segunda-feira, setembro 30, 2013

A viagem autárquica


Terminadas as eleições autárquicas em que mais uma vez os eleitos foram sufragados por pouco mais de 45% dos eleitores (47.36% abstenção, 3.86% votos brancos e 2.95% de votos nulos). Nesta corrida uns aguentaram-se no balanço da carroça autárquica outros deram um grande trambolhão.
Pode-se fazer ou não uma leitura nacional destas eleições mas uma coisa estou certo, se não fossem autárquicas, onde especialmente nos locais mais pequenos o conhecimento pessoal do candidato conta muito, o trambolhão do PSD seria muito maior e o CDS teria ido atrás. A abstenção teria batido recordes e amanhã estávamos a fazer manifestações a pedir a demissão do Pateta do Seguro.

Eleições autárquicas


 Lixaram o homem vão ver. Amanha já se vai vingar e podem contar com mais medidas de austeridade.

domingo, setembro 29, 2013

O palhaço de serviço


"Esta campanha eleitoral superou as minhas expectativas, porque sinto que há uma relação de confiança que se estabeleceu entre os portugueses e o PS", sustentou António José Seguro em declarações à agência Lusa. "Já fiz imensas campanhas e, nesta, em vez de ser eu a dizer às pessoas que conto com elas, são as pessoas que me dizem força, precisamos de si, não desista, isto só lá vai quando o senhor for primeiro-ministro"

Só me vem à cabeça um nome para isto para além de trampolineiro; Palhaço.  Mas há alguém neste país que acredite que alguém neste país acredite que este aldrabão é solução seja lá para o que for? Haverá alguém que acredite e lhe diga  "precisamos de si", que isto lá vai quando ele for Primeiro-ministro. Ele não passa de mais um Boy saído das juventudes, mais um que não sabe o que é a vida real, mais um que nunca fez nada mais na vida que a baixa politiquice. É mais um para quem o mundo é o que se passa em gabinetes, em acordos de corredores, em promessas de tachos e oferta de favores. O futuro deste país passa por uma mudança real de politicas  e não por substituir simplesmente o palhaço do circo. E este nem piada tem. 


Os vampiros eleitorais


Cavaco Silva começou por dizer que e na campanha eleitoral destas autárquicas “o esclarecimento dos eleitores foi prejudicado pela falta de clareza da legislação aplicável à apresentação das candidaturas e à cobertura da campanha eleitoral por parte da comunicação social”.
Sendo assim, continua, a campanha foi “limitada por condicionantes consideradas anacrónicas no contexto da sociedade da informação contemporânea”.

Nestas eleições vi finalmente a Comissão Nacional de Eleições tomar uma posição correcta quando obrigou que todas as campanhas de todos os candidatos tivessem coberturas televisivas idênticas.  Se são todos candidatos aos mesmo cargos é justo que todos possam defender as suas ideias com as mesmas armas. Claro que as televisões protestaram e resolveram não cobrir a campanha, o que diga-se de passagem foi óptimo. Mentira, porque os grandes, para além de já terem todo o poderio de máquinas eleitorais, milhões para gastar em outdoors, cartazes, panfletos, sacos, bonés, canetas e sei lá que mais, ainda tiveram os lideres partidários a fazer campanha com as televisões atrás por todo o país, mas foi melhor que antes.
Ora, quem é que havia de sair da tumba para, em vez de se vir congratular por uma maior igualdade de oportunidade para todos, veio apelar a uma mudança da lei que crie essa mesma desigualdade. Esse é um dever de qualquer Presidente da Republica que o fosse não só de nome mas na realidade,  "A campanha foi “limitada por condicionantes consideradas anacrónicas no contexto da sociedade da informação contemporânea". Desde quando é que a igualdade é anacrónica. E porque só o consideram nestas eleições? É por terem surgido um número muito maior de candidaturas fora dos partidos? É porque temem que os cidadãos se organizem e possam em muitos casos vence-las. 
Mas, eu também quero que a lei eleitoral mude, mas que mude para facilitar a cidadania, a presença de mais gente com possibilidade de se candidatar, uma maior igualdade de todos apresentarem os seus programas e ideias em igualdade de oportunidades. Que a democracia se torne mais directa e transparente com os cidadãos a serem chamados a participar mais e a serem voz activa nas decisões mais importantes que mexem com a sua vida. Porque se esta lei eleitoral é anacrónica ainda mais o é a forma da democracia representativa que temos. Vivemos na era da informação. É possível conhecer a vontade de cada um de nós quase instantaneamente, é possível perguntar a cada português que decida a cada instante. Se o todo sagrado dinheiro pode circular na rede em segurança, também as nossas escolhas o poderiam fazer. Eu queria poder aprovar ou não o próximo orçamento, a lei laboral, os cortes na saúde e educação, os resgates, os tratados, tudo. Democracia mais directa e verdadeira é o caminho.

sábado, setembro 28, 2013

Tu do está bem


Vem ai a recuperação, as previsões são optimistas, a crise vai ficar para trás. Era bom, mas os escombros da passagem deste bandalho, a destruição que deixou, essa já não pode ser apagada e, olhando para a frente tudo o que podemos ver é mais desgraça e miséria. O próximo orçamento vai prová-lo claramente e embora o tentem esconder o segundo resgate é inevitável.  Tudo o que fizeram foi mal feito, só destruíram saúde, educação, segurança social, trabalho, justiça, esperança, sem nada criar a não ser mais dívida,  injustiça,desemprego, fome, miséria, emigração. Amanhã vai ser derrotado porque as pessoas já não aguentam e querem mostrar-lhe um cartão vermelho, mas já disse que isso não vai interferir com a governação. Mesmo sabendo que não o querem o apego ao poder é muito grande. Só mesmo a pontapé esta gente se vai embora.


sexta-feira, setembro 27, 2013

Onde está o Wallyveira e Costa?



Isto só pode ser piada. A policia quis ir entregar um papel qualquer do tribunal ao Oliveira e Costa e não sabem onde está. LOL. Então o homem que fez a maior fraude de sempre em Portugal, que está em prisão domiciliária porque está muito doente, tem pulseira electrónica, tem um batalhão de advogados e não o encontram? Hoje parece que já dizem que está em casa mas não abre a porta. Só pode mesmo ser brincadeira, mas vou dar aqui cinco sugestões para resolver o problema. A primeira é que lhe metam o papel no correio e se não comparecer o julguem à revelia, a segunda que entreguem a intimação aos seus advogados, a terceira que a entreguem ao Cavaco Silva, ou Pires de Lima, ou ao Dias Loureiro que são grandes amigos e compinchas. A quarta é que arrobem a porta e a entreguem pessoalmente e para acabar a quinta que é a de lhe entrar pela casa dentro e o atirarem para um calabouço onde não possa não abrir a porta ou fugir. 
Que justiça é esta que um treinador que dá uma palmada no braço de um policia se arrisca a apanhar 4 anos de cadeia e quem rouba milhares de milhões, quem condena um país à miséria e o entrega aos grandes interesses das máfias financeiras internacionais está em casa e se dá ao luxo de não abrir a porta. Arrombem-na e atirem-no para o poço mais fundo que encontrarem. E já agora, para ele não se sentir sozinho, atirem para lá também toda a corja que o serviu e se serviu do dinheiro do BPN. O buraco tem é de ser grande para caberem todos e não haver perigo de nenhum rastejar de lá para fora. 



Anjo negro


O líder do CDS mostrou-se preocupado com a «sucessão de decisões do Tribunal Constitucional que podem gerar interrogações e perplexidades nomeadamente no plano externo». Reagindo ao chumbo de algumas medidas do Código do Trabalho pelo Tribunal Constitucional, Paulo Portas indicou, contudo, que «é preciso que se diga que as medidas mais importantes para uma economia mais moderna, mais flexível e mais geradora de emprego foram declaradas constitucionais»

Mas claro que está contente. Cada direito que seja retirado a quem trabalha é um direito adquirido pelo patrão. Não há filho-da-puta de nenhum governo que não faça uma revisão do código do trabalho e que não  torne mais precária a vida de quem tem de vender a sua força de trabalho. Esta gente só ficará satisfeita quando o trabalho for à jorna e pago com um papo seco e um copo de água.  O que chamam medidas importantes para a economia é retirar direitos e regras que permitam os abusos e para o emprego as que facilitarem o desemprego e os baixos salários. Bom seria que se preocupassem com gente como o Rui Machete que teve de abandonar 31 cargos em empresas e em vez do ordenado de Ministro pode receber a pensão no valor de 12.000 euros. A esses não se toca e antes pelo contrário fazem-se leis que os isentam de qualquer austeridade.
Quanto à preocupação com os chumbos do tribunal constitucional é mais do mesmo, pressão sobre um órgão de soberania que tem de ser isento e cumprir com a lei fundamental do país, desrespeito por essa mesma lei. É inaceitável que um Ministro critique um tribunal assim como não se compreende como aquela coisa que gosta de se chamar de Presidente permita que um governo o faça e passe todo o tempo a tentar fazer aprovar inconstitucionalidades. Quanto à perplexidade no plano externo, se é que ela existe com os chumbos do Tribunal é toda da responsabilidade do governo. Se não fizesse as leis que faz estas não tinham de ser chumbadas e assim os mercados não tinham razão para reagir desfavoravelmente. Cambada de filhos-da-puta. (os de cá e os lá de fora) .

quinta-feira, setembro 26, 2013

Água um bem que é de todos


Até ao fim do ano, proprietários têm de provar que os terrenos à beira de mar, rios e lagoas (numa faixa de 50 metros do mar e 30 dos rios) são privados há 150 anos. Caso contrário, podem vir a perder o direito sobre as propriedades que têm e o Estado pode cobrar taxa ou mandar desocupar espaços.

Se estivéssemos a falar de gente séria e honesta esta lei, sobretudo na parte que se refere à orla costeira, até poderia ter algum sentido, mas não estamos e isso é assustador. Há algum tempo foram os poços e os furos que obrigaram a declarar, agora é a vez da proximidade da água. Em tudo isto o que é comum é a água que como sabemos muitos querem privatizar pois dizem será o petróleo do Século XXI. Se fosse para o dominiuo público, se fosse para ser de todos até faria sentido mas quem me garante que daqui a meia duzia de anos ou meses não privatizam todas as reservas de água? Quando se trata de recursos naturais, sobretudo quando são bens essenciais à vida não é admissível que não fiquem disponíveis para todos. Este problema da água e do desejo da sua privatização é muito grave e está a avançar. Este não é um problema de clubismo politico, este é um problema de todos nós e onde temos de estar todos unidos e determinados a defender. É a própria vida e sobrevivência que está em causa.

A música é a mesma só difere no sotaque


França: OE com mais impostos e cortes sem precedentes mas Francois Hollande diz que a economia vai crescer e criar emprego já em 2014.
Lá como cá a música é a mesma sejam socialistas, sociais-democratas ou conservadores todos mentem, falam e acabam fazendo o mesmo. Quando são oposição todos juram que não vão subir impostos e os cortes na despesa pública serão feitos em mordomias e na despesa corrente do estado. Mal se apanham no poder, começam imediatamente a fazer tudo ao contrário do que dizem, mas sempre a prometer que para o ano é que tudo vai ficar bem acabando tudo sempre por ficar bem pior. E de ano para ano, de mentira para mentira lá vão aplicando as politicas que os seus patrões, banca, mercados financeiros e os grandes grupos económicos lhes exigem. Mas até é bom que estas politicas saltem fronteiras e cheguem a países como a França, onde o povo não é tão bovinamente calmo e paciente e quando fazem revoluções até inventam instrumentos só para cortar as cabeças da hidra do poder.

quarta-feira, setembro 25, 2013

A infância de uma nova era


Ontem ouvi o Obama, o tal que recebeu um Nobel da Paz quando só pensa declarar guerras, defender na ONU que os EUA defendem a diplomacia como forma de resolver os problemas mas que não deixarão de usar todas as formas, inclusive a militar para defenderem os seus interesses em qualquer região do mundo. Depois dos tempos em que bombardeavam e matavam em defesa dos direitos humanos passaram à fase em que fazia a guerra para salvaguardar a paz e agora simplesmente bombardeiam, matam e fazem a guerra para defender os seus próprios interesses, sejam eles políticos ou económicos mesmo sem o apoio das Nações Unidas. Quero posso e mando. Se um país eleger um líder que não gostem, se não fizer os negócios que eles querem, se de alguma forma prejudicar o comércio bombardeia-se e invade-se. Ameaçam fazer a guerra a quem não seja seu amigo e tenha armas nucleares apesar de terem o maior arsenal nuclear do mundo e serem o único país que já o utilizou, combatem o que chamam de terrorismo fazendo terrorismo, matando sem julgamento em qualquer local do mundo e mesmo sem autorização dos países em os praticam. Escutam governos, empresas e cidadãos de todo o mundo desrespeitando os principio mais básicos do direito internacional. Agora subiram a um novo patamar e ameaçam com a guerra quem não se vergue ao seu poderio e lhes dificulte o saque e o roubo.
No final da década passada previ a possibilidade de uma nova guerra mundial nesta década. Os sinais todos os dias vejo infelizmente só me fazem temer que possa ter razão.
 

Lucrécia Portas


Não me perguntem porquê porque não lhes sei responder, mas gosto imenso de fazer o Paulo Portas de santinha. Santinha mas venenosa e o mais parecido que me lembro para o descrever é a história do sapo e do escorpião que o pica quando atravessa o rio às suas costas dizendo "está na minha natureza". Também está na natureza do Portas ser venenoso e picar tudo e todos que se metem entre ele, a sua vaidade e a sua ambição desmedida. Um sabujozinho ascoroso, hipócrita e  perigoso, mas que serve muito bem quando não tenho tempo para pensar numa ideia para boneco. Faz-se por si, fica sempre bem e não tenho que pensar o que escrever.

terça-feira, setembro 24, 2013

Os sinais doPires de Lima


O ministro da Economia António Pires de Lima considera que há “sinais cada vez mais consistentes de viragem económica”, agradecendo a todos os portugueses por estarem “a levantar Portugal”.

Então não há? Deixem vir ai o próximo orçamento e esses sinais até nos vão entrar pelo terceiro olho a dentro. E, bem podem agradecer aos portugueses por se deixarem tosquiar sem levantarem o tal olho do sofá. 

A oposição e o sistema


Quase todos os "bonecos" que faço são dedicados ao governo ou então a uma ou outra cavalgadura que mostre o seu desrespeito pela dignidade de quem vive do seu trabalho ou está a ser atirado para a miséria. Mas, de quando em vez parece-me de bom tom também fazer aqui o boneco dos que passam a vida a falar para o boneco, sobretudo do Parlamento para cima, já que ninguém liga muito ao que dizem. Aquilo a que muitos comentadores, todos de direita, gostam de chamar de esquerda mais radical, ou seja aqueles que estão fora do arco do poder. São portanto partidos com assento parlamentar, que funcionam dentro do actual sistema e por isso não o desejam afrontar mas que contestam as politicas seguidas. Gente que fala alto mas bem sempre muito bem comportada. 
Para quem como eu defende que o actual sistema politico e esta democracia representativa, velhinha de séculos, necessitam urgentemente de um upgrade acabam por ser mais uma barreira à mudança. São muitas, primeiro a ignorância e o bovinismo deste povo, depois do próprio sistema que está montado para garantir que a democracia de alterne funciona tornando quase impossível que outros que não os tais partido do tal arco e do tal poder lá possam chegar. Dominam todos os poderes, do legislativo ao judicial, do poder da comunicação social ao do grande capital. Temos depois estes tais partidos da oposição que combatem o governo mas travam mudanças mais profundas no sistema. Afinal eles vivem e alimentam-se também dele. Basta ver o movimento sindical para que isso se torne claro. Uma réstia de esperança de mudança ainda nasceu quando começaram a surgir movimentos sociais, infelizmente fracos e pouco participados, mas que, minados por dentro, ao fim de dois anos vemos esboroarem-se e serem absorvidos por estruturas nascidas do próprio sistema e acabando a não pedir uma verdadeira revolução de valores e ideias mas simplesmente uma contestação aos sucessivos governos. Grandes manifestações de seis em seis meses sem continuidade e, sempre no pressuposto de unir todos, sem sumo. Sem uma estratégia a médio prazo, sem apresentar alternativas ao sistema, acabam em simples manifestações de protesto contra esta ou aquela medida ou governo, finda a qual vai cada um para sua casa ver o futebol ou a novela da noite.
Então qual é a solução? Não me perguntem a mim que não sei. Se não há consciência politica nas pessoas, se os partidos da esquerda não o desejam, se a contestação não institucional também não o faz pouco resta. Só vejo a possibilidade de uma estratégia a longo prazo, uma estratégia que, paralelamente à contestação mesmo que só feita como actualmente, passe pela acção local, pela criação de espaços que funcionem fora do sistema e mostrem que ele não é a única alternativa. Espaços abertos, autogeridos e onde a voz de todos e cada um seja escutada e respeitada. Espaços onde as pessoas sejam o fim a alcançar e não simples ferramentas para produzir dinheiro como se ele  fosse o Deus todo poderoso e objectivo último. Troca de serviços, de tempo, solidariedade e cidadania. É lento, mas temos de criar estes exemplos, mostrá-los a outros e incentivar que eles se multipliquem em cada terra, em cada bairro, na consciência de cada um. Ou então, para os mais optimistas, esperar que um dia, perante a injustiça e a miséria, este povo finalmente se levante e imponha a mudança.

segunda-feira, setembro 23, 2013

Ai o novo resgate


E este é culpa de quem? É do Tribunal Constitucional que lhe corta as inconstitucionalidades, é o Paulinho que se demitiu irreversivelmente , é do Gaspar que não sabia trabalhar com o Excel, é da chuva que caia, do Sol que brilhava, dos Bombeiros que morriam, da oposição que se abstinha violentamente, dos trabalhadores que querem ter salário, dos velhos que não morrem, dos pobres que insistem em comer, da merda que teima em cheirar mal, dos desempregados porque não querem trabalhar, dos doentes porque adoecem, dos estudantes porque precisam de professores, só não é sua. A culpa afinal é de todos que não a têm e não é de ninguém que a tem. Puta-que-os pariu a todos.

Parceiros de coligação


Sem tempo para escrever o texto. Imaginem-no

domingo, setembro 22, 2013

Uma familia de pinóquios


Hoje resolvi fazer aqui um retrato de família. Família politica alaranjada , família governativa mas sobretudo familiares que comungam de uma mesma característica. São mentirosos. Mentem com todos os dentes e como todos os mentirosos são apanhados mais facilmente que qualquer coxo. Do Passos Coelho já sabemos que a sua palavra vale tanto como a bosta de qualquer cão. Quem disse o que disse na campanha eleitoral, e há registos vivos disso em diversos vídeos que correm pela net, e agora faz exactamente o contrário é não só mentiroso como também hipócrita, aldrabão e trafulha. No caso da Ministra das Finanças foram os Swaps que o demonstraram quando negou ter aprovado swaps que têm a sua assinatura. Para terminar o Rui Machete, que há uns anos afirmou numa carta escrita a uma comissão parlamentar, nunca ter possuído acções da SLN, a dona do BPN de triste memória e responsavel por muita da austeridade que sofremos,  e que  agora vem desculpar-se afirmando que não passou de uma "incorrecção factual". Claro que podia acrescentar à lista, o Nuno Crato, o Paulo Portas e muitos outros. Grave é que não se trata de um miúdo que parte uma jarra lá em casa ou de alguém que dá uma bufa e diz que não foi ele. Estamos a falar de Ministro de um governo, gente com responsabilidades e que deveriam ser impolutos e um exemplo de seriedade num país que se respeitasse. Grave é que as suas mentiras representaram o desemprego, a fome e a miséria para milhões de cidadãos. Grave porque isso nos condena a sermos um país que regride na educação, na saúde e nos direitos sociais. Grave porque nos coloca nas mãos dos mercados e do grande capital. Grave porque transformou Portugal naquilo que ele é hoje.

sábado, setembro 21, 2013

Porquinhos mealheiros


António Mexia considera que o Tribunal Constitucional tomou algumas decisões “desenquadradas” e que “não têm em consideração o contexto” do país. Pensa ainda que Portugal irá conseguir acesso aos mercados” e que “para isso é decisivo que não se haja decisões” como as que já foram tomadas, como os chumbos do Tribunal Constitucional. “Acho que foram decisões relativamente complicadas, que não têm em consideração o contexto. Temos de ter a noção que temos de ter acesso ao  mercado e os direitos são também em função daquilo que é a capacidade que a economia tem em se financiar.”

Eu quando olho para esta personagem que ganha mais num ano que muitos de nós todos juntos durante toda uma vida, vejo um porquinho mealheiro e uma personagem ascorosa.Mas isso sou eu e depois de ler as suas declarações até me apetece concordar com ele. O principio é, as leis são para ser cumpridas ou não dependendo do contexto em que nos encontramos. Como o país está em crise suspende-se a constituição. Então pela mesma lógica qualquer cidadão que se considere em crise tem também o direito de não cumprir com as leis, ou seja pode deixar de pagar impostos, ir a lojas e simplesmente servir-se do que precisar, andar de transportes e não pagar, entrar num banco e simplesmente pegar em dinheiro e sair e se perder a casa entrar pela do Mexia a dentro e passar a viver lá. A lei só se aplica em tempos de vacas gordas porque quando são só os porcos a engordar podem-se suspender. Afinal estes que pensávamos serem os grandes capitalistas acabam por se demonstrar mais avançados que qualquer anarquista e defendem uma sociedade sem leis. O importante é que a crise se mantenha para que tudo se possa fazer e a Constituição possa ser colocada na gaveta, talvez a mesma onde um dia o Mário Soares colocou o Socialismo e que nunca mais foi encontrada.  

Escadas impossiveis

 

Paulo Portas afirmou que "Depois daquele resgate, a nossa economia bateu no fundo, (...)já saímos do fundo, estamos a começar a subir a escada".

Talvez fosse bom ao Paulo Portas sair do seu gabinete e ir à rua  perguntar aos portugueses se vêm alguma escada no seu futuro. O que se vê é que ainda nem o fundo vimos e a queda é grande. Baseados na mentira de umas décimas nos números dos indicadores económicos já falam de crescimento. Ainda hoje ouvia que desde 2011 que a contracção económica, ou seja aquilo que os cidadãos compram, não descia tão pouco. E um dia destes vai deixar de cair ou então acabamos todos mortos de fome. Já se cortou onde se podia cortar, já não há dinheiro para despesas não essenciais. Será esse o fundo de que fala o Paulo Portas? Se os salários não param de baixar e os impostos de subir como podem as pessoas consumir mais? 
Todos estes números e estas noticias não passam de campanha eleitoral, as escadas do Portas de imagens invertidas da realidade que nos cairá em cima brevemente, quando os portugueses já tiverem votado, quando as contas forem feitas e o orçamento apresentado. Ai vamos ver que o fundo parece não ter fundo.

sexta-feira, setembro 20, 2013

Autárquicas 2013 LX - Fernando Seara


Não é novidade para ninguém que para quem quer ser  politico a forma mais fácil é a de se tornar um cãozinho de um qualquer líder e/ou arranjar uma forma de estar regularmente nas televisões. Pode ser a dizer parvoíces sobre futebol, politica ou simplesmente a fazer palhaçadas. O que conta é a cara ser conhecida e até uma coisa como o Castelo Branco ou o Goucha podiam ser candidatos a qualquer câmara do país e o mais grave, ganharem-na. Aconteceu com este a falar do Benfica, do golo que não foi golo e do penalti que foi marcado. Não sei onde morava na altura mas foi suficiente para ser Presidente da Câmara de Sintra. Agora o PSD em desespero de causa escolheu-o para candidato à Câmara de Lisboa. Ou me engano muito ou brevemente lá terá de voltar ao comentário futebolístico, o que tem uma vantagem, só chateia quem fica a ver aquela merda de programas e quem passa o serão sentado à frente do televisor. Eles merecem-no.

Autárquicas 2013 LX - António Costa


Nas eleições autárquicas os candidatos são tantos que é impossível fazer aqui bonecos deles todos, mas os cartazes de campanha são de tal qualidade fazem um trabalho bem melhor que o meu. Mas Lisboa é Lisboa, a capital do país e por isso aqui fica o António Costa. Com um adversário como o Seara, se fosse eu a ele ia dormir até ao dia das eleições e só me levantava para ir fazer a festa da vitória. É que este cargo está-lhe mesmo a calhar pois evita que tenha de concorrer à liderança do PS, ter o desgaste de ser Primeiro-Ministro e assim pode concorrer directamente a Belém.

quinta-feira, setembro 19, 2013

Os manequins da loja da Troika


Agora que anda por ai a Troika e a campanha para as autárquicas obriga esta gente não se cala e todos os dias aparecem a falar mesmo quando nada têm para dizer. Na verdade tudo isto não passa de uma feira de vaidades e se uns não se importam de ser manequins dos mercados e dos senhores do grande capital, outros olham-mos com inveja e muita vontade de ocuparem os seus lugares. Lixamos-nos nós.

Oeiras é uma Estrumeira laranja


Uma mensagem de voz no telemóvel a alertar para a corrupção e desonestidade e a pedir para não votar no movimento independente Isaltino Oeiras Mais À Frente (IOMAF), um panfleto distribuído no correio com "insultos" a Moita Flores (PSD) e o carro vandalizado do seu director de campanha mereceram a condenação dos restantes candidatos.
"Esta campanha deveria primar pelo debate de ideias, mas não é isso que está a acontecer e é grave quando põe em causa o meu bom nome", afirmou o candidato do IOMAF., Paulo Vistas.
"Tudo o que é anonimato é próprio dos cobardes. Esta é uma política de estrume, na qual não me revejo e não estava à espera de aqui encontrar", disse o candidato do PSD, segurando um panfleto distribuído nas caixas do correio com o título "a verdadeira ambição de Moita Flores", com insultos ao ex-presidente da Câmara de Santarém.

Que boa que vai a campanha aqui pelo meu Concelho. Já outro dia as candidaturas destas duas bestas se tinham agredido quando se cruzaram no passeio Marítimo de Oeiras e só lamento que não se tenham atirado à água uns aos outros e que o mar os transportasse para outras paragens. Mas isto a mim interessa-me pouco porque entre a candidatura do braço direito de um corrupto, tão corrupto, tão corrupto que nem a justiça conseguiu impedir que esteja preso e um candidato que era Presidente de Câmara de Santarém e nem mora no Conselho venha o diabo e escolha. Na verdade ambos vêm da mesma estrumeira que produziu Isaltinos, Cavacos, Passos Coelhos, Dias Loureiros, etc. etc. A lista é infindável. Se faço este post é porque também quero participar dessa campanha suja e cobarde. Eles merecem.

quarta-feira, setembro 18, 2013

Assinar em papel branco


A actual ministra das Finanças aprovou um financiamento pedido pela Estradas de Portugal (EP) junto do Deutsche Bank no valor de 150 milhões de euros (o contrato de cobertura de risco, que viria a acumular perdas potenciais superiores a 13 milhões de euro.
No parecer positivo que assinou, enquanto técnica da Agência de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público (IGCP), ao financiamento contraído pela empresa pública, a actual ministra escreveu que “não eram indicados quaisquer detalhes da natureza do swap” na proposta feita pela EP, não se sabendo sequer “se a operação é a taxa fixa ou variável”.
Maria Luís Albuquerque deu “luz verde” à empresa a 4 de Junho de 2010, depois de, a 16 de Dezembro de 2009, ter dado um primeiro parecer em que considerava que "o custo do financiamento é excessivamente alto, sobretudo face à alternativa de financiamento com garantia do Estado".
No parecer de Junho de 2010, a ministra escreve que foi "contactada telefonicamente a directora financeira da Estradas de Portugal", tendo Maria Luís Albuquerque sido "informada de que o swap a contratar associado à operação em apreço não tem ainda os seus termos finalizados".

A Miss Swap até pode ser muito competente mas no mínimo é irresponsável o que faz com que não possa ser ministra. Então assina sem saber o que está a assinar? Ou sabia? É que se ainda por cima havia um financiamento com garantia do Estado mais barato porque autorizou? Porque era o Banco dos patrões alemães? Porque era preciso criar divida para depois poderem invadir o pais aterrando calmamente no aeroporto da Portela? 
Se lá porque razão for, incompetência, irresponsabilidade, corrupção ou traição a verdade é que tem de levar ela e toda a corja que lhe dá guarida e os seus respectivos donos têm de ser corridos, de preferência a pontapé. É que quem está a pagar somos nós, nos impostos, nos salários cada vez mais baixos, na saúde, na educação, nas reformas, na segurança social, na fome e na miséria que alastram. Esta gente é criminosa e devia estar a ser julgada pelos seus crimes contra os cidadãos e contra o país. Rua com esta corja toda e se for hoje já é tarde.

Um apelo pela solidariedade, justiça e defesa dos direitos constitucionais


Hoje vou utilizar um boneco que já tinha publicado anteriormente porque recebi o pedido para divulgar um apelo de justiça e solidariedade e este boneco do boneco que está em Belém pareceu-me apropriado. Por favor leiam e se puderem ajudem comparecendo em Belém na quarta-feira pelas 12 horas. Eu, sendo dos felizardos que ainda tenho um emprego, não vou poder estar presente mas quem puder apoie este homem e ajude-se a si mesmo obrigando a respeitar e cumprir a Constituição que quem tem por  juramento público a obrigação de fazer não faz. Todos temos deveres mas também todos temos direitos e é um dever de cada um de nós defender esses direitos. Aqui fica o apelo. Por favor leiam e se puderem ajudem.

«Desempregado vai pedir audiência a Cavaco Silva para lhe declarar que não vai pagar impostos

Nota de imprensa
Ao meio-dia desta quarta feira, Nelson Arraiolos irá a Belém com o intuito de pedir uma audiência a Cavaco Silva. O Nelson está desempregado, carece de apoio adequado para a doença degenerativa de que padece e a sua família foi alvo de penhoras ilegais por parte das Finanças que visavam dívidas do próprio. Uma vez que não dispõe de qualquer rendimento, irá anunciar a cessação de pagamento de qualquer imposto.
Assim, agradece-se a todos as senhoras e senhores jornalistas, órgãos de comunicação e cidadãos em geral a divulgação e apoio a este acto de resistência involuntária.

Nelson Arraiolos - 926880152»
Pergunto: até quando?
A Constituição da República Portuguesa defende o direito ao trabalho, à segurança social e à solidariedade. Diz que «O sistema de segurança social protege os cidadãos na doença, velhice, invalidez, viuvez e orfandade, bem como no desemprego e em todas as outras situações de falta ou diminuição de meios de subsistência ou de capacidade para o trabalho.» (Artigo 63.º da CRP). Diz que protege o Nelson.
O Nelson sabe que não se está a respeitar a Constituição, e não se rende. Nem que esteja sozinho contra o sistema. O Nelson, ao contrário do governo, faz jus à Constituição. O Nelson apela ao Artigo 21.º e resiste. E pede que estejamos com ele na 4ª Feira, ao meio-dia, em Belém.

terça-feira, setembro 17, 2013

Um coelhinho como tu


O presidente do PSD e primeiro-ministro Passos Coelho defendeu, o rumo seguido pelo Governo e sublinhou que não vai alterar o discurso por causa das eleições autárquicas. 

O Coelhinho diz o que quiseres, podes mudar o discurso mil vezes que ninguém estranha. Mentiroso, aldrabão, trafulha já todos sabemos que és e que dizeres uma coisa num dia e fazeres outra no outro é normalíssimo. Não iam baixar salários, não iam subir impostos, não ia haver cortes nos subsídios de férias e pensões e hoje é o que se vê. Que és mentiroso é um facto real de que ninguém tem dúvidas. Podes mentir à vontade por ser campanha eleitoral, podes ir inaugurar escolas que já tinham sido inauguradas antes, podes fazer o que quiseres que já ninguém fica surpreendido. És um bandalho, um ser desprezível, mas pior que tudo és incompetente, burro, teimoso e desumano. Para não falar de lambe botas, lacaio e traidor porque já nem vale a pena. És uma gand'a homem, não és? Para mim não vales uma escarreta de um bêbado e ainda vales menos que a bosta de um cão. Fala, fala à vontade mas fica a saber que cada palavra tua só enjoa e dá vómitos. Coisa reles.


Uma segunda-feira em Portugal


A Troika chegou nesta Segunda Feira, para fazer não uma avaliação à forma como decorre o programa de empobrecimento e de subjugação  de Portugal, mas duas de uma vez, a oitava e a nona. O melhor era fazerem também já a décima e despachavam isto de vez. O Cavaco Silva veio humildemente pedir à Troika que não seja muito má. Foi simpático da parte dele. Isto no mesmo dia em que no Parlamento, Almerindo Marques, ex-presidente da Estradas de Portugal, assegurou que foi Maria Luís Albuquerque quem deu o parecer favorável do IGCP à contratação de um swap pela Estradas de Portugal há três anos enquanto responsável da Agência de Gestão da Tesouraria e Dívida Pública. Enfim uma Segunda-feira como qualquer outra neste pacifico jardim à beira-mar plantado.

segunda-feira, setembro 16, 2013

No Jobs


Hipocrisia de cabelos brancos


O vice-presidente do PSD defendeu que «A terceira idade precisa de ver reforçado muito do apoio central que é dado por governos como este que nós representamos», num discurso durante uma iniciativa de campanha do seu partido para as eleições autárquicas de 29 de Setembro.

Ver políticos a serem hipócritas, mentirosos e aldrabões é triste mas já se tornou banal. Mas, fico enjoado quando vejo esta gente suja a querer enganar os mais idosos com promessas que sabem que nunca vão cumprir, mentindo hipocritamente quando se mostram preocupados com gente a quem andam a condenar a um fim de vida com fome e miséria. Como é que este bandalho se dá ao luxo de vir dizer, na altura em que as pensões dos reformados, (de alguns porque as dos políticos e Juízes do Tribunal Constitucional ficam de fora), vão sofrer mais um corte superior a 10% que este é um governo que se preocupa com a terceira idade. Talvez se preocupe por considerar que se não são rentáveis vivem tempo demais e por isso lhes tenha dificultado o acesso aos cuidados de saúde, talvez por isso os obrigue a viver na miséria. Hipócritas de merda, mas o pior é que ainda há quem acredite neles.

domingo, setembro 15, 2013

O Grito


O PS pediu este sábado ao primeiro-ministro que se pronuncie sobre a destruição de documentos alusivos aos contratos ´swap´. «Isto não pode ser um caso em que se fala e fala e depois não há apuramento de responsabilidades.

Eu já devo andar a confundir a realidade com a premonição. Iria jurar que este assunto da destruição dos documentos que comprometiam os bandalhos que andaram a roubar com as Swaps e foram destruídos ao fim de três anos e não dos vinte exigidos por lei já foi noticia há alguns meses. Mas, pelos vistos, o abananado Seguro só agora se lembrou de gritar em protesto.
É claro que as responsabilidades de quem rouba quando está no poder ficam sempre esquecidas ou faltam provas. Seja o BPN, as Parcerias público privadas, os submarinos ou os Swaps, tudo acaba em águas de bacalhau e sem ninguém ser responsabilizado. Vivemos na terra em que alguns tudo podem fazer impunemente enquanto outros são despedidos só porque demoraram um pouco mais de tempo na casa de banho ou não vergou a espinha quando passou o patrão. Só apetece mesmo é gritar e hoje é um dia tão bom para o fazer como qualquer outro. às 16H30 na Praça de Espanha vamos libertar esse grito com as vozes ao alto. Um grito que não possa deixar de ser ouvido e assuste este poder corrupto, ladrão e desumano.

sexta-feira, setembro 13, 2013

Até os demónios andam indignados


Manuela Ferreira Leite considerou que a lei que estabelece a convergência de pensões entre o sector público e o sector privado, reduzindo em 10% as pensões de valor superior a 600 euros, é “imoral”. Na política é necessário existirem “princípios e valores” que “têm estar presentes nas decisões”. “Este é um caso dramático e gritante e algo que não pode ser feito numa sociedade e que a sociedade não pode aceitar.”A antiga ministra de Cavaco Silva considerou ainda uma “brincadeira de mau gosto” que esta medida seja apresentada pelo Governo como temporária enquanto o país estiver em crise porque os objectivos do Governo não serão atingidos. “O único objectivo disto é transmitir ao Tribunal Constitucional que esta é uma medida temporária e não definitiva. “Não sei quem acredita nisto”, acrescenta.

É claro que a velha tem razão no que diz embora a moral de quem fez o que fez quando Ministra, de quem falou em suspender a democracia e quem defendeu que aos idosos com mais de 70 anos se deveriam cortar os tratamentos, nomeadamente a hemodiálise, porque não valia a pena gastar o dinheiro, não seja a melhor para abrir a boca. Aliás é engraçado que tanto ela como o seu amigalhaço Sr. Silva, que se queixava de não ter dinheiro para as suas despesas, só abram a boca para protestar quando estão em causa pensões em que eles são atingidos. O governo faz trapalhices todos os dias, mente, engana, lixa a vida a milhões e não se houve nenhuma critica, tocam-lhe nas reformas e saltam como gatos assanhados. coincidências. Mas, melhor mesmo que andar a dizer estas coisas seria ir visitar o seu padrinho ali em Belém e aconselhá-loa demitir já este governo. É que o que por ai vem é só mais desgraça, mais fome e mais miséria. É que como ela diz a sociedade não pode aceitar este corte nas pensões e digo eu que também todos os outros roubos a que está a ser sujeita pelo que ou o Presidente os tira a bem ou isto ainda acaba mal e alguém ainda acaba defenestrado.

quinta-feira, setembro 12, 2013

Se nos tiram a educação, vamos ser mal educados


Hoje começaram as aulas para milhares de crianças. O ministério diz que está tudo bem e tudo preparado. Eu não sei, mas ouvi dizer que há turmas com 36 alunos, muito acima do máximo permitido mesmo depois do aumento imposto por este canalha e que como ainda não existem professores contratados há muitas turmas que não vão ter aulas. 
No meio de tudo isto o aldrabão foi com o mentiroso do seu chefinho inaugurar duas escolas que já tinham sido inauguradas e estavam a funcionar há mais de uma ano. É que é mês de eleições e como estes bandalhos não fizeram mais nada pelas escolas que cortar em professores, auxiliares e condições de trabalho vão inaugurar as escolas que outros mandaram construir antes deles. Mas, desta gente não se pode esperar mais.
Se isto te revolta, se te sentes insultado como ser humano ao ver este governo destruir a saúde e a escola pública, a cortar nas reformas dos que já vivem com dificuldades estremas, a atirar milhões para o desemprego, para a pobreza e para a miséria enquanto eles, os seus amigos e os mercados engordam que nem porcos participa na concentração de dia 15 de Setembro, já no próximo domingo, na Praça de Espanha pelas 16H30. Vamos dizer não e vamos mudar isto. Vai e leva outro amigo também. Vozes ao alto .



O incompetente, o batoteiro e o aparvalhado



terça-feira, setembro 10, 2013

Um trono de merda


Aqueles que pautam toda a sua vida tendo o dinheiro como o valor supremo podem sentar-se em tronos de feitos de ouro mas nunca serão verdadeiramente pessoas de corpo inteiro e muitos lhe mijarão na campa. António Borges foi um bom exemplo e este também tresanda.

"Cheque" mate ao ensino público


O Paulo Portas veio informar-nos da intenção do governo de avançar com o cheque de ensino baseado na falácia de cada um poder escolher em que escola quer que o seu filho ande. Já aqui falei disso mais que uma vez e há vários anos. Isto não passa de uma forma de favorecer os que têm mais dinheiro ajudando a pagar o colégio onde já andam os seus filho e de preparar o terreno para o fim da escola pública. Falácia porque nenhum dos colégios particulares para gente rica alguma vez aceitará receber gente da Cova da Moura. Falácia porque assim irá fomentar o aparecimento de escolas particulares "low cost", com más condições, professores mal pagos e ensino deficiente para abocanharem os ditos cheques. Em contrapartida as escolas públicas vão definhar e baixar ainda mais de qualidade para não fazerem sombra ao novo negócio do ensino. Com o tempo, o valor dos cheques irá diminuir e só alguns passarão a recebe-lo parque o Estado não vai ter dinheiro e assim acabam com a Escola Pública gratuita para todos. 
Que este governo quer acabar com o Estado Social, com o ensino gratuito, a saúde e segurança social. Isso foi notório recentemente quando mandam cortar nas despesas da escola pública e aumentam a comparticipação por estudante nas privadas. Isso é notório quando preferem que o estado pague a hospitais privados os tratamentos enquanto fecha urgências, centros de saúde e hospitais. É notório quando prefere subsidiar as instituições  de apoio social e lares privados em vez de construir e gerir os seus. 
Os meus filhos sempre frequentaram a escola pública, não só por uma questão de dinheiro, mas sobretudo porque é ai que encontram a vida real, se cruzam com outras condições, e outras vivências fazendo deles gente mais rica e mais apta a viver o dia a dia. Que melhor forma de combater o racismo e a xenofobia que proporcionando aos nossos filhos o viverem, brincarem e estudarem lado a lado com outras etnias e outras culturas. Se há dinheiro dos meus impostos que não me importo de pagar é aquele que vai para permitir a saúde, a educação públicas, universal gratuita. Isto é algo de que nos devemos orgulhar, mas que alguns pretendem destruir só em nome do lucro de alguns.

segunda-feira, setembro 09, 2013

Entidades genuinamente independentes

 
O ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, defendeu hoje que o controlo sobre a RTP deve ser entregue a uma entidade "genuinamente independente", afastando os riscos de governamentalização da empresa. "Acho muito importante que o controlo sobre a empresa  possa vir a estar nas mãos de uma entidade, que é percebida e entendida por todos como genuinamente independente. Isso permitirá não apenas afastar o risco de governamentalização como também permitir uma direcção mais efectiva e uma prossecução mais efectiva dos objectivos de serviço público que a televisão tem".
 
Como é que é? Uma entidade genuinamente independente escolhida e nomeada por quem? Não existe já uma entidade supostamente genuinamente independente chamada de Direcção da RTP? Não existe já uma Entidade Reguladora da Comunicação Social que devia ser genuinamente independente? E essa entidade genuinamente independente fica entre a ERCS e a Direcção da RTP, entre o Governo e a ERCS, presta contas a quem ou é privada e não presta contas a ninguém? Será que estão a querer oferecer a RTP de borla a alguns amigos?


Gentinha de faz de conta


Um boneco feito um pouco em cima do joelho e nem tempo vou ter para escrever o texto que tinha pensado sobre a guerra entre o governo e o chamado maior partido da oposição. Não que se perca muito porque afinal aquilo é tudo mais ou menos igual. Se o passos é do pior que este país viu, a verdade é que de mudança em mudança o seguinte mostra ser sempre uma bosta pior que o seu antecessor, sobretudo após os jotinhas terem crescido e chegado à idade de assumirem o poder. Dai só saiu merda e cada vez cheira pior. 

domingo, setembro 08, 2013

A cornucópia do poder


O Paulo Portas gosta muito de falar de um país intervencionado e da perda de soberania para justificar as filha-de-putisse, a destruição e a pobreza que espalham pelo país. Tretas, porque nenhum cidadão decente nunca aceitaria conduzir o seu país à miséria. O que se passa é que o aceitam em nome de manterem e aprofundarem um sistema neo-liberal e capitalista que defendem. Portugal pode ter tido e ter a necessidade de pedir ajuda mas isso nunca pode determinar a sua perda de soberania e devem ser sempre os cidadãos  a primeira prioridade de qualquer governante, Não podem governar para os mercados à custa da miséria de um povo. Ai, mas precisamos do dinheiro, dizem como se tal coisa fosse inevitável. O dinheiro é uma ferramenta para ser utilizada e não um fim em si. Não se podem condenar as pessoas a serem escravos em nome de salvaguardar o dinheiro de alguns. Se não há dinheiro utilizam-se outras formas de relação entre as pessoas. E, mesmo sem ser necessário ir tão longe acredito que há no mundo povos dispostos a ajudar e sobretudo a unirem-se em busca de resolver os nossos e os seus problemas em conjunto. Vivemos tempo de mentira em que tentam mostrar o egoísmo e a lei do mais forte como a regra a seguir, mas há outras formas de fazer e de relacionamento possíveis. Temos é de ser capaz de retirar das nossas cabeças as mentiras que usam para limitar as alternativas e impedir novas soluções. Limpar as cabeças e pensar em alternativas em que sejam as pessoas o centro e a razão das politicas. Só isso acabaria com as inevitabilidades, mudaria tudo e tudo seria possível.

Cavalo do Poder


Ouvi Passos Coelho partes do discurso que fez algures por ai e, não sendo possível destacar uma frase que tenha dito pois era um enxurrada de hipocrisia, cretinisse, demagogia e filha da putisse, para além daquela cara com sorrisinho de idiota, tudo me meteu um nojo tremendo. Onde nós nos deixámos chegar. Não acham que já basta? Porra, será que vivendo naquilo que dizem ser uma democracia não há soluções democráticas para correr com anormais como estes antes de passarem 4 anos? É que se assim é, se alguém pode dizer e fazer o que este parvalhão faz e diz então algo está muito errado com esta democracia e é necessário mudá-la rapidamente. Isso faz-se com protesto, não pelo protesto, mas baseado em ideias, isso faz-se com o debate e com a busca de alternativas a este sistema podre e isto faz-se com a cidadania activa, com a participação de todos e com novas formas de relacionamento e de solidariedade entre todos. Isto faz-se com a vontade e a participação de todos. Isto faz-se levantando o rabo do sofá e começando a fazer. Isto faz-se começando a pensar em vez de repetir o que se ouviu alguém dizer na televisão. Isto faz-se respeitando tanto o nosso vizinho como a nós próprios, isto faz-se sendo cidadão.

sábado, setembro 07, 2013

O Lobo Xavier e os porquinhos mealheiros


O polvo Lobo Xavier que anda metido em tudo e em todo o lado, aquela coisa parda que aparece no fundo de qualquer cerimónia ou jantar a segredar ao ouvido de alguém, quando confrontado com o atraso civilizacional que esta politica condena Portugal, destruindo a saúde, a educação e até o respeito e dignidade do ser humano veio defender que há dividas prioritárias e que a divida soberana se sobrepõe a tudo e a todas as outras. Morra-se de fome, de doença, não se paguem as pensões, ordenados, não se cumpram acordos, vale tudo desde que paguemos aos usurários, aos mercados e os que com a sua ganância nos condenam à miséria. Claro que ele faz parte de administrações, de concelhos de gerências, representa interesses poderosos e por isso só defende os seus donos, os que o engordam, mas que em nome do vil metal se esteja cagando para o seu povo, o seu país, a existência das pessoas como seres humanos. e triste. Ainda por cima é um ser seboso. Nojo.


sexta-feira, setembro 06, 2013

Coisas da velha que sempre o foi porque já nasceu velha


A ex-líder do PSD, Manuela Ferreira Leite acusou o Governo de fazer "bluff" ao dizer que o chumbo do Tribunal Constitucional ao regime jurídico da "requalificação de trabalhadores em funções públicas" poderá provocar medidas mais duras para os portugueses. "Isto é um 'bluff' de todo o tamanho. Tudo isto é um processo que demoraria muito mais de um ano, porque só na qualificação eles estariam um ano, mesmo que não tivesse sido considerado inconstitucional nunca isto teria qualquer efeito orçamental nem este ano, nem no próximo".

Até tu ferreira leite. Claro que conhecendo a dama sei que não é melhor que a encomenda que lá está. Quem defendeu que os o SNS só devia pagar a hemodiálise até aos 70 anos e que depois disso não valia a pena já mostrou bem quem é e ao que vem. Seja como for não ia perder uma oportunidade para lhe fazer mais um boneco. é que estas bestas que lá estão agora já fartam e nem para bonecos prestam.


Há que preparar a chegada a Troika, limpa o pó, arear as pratas, polir os cristais.



quinta-feira, setembro 05, 2013

Mais um Maduro


Como a imagem é a de um disco do Quim Barreiros  podia começar com algo brejeiro fazendo já um trocadilho com o nome de "Poia com ares de Maduro" mas é preferível não. É que não sei bem onde amadureceu este maduro porque nunca tinha ouvido falar de tal personagem. Imagino-o a escrever umas baboseiras num desses blogs de direita, a blasfemar contra o Estado a defender o neo-liberalismo que o Passos Coelho, mesmo não entendendo, se diz admirador. Um pouco da mesma maneira que convidou o não saudoso Álvaro santos Pereira. 
Na prática vinha para substituir o Miguel Relvas na parte de comunicação do governo. O outro fazia-nos vomitar e este chegou com toda a força e com conferencias de imprensa semanais para explicar tudo o que o governo fazia. A verdade é que falar é fácil e para atirar umas postas de pescada para fazer propaganda basta um qualquer personagem que saiba falar sem meter os pés pelas mãos. (Para a Presidência também deveria ser um requisito mas infelizmente temos o que temos). E lá aparecia o homem a fazer lindas dissertações, mas do que se esqueceu é que depois da prosa vêm as perguntas dos jornalistas e ai as coisas começaram a descambar. É que a politica deste governo não se aguenta se for questionada tanta é a porcaria, o compadrio, a podridão o desrespeito e os resultados que representa. E assim tudo voltou ao que era, acabaram as conferencias de imprensa e ficaram os comentadores das televisões a dizer que o mal é que o governo não explica as medidas que toma. O governo, esse ficará a lançar foguetes se alguém é contratado para ir limpar uma casa de banho, pelo menos até ao dia das eleições. Depois mais uma vez tudo voltará à forma inicial e lá vêm mais cortes nos salários, nas pensões, nos direitos sociais e na pouca qualidade de vida que ainda resta a alguns. Mais impostos, mais Troika, mais dívida, mais um "resgate" .


Anjo de trombetas ou um diabrete de trombas


O Presidente da República defendeu que os responsáveis políticos devem dar maior importância à luta contra a pobreza e à exclusão social, e sublinhou a necessidade de soluções "flexíveis e inovadoras" para garantir um nível de vida digno.

Imagino que um ser de uma outra dimensão ou vindo dos confins do espaço que desembarcasse em Portugal, que estudasse a nossa religião com os seus anjos e ouvisse o Cavaco falar até pudessem ver nele um anjo que com as suas trompas alertasse para a pobreza e a miséria espalhando a palavra do milagre da multiplicação do pão. Para nós que por cá vivemos sabemos bem que não é assim e que de anjo não tem nada e e o mais parecido com as trompas serão as trombas e só porque rima. Todos conhecemos bem o percurso, as ideias e sobretudo a prática de tal personagem, um homem que não erra e que raramente se engana, um homem para quem ainda está para nascer alguém mais honesto que ele, (se não falarmos do BPN e outras coisas pequenas como essas). Um homem que já avisou sempre há um ano o que ia acontecer hoje e a que nunca ninguém parece dar ouvidos, talvez porque nunca ninguém entenda bem o que diz, um homem que já escreveu ontem já o futuro num qualquer prefácio ou na sua página do facebook,. Um homem que é traiçoeiro, vingativo e sobretudo de uma hipocrisia e palermice sem limites. Um homem que fala de soluções flexíveis e inovadoras para combater a pobreza e a exclusão social. Muito bem, diga lá algumas. Como imagina que isso vai ser feito com um governo que apostou nessa mesma pobreza como solução para os problemas e em que ele apostou. Ou a flexibilidade é a sopa dos pobres e a inovação novas formas de caridadezinha? 
É que este problemas resolvem-se com um Estado Social forte, com uma politica de emprego e de partilha exactamente o contrário daquilo que o neo-liberalismo capitalista do governo que mantêm no poder defende.
Eu já não espero nada de bom vindo desta horrenda personagem mas pelo menos que se cale e nos deixe esquecer que existe, que devia cumprir e fazer cumprir a Constituição, que devia ser o Presidente de todos os portugueses, que devia ser uma pessoa digna e até mesmo ser uma pessoa. Há males que não desaparecem com facilidade.

quarta-feira, setembro 04, 2013

Os Fidalgos da Casa Cavaquista


O Passos Coelho pediu bom senso aos Juízes do Tribunal Constitucional como se fossem uns desmiolados que não sabem interpretar a Constituição . Embora o esteja a fazer sem querer não percebo porque não faz directamente as mesmas criticas ao Sr. Silva que é quem envia, embora muito menos do que devia, as leis para o Tribunal por saber que são inconstitucionais. (Sim que ele sabe tudo e nunca se engana). É um carapau de corrida no governo e uma alforreca em Belém

Mais uma só porque sim


Encontrei esta pintura na net e soube logo que tinha de fazer um boneco com ela e até quem seria o personagem retratado. Mais uma vez sem conscientemente ter uma razão definitiva  do porquê, mas a pintura andava aqui na minha área de trabalho do programa de edição de imagem e ia-me aparecendo frequentemente  pela frente, Estava a pedir para ser feita e que seja feita a sua vontade. 

terça-feira, setembro 03, 2013

Um ditador de merda



As serviçais de serviço



Portas e Maria Luís em ‘roadshow’ para conhecerem novos chefes da troika. O vice-primeiro ministro e a ministra das Finanças deslocam-se esta semana a Bruxelas, Frankfurt e Washington, entre terça e quinta-feira, para encontros com os responsáveis da Comissão Europeia, do BCE e do FMI. Portas e Maria Luís Albuquerque são acompanhados no périplo pelo secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro, Carlos Moedas, e pelo secretário de Estado Adjunto do vice-primeiro-ministro, Miguel Morais Leitão.
 
Boa viagem e divirtam-se. Vão lá prestar vassalagem e receber as ordens dos vossos donos. Já agora podiam aproveitar a viagem e irem todos à merda. Essa parte da viagem nós pagávamos com prazer.


Ocorreu um erro neste dispositivo