quarta-feira, maio 31, 2006

Paulo Portas, Maria Antonieta e o Terror

Paulo Portas voltou hoje a conseguir fazer-me rir com o seu "Estado da Arte". Tenho que dizer que ri com vontade, isto depois de quase ter desistido a meio caminho. É que uma hora de Portas é …chato. Aquele sorriso hipócrita, o ar de anjinho, aquele displicente erraram mas eu perdoo, todo aquele destilar de liberalismo, desprezo pela esquerda, afinal tudo aquilo que diz, representa, é.
Mas, no fim, quando já quase desesperava a espera compensou. O Festival de cinema de Cannes, os filmes, o filme de Sophia Coppola, “Maria Antonieta”, personagem cuja história, muito o ajudou à sua opção pela direita politica. Afinal “ela nada mais era que uma jovem rapariga que gostava de se divertir”. Livros, mais livros, o livro definitivo sobre a história da revolução francesa, "Citizens", que lhe foi “apresentado pelo Vasco Polido Valente, em versão brasileira, escrito por um inglês para dai chegar novamente aos malefícios da esquerda. Ficamos aliás a saber, de viva voz, ali em directo um novo facto que pode mudar toda a nossa percepção da história, desde os seus primórdios ainda “amacacados” até aos dias de hoje. –“O terror começou com a revolução francesa”. Sim, é verdade, só nessa altura foi ele inventado por aqueles revolucionários esquerdistas. Persas, Gengis Kan’s, idades média, inquisições afinal nada mais causaram que alegria, indiferença, ou em muitos poucos casos, um pequeno arrepio na espinha de medo. Nada de mais. Até que, em pleno 1791, ali, em França, os revolucionários de esquerda finalmente inventaram o “Terror”. Há já quem diga que, foram também eles, quem criou as condições para a existência do nosso maior festival de cinema em Portugal, “O Fantasporto”. Assim se faz a cultura do nosso país.
.
Contributo para o Echelon: spies, IWO, eavesdropping

27 comentários:

  1. Olha, um ganda fantasporto é tu não me responderes aos mails....

    ResponderEliminar
  2. politicopata:
    Já ontem te enviei o que me tinhas pedido. Agora que mal tenho tido tempo para actualizar o meu blog também é verdade. Tem calma que eu vou fazendo o que puder.
    um abraço

    ResponderEliminar
  3. “ela nada mais era que uma jovem rapariga que gostava de se divertir”, é a cara dele..

    a maria antonieta não foi depois a protagonista do exorcista? só assim se explica aquela cena da cabeça..

    bjuzzz, muitos.

    ResponderEliminar
  4. e eu que fui visitar uma exposição de horrores de instrumentos de tortura, e pensava que tinham sido aplicados na idade média...afinal que burrinha sou. Eram da altura da revolução francesa. Tenho que ouvir mais vezes o ilustre portas...
    A imagem está de mestre, condiz com o texto!
    Beijos

    ResponderEliminar
  5. Cristina:)
    Bom dia.
    Não sei se assististe ao programa. O fim foi ilariante. Quando passou da politica para uma pseudo cultura foi um fartote.
    Ainda não tinha pensado nessa vertente exorcista/Maria Antonieta, mas é bem pensado :)
    Muitos bjs para ti

    ResponderEliminar
  6. tb:
    Também eu me fartei de aprender com o Mestre Portas. Aquela do terror não lembrava a mais ninguem.
    bjs

    ResponderEliminar
  7. A culpa é vossa, que insistem em ter tvcabo. Eu cá com a rtp2, mais a 1, e uma outra tal de sic, bem me vou safando. E só sei destas coisas porque vocês insistem em me contar.

    ResponderEliminar
  8. O terror começou quando um sapiens percebeu que um podia dar uma paulitada noutro sapiens para levar adiante os seus intentos... Começou assim o "fantasporto" da raça humana... Infelizmente.
    Os golpes de estado, cruzadas, guerras, revoltas e revoluções carregam em si esse "horror". A rev. Francesa foi apenas mais uma, mas realmente não começou aí, como tu dizes e toda a gente sabe. Antes fosse. Assim não teria acontecido a chacina constante que foi, por exemplo, a idade média, com as suas guerras, genocidios e fogueiras acesas...
    Mesmo em "boas causas", as ( algumas ) pessoas tendem a tornar-se bastante violentas e a perder o controlo. Muitas vezes, os inocentes também apanham por tabela e esse é o verdadeiro horror. Isto acontece/aconteceu em todos os regimes, em todas as ideologias... É por isso que as "deixo na borda do prato".
    Que nós ainda pudessemos ver o dia em que esses "horrores" terminassem para sempre...

    Abraço

    ResponderEliminar
  9. Infelizmente o terror começou e há-de perdurar, porque a ganância e a sede de poder do homem não tem limites...

    ResponderEliminar
  10. Eric:
    Se calhar tu é que fazes bem, mas olhando para o estado das TV's de que falas tambem não estás muito bem servido.
    um abraço

    ResponderEliminar
  11. sa morais:
    Desconfio que nunca veremos esse dia. A espécie humana é capaz das maiores atrocidades como tem demonstrado a história. Basta ver no que se transformam respeitaveis e calmos membros de comunidades quando colocados em situações de propagar o terror. A guerra da Bosnia e outras são disso um bom exemplo.
    Quem afirmou que o terror tinha começado com a revolução francesa, não fui eu, foi o Paulinho da feiras. Eu só me espantei e ri.
    um abraço

    ResponderEliminar
  12. outminder:
    Uma verdade com a qual teremos de viver, infelizmente:
    um abraço

    ResponderEliminar
  13. que interesses estarão por trás do tempo de antena que é concedido a esta criatura?
    (a ilustração está fantástica!)

    ResponderEliminar
  14. A miss fardas não tem culpa. Culpa é de quem a põe a falar depois de saber que dali só sai asneira. Nem ela podia falar nas pirotecnias da igraja católica, sob pena de não a deixarem ir à hóstia! Eu não vi o programa, mas já me fizeste rir hoje...
    Post fabuloso! E a Antoinette ali de cima está U-M M-U-S-T !!!:D)))

    BeijInha

    ResponderEliminar
  15. Portas confunde a palavra com a essência... A palavra "Terror" foi usada para descrever um dado período da História francesa, mas o Homem (esse Marcelo de Extrema) acha que a coisa começou ali. Antes não houve nada. Uma espécie de "Aprés Moi, Le Deluge", mas ao contrário. Aliás, antes de Paulo Portas, tb não houve PP. Ups. OU não? Já bem sei. Tb não importa.

    ResponderEliminar
  16. luikki:
    è mais um programa de propaganda liberal patrocinado pela dupla SIC/BES.
    Obrigado pelo apoio
    bjs

    ResponderEliminar
  17. inha:
    Obrigado pelas tuas palavras simpáticas. O paulinho das feiras faz-se muito católico, quando afinal não passa de um "travesti" da opus dei. Um personagem, mais perigoso que interessante.
    Bjs

    ResponderEliminar
  18. Rui:´
    O fardas mais que confundir tenta confundir-nos. O exemplo do Terror que foi o programa de ontem demonstra bem a forma como ele nos tenta vender a história do passado e do presente. Tempo de antena mal empregue.
    um abraço

    ResponderEliminar
  19. kaos e Jorge Matos,
    .
    Saudadinhas !
    Chuac's.
    Diana F.

    ResponderEliminar
  20. Ai o Paulinho... eu não vi e tenho pena, pois pelo teu post que me divertiu, adivinho o excelente momento que perdi.
    Bem... já toda a gente falou do programa, por isso fico-me pelo post. Excelente, todo ele, a montagem que o acompanha muito bem escolhida e melhor feita, mas a isso já me habituaste, e o excelente texto de fácil leitura e com uma profusão de dados considerável.
    Ele há vinhos, que quando são de qualidade, só ganham com o passar do tempo.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  21. Diana f:
    Olá Boa noite
    bjs

    ResponderEliminar
  22. Piresf:
    Foi pena que tenhas perdido. O Fardas esteve no seu melhor.
    Agradeço as tuas simpaticas palavras que só me ajudam a continuar. Obrigado.
    um abraço

    ResponderEliminar
  23. Kaos, eu mudo de canal quando esse sujeito aparece :|

    ResponderEliminar
  24. Allien:
    Mas assim não te podes rir com tanto disparate liberal.é um programa humuristico.
    bjs

    ResponderEliminar
  25. I love your website. It has a lot of great pictures and is very informative.
    »

    ResponderEliminar
  26. Super color scheme, I like it! Good job. Go on.
    »

    ResponderEliminar
  27. I find some information here.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo