituídos por alguém que no mínimo seja um ser humano.A nível mundial também o futuro não é risonho e as grandes corporações devem continuar a ditar as suas leis, a destruir países e os povos que os habitam tudo em nome do dinheiro e da ganancia. A hipótese do inicio de uma terceira guerra mundial não está afastado, (a minha previsão é que aconteça ainda nesta década), mas pelo menos gostaria de ver os povos unirem-se em defesa de algo que é único e por direito de todos. Este planeta onde vivemos. Todos os dias enormes crimes ambientais são cometidos e o planeta morre mais um pouco, mais uma vez em nome do lucro e em beneficio dos mesmos de sempre. Há lutas que vencer ou perder nos fazem viver melhor ou pior, mas há outras cujo resultado é a vida ou a morte, e nós estamos a perder. Basta ver o exemplo das cimeiras ambientais onde, o pouco que se tenta conseguir é recusado em nome do desenvolvimento e da riqueza. Olhe-se para a Amazónia, o grande pulmão do mundo, onde o abate de árvores, só este ano, aumentou 130% em relação a 2011 e onde existem projectos megalómanos de construir dezenas de enormes barragens. Só a primeira, em Belo Monte vai destruir uma área igual a metade de Portugal. Lutar contra isto é importante porque é a vida do nosso planeta, o único que temos, que está em causa. Podemos começar já e assinar a petição para tentar impedir a construção desta primeira barragem (se não resultar se calhar temos de ir todos atar-nos a árvores para impedira a construção mas depois eu aviso se for necessário).
Sei que quando tantos caíram na desgraça que é o desemprego, quando a fome e a miséria alastram à nossa volta estes assuntos podem parecer pouco importantes, mas é a esperança de o mundo continuar vivo que está em causa. Pensem nisso.


Inestimável 2


Recebi do meu amigo “Homenlivre3”, e aqui lhe agradeço de novo, a segunda imagem e o texto para esta saga que aqui publico aos Domingos. 

Depois do vicio que o fez estar preso ao computador e ao jogo veio a determinação para a libertação.
Fechado em casa, o Zé Povinho planeia dia e noite a queda do governo. Como muitos ele também não acredita que isso, por si só, possa ser a solução mas admite ser um bom começo, uma esperança e uma boa ambição.
- Mais um ano a deixar a escumalha governar, nem pensar. Não podemos perder a esperança, temos que nos tornar como uma lança, afiada, aquela que dará a morte a esta palhaçada
Resolveu então juntar alguns amigos a quem disse: - Se estavam à no dia 21 o Mundo ia acabar, desenganem-se. Qual Maias qual quê, calendários e previsões de fins do Mundo é o que mais se vê por ai, mas ninguém resolve isto por nós. Temos de encontrar uma solução.
Uns juntam-se em grupos a conversar, outros em volta da mesa rabiscam em papeis, todos a pensar como poderia o problema ser resolvido.
Alguém chama, - ó Zé, anda cá pá, já temos um plano, ora vê lá... talvez seja uma utopia mas tem que funcionar. Estamos fartos de Coelhos, Relvas, Portas e Gaspares.
Todos se debruçaram sobre a mesa escutando o plano gizado. Ainda não sabiam mas algo de importante estava alia a começar.
                                                                                                         ......continua no próximo Domingo


sábado, Dezembro 29, 2012

SNS só para gente com saúde


O secretário de Estado da Saúde, Fernando Leal da Costa, afirmou que "Se nós, cada um dos cidadãos, não fizermos qualquer coisa para reduzir o potencial de um dia sermos doentes, por mais impostos que possamos cobrar aos cidadãos, o SNS será, mais tarde ou mais cedo, insustentável".

Qual a função do SNS? Que eu saiba é prestar assistência médica aos cidadãos que dela necessitem. É claro que é obrigação de cada um de nós cuidar o melhor que pode da sua pessoa até porque ninguém gosta de estar doente. Só que isso não se escolhe e na maior parte das vezes não se pode evitar. A afirmação do Secretário de Estado é ridícula, não quando afirma que devemos tentar reduzir o potencial de ficarmos doentes, (melhor alimentação, menos excessos ajudam), mas quando colocar o SNS em causa afirmando que ficará insustentável se não o fizermos. O SNS só ficará insustentável se persistirmos numa politica em que o dinheiro dos impostos é canalizado directamente para os agiotas através do pagamento dos juros de uma dívida que só foi contraída para pagar os excessos da banca e para tornar o país dependente e fácil de pilhar. Quando pago os meus impostos espero que esse dinheiro seja canalizado para os serviços públicos, saúde, educação, segurança social etc. Saber que, quando trabalho muito daquilo que faço é para encher os bolsos de agiotas irrita-me. Quero um SNS de qualidade, não quero sentir-me culpado nem apontar o dedo quando vir alguém fumar um cigarro ou comer um doce. 

3 milhões de bunga-bunga


Depois de três anos de processo judicial, que ficou marcado por diversas acusações entre o casal, a ex-mulher de Berlusconi vai receber 100 mil euros por dia (3 milhões por mês). Para além desse valor, Veronica Lario vai ter direito também a ficar com a "Villa Belvedere", a antiga residência do casal em Mancherio, avaliada em 78 milhões de euros.

Saíram-lhe caras as festas bunga-bunga ao Berlusconi. Que ele tenha de pagar não tenho nada com isso, o que choca qualquer ser humano é a quantia. Quanto tem de ter o Berlusconi para poder pagar 3 milhões de euros por mês de pensão à ex-mulher? Como é possível um politico ter todo esse dinheiro quando os povos fazem contas para pagar o pão? Que imoralidade é esta, que mundo e que democracia permite tamanhas disparidades em que uns têm tudo enquanto outros passam fome. Se este é um caso que escandaliza não devemos esquecer que por cá também há muita gente a viver com milhões enquanto outros vivem com tostões. Se isso é grave pela imoralidade pior é quando vemos os governos a carregar nos impostos e nas taxas aos que vivem com tostões enquanto poupa os que ganham milhões. Tanto por lá como por cá.

 

sexta-feira, Dezembro 28, 2012

O General Coelho


Sei que já passaram alguns dias e tantas têm sido as tretas ditas pelo gatuno do Passos Coelho  que fui adiando o que queria dizer sobre a sua afirmação de que «precisamos de encontrar em cada cidadão um soldado que esteja disposto a lutar pelo futuro do país». Parece-me desapropriada porque o roubo e a burla não se combatem com soldados mas simplesmente com justiça. É claro que estamos prontos a lutar pelo nosso futuro mas se o fizermos o inimigo é ele e a cambada que o acompanha na imensa burla em que está transformada a politica neste país. O inimigo são as grandes corporações, os mercados, os que vivem à custa de dívidas odiosas e fabricadas para escravizar e roubar os países bem como os bandalhos que os servem sem respeitarem o seu próprio povo. Era bom por isso que o Passos Coelho tivesse cuidado com o que diz e deseja pois os portugueses podem compreender  quais são os seus verdadeiros inimigos e resolvam ser soldados para correr com os traidores e os seus donos. 

O Natal de 2012 chegou ao fim


Sei que o Natal já lá vai, já foram ditas as mensagens e por este ano acabou, mas não me queria despedir dele sem fazer mais um boneco. Não me perguntem porquê porque também eu não sei, vi esta imagem e apeteceu-me. O que realmente espero é que seja a última vez que vista estes gatunos com a roupa do pai Natal e que para o ano seja gente mais honesta, mais humana e mais séria que ocupe os seus lugares. 


quinta-feira, Dezembro 27, 2012

O Natal à Passos Coelho


Este boneco foi feito com a intenção de fazer um texto sobre a hipócrita mensagem de Natal do Passos Coelho no seu facebook (quem desejar mandá-lo à merda não tenha problema e vá lá que ele merece). Infelizmente não vou ter tempo para o escrever, mas também aquilo não merece que se perca muito pelo que fica o boneco. Ele que se lixe.


Quem é mais aldrabão?


Artur Baptista da Silva deu várias entrevistas à comunicação social, apresentando-se como coordenador de um suposto Observatório Económico e Social criado no âmbito do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, informação que se veio a revelar falsa. Baptista da Silva, afirmava ser também consultor do Banco Mundial e professor de Economia Social da Milton Wisconsin University e participou também como orador convidado num debate organizado pelo International Club de Portugal sobre a crise europeia. A associação admite agora recorrer aos tribunais, caso se comprove ter sido enganada por um falso especialista.
Questionada sobre se está prevista alguma diligência relativamente a Artur Baptista da Silva, uma vez que podem estar em causa crimes como os de usurpação de funções e burla, a Procuradoria Geral da Republica esclarece que “está atenta, a analisar as notícias publicadas e a recolher elementos que complementem os que, de forma genérica, foram até ao momento divulgados”. “Oportunamente serão tomadas as medidas adequadas e convenientes”.

Tanto barulho por causa de um homem que enganou uns jornais e umas televisões onde deu umas entrevistas, por acaso com muito mais bom senso, inteligência e conhecimento, que a maioria dos nossos políticos e comentadores, defendendo a renegociação da divida com argumentos e lógica. Chamam-lhe vigarista, que pelos vistos é, mas porque não chamam também vigarista e também não está também a PGR a recolher dados sobre o Passos Coelho, (e toda a canalha que o rodeia)? Mentiu, aldrabou, usurpou, roubou, e traiu todo um país, o que no seu caso parece ser normal e não digno de indignação.  Para o outro desgraçado não faltam adjectivos e gente com vontade de o crucificar, para o gatuno até o deixam mandar Mensagens de Natal. 

quarta-feira, Dezembro 26, 2012

Reflexo da realidade


 O Passos Coelho veio uma vez mais apregoar a sua laranja amarga e as suas maravilhas para a saúde do país. Essa é a imagem que quer passar, mas a realidade é que a laranja que nos oferece não só é amarga como está podre e quem a tem de comer não pode esperar nada de bom para o futuro.

Mensagem de Natal


Uma das coisas boas que fiz neste Natal foi não ouvir a mensagem de Natal do Pinóquio aldrabão do Passos Coelho. Claro que depois acabei por ter de saber o que disse quando os média resolveram dar importância a mais um discurso em que disse mais do mesmo, em que insistiu em mais austeridade e mentir sobre partilha de sacrifícios e ajuda aos mais necessitados. A realidade essa está ai para o desmentir, com alguns a encherem a pança com aquilo que é de todos enquanto a grande maioria desespera com o desemprego, a precariedade, o medo e até a fome e a miséria. Essa realidade é a que nos rodeia e da qual não podemos fugir, mas podemos mudar. Essa realidade é que é a verdadeira mensagem de natal deste governo. Essa realidade é que temos de mudar urgentemente e isso só pode ser feito por nós todos, porque se estamos à espera que os gatunos e aldrabões que tomaram o poder nesta democracia de alterne façam alguma coisa bem podemos esquecer o futuro. E eu, em nome dos meus filhos não quero abdicar desse futuro.


terça-feira, Dezembro 25, 2012

Mais umas prendas de Natal





As prendas do Gaspar


E pronto chegou o dia de Natal, o dia das prendas, o dia mais desejado quando éramos crianças. Mudam-se as idades e mudam-se os tempos. Quem parece gostar de mandar muitas prendas neste mês de Natal é o amigo Vitor, que para fechar o ano em beleza descarrega tudo o que tem sobre os contribuintes. Quem não tiver as centenas de euros para pagar paga com a penhora, seja casa ou salário. Mais sorte tem quem deve milhões porque a esses tudo é perdoado em nome do empreendedorismo e do investimento, que nunca se vê nem nunca acontece. Para o ano mais e mais impostos, a promessa de muitos mais quando tudo começar a desmoronar-se, esta é a prenda do Gaspar, a prenda que ninguém quer mas todos recebem. Quando era pequeno eram meias, agora são cartas do Gaspar.



segunda-feira, Dezembro 24, 2012

Luzinhas de Natal


Como hoje é noite de Natal não vou dizer mal destes incompetentes, ladrões, aldrabões, mafiosos, chulos, mentirosos, filhos duma pata, traidores e bandalhos que nos governam. Deixo só mais um boneco com mais uma tradição de Natal, desta vez as luzinhas que não faltam em nenhuma casa embora, com a conta da electricidade sempre a subir e os salários sempre a descer ainda teremos um ano destes um Natal à luz das velas (se houver dinheiro para elas).

Aproveito para desejar a todos os que me visitam neste blog (ou no Facebook), um Feliz Natal e um Ano Novo com muitas mudanças, mas que finalmente sejam para melhor. Beijos e Abraços para todos.


Canções de Natal


Na minha representação do símbolos de Natal  não podia deixar de fora  os seus cantos e as tradicionais canções de natal. Normalmente são canções sobre a natividade, a alegria da época festiva ou sobre a paz que reina nessa noite. Claro que para este natal de 2012 em Portugal nada desses temas fariam sentido e por isso escolho este grupo de democratas do alterne, bem habituados a cantar a uma só voz embora nunca parem de desafinar e que nos interpretam temas como " Jinglo bell, jingle bell, já lhes gamei o papel" ou "Silente protest the police on your back". 

PS: Por favor não me ofereçam isto como prenda. Obrigado.


domingo, Dezembro 23, 2012

Um Conto de Natal


Continuando na minha saga pelos temas natalícios, outra coisa que todos os anos aparece, (para além dos filmes com o Jimmy Stewart), são os Contos de Natal dos quais o mais famoso é este Christmas Carl do Charles Dickens. Para não vos faltar nada também eu resolvi fazer aqui a minha versão desse conto com o Vitor Gaspar no papel do forreta e mau Scrooge. A diferença é que no conto ele acabou por entender o espírito do Natal e por se transformar num homem bom enquanto deste Scrooge português nada podemos esperar, a não ser que cada vez se torne pior sem se importar que, com aquilo que faz, condene todo um povo, (com as devidas excepções dos amigos e compadres), à pobreza, à fome e à miséria. Se calhar está na altura de sermos nós a transformar-nos em espíritos de Natal e, como não o vamos conseguir convencer mostrando-lhe a sua indignidade como ser humano, correr com ele a pontapé para que no próximo Natal tudo possa ser diferente.

Sonhos de um dia de Natal


Natal Natal, Natal, quando chega a esta altura é sempre isto, o Natal entra na ordem do dia, é natural é altura do Natal, e só se fala do Natal e das coisas do Natal. Até eu acabo por só me lembrar de coisas relacionadas com o Natal. São árvores, Presépios, Pais Natal e todas as outras tradições de Natal. Uma que acontece todos os anos é de todos os órgãos de soberania, embora soberania seja uma palavras que deixou de ter utilidade em Portugal, se visitarem uns aos outros para apresentar cumprimentos de Natal. Resolvi fazer aqui aquilo que imagino que poderiam ser esses cumprimentos dos lideres da oposição, externa e interna do governo, numa visita protocolar a São Bento.

O zé povinho cansou-se.


Recebi do meu amigo “Homenlivre3”, que anda lá por fora a fazer pela vida, o boneco deste Zé Povinho inspirado no jogo “assassins creed”, propondo-se fazer mais alguns para que eu pudesse publicar no meu blog. Claro que aceitei e ficou decidido que todos os Domingos publicaria uma das suas imagens acompanhada de um texto contando uma história que nem eu conheço o meio quanto mais o final. A Coisa começa assim:

O zé povinho cansou-se.

Era uma vez o Zé Povinho. À décadas que já não podia mais, farto de ser tratado abaixo de cão não sabia como haveria de sair desta situação.
- Gatunos, - dizia ele - deram de novo boas vindas a troika, votei no Sócrates nem sei bem porquê, depois no PSD a pensar que o coelho iria proteger a "ninhada". Resultado, olhai o meu país, as melhores empresas públicas não mãos de chineses, angolanos e a "gorda", que o que precisava era de ser afiambrada, a engordar ainda mais com os juros da dívida.
Indignado e furioso com tudo isto, não avistando nenhuma solução, resolveu sair com o seu filho para espairecer foi ao Centro Comercial e na secção dos jogos perguntou-lhe – Que jogo vais querer? Escolhe um.
O filho espantado perguntou - estás a falar a sério? Onde é que arranjas-te o dinheiro?
- Ontem  andava na rua à procura de comida, passei ao lado da Assembleia qual não foi o meu espanto, o Gaspar estava de saída. Estes olhinhos de águia não deixaram escapar uma nota, a sair-lhe do bolso e zás - respondeu o Zé rindo.
O filho, segredando e a rir-se responde, - boa pai, ele nem deve ter dado pela falta e se deu cria mais um imposto e está resolvido. Escolheu o jogo e lá foi todo contente para casa jogar com os seus amigos.
Uns dias mais tarde foi sair e esqueceu-se da consola ligada. O Zé Povinho entra na sala, olha para aquilo. Que raio de jogo é este, mas como estava desempregado e sem ter para onde ir, senta-se e começa a jogar. Passaram horas e horas sem o Zé dar por isso, foi tudo de empreitada e terminou a trilogia primeiro que o filho. Foram tantas as horas que passou a jogar que muitos até dizem que deu em doido.
Passou-se um ano sem que ninguém o visse até que apareceu. O coitado está desesperado, continua desempregado, endividado, burlado, descriminado e sei lá o que mais, mas também decidido a fazer alguma coisa pelo seu país e foi a sua mestria no jogo que lhe deu a ideia.
(continua no próximo domingo)

sábado, Dezembro 22, 2012

O lugar dos gatunos é na cadeia


Caso o défice orçamental previsto para 2013 comece a derrapar, o Governo tem preparado um plano de contingência no valor de 0,5% do PIB (850 milhões de euros) , que inclui cortes adicionais nossalarios dos funcionários públicos.

Sinceramente não sei até quando vai este povo estar disposto a aturar o desplante e a prepotência dos gatunos que tomaram o poder em Portugal. De uma incompetência a toda a prova e de uma desfaçatez inimaginável. Têm sempre solução para a porcaria que fazem, rouba-se mais um bocadinho aos que já vivem com muito pouco. As pessoas só servem para lhes pagar a merda que fazem e para garantir que os seus amigos fazem os bons negócios por bons preços e os seus apaniguados enchem bem os tachos que lhes oferecem. Todos já sabemos que o orçamento, pela sua brutalidade e por ser um orçamento suicida para o país vai derrapar por todos os lados, o desemprego vai disparar juntamente com as falências, a economia vai cair muito mais assim como as receitas dos impostos, como aliás provam as contas do orçamento de 2012. Se lhe juntarmos mais o buraco do BPN, que parece não ter fundo e continua a sugar dinheiro de todos nós sem se ver os responsáveis a serem sequer incomodados, é certo que estes gatunos nos virão ao bolso mais uma vez. Até quando? Até deixarmos e volto ao inicio, até quando vai este povo estar disposto a aturar o desplante e a prepotência dos gatunos que tomaram o poder em Portugal?

O consumismo natalicio


O Natal há muito que foi transformado numa época de grande consumismo e negócio. Não há Centro Comercial ou grande armazém que não coloque uma cadeira para ter um Pai Natal que passa o dia a sentar criancinhas ao colo para lhes perguntar se se portaram bem e que prendas pretendem receber sob o olhar vigilante do dono do estabelecimento. Lembrando-me disso não pude deixar de fazer este boneco em que o incapaz e aparvalhado Pai Passos Coelho, senta ao seu colo a "senhora de má vida" Portas, que lhe foi lembrar que se portou muito bem, que aprovou o orçamento e os roubos feitos pelo governo pelo que deseja um Natal cheio de presentes. O mafioso Miguel Relvas só lá está para garantir que os presentes chegam a quem os merece e que o negócio vai continuar. Não se querem ali meninos aparvalhados como o Toto Seguro nem refilões como o Jerónimo de Sousa ou o João Semedo. Para esses este Pai Natal também não trás grandes presentes e vão ter de se contentar com as prendas famíliares. Para a grande maioria de nós não há colinho nenhum porque o "amigo" Gaspar já teve a simpatia de nos roubar todo o dinheiro que poderia haver para sequer pagar o estacionamento do Centro Comercial, quanto mais lá entrar.


sexta-feira, Dezembro 21, 2012

Incompetentes


A Comissão Europeia ainda vê riscos para o cumprimento da meta revista do défice de cinco por cento para este ano. «O Governo implementou medidas adicionais para cumprir a meta de 2012. No entanto, o risco para atingir as metas continuam, em particular devido a contínuas falhas na arrecadação de receita e pelas incertezas quanto ao tratamento específico da venda prevista das concessões aeroportuárias», lê-se no relatório da Comissão Europeia sobre a sexta avaliação do Programa de Assistência Económica e Financeira. Bruxelas diz que, apesar de a meta do défice orçamental para este ano ter sido revista de 4,5% para 5%, os riscos não são negligenciáveis.

E agora como é? Mais e mais austeridade para somar a toda aquela já prevista para 2013? Não houve um único objectivo do governo e do incapaz Gaspar que tivessem sido atingidas. O défice, mesmo com a benesse de 0,5% oferecida pela Troika, vai falhar, o desemprego bateu  recordes, a recessão afundou, a dívida engordou e a economia está destroçada. Podia vir para aqui com números sobre tudo isto e muito mais que todos mostram um falhanço clamoroso nas previsões do governo. Nada bate certo e mesmo com medidas extraordinárias que nos foram ao bolso uma vez e para 2013, apesar do brutal Orçamento de Estado previsto e do corte de mais 4 mil milhões em serviços públicos e sociais, a própria comissão europeia já afirma poderem não ser suficientes e serem necessárias mais medidas, ou seja mais austeridade e mais cortes. Era em 2012, depois em 2013 3 o próprio Passos Coelho já atira o início da recuperação para 2014. Até quando vamos continuar impávidos a ver este descalabro e a aceitar que estes incompetentes destruam o que resta do país, dos empregos e das nossas vidas?

Só me faltava mesmo o Pai Natal


Tinha uma árvore de Natal, um presépio e pensei, só me falta mesmo um Pai Natal para ter tudo enfeitado para a época natalícia. A dificuldade é que por norma, o Pai Natal oferece presentes e estes roubam, não só as prendas que gostaríamos de receber, como aumentos de salários, melhores reformas, serviços de saúde e educação, empregos e tantos outros, como a própria esperança de uma vida melhor. As suas prendas são aumentos de impostos e cortes nos direitos sociais. Um presente que também não se cansam de distribuir é desemprego. Depois acabam sempre a roubar salários, pensões, direitos, tudo. Claro que para alguns, devem ser aqueles que se portaram melhor durante a campanha eleitoral, há boas prendas como empresas públicas para os mais abastados e sobretudo a mais comum, belos tachos para os amigos e filhos de amigos. Com um Pai natal destes desconfio que vou tapar bem a chaminé, não que tenha muito que me possam ainda roubar, mas não quero esta gente dentro da minha sala. Fedem. 



quinta-feira, Dezembro 20, 2012

Um diabo em Belém


Terminou o prazo e Cavaco Silva não enviou o Orçamento de Estado para fiscalização preventiva no Tribunal Constitucional  o que quer dizer que o vai deixar passar como fez o ano passado e provavelmente com o mesmo argumento, o de que até hoje nenhum Presidente vetou nenhum. Uma vergonha e a demonstração que os 16 milhões que todos os anos são gastos por Belém, o dobro da casa Real Espanhola,  são uma despesa inútil. Este Sr. Silva é uma nulidade, um ser sem qualquer préstimo e que nem as poucas responsabilidades que tem cumpre. O melhor mesmo é fazerem uma Constituição com desenhos para ver se ele a entende e se compreende quais são as suas atribuições. Ou isso ou então é mesmo uma personagem sinistra que sabe quais as suas obrigações e conscientemente não as cumpre desrespeitando a frágil democracia em que vivemos e todo um povo. Como pode facilmente ser comprovado por quem visite este blog, desde a sua primeira eleição que digo que este Silva não tem capacidades e só poderia trazer mal a este país. Cada dia que passa o comprova. 


Já fiz o presépio do blog


Como disse ontem não andava com um grande espírito natalício, mas mais cedo ou mais tarde a época festiva tinha de me contaminar e, se ontem fiz a minha árvore de natal aqui do blog, hoje aproveito e faço o presépio.  A vaca fui buscá-la à Alemanha e o Burro não pôde vir porque, como super-ministro que é, teve de ir para o Ministério da Economia ver os números do desemprego a subir. 


quarta-feira, Dezembro 19, 2012

Uma coisa que não é coisa nenhuma


Hoje não sei porquê apetecia-me fazer alguém ou alguma coisa que não servisse para nada. Mal cheguei ao computador, embora personagens irrelevantes não faltem por aí,  foi fácil decidir, só podia ser o António José Seguro, que sem saber como um dia destes ainda chega a Primeiro-ministro sem nada fazer por isso ou o merecer. Num país em que o poder é uma exercício de alterne, em que a comunicação social, pertença dos grandes grupos económicos e ao seu serviço, condicionam a liberdade e a democracia com mentiras e enganos, as ditas alternativas não passam de meros piões no jogo do sistema, nada é muito difícil prever. Ao Seguro, um mais um Jotinha, parece bastar-lhe sentar-se e calmamente esperar que o governo lhe caia nas mãos. Claro que há sempre o perigo, se deixar que os aldrabões que nos governam se aguentem por lá, de que no PS alguém se impaciente ou seja mordido pelo bichinho do poder e lhe puxe o tapete debaixo dos pés. Para sua sorte o António Costa parece preferir ir directamente para o lugar do Sr. Silva sem passar pelo governo. 
A pergunta que me vem à cabeça é se ainda não será desta que vamos acordar e perceber que toda esta gente que se alimenta do sistema não é realmente uma alternativa séria. Só com uma mudança real, recusando mais do mesmo, exigindo uma real democracia mais directa e participativa e a recusa de participar nos jogos dos mercados especuladores que nos controlam com dividas forjadas para nos roubarem direitos e a própria dignidade como pessoas, podemos ter esperança. Até quando vamos continuar a aceitar ser condicionados e enganados por esta gente?


A minha árvore de Natal


Este ano estou sem espírito natalício nenhum, mas, no facebook, já andam tantas árvores com bolinhas, presentes, renas, e senhores gordos vestidos de vermelho que me senti na obrigação de também eu aqui assinalar o momento antes que me esqueça. Fica já a minha árvore já que cá por casa não me parece que vá haver outra. É o que se pode arranjar num Natal onde vai haver tanta pobreza em tantas casas embora em alguns sapatinhos se vão poder encontrar belos presentes como a TAP, a ANA ou a RTP. 


terça-feira, Dezembro 18, 2012

Um Reizinho que é uma vergonha de Presidente


Cavaco Silva afirmou, em relação ao Orçamento de Estado, que não se deixava pressionar e que ainda nem ele sabia o que ia fazer pois ainda não tomou a decisão. Isso só prova a sua total incapacidade para estar no cargo que ocupa, pois se a um dia da data do fim do prazo para enviar para o Tribunal Constitucional ainda não sabe o que vai fazer, (num assunto tão importante e que está directamente relacionado com a sua maior responsabilidade, a de fazer cumprir a Constituição da Republica). Que o Orçamento contém inconstitucionalidades parece que ninguém tem dúvidas e por isso as dúvidas do Sr. Silva são politicas. Se vai passar por mais uma vergonha de deixar passar o Orçamento e ver o tribunal a mostrar, de novo, que não cumpriu com as suas obrigações, ou se não o promulga entrando em choque com o governo. Certo é que este Orçamento é uma desgraça para Portugal e para os portugueses e isso o Sr.Silva sabe perfeitamente o que o devia obrigar ao seu chumbo politico, mas na sua cobardia habitual o mais certo e promulgar e só depois enviar para o Tribunal Constitucional. Uma vergonha feita por um Presidente que é uma vergonha ainda maior.


Uma ponte com Portas


Algures pelas Arábias o Paulo Portas afirmou que Portugal «já se passou o meio da ponte». A dúvida que fica é se essa ponte leva a algum lugar, se tem fim ou se ainda haverá alguém vivo quando lá chegar. É que neste momento a ponte está cheia de desempregados, trabalho precário, fome, miséria,impostos, austeridade, medo, indignação, e alguns banqueiros e seus amigos que de tão gordos ainda rebentam com a dita cuja ponte. É a velha luz ao fundo do túnel, agora transformada em ponte e não sei para onde nos leva, mas uma coisa é certa, não será um lugar nem feliz nem bom para se viver.


segunda-feira, Dezembro 17, 2012

Prostituição de luxo


Hoje ouvi o Passos Coelho a dizer que dedicava mais tempo à coligação com o CDS que com o seu próprio partido e lembrei-me logo que fazer um par de namorados seria uma boa imagem para o retratar, mas rapidamente compreendi que estaca errado, não são namorados, é prostituição. Como se não bastasse, ainda por cima é paga com o dinheiro, as empresas, o desemprego, os direitos laborais e sociais, a miséria e a vida de todos nós.

Este anda a brincar com o que é nosso


Um "amigo" enviou-me a imagem e a ideia. Gostei, foi só criar o boneco e publicar. Esta nem necessita de texto a acompanhar. 
 

domingo, Dezembro 16, 2012

O rei da Comédia


Este personagem que já nos assombra há demasiados anos, afirmou recentemente aos seus amigos de partido que desta vez aceitaram o Orçamento por razões patrióticas, mas que para o ano vão exigir ser ouvidos na questão do aumento de impostos. Não fosse tão triste até dava vontade de rir, mas são as nossas vidas que estão em causa e este "cómico" aceita tudo só para se manter no poder. Só tirará o tapete ao Passos Coelho quando vir que eleitoralmente isso lhe trará vantagens. Um  personagem que vale o que vale, nada e que pactua com os ladrões porque também quer a sua parte do bolo. Mais uma para, quando houver um governo com coragem para trazer à superfície os casos como o dos submarinos, deve pagar pelo que fez ao povo de um país, que ainda por cima é o dele.

Um Super Zé-ninguem


Ontem fui a Belém para acompanhar a manifestação da CGTP, (mais uma flashmob, pois é chegar, discursar e desaparecer, mas pelo menos com o mérito de fazerem, pois se não fossem eles ninguém a tinha feitio), para pedir ao Sr. Silva que não promulgasse o Orçamento de Estado. Foi um pedir batatinhas ao Cavaco, quase como uma romaria a Fátima, pois dali nada podia sair, conhecendo-se o Presidente que temos. Um homem sem estrutura moral e política para ocupar o cargo que ocupa, um Presidente que já no ano passado promulgou um Orçamento repleto de inconstitucionalidades, (como depois o Tribunal Constitucional confirmou), só porque nenhum presidente o tinha deixado de fazer antes. Nem a única porra que tem para fazer consegue ou quer cumprir, que é verificar o cumprimento da Constituição. Ajudou, melhor contribuiu fortemente para a destruição do Pinóquio Sócrates e agora não sabe o que fazer com este novo Pinóquio Coelho, calando-se e escondendo-se. Uma personagem que não serve para nada mas acaba por dar cobertura aos gatunos que estão no poder. Um Presidente que se apresentou e quiseram transformar num Super-Presidente mas que na prática não passa de um Silva sem nenhumas qualidades (defeitos parece ter muitos). Um Presidente pró papel.


Partilhe