sábado, setembro 29, 2007

Calças em baixo e enfia o "barrete"

Há uns dias, vi este homem, Presidente da Associação Nacional de Bancos, a quem já algumas vezes senti a necessidade de fazer aqui o “boneco” por afirmações que, na altura, considerei até ofensiva para a dignidade das pessoas deste país, falar do momento da economia e das finanças actuais. Claro que o espírito liberal e os euros nunca deixaram de lhe brilhar nos olhos, mas acabou por reconhecer que o mercado foi e anda a ir longe demais, que, afinal talvez fosse bom que houvesse alguém que o regulasse, porque ele não sabe parar sozinho. Anda esta gente a tirar cursos de economia, a ser Ministros, ocupar cargos “importantíssimos”, a dar entrevistas e a falar em colóquios para agora vir dizer aquilo que todos, mesmo não entendendo nada de economia, há muito já sabemos. Que a cegueira do dinheiro, a ânsia do ter cada vez mais, é uma das características do capitalismo. Se não lhes tiram a faca das mãos acabam sempre por matar a galinha para ficarem com os ovos. Claro que depois veio defender a posição dos Bancos Centrais em meter muitas centenas de milhares de milhões, para safar os Bancos que estavam com a corda na garganta devido aos empréstimos de alto risco. São os mesmos que defendem que o mercado deve ser livre de regulações que depois vêm a correr pedir ajuda quando a coisa corre mal. Claro que trazem sempre mais uma crise e a inevitabilidade de lixar mais os cidadãos para eles saírem do buraco. Eles são sempre o mais importante, os primeiros a salvar pois são a essência do próprio sistema económico capitalista. Nós, somos só meros figurantes.

PS: Acabei depois por ver o Cavaco falar dos problemas que a "malvada" globalização criou, da crise que aí pode vir, como se não fosse ele e outros da mesma laia quem sempre a defendeu e por ela lutou. Não sei se ainda nos vão culpar a nós pelas injustiças que cria, mas que nos vão obrigar a pagar, isso é certo.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

5 comentários:

  1. Pois!

    Salgados e fritos estamos todos, há muita política e pouco desempenho, poucos resultados, muito dinheiro a circular, e a desculpa é sempre a mesma, a fuga ao fisco, a economia paralela...

    Ugh

    ResponderEliminar
  2. Mercado livre, mercado livre, mas só quando os ventos jogam a favor.
    Não sei quem disse:
    Para chegar à conclusão que para equilibrar as contas é preciso diminuir as despesas e aumentar as receitas, não era preciso terem andado tantos anos a estudar!

    ResponderEliminar
  3. Só acredito nesses "grandes (?) economistas" quando levantarem uma empresa em dificuldades. Enquanto estiverem a "mamar" nas grandes empresas - que funcionam sem a presença física deles - não me convencem : quase que dá vontade de afirmar que até um analfabeto dirige um "negócio" desses.

    ... e alguns são muito pouco mais do que analfabetos ...

    ResponderEliminar
  4. Mamam em todo o lado.

    Nunca se viu tanta mama.

    O Kaos é que continua a fazer contrabando de filosofias e de estéticas e de prosas poéticas...

    Saudações!

    Ugh

    ResponderEliminar
  5. Os ditos bons economistas
    só gerem empresas viáveis
    mas bom seria se conseguissem
    fazê-lo nas que são inviáveis

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo