quinta-feira, fevereiro 28, 2013

Vamos pendurar o Coelho


Hoje não fiz um boneco novo e fui reciclar um já criado para a manifestação de 15 de Setembro. A razão é simples, como fui para o Rossio, distribuir panfletos, pintar cartazes e faixas, falar com quem passava,não houve tempo para mais.Já estou a ouvir alguns a pensar, pois no 15 de Setembro já se falava em pendurar o Coelho e afinal ele ainda por ai anda. Verdade, mas isso não quer dizer que não tenha servido par nada. Serviu e muito porque eles mesmo sorrindo para fora por aquele cuzinho fica-lhes bem apertado pois nunca sabem quando é que uma maré de gente como aconteceu então não se transforma num maremoto que lhes entre pela porta dentro, o que para eles seria uma tragédia mas para muitos simplesmente um limpeza.
Vem isto também a propósito do animal ter dito hoje que "a indignação por si só não é suficiente" para "uma política de resposta à crise". E não é, chegou a altura de ela se transformar em acção, porque a nossa indignação não é contra a crise, é contra as suas causas, os seus responsáveis que se passeiam por aí impunemente a engordar cada vez mais  e contra as soluções que não passam de uma aproveitamento para implementação de  mais capitalismo neo-liberal, roubo de direitos sociais, salários e recursos e património do país por parte das grandes corporações que já são donos de governantes que se comportam como lacaios e sabujos. Mas se não é, também é verdade que o é, afinal a indignação só por si não é suficiente para responder a esta crise, é necessária também a acção e participação para correr com a escumalha que usurpa o poder em nome de uma democracia caduca e de alterne. É que está mais que na hora de pendurar o Coelho.

Grandulando e protestando.




terça-feira, fevereiro 26, 2013

Ainda esta semana


 Hoje não há boneco porque o tempo não estica para fazer tudo. No próximo dai dois espero que as ruas deste país e encham de centenas de milhares de pessoas exigindo o fim destas politicas e também deste sistema. É por isso que a partir das 15 horas vamos estar no Marquês de Pombal a exigir uma democracia mais directa e participada, que vamos estar a apresentar alternativas reais ao actual sistema de democracia de alterne. Comecei a fazer umas imagem para a sua divulgação na Internet e quando dei por isso já tinha quase 50. Quem desejar pode ver aqui [AQUI]

Já na próxima 5ª feira vai haver gente a pintar cartazes e faixas para a manifestação de dia 2 e quem sabe para que mais. Uma oportunidade para dizeres aquilo que realmente desejas e sentes e o poderes mostrar aos outros. [AQUI]



 E ainda um para um para que no dia 3 de Março não aconteça como aconteceu no 12 de Março ou no 15 de Setembro em que não aconteceu nada. Tudo ficou como estava sem ficar como estava embora não satisfizesse ninguém. Se queremos mais temos de fazer mais. Temos de voltar a sair à rua dispostos a sair muito mais vezes. Temos de compreender que a democracia obriga ao comprometimento, dá trabalho e mais trabalho dá ainda quando ainda só temos o desejo de a ter e temos um sistema com todas os poderes, todas as armas, das leis ao aparelho de justiça, da comunicação social às policias, dos interesses ao grande capital, pela frente. Dia 3 de Março vamos juntar-nos na Praça do Comércio  às 16 horas para falar sobre isso e sobre o que realmente desejamos para o nosso futuro.[AQUI]

Mais uma nova revista



Mais uma vez por falta de tempo e sono, texto não há.

segunda-feira, fevereiro 25, 2013

Assim se faz a cabeça de quem não a tem


Há muito que digo que o grande cancro da democracia são as televisões. Elas manipulam, enganam e mentem, elas elegem e demitem governos. actualmente elas são a grande ama do sistema para garantir que tudo fica como está e que a revolta não acontece. A própria SIC tem como seu lema" Fazemos opinião". Essa não é a função de um órgão de informação mas sim informar. Tudo é pensado pelos melhores especialistas de markting que sabem o momento exacto para dar determinada noticia, quando é bom fazer aparecer depois um suposto técnico para explicar a notícia e depois uns comentadores do sistema que nos venham dizer o que devemos pensar. No dia seguinte é ver as pessoas a vomitar as ideias que lhes implantaram pensando que estão a falar pela sua cabeça. As pessoas são atordoadas, manipuladas e condicionadas por aquele rectângulo que todos temos em casa. Entretenimento barato e algo, por pouco que seja, que garanta a sobrevivência e ninguém se revolta. É o pão e circo dos dias de hoje.
Já o disse aqui e repito, desliguem-se todas as televisões durante um mês e este, e todos os outros povos sujeitos ao mesmo tipo de manipulação, abrirão os olhos, vão começar a falar e a discutir o que acontece e rapidamente toda esta corrupção, ladroagem, mentira, aldrabice desaparecia numa revolta popular. Desliguem-se as televisões já.



Quem manda no governo?




domingo, fevereiro 24, 2013

Não há desemprego para vampiros


O ex-primeiro-ministro José Sócrates desempenha, desde o início do ano, o cargo de presidente do conselho consultivo da farmacêutica suíça Octapharma.
A Octafarma, faturou, por ajuste directo com o Estado português entre 2005 e 2011, cerca de seis milhões de euros. Nesse período, José Sócrates era primeiro ministro e foi quando o hospital Curry Cabral e os centros hospitalares de Setúbal e Coimbra, os principais clientes públicos da Octapharma, compraram à empresa mais de 50% do total adquirido de plasma do sangue e derivados.
No caso do Centro Hospitalar de Setúbal, o contrato por ajuste directo com a multinacional suíça foi alvo de uma investigação plo Tribunal de Contas. Só no ano de 2009, o Estado português deu à Octapharma mais de um milhão e meio de euros plo fornecimento de  plasma do sangue e derivados ao centro hospitalar de Setúbal. De acordo com o relatório do Tribunal de Contas, contratos superiores a 350 mil euros devem ser remetidos para fiscalização prévia do Tribunal de Contas. E isso não aconteceu. 
A Octapharma fornece a maioria dos hospitais públicos portugueses.

Ainda bem que a vida política portuguesa é toda ela de uma transparência acima de qualquer suspeita. Se assim não fosse até podíamos supor que havia aqui pagamento de favores. Claro que eles fornecem o plasma, mas quem paga em sangue, suor e lágrimas somos nós.

O homem da Goldman sahs...sucks


António Borges, conselheiro do Governo para as Privatizações, diz que a «crise é mais injusta, mais penosa e mais difícil e leva mesmo a sentimentos de revolta, que todos devemos sentir». Considerou ainda que «não há uma distribuição equitativa» dos sacrifícios e defendeu que esta desigualdade que está na origem do descontentamento em Portugal.

Quem não o conheça que o compre. Ainda me lembro quando surgiu por cá vindo da neblina londrina e muitos o virão como  o novo Don Sebastião que vinha para nos salvar, mas rapidamente ficámos a conhecer o "homem da Goldman Sachs". Uma besta, um ultra-liberal, um hipócrita, um....que vá pró raio que o parta.

sábado, fevereiro 23, 2013

Desemprego


O desemprego em Portugal atingiu os 15,7% no ano passado e deverá chegar a 17,5% este ano.
O ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, admite que o Governo não está a ter muito sucesso no combate ao desemprego.

" ... de cada vez que sorria à plateia lá se lhe viam os dentes de vampiro."
                                                                   Sérgio Godinho (Cuidado com a imitações)

Um pesadelo terrivel


sexta-feira, fevereiro 22, 2013

Cliomaniac compulsivo...ou será mentiroso compulsivo?


O chanceler austríaco, Werner Faymann notou que a Áustria é uma das principais fornecedoras de peças da indústria automóvel alemã, e perguntou a Passos Coelho pelo seu carro. «É francês, tenho um Renault, um Clio», respondeu o primeiro-ministro. Faymann perguntou então ao seu homólogo se os portugueses preferem carros pequenos. «Temos todo o tipo de carros, de todas as marcas», respondeu Passos Coelho.

Claro que temos, o Ministro da Segurança Social anda de motorizada Audi A8, o Gaspar de Fiat 600 e o Miguel Relvas num Corola. Segundo parece ate o Presidente da Republica se desloca nas visitas oficiais de Smart.


Uma porcaria que não serve para nada


Vivemos numa Republica o que por definição devia garantir que teríamos um Presidente da Republica. No caso português os seus direitos são limitados mas tem como principal função ser o garante do cumprimento da Constituição e do regular funcionamento das instituições democráticas. Sobre ser o guarda da Constituição já deu mais que provas que  não o faz ao promulgar diversas leis que ele próprio diz ferirem a texto constitucional, pelo que já aí quebrou o seu juramento. Mas, também no funcionamento da Democracia tem sido um incapaz. Permite que um governo eleito com um programa eleitoral o contradiga todos os dias sem nada dizer ou fazer, mas mesmo vendo que a situação social e económica do país se degradam de dia para dia, que este governo já perdeu toda a legitimidade e apoio continua em silêncio. Sendo um dos principais culpados da actual situação económica quando montou o actual sistema financeiro destruindo a produção a troco de mais dinheiros comunitários que foi entregando-o à banca privada, muita criada na altura com o seu apoio, BPN, BPP, BCP, etc em conluio com as grandes empresas de construção do betão. Foi a época das vacas gordas e do grande roubo e desastre nacional. Foi aí que se criaram as condições para o endividamento que agora pagamos com austeridade e pobreza. Um verdadeiro cancro que há décadas atormenta Portugal e que não há maneira de desaparecer.

quinta-feira, fevereiro 21, 2013

Chumbado!


A recessão em 2013 será afinal de 2% do PIB e não 1%, como previsto no Orçamento do Estado, reconheceu o ministro das Finanças. Falando na comissão parlamentar de Finanças, Vítor Gaspar disse que esta revisão em alta dos números da recessão resultam da conjugação de menos procura interna e externa.

 Um mês e meio e já tudo falhou e já são necessárias mais medidas. Nada que todos não dissessem já mesmo antes da aprovação do Orçamento, mas uma vez mais a teimosia do Gaspar chamava de burros e ignorantes a todos. Este incompetente ou mentiroso ainda não conseguiu acertar uma única previsão desde que é Ministro e falhou sempre para pior. Já está mais que provado que a receita da austeridade a todo o custo, da criação de pobreza e miséria não leva a lado nenhum e só agrava uma economia que já era débil. Ficou muito satisfeito quando foi pedir mais uns milhões de euros emprestado aos Mercados a 6% só não explica é como os pensa pagar numa economia sem dinheiro e em recessão. Claro que quem vai pagar mais esta prova da sua incompetência vamos voltar a ser nós com mais dificuldades e menos direitos. Olhe-se para a Grécia e veja-se o futuro de Portugal com um ser tão ignóbil como o Gaspar como Ministro das Finanças. Não se corte com esta política, não se mande os mercados bugiar e não se aposte nas pessoas e na sua capacidade de produzir e rapidamente o desemprego vai disparar, as falências aumentar e a pobreza tornar-se paisagem neste país. Este país está entregue a bandidos.


Já tocaram a senha da revolução ...outra vez


Que ao menos saibam a letra: Grândola Vila Morena (Zeca Afonso)

Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade

Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena

Em cada esquina, um amigo
Em cada rosto, igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade

Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto, igualdade
O povo é quem mais ordena

À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola, a tua vontade`

quarta-feira, fevereiro 20, 2013

É só veneno


Não era esta a imagem que tinha pensado para aqui colocar mas não tive mesmo tempo, para a fazer. Assim aqui fica esta que estava na pasta das nunca publicadas e que aguardava melhor oportunidade. Não é o que queria mas é o que há.

Relvas, cala-te e demite-te


Ontem alunos do ISCTE impediram o Relvas de falar numa conferencia [video aqui]. De imediato as vozes do sistema vieram logo em sua defesa acusando quem o fez de ter praticado um acto anti-democratico e que tinha sido violado o direito à liberdade de expressão. Normalmente, e se vivêssemos numa democracia plena poderia haver ai alguma razão, mas a verdade é que não vivemos. Numa verdadeira democracia nenhum governo poderia estar em funções se tivesse sido eleito baseado num programa eleitoral onde afirmava exactamente o contrário de tudo o que tem feito. Mesmo neste sistema viciado, com uma comunicação social que deturpa a verdade, silencia opiniões e impinge verdades como se fossem absolutas, ninguém fica com um poder absoluto para fazer o que muito bem quer durante quatro anos só por ganhar umas eleições e ainda menos se o fez através de mentiras e enganos.
Já ninguém duvida que a grande maioria dos portugueses quer este governo na rua, as sondagens mostram-no, uma qualquer conversa num café, num transporte publico ou em qualquer local deste pais provam-no. Numa democracia verdadeira há muito que já teria sido substituo por outro. Poderia agora fazer aqui um longo texto sobre como acredito que deveria funcionar uma democracia mas não era essa a minha intenção, mas sim dizer que existe por parte dos cidadãos toda a legitimidade de calarem esta gente, de os escorraçarem e de mostrarem o seu descontentamento.Calaram o Relvas e calar todos os outros mais que um direito é cada vez mais um dever.


terça-feira, fevereiro 19, 2013

CDIAP Lava mais branco


Ia falar aqui um pouco sobre a demissão e correspondente processo disciplinar da Procuradora do DCIAP, Cândida Almeida, mas prefiro só referir um ou dois factos. O primeiro a de que a Senhora há algum tempo referiu que não existia corrupção na política portuguesa e depois os casos que tinha entre mãos e que não andavam nem desandavam como sejam como vários inquéritos por suspeitas de branqueamento de capitais que envolvem altas figuras do Estado angolano, duas megafraudes fiscais (o caso Monte Branco e a operação Furacão), vários processos sobre a bancarrota do Banco Português de Negócios e uma investigação às privatizações da EDP e da REN. 


Euro-Aldrabões


Porque a memória é importante, porque há culpados da situação em que estamos, porque outros nos querem dominar e explorar, porque esta dívida não é nossa, porque há responsabilidades a pedir. Estes são só dois dos muitos, estes enganaram o seu país a troco de fama, fortuna e opulência, para "excitarem" os seus egos e a sua cacança. Mas há mais, muitos mais, uns vendidos a troco por tachos, outros por estatuto mas quase todos também por dinheiro.  Todos ao serviço dos Senhores do Mundo, do grande capital, dos especuladores, dos mercados, da avidez humana. Gente reles, gente gananciosa, gente que não presta. Esquecem a moral, a justiça, a decência, a dignidade a troco de 30 dinheiros. Podia fazer aqui uma lista imensa mas todos sabem quem chegou à política com uma mão à frente e outra atrás e passado pouco tempo já vive na opulência. É bom ir recordando os seus nomes e as suas faces para que nunca mais gente da sua laia possa mentir, enganar, trair e roubar à custa da pobreza e da miséria de um país.

domingo, fevereiro 17, 2013

Padrinhos


Ao confirmar-se o que aqui digo há já algum tempo, que o António Costa quer seguir directamente para o Palácio de Belém sem passar pelo de São Bento, ficou praticamente decidido que o António José Seguro será o próximo Primeiro-ministro, o que não deixa de ser estranho, ou melhor demonstrativo da mentira em que vivemos ao falar em democracia, faltando só saber quando. Mais cedo ou mais tarde o Passos Coelho vai sair de cena pela porta pequena e no seu lugar vai-se sentar outro tão incompetente como ele. Mas, é assim porque ambos são os "padrinhos" das suas famílias politicas que reinam na democracia de alterne. Com a sucessão que poderá mudar? Muito pouco porque ambos servem os mesmos donos, os mercados, as grandes corporações e os senhores do mundo. Nós, todos nós, continuaremos a ser carne para canhão, meros instrumentos das suas ambições e ganancia e números nas suas folhas de cálculo.
Por tudo isto, o ir para a rua pedir simplesmente eleições é uma falácia e uma mentira que o sistema, uma vez mais utiliza para nos acalmar e convencer que algo vai mudar quando no fim tudo ficará na mesma. Temos de mudar a forma como vivemos a democracia, como participamos nela. Os nossos sonhos já não cabem nas urnas de voto que nos oferecem de quatro em quatro anos, os nossos sonhos exigem que possamos tomar parte activa nas decisões que afectam a nossa vida e definem o nosso futuro. Não só no dia 2 de Março quando as ruas se encherem de gente, muitos arregimentados, muitos mais enganados a pedir a demissão do governo e novas eleições, exige a mudança do próprio sistema e o teu direito a poderes decidir o teu futuro na plenitude. Democracia verdadeira, directa e participada por todos.

A corda já partiu


"Estamos naquele momento em que os portugueses devem estar confiantes de que o Governo não exigirá mais do que aquilo que é necessário para que se cumpram os objectivos, sem que a corda que está esticada possa vir a partir. Temos essa preocupação. Não serviria de nada para futuro se essa corda fosse partida", afirmou hoje o primeiro-ministro durante um debate do PSD/Porto

Para o seboso a corda só está esticada, mas para muitos há muito que partiu. Bem pode ter essa preocupação porque as coisas ainda podem um dia acabar bem mal para ele. Recentemente suicidaram-se mais dois empresários da restauração por a sua corda ter partido e nada lhe garante que alguém que não tenha vontade de morrer, um dia, não se lembre de lhe limpar o sebo. Há muita gente desesperada, sem perspectivas de futuro, sem comida para pôr na mesa dos filhos. Há muita gente que vai perder tudo, a casa, a esperança, o futuro e a vida. Tudo isto é trágico e se nada for feito a tragédia é inevitável. Ele que vive entre paredes de Ministérios e carros de grande cilindrada ainda não se apercebeu o que se passa no país que diz governar. Está completamente fora da realidade e essa realidade um dia pode aparecer-lhe à frente, de uma forma trágica para ele.

Farça Infeliz


O amigo "Homenlivre3" enviou-me mais esta bela gravura para continuar esta história, mas com os encontros e desencontros que tem havido por problemas diversos só agora me é possível publicá-la. Na verdade devia ter sido no Carnaval mas não passou assim tanto tempo.

O Zé andava mesmo lixado com tudo isto. Depois de lhe cortar no ordenado até o feriado no dia de Carnaval em que gostava de brincar aos mascarados lhe roubou. Maldito Coelho, se o apanho, seguro-o pelas orelhas e dou-lhe uma cachaporrada.
Mal saiu do trabalho o nosso Zé Povinho foi rapidamente para a rua ver passar os mascarados. Viu uns mascarados de fantasmas Gasparzinhos, outros de damas com a cara do Portas e até um palhaço com cara de Relvas por lá havia. De repente na multidão nota que há alguém mascarado de Zé Povinho. Mas quem se ia lembrar de se mascarar da minha figura, pensou para os seus botões. Aproximou-se e não é que era o malvado do Passos Coelho que se tinha mascarado para poder também brincar ao Carnaval. - Ah meu grande sacana, anda cá que eu te apanho, e começou a correr para ele dizendo, - Agarra que é ladrão. 
Quando viu que tinha sido descoberto o Coelho, pernas para que te quero e fugiu com o rabo entre as pernas gritando também ele - Oh da guarda, ajudem-me que o povo me quer matar, abram-me as portas que se me apanham ainda acabo na panela. Conseguindo chegar ao carro entrou rapidamente e conseguiu fugir mesmo na hora que quase o apanhavam. -Que sorte, ufa, se calhar estiquei um bocadinho a corda e já nem na rua posso pôr o pé.
Lá atrás olhando para o carro que se afastava o Zé só pensava - Hoje escapaste, mas da próxima não vais ter tanta sorte. 
                                                                                                 Continua no próximo Domingo

Só porque sim


Cheguei a casa e não tenho nenhum boneco feito para hoje. Podia não publicar nada ou então publicar este que tinha feito há uns tempos e que por qualquer motivo ficou para esquecido. Não me lembro porque o fiz nem tenho nenhuma razão válida para o estar a publicar agora. Mas, que se lixe, vai na mesma.
 

sábado, fevereiro 16, 2013

Alternativa para Belém


Todos dizem que muitos falam mas ninguém apresenta alternativas. Não me parece que isso seja bem verdade, já muitos o fizeram, o que acontece é que como são totalmente opostas àquilo que quem controla o poder defende, fazem de conta que não contam. Mas, como o mundo não pára e a realidade acaba sempre por se sobrepor à propaganda e à ilusão, por mais que controlem a comunicação social, por mais que a escondam ela, a realidade, acabará por mostrar que as alternativas apresentadas são efectivamente alternativas. Este lindo discurso todo para dizer que até lá também há mais algumas que podemos apresentar para aplicar já agora. O Palácio de Belém está assombrado por um "zombie" que não serve para nada numa altura em que mais necessitávamos de alguém com coração, inteligência, coragem, determinação e discernimento. Infelizmente temos exactamente o oposto, pelo pelo que a alternativa podia passar por substituir um cérebro, que nunca tendo sido nada de jeito e está totalmente inoperante, por um outro em melhor estado e de melhor qualidade, quer técnica quer humana. Não é a solução ideal porque continuaríamos a ter de ver a sua horrivel pessoa, mas pelo menos podia dizer e fazer algo de inteligente e útil.

sexta-feira, fevereiro 15, 2013

O Burro do Poder


 Dizem que o poder corrompe e a prática demonstra-o todos os dias, mas a verdade é que, com ou sem poder, só se deixa corromper quem já é corrupto no seu intimo. A solução seria portanto só colocar no cavalo do poder gente imaculada, mas como muitas vezes esse ser corrupto está bem escondido, o melhor mesmo é não deixar que ninguém o monte. Distribui-se o poder por todos numa democracia mais verdadeira, mais directa e mais participada e assim todos ficamos com tanto poder, mas em tão pouca percentagem que a corrupção deixa de ter burros para montar. Para executar as tarefas que essa gente costuma executar, nomeiam-se uns quantos que se considerar ser os melhores mas fica-se de olho neles. Mal pisem em a linha, tiram-se e colocam-se lá outros. Não há votos por quatro anos em que fazem o que querem a seu belo prazer como pequenos ditadores. A legitimidade é avaliada a cada instante. Sem poderosos para corromperam a própria justiça ela pode cegar e começar a ser realmente justa e a castigar a própria corrupção. É que actualmente quando se ilha para o cavalo do poder a grandes besta não é o equídeo mas sim os que o montam.

Dia dos Namorados 2013



quinta-feira, fevereiro 14, 2013

Dia de São Valentim 2013



Desalojados da fortuna


Quando fiz este boneco era minha intenção escrever um texto sobre a nova lei das rendas e falando do último caso conhecido, daquela senhora de 79 anos que foi despejada, mesmo tendo as rendas em dia, só por não ter respondido a um inquérito e alertar para mais uma desgraça que se aproxima. No fundo, algo desnecessário, pois não é numa altura de crise e de austeridade profunda, em que o desemprego bate recordes, as pensões e salários são cortados que se criam ainda maiores dificuldades às pessoas alterando leis que lhes criem ainda maiores problemas e em nada contribuem para a resolução da dita crise. O Estado que devia ser o garante da ajuda em tempos de dificuldade, que devia procurar ser a mão que nos apoia nas dificuldades é ele próprio a calamidade que nos atinge e o carrasco da nossa desgraça. Ia falar sobre tudo isto mas já não consigo manter os olhos abertos e daqui a pouco, às 6.3o horas tenho de me levantar. Boa noite, quem desejar que escreva o que aqui falta e não foi dito.

quarta-feira, fevereiro 13, 2013

Fábrica de Pinóquios


 Fábrica de Pinóquios. Parece que fica lá para a Alemanha.

Ao correr do dedo


Já não sei o que fazer ou escrever aqui. Tanto tempo, tanta velhacaria desta gente que já fez do pior, desde roubar direitos, salários, vidas, esperanças, futuros e sei lá que mais, que já se vendeu a todas as mordomias, mercados, grandes corporações, à banca, à Alemanha, ao FMI, ao José Eduardo dos Santos, à filha, ao governo da China e do raio que os parta a todos, que tudo o que diga já foi dito e pensado e redito. Já lhes fiz o boneco de palhaços, burros, ladrões, mafiosos, assassinos, chulos, manequins, marionetas, diabos, belzebus, vampiros, santos e anjos e de tudo o que me lembrei. Não há imaginação que resista, que aguente. Não sei mesmo que mais fazer ou dizer a não ser continuar a fazer o que me sair na ponta dos dedos a cada instante. Se assim tem de ser assim será enquanto for porque não pode ser de outra maneira.

terça-feira, fevereiro 12, 2013

Máscaras e carnavais


Há gente que tem mesmo uma vida muito diferente da nossa. Nós mascaramos-no quando chega o Carnaval, eles não necessitam de o fazer porque andam mascarados todo o ano. Ou se calhar não andam, são mesmo assim.

Papa Silva Iº


Quando parecia que tudo estava resolvido, que já havia fuma laranja a sair das  chaminés do Vaticano e as equivalências do Relvas lhe garantiam o lugar não é que surge outro forte candidato para lhe disputar o lugar. Falo do Sr. Silva que tem a seu favor a idade, o Alzheimer que parece fazer parte dos requisitos, a grande capacidade de falar sem dizer nada, de não se comprometer, babar-se e lançar perdigotos. Para além disso está habituado a viver à custa do Estado e sejam 14 milhões por ano dos portugueses ou dos católicos vai dar ao mesmo. Como se não bastasse também ele pode levar o Oliveira e Costa, o Dias Loureiro e o Duarte lima para dirigirem o Banco do Vaticano, afinal já todos eles são bons amigos que fizeram parte dos seus governos e com quem já fez bons e lucrativos negócios. Quanto à profecia do Nostradamus, essa continuaria a concretizar-se. A luta vai ser renhida.

segunda-feira, fevereiro 11, 2013

Sai fumo laranja da chaminé do Vaticano


Habemus papa. Após a resignação do Ratozinguer do cargo do Papa muitos já sonham ficar-lhe com a cadeira mas bem podem desistir. Pelo que se sabe o nosso Miguel Relvas já foi ao Seminário "Moderna" para tirar um curso acelerado de Papa e segundo parece a sua experiência de vida permite-lhe aspirar aos cargo desde já. Consta que conseguiu umas equivalências por ter assistido a uma missa na televisão e ajudado a colocar a vaca e o burro no presépio governamental. Para o acompanhar em mais esta difícil tarefa fala-se que possa contratar o Oliveira e Costa para Presidente e o Dias Loureiro e o Duarte Lima para a administração do Banco do Vaticano. Assim se cumprirá a profecia do Nostradamus de que este será o último Papa. Depois prevê-se a privatização da Basílica de São Pedro, a venda da Capela Sistina e a chegada do FMI. 

Há palhaços em São Bento


Chamar de palhaços a estes dois já é quase um elogio pois menos que gatunos, vendidos ou canalhas é pouco. Mas, como encontrei um evento marcado para São Bento no Dia de Carnaval em que se propõe a quem o desejar que compareça por lá vestido de palhaço, penso que para rivalizar com os outros que  estão dentro da Assembleia, pareceu-me bem fazer-lhes o "retrato".  Eu, infelizmente, por culpa destes palhaços, só vou poder aparecer depois de terminado o meu trabalho, mas não vou deixar de passar por lá. Eles merecem.
http://www.facebook.com/events/528448000513692/

domingo, fevereiro 10, 2013

Entretanto no PS




Oposições e alternativas



 O governo fez a primeira reunião para decidir onde vai cortar 4 mil milhões de euros no estado social. Tudo vai ficar decidido ante do fim do mês e isso faz prever que a indignação faça da manifestação prevista para dia 2 de Março mais um mar de gente nas ruas. As oposições já vieram dizer o que todos sabemos, que isto é a destruição do Estado Social, que é inaceitável, etc, etc, mas todos sabemos que com maioria absoluta tudo será aprovado e a miséria se agravará. Para que serve então a oposição? Para fazer discursos? Para se indignar? Para denunciar? Para Criticar?
Esta democracia em que vivemos é uma falácia e na realidade o que faz é impor uma verdadeira ditadura da maioria durante quatro anos, mesmo quando essa maioria é conseguida através da mentira, do compadrio e da aldrabice. Prometem muito nas campanhas eleitorais, dizem que vão fazer isto não vão fazer aquilo mas depois de eleitos fazem exactamente o oposto sob a capa da legitimidade eleitoral. Nas oposições, uns esperam que o poder lhes caio ao colo para garantir que o funcionamento da democracia de alterne e os outros esperam aumentar as votações e ganhar mais um ou outro deputado. No fim quem fica sempre lixado somos nós que vimos os nossos direitos serem-nos roubados e a injustiça e miséria crescer de dia para dia.
Podiam as oposições fazer mais?. Muitas vezes não mas quando se chega a um momento em que são as próprias bases da sociedade que são colocadas em causa, quando a constituição é desrespeitada todos os dias, quando o Presidente é um incapaz e não cumpre com o seu juramento de a defender, poder-se ia esperar que essa oposição travasse o processo, abandonando a Assembleia da Republica e criando uma crise politica que levasse a pelo menos haver novas eleições. Podiam mas não fazem.
Que alternativas nos restam então a nós cidadãos para mudar isto? Ou os portugueses passam a confiar em partidos em quem nunca mostraram confiar ou tem de se mudar alguma coisa. Nas acampadas e nos movimentos ocupie, muitas alternativas foram debatidas e encontradas. Para a comunicação social o importante foi passar a mensagem que tudo não passava de um protesto de jovens, sem alternativas nem soluções. Mas elas existem e passam sobretudo por um reforço e uma mudança naquilo a que chamamos de democracia. Uma democracia, que continua a ser aquilo que era indiferente aos avanços da ciência, do aparecimento dos computadores e da revolução digital e que lhe permitiriam ser muito mais directa, muito mais participativa e sobretudo muito mais escrutinavel. Deixou de fazer sentido que alguém seja eleito por um período de quatro anos e que durante esse tempo não tenha de prestar contas aos eleitores e que se possa portar como um autentico ditador. Todos os eleitos deviam poder ser demitidos no dia em que não cumprissem com o que prometeram ou quando perdessem a confiança de quem os elegeu. O poder devia estar em todos os momentos nas mãos de todos nós que deveríamos ser ouvidos sempre que fossem debatidos assuntos que interessam a todos nós. Não aquilo a que agora chamam de debate público que não passa de meia dúzia de comentadores contratados para fingir que debatem e no fim o governo aprova o que quer, como quer e quando quer. Era a nós, a todos nós que deveria ser entregue o poder de decidir, de escolher o caminho que desejamos prosseguir e isso só será possível com uma mudança dos sistema. É por isso que na tal manifestação de dia dois essa deveria ser a principal exigência. Não uma simples mudança de governo mas da forma como nos relacionamos com o poder. Os nossos sonhos não cabem nas urnas de voto que nos apresentam de quatro em quatro anos. Soluções há muitas, escolher as melhores só passa pela nossa vontade, por sairmos da nossa "zona de conforto" e irmos debate-las com outros que também acreditam na mudança. Está nas nossas mãos mas só será possível se todos o fizermos em conjunto.

sábado, fevereiro 09, 2013

O vampiro


Quando vi esta imagem tentei imaginar que cara lhe ficaria melhor. A primeira que me veio à cabeça foi a do Sr. Silva, mas rapidamente conclui que ele. mais que um vampiro, nunca passou de um lacaio dos interesses de outros, um mero assalariado, sem dúvida bem pago, mas que mais não fez que escancarar a porta aos seus donos. O caso BPN nascido e engordado durante os seus mandatos como primeiro-ministro demonstram-no. Dias Loureiro também chegou a ser hipótese, mas ser um operacional do grande capital talvez não lhe desse o direito ao trono. O velho Balsemão, homem de mão dos Bilderberg em Portugal, o papá Espírito Santo também me passaram pela cabeça, mas resolvi-me pelo mais óbvio, o homem que dá e dispõe tudo neste governo. Não, não é o Primeiro-ministro Passos Coelho, que não passa de mais uma lacaio, mas o homem de confiança dos Alemães, dos Bancos e dos Mercados, o Ministro das finanças Vitor Gaspar. Ele põe e dispõe, ele impõe a sua lei e a sua austeridade mesmo quando já se provou que é uma aposta perdida e que não vai resolver os problemas do país. Ele suga a vida e a esperança dos portugueses alimentando-se dela. Ele sim, é um verdadeiro vampiro ao serviço de um mundo subterrâneo e escondido onde a ganancia, a indignidade e o poder são lei. 

sexta-feira, fevereiro 08, 2013

Os novos Corsários


Já nos tempos das Caravelas muitos piratas trabalhavam para Coroas estrangeiras com a finalidade de assaltar e pilhar as riquezas que eram transportadas para Portugal. Agora, passados vários séculos o que mudou foi a forma como o fazem porque a pilhagem continua. A única diferença é que agora contam também com a colaboração de alguns vendidos que a troco de mordomias e poder vendem o seu país e as suas riquezas. Na altura isso era considerado traição, agora apelidam-se de banqueiros e políticos.

Santificado sejas tu, Franquelim


Este caso do Franquelim Alves ser nomeado Secretário de Estado  quando se sabe, não pelo seu curriculum porque ai foi omitido,  que foi conivente com o Escândalo do BPN, é mais uma nódoa neste governo, mas já são tantas que quase não se notaria não fosse o facto de Ministros que saíram em sua defesa terem mentido com todos os dentes que têm na boca. O Álvaro então é uma tristeza, diz que ele não ocultou informação, que primeiro só a reteve para procurar uma solução e depois a denunciou por uma carta. O problema é que a tal carta nem foi escrita pelo tal de Franquelim. Tudo isto tresanda mas mostra alguma honra entre bandidos, já que mesmo quando um está queimado por actos do seu passado acabam sempre por lhe estender a mão. Quando alguém é diabolizado pelos seus actos alguém aparece e transforma-o num santo e num mártir pela causa. Não sei se é para calarem para que muitas verdades não venham, para a praça pública, se são meros pagamentos de favores ou de negócios apalavrados, ou simplesmente porque são amigos ou pertencem à mesma seita de interesses. Esta gente não tem vergonha nem qualquer pingo de dignidade. Esta gente não serve mas serve-se de uma democracia decadente e controlada para se manter no poder e poder saquear livremente durante quatro anos sem que nada os derrube. É por isso que necessitamos de reinventá-la, fazer uma democracia directa e participativa, uma democracia em que quem vai exercer funções públicas possa ser escrutinados a qualquer momento por todos e cada um de nós e que possa ser destituo dessas funções se os cidadãos considerarem que não está a cumprir devidamente as suas obrigações. Uma democracia em que a opinião de cada um de nós seja escutada e respeitada. Um verdadeira democracia que coloque o poder de decisão nas nossas mãos. Uma democracia em que não vão só mudando as moscas, mas onde se acabe com a merda de vez. 


quinta-feira, fevereiro 07, 2013

Velocidade alta a alta velocidade


Há coisas que nunca mudam. Quem está no poder quer construir o TGV e quem está na oposição diz ser uma opção errada. Mas, mal lá chegam o que era um erro passa a ser um plano estrutural de enorme importância enquanto os que de lá saem passam considerar o projecto como um despesismo inaceitável.Isto já ocorre há várias legislatura e com mais linha menos linha, com mais ou menos velocidade os que odiavam passam a amar o que os outros amavam e agora odeiam. Lançam-se os estudos, os projectos, gastam-se milhões e tudo fica na mesma. 
Custa a entender que num país onde se abandonou a linha férrea, destruindo os comboios regionais em nome do alcatrão se fale tanto de TGV's. Como já aqui disse uma vez não sei se o TGV é um bom ou uma má opção. É para isso que devíamos poder confiar em técnicos e engenheiros que nos dessem essa resposta de uma forma clara e que não deixasse dúvidas. Mas a verdade é que já nem nos técnicos podemos confiar pois aparecem uns com estudo a dizer maravilhas e outros a desanca-lo, consoante os interesses políticos e económicos de quem encomenda esses mesmos estudos. Mas, uma coisa eu sei, muitos desses projectos só existem para endividar o país, para alimentar especuladores e colocar-nos nas suas mãos. Foi assim que chegámos onde estamos, sem industrias, sem agricultura, sem futuro. Gastámos milhares de milhões a fazer expos, euros, auto-estradas, barragens e no fim tudo isso ou acabou ou está entregue nas mãos de alguns enquanto para nós só ficou a factura. Agora fala-se em mais 600 milhões que mais cedo ou mais tarde nos vão cobrar e vamos pagar com juros na austeridade e na pobreza. 

Quando a Realidade supera a indignação


Copiei este texto do mural de uma amiga do facebook que por sua vez já o partilhava de um outro amigo:
 
Fez-me chorar... 
Já visitei a Venezuela e Cuba. Mas, esta tarde, visitei, pela primeira vez, um país do terceiro mundo. Eu conduzia pela via de acesso ao IC19 quando observei dois homens que seguiam junto ao rail vindos do Hospital Amadora-Sintra. O mais novo aparentava 45 anos e tinha a cara tostada pelo sol. O mais velho devia ter cerca de 80 anos e trazia um dreno ensanguentado junto à cintura. O filho trazia o pai que havia tido um AVC e uma infecção urinária. Ficaram na Brandoa. Foi onde os deixei depois de ter decidido dar-lhes boleia. Não tinham dinheiro para o transporte de ambulância. Durante a viagem, envergonhado, o filho concordou comigo. Este é o país em que os donos dos bancos e das grandes empresas enchem os bolsos através da humilhação dos trabalhadores e dos reformados. O velho mal se compreendia. Muito cansado tentava comentar com muita dificuldade o que se dizia. Mas houve um momento em que encheu a voz de força e rematou: "É preciso um novo 25 de Abril". Respondi-lhe, então, que se o havia que repetir que fosse sem cravos. Pelo espelho retrovisor, vi-lhe o sorriso. Não sei o que lhe passava pela cabeça. Mas, na minha, vi o nosso povo unido esmagar os que assim tratam os que sacrificaram o melhor das suas vidas pela felicidade de outros. E sorri-lhe de volta.

Quando o li comentei que pensava fazer um post utilizando o texto se entretanto conseguisse fazer um boneco que o merecesse. Não me perguntem porque escolhi esta imagem que pouco ou nada se relaciona com ele, mas na altura, sem saber dizer porquê, pareceu-me a imagem certa e ainda agora não sei mas ainda agora me parece. Quanto à história, não é o 25 de Abril sem cravos que me diz muito, já que foram eles que me mostraram os tempos e as gentes mais lindas que vivi, mas a tristeza de saber que vivemos outros tempos bem mais feios onde se despreza a pessoa e onde quase nada resta da dignidade humana. Este é o mundo de quem coloca nos altares do poder o dinheiro e não o homem. Este é o mundo do capitalismo selvagem, o mundo em que a cada vida humana é colada uma etiqueta com o preço que vale e a vida de cada um de nós cada vez vale menos.

quarta-feira, fevereiro 06, 2013

Acorda Portugal


Tanta tem sido a propaganda para a manifestação do próximo dia 2 de Março que muitos se esqueceram que a vida não pára até lá e que não se pode dar um mês de descanso a  estes bandalhos que nos governam. Não podemos adiar a vida nem o protesto e por isso é importante que todos participem e se empenhem em combater o desemprego, a precariedade e a miséria que a ganancia e o saque de alguns está a condenar o país e os portugueses. É importante que cada vez mais a participação cívica dos cidadãos não se limite a desfilar em datas e horas marcadas  e que aconteça um pouco por todo o lado, reivindicando a justiça e os direitos que lhes estão a ser roubados todos os dias e exigindo que a sua voz seja escutada. Já nesta quinta-feira os Inquilinos vão protestar junto ao Ministério da Agricultura contra a nova lei do arrendamento urbano http://www.facebook.com/events/131784993657682/ e com os dEficientes.Indignados que e vão concentrar para acordar o Gaspar junto ao Ministério das Finanças http://www.facebook.com/dEficientes.Indignados?ref=ts&fref=ts . Todos os que puderem apareçam e apoiem estas lutas porque elas são de todos nós e é com pequenas batalhas que podemos ganhar esta guerra contra um sistema poderoso e omnipresente e omnipotente em todo o lado, seja na justiça, no poder legislativo, na comunicação social e até no poder da força repressiva cada vez mais evidente. Vamos exigir respeito e dignidade por todos, vamos exigir as nossas vidas de volta.

Vergonha e impunidade


Portugal está entre 54 países que, ao terem permitido a passagem de voos da CIA pelos seus respetivos territórios, ajudaram o Governo norte-americano a perpetrar uma campanha "global de tortura", refere um relatório internacional hoje divulgado.
O relatório da Open Society Foundations "Globalizing Torture - CIA Secret Detention and Extraordinary Rendition", hoje divulgado, refere que um "total de 54 países", entre os quais Portugal, onde entre 2001 e 2006 foram identificadas "pelo menos 115 paragens suspeitas de aviões associados com a CIA", violaram assim normas nacionais e internacionais contra a tortura.
"Portugal autorizou a utilização do seu espaço aéreo e dos seus aeroportos em voos de rendição da CIA", aponta o relatório, que elenca a mais completa lista dos países que ajudaram os EUA a transportar suspeitos de terrorismo após os ataques de 11 de Setembro, para serem interrogados e torturados.

Há muito que tempo que aqui falo de uma das maiores vergonhas que governantes vendidos a interesses estrangeiros praticaram destruindo a nossa dignidade como seres humanos; a colaboração em odiosos actos de tortura e de total desrespeito pelas leis e normas internacionais. Tantos discursos inflamados ouvi eu das bocas de hipócritas lideres ocidentais em nome dos direitos humanos, tantas guerras se fizeram com esse discurso, tantos povos foram ostracizados em seu nome. Perante o protesto da vergonha que sentimos de saber que o nosso país colaborava com prisões ilegais de cidadãos tirados à força dos seus países, transportados em segredo para outros onde eram torturados para finalmente serem levados para prisões como Guantanamo, onde permaneciam presos sem direito a julgamento nem defesa, os no nossos governantes sempre optaram pela negação e os inquéritos nunca levaram a nenhuma conclusão. Uma realidade escondida como um gato com o rabo de fora. Vem agora uma organização internacional confirmar aquilo que já todos sabiam mas muitos procuravam esconder. Vai haver consequências? Infelizmente uma vez mais não as haverá. A vergonha continua assim como a impunidade daqueles que cometeram actos indignos contra a humanidade. Vergonha.

terça-feira, fevereiro 05, 2013

A Guerra dos Rosas...vista ao espelho



A praga da Europa do Sul


Em todos os países mais ao sul da Europa não há país que não esteja em crise e onde a corrupção vai brotando com alguma regularidade. Ninguém parece estranhar que só os países mais ao sul da Europa estejam em crise profunda provocada por uma enorme dívida. Ninguém estranha que só aí as pessoas tenham vivido acima das suas possibilidades.  Ninguém estranha que aí todos os governantes sejam políticos domesticados às ordens da Frau Merkel. Ninguém estranha que só nesses países a corrupção seja conhecida e não haja nenhum politico ou banqueiros condenados por ela. Ninguém estranha que seja nestes países que a corrupção seja lei, e a justiça lenta e ineficaz. Ninguém estranha que estes países corram para a insolvência enquanto outros fazem as regras e engordam. Ninguém estranha nada nestes países nem quando vemos a pobreza a alastrar em toda a Europa do Sul. Deve ser culpa do calor e do Sol.
Ninguém acha isto estranho
que se salvem bancos e se deixam morrer pessoas? Ninguém pensa que isto não é normal. Ou talvez não seja estranho e seja tudo normal se aceitamos viver governados por mentirosos, aldrabões, canalhas e outra gente do mesmo teor. E até agora aceitámos. 

Ocorreu um erro neste dispositivo