terça-feira, junho 26, 2007

Referendo

Peço desculpa de voltar a bater no mesmo tema, a Europa, mas parece-me que o momento que atravessamos actualmente é demasiado importante para que não pensemos nele. Quando em 1986 o Mário Soares nos impingiu a União Europeia, havia dois motivos que podiam justificar essa opção. A chamada consolidação de uma democracia, para quem tinha saído há pouco tempo de um regime ditatorial, dificultava o regresso de ideias totalitárias, e a Europa económica e social em que se procuraria uma maior proximidade entre os países que dela fizessem parte. Hoje, nada disso faz sentido, já que a Europa optou por um caminho capitalista liberal, um caminho do cada um por si, descartou o social das suas políticas e, é a própria união, em nome da segurança e luta contra o terrorismo, quem acaba por restringir os direitos e liberdades individuais que supostamente deveria garantir.
A pergunta que devemos fazer a nós mesmos, é se aceitamos deixar de ser um estado soberano, um estado em que decidamos aquilo que queremos para o nosso futuro, e nos transformamos numa espécie de região autónoma com um estatuto de autonomia relativa. Aqui surge o problema da representatividade e da democracia, ou da falta dela. Quando acreditamos que cabe aos povos decidirem dos seus destinos, isso exige que lhes sejam dadas as hipóteses de escolherem entre diversas alternativas politica e económicas. Com o novo formato da EU, só nos é permitido ter umas marionetas no governo, sendo a escolha do modelo económico e social imposto por ela. Isto, com a agravante dessa imposição ser feita por um governo Europeu que nem é eleito por nós. Dando um exemplo, seria como se as autonomias dos Açores e da Madeira elegessem os seus governantes locais, mas os povos dessas regiões não votassem para o governo da república, governo esse que seria nomeado pelos poderes instituídos.
É grave aquilo que nos querem impor e podemos ver um exemplo. Até hoje, as relações de trabalho em Portugal são definidas por leis feitas pelos Partidos na Assembleia da Republica, supostamente depois de negociações com os sindicatos. Boa ou má é a lei que Portugal escolheu e aplica. Fala-se já de criar uma politica Europeia comum, totalmente capitalista e liberal para o emprego, com a famosa flexigurança que nos têm tentado vender. Hoje, os portugueses podem dizer se querem ou não querem seguir essa via, mas com as novas ideias, essa decisão passa a ser do tal governo Europeu, para o qual ninguém nos consultou. As nossas escolhas politicas, económicas e sociais passam a ser restringidas a uma faixa do espectro político, ou seja, passamos a estar sujeitos ao pensamento único, algo que só por si configura o fim da democracia e do direito que temos a decidir o nosso futuro. Pensam que não é grave, e se falarmos de guerra. Basta que um maluco qualquer resolva que a Europa deve entrar num qualquer conflito e nós imediatamente nos veremos metidos nele, concordemos ou não. Este, não é o caminho que quero seguir e por isso exijo que nos seja dada a hipótese de dar a nossa opinião e o nosso voto sobre o assunto.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

6 comentários:

  1. E depois ainda dizem que pensam no povo...LoL. Eles -os politicos- pensam é neles. Os países estão a perder a sua identidade, estão a perder a sua independência. Querem fazer uma Europa federal mas não lhes interessa a cultura de cada país. Portugal está condenado ao turismo, desde que entramos para a UE ficamos sem pescas, ficámos sem agricultura, estamos a ficar sem industria e só nos falam do turismo, turismo, turismo. Como se o turismo fosse a tábua de salvação de uma nação como Portugal.
    O mais insólito é o caso da dos Açores, onde a UE impôs quotas de produção a restringirem enormemente essa actividade economica e agora vêm dizer que o leite vai aumentar... Quer dizer, mas o que vem a ser isto!? Andam a gozar como o povo? E isto é só um exemplo, porque infelizmente há muito mais.

    ResponderEliminar
  2. Já está.
    Quanto àquele pedido, existe uma hipótese, que é, com um edito de html, esquartilhar uma foto em sectores, clicando num dos quais se acede a hiperligações diversas. Ainda não consegui fazer, mas sou nabo nessas coisas...
    abçs

    ResponderEliminar
  3. Adelino Agros26/6/07 04:54

    Antes de mais, em nome da www.UCADB-IR.pt.vu saúda o Blog WEHAVEKAOSINTHEGARDEN pelo bom conteúdo e altamente democrático que o faz um grande Blog Nacional.

    Quanto a esta coisa do Tratado Europeu (tendo em conta que este novo nome, é mais uma manobra de diversão, mais um atira areia prós nossos olhos que nós gostamos deixando de ser a Constituição Europeia), de bom a Portugal e a muitos países da UE nada vem trazer. É o momento crucial para o GovernoPS, levar em frente e claro no seguimento das suas politicas de direita anti-democráticas e anti-sociais, para desregulamentar e destruír as conquistas que o nosso povo conquistou no seguimento da Revolução de Abril, será uma alavanca enorme para introduzir a Flexigurança ou Flexi-Segurança (cá para nós até lhe podem dar o nome que quiserem que o conteudo é brutalmente anti-democrático).

    Temos um Governo de Conas!! Portugal salvo erro tinha até 2010 para introduzir (ou não) o Processo de Bolonha no Ensino Superior, pois bem que fomos logo os 1ºs, Socrátes ou SóSó como lá lhe chamam na UCADB-IR, abaixou logo as calcinhas em nome da Nação!
    Venha mas é o referendo que nós temos direito à palavra!!
    A luta há-de continuar, porque o ultimo a rir é quem ri melhor e o povo português, tem muito bom sentido de humor! Sem dúvida.. Vivemos numa puta de uma democracia burguesa!!

    Instruir para Revolucionar!!

    ResponderEliminar
  4. F@5t P3t3r:
    Tocas em vários pontos que tenho referido repetidamente no meu blog. Estamos a vender o nosso país aos poucos e a tranformar-nos no bordel de férias para Europeus da classe média. Também já aqui referi o problema do leite, pois ainda me lembro bem que, não há muitos anos, eramos multados por exceder as quotas de produção. Agora já nem produzimos o suficiente para abestecer o mercado português. Isto vai a caminho do abismo e ou o povo abre os olhos e corre com este liberalismo ou vamso ser as putas da europa
    abraço

    ResponderEliminar
  5. arrebenta:
    Penso que vais encontrar dificuldades na publicação aqui no bloguer. Já te escrevi um mail sobre o assunto.
    abraço

    ResponderEliminar
  6. Adelino:
    Antes de mais obrigado pelas tuas palavras.
    Estamos realmente a seguir um caminho que só pode levar ao fim de todos os direitos de cidadãos e ao capitalismo selvagem de outros tempos. Lutar contra este estado de coisas é importante. Para isso como tenho aqui repetidamente defendido é urgente passar palavra e que o povo se levante contra este estado de coisas. Eles têm as armas da comunicação social para adormecer as consciencias, pelo que temos de berrar bem alto para as acordar. E tem de ser agora, antes que seja tarde demais.
    abraço

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo