segunda-feira, novembro 20, 2006

DAUPHYNE

Moldura da ritualidade teatral de Versalhes num mundo de decadência dourada e alienada .

AMARCORD

5 comentários:

  1. Amigo Kaos!

    Nunca gostei muito de dourados... para mais quando dão cor a decadências...

    Grande abraço!

    ResponderEliminar
  2. Mais palavras para quê?
    jinhos

    ResponderEliminar
  3. o milhafre20/11/06 16:50

    Kaos: Aqui fica a minha singela contribuição sobre os comentadores que tão bem retrataste, com um abraço.

    Todos esses comentadores
    São todos bons actores
    Na arte de comunicar
    Dizem cobras e lagartos
    Mas já estamos fartos
    De tanto os aturar
    Pra careca ou cabeludo
    Isto é tudo uma cegada
    Parece que sabem tudo
    No fundo não sabem nada

    ResponderEliminar
  4. A banheira é um pouco alta de mais, asssim não se vêem os atributos da menina...
    Estou a brincar, a foto é excelente.
    Um Abraço.

    ResponderEliminar
  5. Essa banheira chegou até hoje assim bem conservada porque, como quase tudo o resto nessa sociedade, era mais uma peça decorativa que de utilidade prática. É que esse pessoal era todo muito porco, por baixo daquelas perucas era só piolhada e sabe-se lá mais aonde. Há até uma teoria que a única solução para acabar com a praga que a Antonieta albergava por baixo (!) foi cortarem-lhe o mal bem pela raiz.

    ResponderEliminar