domingo, abril 29, 2007

A Besta com 109 anos

A presença da direita nos meios de comunicação aumentou imenso nestes últimos tempo, o que mostra que uma campanha, aproveitando o favor que a RTP lhes fez ao promover a estupidez de um concurso para eleger o maior português de sempre, para a sua afirmação na sociedade portuguesa, está a decorrer. A minha posição normal perante esta gente é a do desprezo. Honestamente são gente que não me interessa. Se há quem queira abrir um Museu do Salazar, nada tenho contra, se lá se contar toda a história e todas as acções por ele feitas. Seria como fazer um Museu Hitler, onde para alem das fotografias de um bebé fofinho, de um miúdo de calções, também estariam as dos mortos e dos campos de concentração. Não acredito que, a não ser para muito poucos, aquela figura não saísse ao olhos de todos como um ser repelente. Afinal os seus actos falariam por eles.
Se falo aqui disto, é porque ouvi numa televisão alguém a dizer que, não admite que se continue assim a denegrir a imagem do Salazar”. Pois é, era só o que faltava que eu não pudesse dizer aquilo que desejar sobre uma coisa que cometeu tantos crimes. Fez ontem 109 anos do seu nascimento, mas se querem saber, 1968, o ano em que caiu da bendita cadeira e o de 1970 em que bateu as botas são datas bem mais importantes. Salazar, prendeu, matou, torturou, só pelo simples crime de opinião. Ele também não admitia que se falasse contra aquilo que ele queria. Só por isso mandava matar. Felizmente a besta arde num qualquer inferno e eu posso dize-lo.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

13 comentários:

  1. Nem que fosse só por isso, bendito 25 de Abril.
    Viva a Liberdade!

    ResponderEliminar
  2. Ora bem!
    Mai nada!!


    Muito bom o Cartaz...como
    sempre ;-)


    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Se o museu mostrar o que o Estado Novo fez ao estado português por mim é bem-vindo.
    Cumps!

    ResponderEliminar
  4. O museu não vai mostrar nada disso. Aliás, o espólio do ditador já foi todo vendido, segundo dizem. E que raio de espólio? É miserável tudo isto. Que vergonha dos portugueses eu sinto ... Afinal, sempre nasci cá e tenho esta nacionalidade.
    Kaos, excelente, excelente, excelente.
    Bjos

    ResponderEliminar
  5. Ando a chegar ao ponto de rutura...
    Um dia destes faço alguma e depois arrependo-me!!!
    Beijão grande

    ResponderEliminar
  6. este renascimento da direita fascista, retrógada e bafienta ainda está a dar os primeiros passos...
    a situação vai piorar...se os deixarmos...
    abraço

    ResponderEliminar
  7. Gostei muito deste post, assim como gosto do blog em geral, apesar de ser um leitora silenciosa.
    Achei extremamente adequada a menção ao ditador alemão. Aliás, os nossos germânicos irmãos comunitários tiveram, vá lá saber-se porquê, o bom senso de não fazerem semelhante eleição a nivel doméstico... porque será?
    Já li na blogosfera que somos demasiado estúpidos para termos um país independente; que não somos um país mas uma anedota (por vezes de mau gosto) com fronteiras. E embora tudo isto me entristeça, pois tenho orgulho de quem sou e do país onde nasci, a verdade é que por vezes me sinto forçada a concordar.
    Se tivesse um saco de areia pendurado na garagem, às vezes colava lá algumas fotos do kaos... são excelentes... mas não tenho. Como tal limito-me a suspirar e ter esperança que as coisas melhorem, numa perspectiva não sebastiana, que brumas já nem as de avalon...
    Uma vez mais parabéns pelo blog.

    ResponderEliminar
  8. eles andam aí... preocupante situação. Será que é ciclíco?
    jinhos

    ResponderEliminar
  9. Gosto bastante deste blog, mas não posso concordar com o que é dito sobre Salazar, que foi sem dúvida um dos maiores Estadistas do século XX. Salazar não é comprável com Hitler, este último assassinou milhões de seres humanos, foi um Nazi, Salazar não era fascista, nem assassino. A História de Portugal está muito mal contada, no que se refere ao período de Estado Novo. Pode-se não gostar da pessoa ou apontar-lhe alguns erros de governação, mas compará-lo a Hitler ou a Ditadores fascistas é uma incorrecção Histórica grave.

    ResponderEliminar
  10. Pois é concordo totalmente com o post... realmente é preciso muita ignorancia e estupidez para eleger Salazar como o maior portugues de sempre ou coisa que o valha... Boa Kaos continua a educar ca malta bem precisa

    ResponderEliminar
  11. Mais uma vez agradeço a todos o apoio e é bom saber que há mais gente para quem a liberdade é um valor que guardam junto daquilo que lhes é mais precioso. Tenho, no entanto, de fazer aqui algumas referencias pessoais:

    LadySelene:
    Obrigado pelas palavras e há que ter esperança. Afinal não há mal que sempre dure. Não é realmente de um D. Sebastião, necessitamos é de um povo que comece a pensar fora daquilo que lhe é impingido pelas televisões.

    anonimo:
    Há efectivamente diferenças entre o Hitler e o Salazar, mas isso não muda o facto de ambos terem sido assassinos à sua maneira. O salazar mandou milhares de pessoas para a morte durante a guerra civil espanhola e a lista de crimes praticados em Portugal também é muito longa. Junta a isso massacres nas antigas colonias, e falta de liberdade, a censura, a Pide, os bufos e a ignorancia a votou o nosso povo para melhor o controlar e a história passa a estar bem contada. Eu sei, porque vivi lá. Eu sei porque fui ao funeral de amigos. Eu sei porque tantas vezes quase sufoquei com o grito que tive de conter na minha garganta.

    Bjs e abraços a todos

    ResponderEliminar
  12. Eu fui anti-antigo regime. Anti-estagnação, anti-Tomás. Nunca fui anti-ordem, a favor da bandalheira e da balbúrdia generalizada.
    Não anti Salazar da constituição de 33. Isso é história de boa cepa. Salazar endireitou o País a ferro e fogo, como era preciso, saneando o Estado como pôde e na altura certa, contra todos os que minavam o Estado.
    Eternizou-se no poder, como não era preciso e alheou-se do País real, o qual se tornou retrógrado q.b..

    Justiça lhe seja feita. Depois disso primeiro loucos saudosistas e incompetentes, e depois ditadores bem mais implacáveis, e criminosos sanguinários no poder. Felizmente também já lá vão...

    Que nunca ninguém tente transpôr modelos politicos que funcionaram no tempo em que funcionaram para os tempos actuais. Que nunca também julgue o passado à luz das ideias presentes. Por isso mesmo, a morte do ditador não lhe resolveu o problema, meu caro...

    Gosto do seu blog pela imagem por vezes arrojada e imaginativa. Não posso sempre concordar com o texto. Paciência. Democracia é isso mesmo. Ainda bem que você pode publicar as suas imagens e eu discorrer sobre elas. Agora que isto tudo nos está a custar uma nota negra, ai isso está!!! Basta olhar para as suas imagens...

    Vá, um abraço democrático!

    ResponderEliminar
  13. Barcarrossa:
    Nunca fui muito de os fins justificarem os meios, nem de esperar que venha alguém que me mande calar porque ele é que sabe de tudo. O salazar endireitou uma bandalheira, é verdade, mas a que preço. Infelizmente essa não é a prespectiva de vida. Eu acredito que é possivel existir um estado justo e honesto. Eu acredito numa sociedade em que o homem seja o mais importante. Uma utopia podem dizer, mas também um sonho que posso perseguir.
    Claro que felizmente nem todos pensamos o mesmo nem todos temos de falar pela mesma cartilha, mas uma coisa é certa para isto ser possivel é necessário defender esse direito daqueles que mostraram que só sobreviviam retirando-o aos outros. Não é por isso necessário o"paciência" por não concordarmos, isso só é um bom sinal.Quanto ao preço a pagar, isso nada tem a ver com a liberdade, mas somente com o facto de nós deixarmos democraticamente que aldrabões nos governem. Talvez se Portugal não tivesse sido deixado tanto tempo na cultura da ignorancia hoje isto fosse diferente.
    Um abraço

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo