quinta-feira, agosto 30, 2007

Cheira a queimado por aí

"Não confundam as coisas"
Ministro da Administração Interna, Rui Pereira

Concordo com o Ministro, não vamos confundir as coisas, mas era bom que as entendêssemos. Grande confusão que vai por ali e nós leigos ainda mais confusos ficamos. Senão vejamos:
Ficámos a saber que afinal, os tais aviões que estão parados por falta de certificação, não necessitam dela, "Podem voar após os testes por serem naves do Estado" e que ela só faz falta para utilização para "fins comerciais". A minha confusão vem logo de, há algum tempo, terem afirmado que, estes meios não tinham feito falta porque a empresa que os tinha de fornecer tinha contratado meios alternativos. Mais, fomos agora informados que a multa a pagar pela empresa Heliportugal, devido a atrasos na entrega dos helicópteros para combate a incêndios comprados pelo Estado, é "perto de um milhão de euros". Some-se a "poupança" de cerca de 14 milhões que estavam orçamentados para suportar custos de operação e manutenção dessas aeronaves e a soma é utilizada pelo Ministério da Administração Interna (MAI) para concluir que o aluguer de meios alternativos, por ajuste directo, "irá custar bastante menos". Só não se sabe é quanto devido à "complexidade dos contratos”. Realmente há por aqui alguma complexidade, primeiro porque não entendo que se comprem os meios aéreos se é mais barato alugá-los e depois porque, pensando eu, que estes meios aéreos eram para servir o país na luta contra os fogos, venho a ouvir que "O pedido de certificação da Empresa de Meios Aéreos (EMA) junto do Instituto Nacional de Aviação Civil (INAC) só aconteceu depois da legalização da entidade. A EMA só pediu inscrição no INAC para poder prestar serviços a particulares".
Se o Sr. Ministro se mostrou "estupefacto" por a comissão que acompanha as políticas de defesa da floresta contra incêndios não estar a "celebrar as boas práticas" do Governo, também eu me sinto um pouco estupefacto com toda esta confusão. Uma coisa é certa, muita sorte tivemos nós em ter um verão mais fresco, ou então lá iríamos ver, uma vez mais, o país a arder, tanto como o dinheiro dos nossos impostos. Esperemos que de futuro os meios aéreos não estejam ocupados a “prestar serviços a particulares” quando forem necessários. É que com tanta "complexidade dos contratos” e tantos milhões envolvidos certamente haverá muita gente com vontade de apagar alguns fogos particulares nas suas contas bancárias.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

8 comentários:

  1. Após a explicação (?) do senhor ministro e, porque não entendi nada (ou se calhar percebi), com muita pena minha, considero-me burro, estúpido, sem capacidade de entender as mais 'simples' "manobras" de dialéctica.

    Francamente ! Porque é que essa gente perde tempo a explicar o que não é explicável ?

    Não seria melhor, por vias mais simples, governarem o (triste) país do que ... GOVERNAREM-SE ?

    ResponderEliminar
  2. sarcástico30/8/07 08:05

    Fiquei absolutamente na mesma... estes jogos de palavras e de explicações deixarão alguém surpreendido a pensar :«que bem que estes senhores falam???».
    E entretanto lá temos que gramar com isto tudo. Só me lembro da letra da canção «cá se vai andando com a cabeça entre as orelhas»... neste momento é o que temos de mais certo... e lá vamos pagando os nossos impostos ...

    ResponderEliminar
  3. Quando este senhor ontem apareceu na televisão, a minha filha perguntou-me:
    Pai, este senhor é da família do Guterres? Tem a boca igual!
    A resposta saíu-me automaticamente sem sequer me aperceber com quem falava:
    Pode ser! O PS está cheio de filhos da mesma senhora.

    ResponderEliminar
  4. excrente:
    Não somos nós que somos muito burros eles é que tentam fazer de nós bestas. Entender o que dizem eu entendo mas há momentos em que preferia não o fazer
    abraço

    ResponderEliminar
  5. sarcastico:
    Nos vamos andando e eles rindo. Falam falam e não dizem nada, ou melhor dizem tudo sem dizerem nada
    abraço

    ResponderEliminar
  6. Pedro Barbosa:
    Uma resposta perfeita:)
    abraço

    ResponderEliminar
  7. claro que somos todos burros...
    o gajo passou-nos o certificado...
    foi o sr. costa do ministério municipal de lisboa que lhe ensinou o discurso...
    para memória futura:
    o mesmo negócio está preparado para a aquisição dos beriev no próximo ano!
    abraço

    ResponderEliminar
  8. Creio que posso dar uma pequena ajuda:

    http://thewatchdog-blog.blogspot.com/2007/08/ontem-devido-um-violento-incndio.html


    1 Abraço!

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo