terça-feira, abril 30, 2013

Conselho extraordinário de Piratas


Hoje houve um Conselho de Ministros, ou melhor de saqueadores para aprovarem o Plano Estratégico Nacional para a roubalheira pública, 2013-2017. Quando estou a escrever isto ainda não se conhecem as medidas, mas vão ser mais quatro mil milhões de euros que vão sair dos bolsos do portugueses. Não de todos, que continuará a haver aqueles que vão continuar a passar ao lado das dificuldades. Alguns bons  exemplos tirados das noticias do dia. Os accionistas da REN votam política que pode duplicar remuneração dos gestores. A Galp no primeiro trimestre aumentou os lucros em 51% embora tenha vendido menos gasolina. A Sonae do Belmiro aumentou os lucros em 8%. Só os salários, o nível de vida da grande maioria dos portugueses, o emprego e os direitos sociais e do trabalho é que diminuem e pagam uma divida que não contraíram e que é da responsabilidade dos tais que não sofrem com a austeridade. Esta é a justiça social que apregoam, a repartição das dificuldades de que falam. O raio que os parta se não lhes partirmos nós as trombas primeiro. 

 

Pelo monte abaixo vai o Seguro acima


Pois é isto é uma chatice, prometi que ia fazer o Seguro a sair do Congresso a passear-se entre flores primaveris e agora tenho de cumprir. Mas, na realidade também não me lembrei de nada melhor. Ao olhar para a imagem veio-me à cabeça a cantiga do Luís de Camões da Leonor que vai formosa mas não segura. Embora sem o seu engenho e arte fiz-lhe umas adaptações e deu nisto.

Descalça vai para a fonte
Seguro, pela verdura;
vai orgulhosa mas não segura.

Leva na cabeça o sonho,
de ao poder a mão deitar,
vontade de governar,
não consegue esconder;
traz o coração a arder,
de uma espera tão dura;
vai ruidosa mas não segura.

Gritos de tosca garganta,
Jotinha em ouro criado,
já com destino traçado…
tão mau que o mundo espanta!
que tenha tanta cagança
que tão triste figura
vai merdosa, e não segura.

segunda-feira, abril 29, 2013

A Primavera Cavaquista


Confesso que este não era o boneco que tinha pensado para hoje. lembrei-me que ficaria bem uma imagem do António José Seguro, acabadinho de sair do congresso, a andar de bicicleta muito satisfeito entre flores primaveris. Só que enquanto procurava a imagem para o fazer surgiu esta e, lembrando-me do discurso do 25 de Abril do Sr. Silva, não resisti. A outra ficará para depois.

Gangster, vaidoso, cagão, mentiroso e esperto


Gangster, vaidoso, cagão, mentiroso e esperto, são os adjectivos de que me lembrei assim de repente e aquilo que mais parece gostar é do poder. Agora parece que deu um murros na mesa durante a conselho de ministros para exigir mais algum. E claro que não o quer abandonar e tudo isto não passa de estar a preparar já o discurso futuro quando for necessário dizer que nunca concordou com muitas das opções do governo mas aceitou prosseguir em nome dos interesses do país e de um desígnio patriótico. Assim, pode chantagear um pouco o governo e enganar papalvos que ainda vão no seu teatro. E o futuro não lhe deve parecer muito sombrio, pois nunca poderá ser corrido deste governo e pode aspirar a uma futura aliança com o PS quando o Passos Coelho ruir. Sabe que não é previsível que o Seguro se venha a coligar à esquerda e só sobra ele, o que quer dizer que a raposa vai poder continuar a viver no galinheiro.
É por estas e por outras que o simples apelo a eleições parece ser um desejo pífio pois no fundo, podem mudar as caras mas tudo ficará como está. Mudam as moscas mas a merda é a mesma. Dizem os partidos mais à esquerda que não tem de ser assim, que também eles representam uma alternativa, mas a realidade continua a demonstrar que para a maioria dos eleitores não o são. Então a culpa é do povo que é burro, como já me disseram, Efectivamente é, mas porque custa tanto a esses partidos conseguir passar a sua  mensagem para que tudo não se repita e tudo fique na mesma? Porque não confiam neles as pessoas para os deixar governar? Esta é a resposta que seria necessário encontrar para corrigir o discurso e a prática politica. O medo é uma das respostas possíveis, mas será a única? Não haverá também muita culpa dessa esquerda em hesitar em exigir mais? Será que as pessoas não precisam  de sentir que com esses partidos no poder tudo mudaria, não só nas politicas económicas mas sobretudo na prática democrática permitindo-lhes uma maior participação na tomada de decisões? Talvez a questão acabe mesmo por se saber se essa é a vontade desses partidos. Para o Paulo Portas isso não é problema porque todos sabem que ele fala em nome dos mercados, mas para quem diz querer ser a voz do povo talvez necessite de mostrar que lhe quer dar a voz, que o quer escutar e que está decidido a acatar a sua vontade. Não é só lutar contra este governo que é necessário, lutar contra a forma como este sistema está montado que garante que o poder será sempre partilhado pelos mesmo parece ser imprescindível. Mas a nossa esquerda é tão bem comportada que até irrita.

domingo, abril 28, 2013

nem é um liderzinho, não passa de um chefinho


Sei que está a decorrer o congresso do PS. Não vi, não ouvi nada e sobretudo não gostei. Queria fazer um boneco e, embora não seja bruxo, este não deve estar muito longe da realidade daquilo que aconteceu. Se está, podia não estar.


Mais uma com alguns anos


Desculpem lá repetir mais uma imagem já publicada há una anos, mas cheguei tarde a casa e não tenho mesmo tempo.  Vou tentar que seja a última e amanhã tenha tempo para fazer uns novos. 

sábado, abril 27, 2013

Mesmo presos eles continuam


Hoje, e pela primeira vez, vou repetir uma imagem que já publiquei embora já há alguns anos. E vou repetir por três motivos. O primeiro é por falta de tempo para fazer outra e o segundo porque hoje saiu a noticia de que, apesar de estar preso por trafulhices o Isaltino Morais vai poder manter o seu mandato e assim continuar a ser o Presidente da Câmara de Oeiras. O terceiro é porque este boneco mostra exactamente o que queria ilustrar.
Não fosse a já falada falta de tempo e sono que tenho, poderia aqui falar da justiça que temos, dos anos que este processo se arrastou e do sistema que permite que um trafulha continue a poder manter um cargo e a meter as mãos na massa.No fim pagamos sempre nós.



sexta-feira, abril 26, 2013

Vai começar mais um Circo


Vai começar o Congresso do PS. Um fim de semana de propaganda e discursos para mostrarem ser uma alternativa que não são. Mentira, são alternativa ao governo mas não às politicas, à austeridade e à obediência aos mercados e ao capital. Eles garantem a continuidade deste sistema porque eles são parte integrante dele. vamos por isso ouvir falar muito de eleições, de alternativas, mas isso em nada muda ou mudará o nosso futuro. A solução tem de ser outra, com uma auditoria independente à dívida, uma união a outros países que como nós estão a sofrer o ataque dos mercados. A Grécia está na mais profunda recessão, o Chipre para lá caminha, a Espanha ultrapassou ontem os seis milhões de desempregados e a França já vai nos três milhões e duzentos mil. isto não vai parar e os direitos vão ser roubados assim como a vida e a dignidade. Se queremos mudar então temos de nos juntar e forçar a alternativa. Como? Posso ter ideias mas não tenho soluções milagrosas, mas uma coisa sei é que todos juntos saberemos encontrá-la e levá-la à prática se para isso houver vontade. Não vou perder um minuto a ver ou a ouvir o Congresso do PS ou o que vão dizer dele, prefiro usar o meu tempo a falar com outras pessoas, a debater ideias, a construir uma alternativa. Amanhã às 15 horas vou estar no largo do Carmo às 15 horas para ouvir falar da divida e da democracia. Porque não aparecem por lá?

P.S. Para quem tenha dúvidas recebi agora de um amigo esta notícia:
PP espanhol retira oxigénio a doentes para cortar na despesa. O Hospital dirigido por Juan Sánchez, deputado do PP e presidente da Comissão de Saúde no parlamento regional, enviou uma carta aos doentes informando-os de que lhes será retirado o equipamento de oxigénio, dado não serem pacientes economicamente rentáveis.

O 25 de Abril e o discurso do Sr. Silva


Durante o dia 25 de Abril tive a felicidade de reencontrar amigos mas também de conhecer outros com quem só conhecia virtualmente aqui do blog ou do facebook. Vem isto a propósito de uma amiga, que entre o discurso do Cavaco e os bonecos aqui do blog me disse que imaginava o Sr. Silva assim como uma espécie de Carmen Miranda com um grande chapéu na cabeça. Pareceu-me uma boa ideia sobretudo se esse chapéu pudesse mostrar que ele é um Presidente que continua a fazer o jogo politico do seu partido. Ainda pensei em bananas, mas isso ficaria melhor no João Jardim, mesmo sendo o Sr. Silva bem mais banana que o outro, ou num melão mas ai o personagem teria de ser obrigatoriamente o Seguro do PS. 
Este Presidente não presta para nada, é uma vergonha para a democracia, como aliás já tinha demonstrado quando foi primeiro-ministro. Um palhaço e um intriguista, uma porcaria que nenhum tira nódoas conseguirá alguma vez limpar. Desdenha dos portugueses em nome dos mercados e prefere obedecer à Troika e aos banqueiros que à vontade dos cidadãos. Um vómito como pessoa e como presidente. 


quarta-feira, abril 24, 2013

Da maior colecção de gangsters da história


Se desejarem oferecer um prenda aos vossos filhos neste 25 de Abril, dia em que se celebra o fim de uma ditadura, este boneco do Isaltino pode ser uma boa opção. Trinta e nove anos depois ainda conseguimos, pelo menos, que não haja presos políticos mas já conseguimos que haja um político preso e isso pode ser um bom exemplo para o futuro. Não sei é se teríamos prisões para todos os que andam a roubar o país e os portugueses. 

 P.S. Será que ele vai transferir o Gabinete da Presidência da Câmara para a prisão de Caxias?  

Aqui está um filme que eu gostava de ver amanhã




terça-feira, abril 23, 2013

Está na hora de lavar secretários-de-estado.


Há muita gente a passar pelos governos que deixa um rasto de pestilência e corrupção. Pelo BPN já pagámos 9 mil milhões e agora mais uns milhares de milhões para somar às dificuldades porque estamos todos a passar. Ex-Secretários de Estado do PSD então é um fartote.


Sonho de eleições




segunda-feira, abril 22, 2013

Fast-food judicial


Justiça Militares e cozinheiros são os novos oficiais de justiça que vão tratar de processos judiciais. «Funcionários públicos transferidos para os tribunais fazem em três meses formação que durava três anos. Sem a formação exigida de três anos, vão aprender em apenas três meses a desempenhar funções como redigir inquéritos de arguidos, despachar processos em final de prazo ou marcar julgamentos. Paula Teixeira da Cruz responde em «modo-relâmpago» à falta de oficiais de justiça contratando funcionários públicos de outros ramos de actividade mas sem formação adequada para lidar com processos. Processos esses que têm agora uma meta temporal muito mais curta. Todos os casos de crimes em flagrante delito têm de ser despachados até seis meses.

Ainda me lembro quando esta Senhora defendia a avaliação dos funcionários públicos em nome da qualidade e da excelência dos serviços. A justiça devia ser alto tratado com seriedade porque mexe com a vida das pessoas. Já sabíamos que havia duas justiças, a para quem pode pagar aos grandes escritórios de advogados, gente rica, gente famosa e grande corrupção em geral e a outra para o cidadãos comum que pelos vistos se vai transformar numa imensa sopa dos pobres. Basta ver como os grandes processos de corrupção se perdem no tempo, com requerimentos, anulações e prescrições. mesmo os pouco condenados continuam em liberdade e a ocupar os cargos públicos onde praticaram a corrupção que os condenou. Já quem roube um pacote de arroz ou umas bolachas é julgado com rapidez e condenado na hora. E, num país onde não há uma justiça isenta, acessível a todos e sobretudo justa a democracia e a liberdade são meras palavras sem aplicação prática. Infelizmente vivemos num desses países e a cada dia que passa a injustiça aumenta e a justiça torna-se a coutada de alguns.

No bom caminho


sábado, abril 20, 2013

Mr. Silva no País das Maravilhas


...é entendimento do Presidente da República que “o Governo dispõe de condições para cumprir o mandato democrático em que foi investido”....e é entendimento deste blog que o Sr. Silva dispõe de todas as condições para se atirar do pilar mais alto da ponte. Como hoje estou bem dispostos, como é um cobardolas, se não tiver coragem pode pedir que o atirem.


Se fosse antes dar música á Maria


O Presidente da República defendeu nesta sexta-feira em Lima, no Peru, que “não há democracia política sem justiça social” e que esta também só existe se se tiver em atenção “as necessidades básicas dos que mais precisam”.

E se fosse à merda. Mais um que vai lá para fora falar como se fosse o paladino da democracia e da justiça social para depois no seu país permitir que a miséria alastre, que o roubo continue e que a democracia não passe de uma caricatura. Se em vez de nos andar a dar musica fosse à merda fazia muito melhor.

sexta-feira, abril 19, 2013

Acabou uma marioneta. venha a próxima


Hoje a UGT mudou de liderança. Entra um tal de Carlos Silva e sai o João Proença que não deixa saudades. Foi a marioneta do regime para cortar nos direitos dos trabalhadores. Com o seu discurso moderado, sempre presente na Concertação Social acabou sempre por colocar a sua chancela para legitimar os roubos que ao longo do tempo foram feitos. Um bom lacaio do sistema que agora passa o testemunho. 


As duas faces da hipocrisia


O Fundo Monetário Internacional (FMI) defende a adopção de políticas de crescimento que promovam o emprego nos países sob programa de resgate. A garantia foi dada esta quinta-feira pela directora do FMI Christine Lagarde nas reuniões da primavera do FMI , em Washington.

Enquanto os seus jagunços estão em Portugal a exigir mais austeridade, mais destruição de emprego e da economia, nas reuniões internacionais a hipocrisia reina e defendem o contrário daquilo que impõem aos países sob o seu jugo. O FMI com duas caras, uma falsa bondosa e sorridente  e outra de gatunos e assassinos que são. Sim, porque o FMI mata gente nos países onde crava as suas garra. FMI fora daqui, já.

quinta-feira, abril 18, 2013

Gepeto só há um. Pinóquios há muitos


Não posso ver o Pinóquio que não me lembre logo do Primeiro-Ministro. Muda de um para outro e mudam as caras dos bonecos mas as mentiras continuam. Pior, cada vez o narizes crescem mais. O que não muda é o Gepeto que os continua a fabricar.


S. Silva e os seus meninos




quarta-feira, abril 17, 2013

El Presidente de la República Portuguesa


Há muito que tinha esta imagem e sempre soube que seria para o Sr. Silva, mas nunca encontrei o motivo certo para a fazer. na verdade continuo a não o encontrar, mas juntar Cavaco, Monty Pytnon e Magritte parece-me fazer todo o sentido, sobretudo agora que o ouvi tão feliz lá pelas terras da "colombiana" com a reunião entre o Coelho e o Seguro. O Non-sense de uns adaptam-se bem ao dos outros. Não sei, apeteceu-me.


O Coelho mau


 Primeiro-ministro escreveu uma carta a António José Seguro a solicitar uma reunião com o PS, que tenha como objectivo a "preservação do consenso nacional". Passos Coelho avisa que não há margem para pedir à troika nova flexibilização do défice e que o calendário é apertado, pois os cortes têm de ser decididos até final do mês.

meus amigos a coisa vai apertar. É que por mais que digam nós somos a Grécia e tudo isto já foi visto. A austeridade a provocar desemprego e miséria, a economia a ser pulverizada e a solução ser a fuga para a frente. Depois do teatro do chumbo do Tribunal Constitucional, mais um acto na preparação do cenário de desculpabilização de inevitável segundo resgate que virá acompanhado de mais desgraças para todos nós. Muitos dizem que já atingimos todos os limites para a austeridade mas muitos estão enganados. Ainda estamos muito longe de estado a que os mercados nos condenaram. veja-se que na Grécia já se fala em nova ajuda e em mais milhares de funcionários públicos despedidos. Na Grécia os desempregados já não têm direito ao seu serviço nacional de saúde. São abandonados à fome e à doença. Nós ainda não chegámos lá mas para lá caminhamos.
A cada dia que passa estamos mais próximos da desgraça e a cada dia que deixarmos passar a mais, mais difícil será travá-la. É que por mais que nos digam que somos Irlandeses o que realmente somos é Gregos.


terça-feira, abril 16, 2013

Casamento anunciado


 Pode não ser para já porque descolar do poder esta gente que por lá anda não é fácil, mas se nada for feito, se os portugueses não mudarem de atitude e não disserem não à Troika, às exigências da Euromerkilandia, aos mercados e ao neo-liberalismo capitalista, estes dois ainda acabam casados. Já fazem olhinhos às escondidas


A Troika volta a Portugal




segunda-feira, abril 15, 2013

Um coelhinho sempre ao colo




Que rico par


Nem vou fazer aqui um texto sobre este boneco. Primeiro porque não me apetece e depois porque dei um mau jeito às costas e quero evitar passar muito tempo sentado em frente do PC. Poderei por isso saltar algum boneco ou ter de fazer coisas mais simples e mais rápidas como aconteceu com este . As minhas desculpas por isso desde já e espero que tudo volte ai normal brevemente, nem que seja porque isso quer dizer que a dor passou.


domingo, abril 14, 2013

Abrir os portões do inferno


“Temos de ser capazes de responder com maior celeridade. Quem investe não tem tempo a perder”, disse o ministro Paulo Portas, depois de lembrar que o projecto turístico Comporta Dunes começou a ser pensado em 2005 e que só agora, em 2013, vai iniciar a fase de construção. Paulo Portas falava na cerimónia de assinatura do contrato de investimento entre a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) e a RioForte, do grupo Espírito Santo, para a construção do empreendimento turístico Comporta Dunes, no concelho de Grândola.

Todos sabemos que a lentidão da burocracia trava muitos investimentos e faz desesperar muita gente. Agilizar é importante, mas há que ter muito cuidado. é que agilizar não pode ser sinónimo de desregulamentar. Custa a acreditar que os Santinhos do Espírito Santo tenham demorado todos estes anos a conseguir a autorização se não houvesse muita lei que tivesse de ser furada, ultrapassada. É que estamos a falar de uma zona protegida e os Espíritos são tudo menos anjinhos. Quem ouviu o Paulo Portas falar em voz bem alta como se estivesse num comício em frente àqueles engravatados todos não pode ter ficado com dúvidas. O que ele ali defendia é que é necessário desregulamentar, abrir as pernas ao dinheiro, simplificar a vida aos poderosos à custa das regras e dos processos de defesa do ambiente e da natureza. Lucro é a palavra chave e tudo o resto é paisagem. Foi a desregulamentação no sistema bancário que criou a crise económica e é a desregulamentação na defesa do ambiente que vai permitir a sua destruição em nome do lucro de alguns. Já se conhece bem o respeito que o Sr. Portas tem pela legalidade e pelo ambiente quando foi ministro noutros governos como aconteceu no caso dos Sobreiros em que só por acaso o parceiro envolvido também era o Espírito Santo.




Gente sem vergonha


Os doentes e os desempregados vão ser os primeiros a sofrer pelas más contas do Governo, que previa 1300 milhões de euros em receitas inconstitucionais. Na reunião do Ecofin, o ministro das Finanças terá apresentado aos congéneres europeus uma solução que passa, em primeira instância, por cortes nos cerca de 419.360 beneficiários de subsídios de desemprego e dos 94.840 beneficiários de subsídios de doença.

Vivemos numa sociedade onde é considerado bom ser-se bem educado. Em principio concordo que não devemos andar por aí a chamar nomes aos outros, mas há momentos em que a indignação se torna tão grande, que o nojo por certas pessoas se torna tão enjoativo que ser bem educado é mandá-los à merda. É que ser-se um filho-da-puta tem limites. Fazem merda, lixam tudo, pior sabem que estão  a fazer merda, sabem que estão a lixar tudo e no fim ainda se vingam e descarregam sobre os mais fracos e os que já vivem em desespero. Estes bandalhos apresentam um orçamento carregado de inconstitucionalidades, acabam a culpar o Tribunal por chumbar essas normas e como retaliação vão bater nos mais fracos, nos que estão mais desprotegidos e com menor capacidade de retaliar, os que vivem na agonia do desemprego ou na doença. Em nenhum momento mostraram a mínima vontade de encontrar receitas ou cortar despesas com bancos, PPP's, assessores, auditorias ou pareceres. Em nenhum momento se lembraram de olhar para onde o dinheiro não falta. Não, é com os que já vivem no limite da vida, nos que mais necessitam do apoio. É nesses que cortam. Filhos-da puta
.

sábado, abril 13, 2013

O pós-crise ou mais uma crise de parvoice


O ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, referiu que Portugal estava no pós crise.

Festa, alegria, foguetes, Yupi, já estamos no pós-crise. Já vejo o sorriso dos desempregados, dos que perderam a casa, dos que passam fome, dos que caíram na pobreza, dos que vivem com enormes dificuldades para alimentarem os seus filhos, de todos. Acabou a crise. Nem percebo as noticias que falam em mais taxas para os pensionistas, em mais cortes na saúde, na educação e na segurança social. Deve ser uma campanha contra o governo pois se acabou a crise não há razão para mais austeridade. A partir de agora é só crescimento,a economia vai disparar e o futuro é risonho. Não haverá segundo resgate e a Troika já faz as malas e vai-se embora. Viva o pós crise.
Ou então é só mais uma parvoíce do Álvaro que como não sabe o que dizer, diz o que lhe vem à cabeça. 

Será que já se foi mesmo?


 Agora que foi substituído no governo fica a esperança que ele desapareça de vez, mas todos sabemos que quanto mais aldrabões e trafulhas são, menos vergonha têm e mais cedo ou mais tarde acabam sempre por renascer. Com os canalhas é sempre assim.


sexta-feira, abril 12, 2013

Coelhos e cenouras


Quando fiz este boneco não sabia se havia de fazer dele um pesadelo ou um sonho. O pesadelo é o de me sentir uma cenoura no meio de outras cenouras perante o apetite voraz do Coelho mas para o transformar num belo sonho basta imaginar que todas aquelas cenouras são terríveis cenouras assassinas. (nesta altura deveria ouvir-se um riso maléfico, mas também muito feliz.
 

O Novo Sr. Ministro


Para substituir o "inacreditável"  Miguel Relvas no governo, Passos Coelho escolheu o cinzento Luís Marques Guedes. Não queria deixar de assinalar este momento neste blog e por isso pensei em fazer-lhe o boneco. Embora saiba que quem vê caras não vê corações, como não lhe conheça o coração, embora não se possa esperar nada de bom de quem faça parte deste governo, resolvi fazê-lo utilizando a cara. Normalmente as primeiras impressões são as mais verdadeiras e não me costumo enganar, arrisquei.

quarta-feira, abril 10, 2013

Um pesadelo


Sem tempo e sem imaginação ainda pensei em não publicar nenhum boneco hoje. Um pouco à pressa fiz este que vai mesmo assim sem mais comentários. 
 

Maus e vingativos


Porque odeia este governo os portugueses? Que apresentem medidas para cumprir a politica capitalista que defendem e para servir os seus donos não é estranho, agora que o façam com prazer e sadismo não faz muito sentido. Como podem ser governantes quem odeia o seu país e o seu povo. Esta gente não presta e é má e rancorosa. Se lhe juntarmos a incompetência, correr com eles é urgente.

terça-feira, abril 09, 2013

Loucura


O País até pode estar a necessitar de um tratamento que certamente não é este que este governo lhe receitou que só está a matar o doente ainda mais rapidamente. E, poder-se-ia dizer que o erro está só no diagnóstico ou na terapêutica escolhida, mas na realidade esta gente fá-lo propositadamente e pior com prazer e sadismo. O país pode estar com uma cárie, mas não há necessidade de, com prazer,  lhe arrancar o queixo só porque alguns lhe querem ficar com os dentes.

A saga continua


Felizmente há algum tempo que me deixei de assistir a noticiários nas nossas televisões por uma questão de sanidade mental, mas hoje, nem sei porquê resolvi sentar-me em frente ao televisor e carregar no botão. Fiquei completamente horrorizado com a campanha a que assisti. Desde a chantagem dos nossos "amigos" europeus que ameaçam cortar com o dinheiro, ao arrebanhar de comentadores, uns para criticarem o Tribunal Constitucional por ter cumprido com a sua função de fazer respeitar a lei inscrita na Constituição,  outros para nos mostrarem já onde o governo vai obrigatoriamente ter de cortar, na saúde, na educação e na segurança social, com a sugestão de milhares de despedimentos na função pública. Eram 2 mil milhões aqui, mais 700 milhões acolá, mais 1500 milhões noutro lado, mais mil milhões por todo lado. Aquilo somado dava muitos milhares de milhões sem haver quem dissesse que o Tribunal Constitucional só cortou 1300 milhões. Se fizerem todos os cortes que foram anunciando vamos ser um país riquíssimo heio de gente sem um pão para comer. É que nos jornais os cortes já se transformam em mais impostos e o IRS para os funcionários públicos vai subir. É um fartar vilanagem. Mas não refilem, tenham medo porque já paira a ameaça de não haver dinheiro para pagar os salários de Abril (a próxima tranche de ajuda só estava prevista chegar em Maio), Este país entrou em loucura e a comunicação social já está a fazer a cabeça das pessoas para a inevitabilidade, para aguentarem e calarem. Ah, e afinal o tal relatório do FMI, a dizer aquilo que o governo pediu para lá vir escrito e que era só um estudo, uma achega ao debate da "refundação do estado" agora já é a Bíblia dos próximos tempos e há que começar a cumprir com os seus mandamentos.  Mais gente para o desemprego, mais cortes nos salários, nos subsídios, aumento das taxas moderadoras, das propinas, dos horários de trabalho, da idade da reforma e sei la´que mais. Ah, e para a semana troika vem de novo a Portugal entregar mais um caderninho de exigências e medidas e quem sabe um segundo resgate. Realmente não somos a Grécia mas alguém me vai ter de explicar a diferença que não seja um ano de atraso na rota da miséria.
O Bastonário da Ordem dos Médicos já veio avisar que se houver mais cortes na saúde há o perigo de começarem a morrer mais gente nos hospitais por falta de condições. A Troika mata e tudo em nome do lucro, dos mercados. 
Num país onde o Mexia da EDP ganha 8500 euros por dia e onde o tal bandalho do Ulrich, veio dizer que os portugueses aguentam, a pergunta a fazer. Vamos mesmo aguentar ou vamos dizer basta? vamos ficar parados a assistir a mais esta vergonha? Vamos ficar à espera que alguém se lembre de convocar mais uma manifestação para daqui a uns meses? 


segunda-feira, abril 08, 2013

O Tempo que resta



Um louco e um aparvalhado


Este homem enlouqueceu o que é grave já que é o Primeiro-ministro deste país.Perdeu todo o sentido da realidade e fica zangado porque ela não se adapta às suas vontades. Vive no seu País das Maravilhas completamente alheado da vida e das consequências dos seus actos. Nem as leis, nem a lógica, nem razão nem o desemprego, nem a miséria, nada o demove da sua loucura. Confunde maioria absoluta com poder absoluto, crise com estado de sitio e cumprimento da lei com bloqueios. O homem não está bom da cabeça, passou-se dos carretos e é Primeiro-ministro de um país que tem como Presidente um abananado que vive entre a ilusão de ser uma sumidade e o estado catatónico de uma múmia. Não vele por isso a pena esperarmos grande coisa de nenhum deles, já que um, na sua loucura de poder não se vai demitir e o outro na sua incapacidade de aparvalhado não o demitirá. Mas, como não é possível que nos demitamos nós das nossas vidas só nos resta a inevitabilidade de corrermos com ele. E já vai tarde.

domingo, abril 07, 2013

A guerra dos Titãs


A palhaçada continua com a luta dos comentadores. Hoje é o dia dos pesos pesados e à mesma hora vão estar o dito Engenheiro Sócrates e o Professor Marcelo, mas o mais certo é que sejam ambos derrotados porque o Benfica também joga a essa hora.
Podemos perguntar-nos porque começou este circo de comentadores. A resposta mais directa passa pela lutas das audiências, mas se fosse só isso seria triste mas inócuo. O pior é que isto é a forma que o sistema encontrou para uma vez mais tentar controlar a pensamento público, fazer entretenimento e criar opinião. Quando parece evidente que  aquilo que faz falta é informação correcta e independente, que seja dada a voz a alternativas que possam mostrar uma saída para o estado em que o país se encontra, cria-se mais ruído, mais espectáculo e mais condicionamento. Senão veja-se que alternativas nos apresentam. Fica este governo moribundo com Ministros contrariados e estamos lixados, o Sr. Silva nomeia um governo de Salvação Nacional que nem sequer foi sufragado em eleições que daqui a uns meses está pior que este ou convocam-se eleições que não vão trazer nenhuma solução. O PS ganha sem maioria absoluta e continua a confusão mesmo que consiga convencer o Portas a coligar-se, os partidos mais à esquerda ganham mais um ou outro deputado mas acabam por ficar uma vez mais a berrar sozinhos contra o governo . Na realidade a Troika e a Merkle continuam a governar e  criar pobreza todos os dias. É que a realidade é muito diferente daquilo que se vê e se ouve nas televisões. Quem realmente governa são os grandes grupos económicos e a banca, esse poder obscuro e oculto que vai impondo as suas leis. Continuamos escravizados a uma dívida que inventaram e através da qual nos dominam. Era necessário que toda a verdades fosse revelada pois só conhecendo-a se poderiam encontrar soluções. Continuamos a combater ilusões e a realidade a fazer a sua obra de enriquecer ainda mais alguns à custa da miséria de milhões.
 

A meretriz que pariu este governo


«O Presidente da República reitera o entendimento de que o Governo dispõe de condições para cumprir o mandato democrático em que foi investido», pode ler-se num breve comunicado divulgado apenas no site da Presidência da República.

Este foi um governo inventado pela Múmia Silva e por isso as consequências só podiam ser as que são; uma bosta. Não lhe interessavam quem nem a idoneidade, nem a competência, só a vingança. Estas são as consequências e agora a única solução que lhe resta é avançar mesmo sabendo que à frente só existe o vazio e a desgraça. É tarde para tentar um governo de salvação nacional  e eleições só vão deixar o país nas mãos de um incompetente Seguro sem maioria absoluta. 
Parece evidente que foi o próprio governo que cavou a sua sepultura ao basear o orçamento em normas que todos e até ele sabia serem inconstitucionais e o Presidente, que se viu forçado a pedir a sua constitucionalidade, não sabe agora o que fazer. O Cavaco tem sido um cancro para este país e é grande a sua culpa ao estado a que este país chegou económica e politicamente. Se tivesse alguma réstia de dignidade demitia-se. Tenho vergonha de ver aquele Palácio em Belém ocupado por tal personagem.


sábado, abril 06, 2013

Afinal não passam de ladrões comuns


Contar os tostões


O chumbo do Tribunal Constitucional à suspensão dos subsídios de férias dos funcionários públicos e pensionistas, dos cortes de 5% no subsídio de doença e de 6% no subsídio de desemprego podem custar mais de 1350 milhões de euros. 

O que se esperava aconteceu e o Tribunal Constitucional acabou por chumbar quatro dos nove artigos que tinha para verificar a Constitucionalidade. Poderiam e deveriam até ter sido mais mas foi o melhor que se conseguiu de um tribunal controlado pelo bloco central (três juízes escolhidos pelo PS e nove pelo PSD), pressionado pelo poder e pelo próprio governo e com muitas responsabilidades do Presidente da Republica. 
A questão está agora em saber como vai o governo tapar o buraco que ele próprio criou ao fazer um orçamento que ele próprio sabia ter normas inconstitucionais. Hoje já estão reunidos para decidir e só vejo três saídas. Ou se demitem atirando a culpa para cima de outros, o que seria uma solução para fugirem de toda a merda que fizeram e que de dia para dia se complica mais, embora pareçam gostar demais do poder para o fazerem, ou pedirem à Troika, e ela aceitar, que não voltem a cumprir o défice , o que não me parece pouco provável num governo que gosta de se armar em forte com os seus donos à custa da vida dos mais fracos, ou muito provavelmente fazerem o que sempre fizeram, aumentar impostos, reduzir salários e cortar direitos e serviços. É só deixá-los contar os tostões e logo saberemos.

sexta-feira, abril 05, 2013

As gavetas sem fundo


O Relvas já se foi. Com algum atraso porque o relatório sobre a sua licenciatura andou perdido numa gaveta
do Nuno Crato por mais de dois meses. (Imagino que seja uma parecida com aquela em que o Mário Soares perdeu o Socialismo que nunca mais apareceu). Se um dia aquelas gavetas vomitarem tudo o que se tem perdido por lá ia ser uma festa, mas parece que algumas não têm fundo e cabem lá Submarinos, BPN's, e corrupção à pazada. 
Agora espera-se o que vai dizer o Tribunal Constitucional para ver se este governo vai todo com o Relvas para o Brasil. Se não forem de livre vontade, como se aproxima mais um dia 25 de Abril, podemos dar-lhes boleia na "Chaimite" até ao aeroporto.

O corta-Relvas


Como português só posso estar satisfeito com a saída do Miguel Relvas do governo embora não acredite que a sua nefasta influência não o continue a contaminar e que muitos dos negócios mais nublosos não continuem a ter a sua participação. O homem é um crápula, um trafulha e um aldrabão e não vai deixar de o ser só porque deixa de receber o salário de ministro. Certamente que lhe irão arranjar algo que o compense do "prejuízo" e outro da mesma laia ocupará o seu lugar.Como autor deste blog só posso lamentar a saída de um dos personagens que mais inspiração e motivos me dava para os meus bonecos. Tinha todos os defeitos e estava metido em tudo quanto fosse confusão ou trafulhice. Da sua licenciatura por equivalência, ao escândalo dos espiões, passando pelas privatizações não havia nada onde ele não aparecesse. Vai-me fazer falta nos bonecos. Mas, ficam os outros por enquanto e estou certo que o ainda Dr. a prazo Miguel Relvas ainda me vai dar motivos para mais uns. Pode-se aparar a relva, mas as ervas daninhas voltam sempre a aparecer.

Ocorreu um erro neste dispositivo