terça-feira, junho 24, 2008

Aborigene

Aborigenes

Vou publicar este mail exactamente como o recebi:

«Discurso do 1º Ministro Australiano à comunidade muçulmana. Por cá seria um escândalo... mas eu estou de acordo!

Discurso do 1º Ministro Australiano à comunidade Muçulmana
Aos Muçulmanos que querem viver de acordo com a lei do Sharia Islâmico foi-lhes dito muito recentemente para deixarem a Austrália, no âmbito das medidas de segurança tomadas para continuar a fazer face aos eventuais ataques terroristas.
Aparentemente, o Primeiro-ministro John Howard chocou alguns muçulmanos australianos declarando que apoiava agências-espiães encarregadas de supervisionar as mesquitas da nação. Citação:

OS IMIGRANTES NÃO-AUSTRALIANOS, DEVEM ADAPTAR-SE. É pegar ou largar! Estou cansado de saber que esta nação se inquieta ao ofendermos certos indivíduos ou a sua cultura. Desde os ataques terroristas em Bali, assistimos a uma subida de patriotismo na maioria dos Australianos. A nossa cultura está desenvolvida desde há mais de dois séculos de lutas, de habilidade e de vitórias de milhões de homens e mulheres que procuraram a liberdade.
A nossa língua oficial é o Inglês; não é o Espanhol, o Libanês, o Árabe, o Chinês, o Japonês, ou qualquer outra língua. Por conseguinte, se desejam fazer parte da nossa sociedade, aprendam a nossa língua
A maior parte do Australianos crê em Deus. Não se trata de uma obrigação cristã, de influência da direita ou pressão política, mas é um facto, porque homens e mulheres fundaram esta nação sobre princípios cristãos, e isso é ensinado oficialmente. É perfeitamente adequado afixá-lo sobre os muros das nossas escolas. Se Deus vos ofende, sugiro-vos então que encarem outra
parte do mundo como o vosso país de acolhimento, porque Deus faz parte da nossa cultura.
Nós aceitaremos as vossas crenças sem fazer perguntas. Tudo o que vos pedimos é que aceitem as nossas e vivam em harmonia e em paz connosco.
ESTE É O NOSSO PAÍS, A NOSSA TERRA, E O NOSSO ESTILO DE VIDA'. E oferecemo-vos a oportunidade de aproveitar tudo isto. Mas se vocês têm muitas razões de queixa, se estão fartos da nossa bandeira, do nosso compromisso, das nossas crenças cristãs, ou do nosso estilo de vida, incentivo-os fortemente a tirarem partido de uma outra grande liberdade australiana: O DIREITO de PARTIR. Se não são felizes aqui, então PARTAM. Não vos forçamos a vir para aqui. Vocês pediram para vir para cá. Então, aceitem o país que vos aceitou.

Talvez se fizéssemos circular isto entre nós, entre todos os cidadãos do mundo, encontraríamos o meio de falar e espalhar as mesmas verdades. A comissão Bouchard-Taylor deveria inspirar-se nesta declaração antes de qualquer outra.)

Reencaminhe, se concordar.

Mundo de merda este, governados por racistas destes. Esse palhaço acha-se pertencente a uma raça superior. Acha que a opinião de alguém que não é da sua raça, (será que também têm um dia da raça na Austrália?), não tem qualquer valor nem importância. Se tem alguma reclamação, rua, vai-te embora. Provavelmente era o que os aborigenas que lá viviam deviam ter feito quando esta raça lá chegou para roubar e levar a palavra e a salvação do Cristã.
Mas, no meio de tudo isto, o mais triste é andar um mail por aí a defender estas bestialidades.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

30 comentários:

  1. Olá amigo

    "a minha pátria é o Mundo"

    Realmente este escarro humano devia ter mais tento no que vomita pela boca. (há quem vomite por outros buracos)

    À boa maneira dos seus antepassados colonizadores (brancos) que quase extinguiram os naturais, este humanóide está a arranjar lenha para se queimar.

    Vamos estar atentos aos próximos desenvolvimentos...

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. até parece que o senhor se for viver para um país árabe não tem de se submeter às práticas desse país. haja pachorra para militantes de indignações idiotas!

    ResponderEliminar
  3. Há bestas do lado muçulmano que são apadrinhados pelas bestas ' ocidentais' mas,não deixam de ser broncos.o amigo Saud,o amigo Sadat,e tantas e tantas cavalgaduras.Eu tb penso q o sr.ministro australiano tb deveria ir-se embora pq os aborigenes não o chamaram para nada.Veja-se no Afeganistão, foram lá só para aumentar a produtividade da heroína e para o seu transporte,enquanto não levam terroristas para Guantanamo ou para as prisões em alto mar .

    ResponderEliminar
  4. QUEM ESTÁ MAL MUDA-SE. MAIS NADA...

    ResponderEliminar
  5. Pena que eu tenho que alguns não estejam mal neste blog. Mudem-se para outros blogs de racista e fascistas que é o que não falt6a por aí

    ResponderEliminar
  6. É um bom discurso. Respeito pela cultura do país de acolhimento e o mínimo de gratidão - é só do que se trata.

    ResponderEliminar
  7. Olha lá Kaos...

    Acolhes alguém em tuas casa e esse alguém é que passa a ditar o que comes, como te vestes, o que podes fazer ou não tua própria casa... se para ti está bem porreiro pá....

    ResponderEliminar
  8. Já sabia quye este post ia dar nisto. Claro que quando recebo alguém em minha casa quero que se sinta bem e bem vinda. O respeito tem dois lados e ambos têm de aceitar conviver uns com os outros. Quando a Austrália aceita emigrantes não é por bondade, é porque necessita deles para fazer os trabalhos que eles não querem fazer. Receber alguém não é humilhar e impor leis e regras como se essa gente fosse de uma raça inferior. Estou a falar de xenofobia e racismo que infelizmente é algo que ainda temos muitos por cá que o defendam. Já temos exemplos demais das consequências desta mentalidade para devermos saber ser mais tolerantes. Já agora era bom que os Australianos também se lembrassem que estão numa terra que não era deles, que ocuparam à força. Um país para onde eram deportados os maiores criminosos e que foi construido à força de trabalho escravo. Haja consciência das coisas antes de se falar

    ResponderEliminar
  9. Ou seja, por causa da prepotência dos seus antepassados, os australianos de hoje devem sujeitar-se à arrogância cultural e religiosa (para não falar das conspirações criminosas que germinam nesse caldo) dos estrangeiros.
    Haja pachorra para aturar tanta pseudo tolerância.

    ResponderEliminar
  10. Olha se os gajos se lembram de recambiar os portugas por esse mundo fora só por causa da N.S. de Fátima (que os ditos têm na mesa de cabeceira), pelos bigodes das confrades, pelo tintol que levam da cá, pela mala de cartão, pelo barrete à espanhola, pela fotografia do Eusébio que escarrapacham na sala de jantar, etc..
    Bem, era um fartar de tretas que os australianos e não só tinham para por os nossos compatriotas na rua.

    Depois queria ver as caras destes defensores deste racismo científico.

    Não vêm o que eles (capitalismo internacional) quer é enfiar as "raças" inferiores em guetos e - " deixem-se estar quietos, quietinhos, só respiram a nosso mando..."

    Uma merda de mundo, este em que sobrevivemos, onde a hipócrisia, a intolerância e a mentira ditam leis.

    Força camarada Kaos, caga para eles.

    Abraço amigo

    ResponderEliminar
  11. Em fente (quase) de mim há um bar ,digamos de putas, com gajas boas comó milho e,eslavas.Elas não estão bem e,pelos vistos queriam se mudar mas,não podem,pq vivem num regime de liberdade em q uns investidores são donos delas e,o tráfico de carne branca não tem nada de contradição com os direitos humanos.Mau é,gamar uns rádios,DVD's e essas merdas q dão direito a levar tiros pelas costas.
    O vígaro do Benfica Vale e Azevedo, está em Londres e nunca mais é arrebanhado pra ir de cana.Pq se fosse um pilha-galinhas estava fodido assim, como é um grande ladrão, está com os seus direitos intocáveis.E o q é q disse o Provedor?,não há impunes?ahahahhah(estou-me a rebolar no chão).Com esta novela do vale jimbras azevedo se o cabrão não for dentro,o sr.provedor deveria sair e bater com porta- assim,é q começava a acreditar nos juízes.Mas,pela amostra q me indicaram na Madeira estou convencido q a justiça é de classe.....
    Amigo,Kaos se apagar os comentários podres racistas não se perdem nada...Ah,e q vão para o caralho que os foda,é o q desejo do fundo do meu coração.God bless America

    ResponderEliminar
  12. Está giro o boneco, mas quem é agora o primeiro ministro australiano é o Kevin Rudd (trabalhista) e não o Jonh Howard.
    Coisa sem importancia.

    ResponderEliminar
  13. Bem, a única coisa que não lhe podem tirar é a honestidade. Mas há maneiras e maneiras de dizer as coisas. Como disse o Kaos, muito bem, o respeito deve vir dos dois lados.

    ResponderEliminar
  14. Mas racismo, racismo, racismo puro e duro é comparar um aborigene australiano a um homem de Neanthertal.
    Mas o racismo de esquerda é mais chique.

    ResponderEliminar
  15. anónimo:
    Mais uma vez errado, ninguém se deve ter de sujeitar à arrogancia de ninguém. É essa maneira com palas de ver as coisas qie faz este mundo estar como está. Já agora porque têm outros países de aceitar a arrogância cultural da cultura ocidental ousão invadidos como aconteceu, por exemplo, no Iraque. E que dizer da "bela" história" da relegião Cristã que invadiu e matou em nome da fé e da palavra do "nosso" Deus? Tudo isto não passa de racismo e tudo o resto são desculpas para o esconder.

    pduarte:
    Eu sei que o primeiro Ministro Australiano já não é o jonh Howard, mas como disse publiquei o mail exactamente como o recebi e está lá a verdade do assunto que queria mostrar. Também sei que a imaghem escolhida não é a de um aborigena, mas esses foram os que lá moravam e foram invadidos pelos Neanthertais do Ocidente.

    ResponderEliminar
  16. Cruzes canhoto! Entre os fundamentalistas e a ministra da educação até vou a correr inscrever-me no PS e começo já a tratar o Primeiro Ministro por Sr. Engenheiro em vez de engenheireiro.

    ResponderEliminar
  17. HOWARD É FASCISTA

    ResponderEliminar
  18. Quando o Papa fala do aborto a malta goza.
    E quando um Ayattolah fala do aborto?
    Quando o Papa fala dos homossexuais a malta goza.
    E quando o Presidente do Irão fala da homossexualidade?
    Quando o Papa fala de mulheres a malta goza.
    E quando se trata da condição feminina nos países árabes?
    Pois é. Os revolucionários cá do burgo quando a coisa toca ò Socas, aos américas ou ao judeus é só vê-los a esgadanharem-se a ver quem berra mais e diz pior, são fantásticos!!! Quando a coisa mete árabes ou fundamentalistas, ficam com o cúzinho mesmo apertadinho, e os tomatitos encostados às cordas vocais, tão encostadinhos, tão encostadinhos, que nem piam... Que cagarolas.
    O Howard é fascista e o Mugabe um democrata! Devias ser capado porque já foste lobotomizado, anormal de merda.

    ResponderEliminar
  19. Custa-me a crer que ambas as facções tenham lido o mesmo texto. Acho que só estão a ler o que querem ler. Não vejo no texto qualquer imposição religiosa. Eu li: "Se Deus vos ofende, sugiro-vos então que encarem outra parte do mundo como o vosso país de acolhimento" e isto para mim não significa "sejam cristãos saiam da Austrália". A única imposição que vejo aqui é a da língua: "se desejam fazer parte da nossa sociedade, aprendam a nossa língua.". Sejamos razoáveis: o português em Portugal que tenha ido aprender ucraniano, russo, romeno, moldavo, árabe e dezenas de dialectos de mandarim para receber os nossos imigrantes, que levante o estandarte da pessoa mais tolerante com os nossos imigrantes e a que lhes pode fazer sentir melhor em Portugal. Para mim, a questão aqui é muito simples: "aceitem o país que vos aceitou". Não vejo qual é o escândalo nem estou a ver onde está o racismo e pouco interessa se os australianos (antepassados ou actuais) são um exemplo de ocupação democrática de um território. Onde a moeda vira, para mim, é na adequação deste texto aos problemas que os australianos têm com os imigrantes. Não vejo qual a relação entre os atentados em Bali com a aceitação dos imigrantes da cultura do seu país de acolhimento e, como tal, acho que este texto cai em saco roto. Não conheço exemplos que mostrem que os imigrantes australianos não aceitam a cultura destes (se calhar existem, já agora enumerem alguns). Mas já que esta discussão veio parar à tolerância, que tal olharem para o nosso país também? Olhem para os imigrantes chineses. A sua maioria vive aqui com os seus negócios e demarca-se activamente da sociedade portuguesa e escoam os seus produtos com uma qualidade que muitas vezes é duvidosa (muitas vezes fora das exigências da UE, as que consideramos razoáveis, acho). Já que somos então tão tolerantes, então que tal aprendermos alguns dialectos de mandarim para os integrarmos? Porque impomos os nossos pretensiosos critérios de qualidade e segurança alimentar ao fechar inúmeros restaurantes chineses, comprometendo a sua estadia em Portugal? Porquê?? Pensem nisso. E não tirem de um texto aquilo que ele não tem, se querem ter uma opinião fundamentada.

    ResponderEliminar
  20. Voltamos ao mesmo

    Meus amigos.
    Tão sacana é o Papa que condena o aborto e o uso de preservativo, como os filhos de puta dos gajos (alguns) árabes em que as mulheres só servam para dar umas quecas e têm menos valor que os cães, como o cabrão do ditador filho de puta que tem o povo a passar fome, como o democrata sacana que só quer sacar o seu (dele) e caga-se para o povo que o elegeu, como o safado do governante que vê que esta merda está (mesmo) uma merda, mas diz que não, como o safadola do capitalista que vive no mais puro luxo e não dá um mísero aumento a quem lhe enche a carteira, como o paneleiro do pedófilo que jura inocência, etc., etc., etc.. ...acrescentem vocês mais que já me doi os dedos....

    Tudo isto são escarros humanos, tudo isto são filhos de puta que não merecem o ar que respiram. O racismo e a xenófobia são horrorentas, seja de que forma for. A intelorância e uma forma de atraso mental.

    Abraço fraterno

    ResponderEliminar
  21. Abraço fraterno - também - Ferroadas.

    ResponderEliminar
  22. Não me considero racista e tenho o direito a ter opinião contrária à vossa.
    Se eu desse guarida em minha a um gajo que depois me tentasse prejudicar podem ter a certeza que o punha fora de casa a pontapé.
    E uma vez que, a partir deste momento sou racista e xenófobo,vou remover o endereço deste blogue (que aprecio) e não volto mais para não ser achincalhado.

    ResponderEliminar
  23. Eu não encontro racismos ou xenofobias no discurso. Concordo com o que disse o banzai. O facto de discordar do Kaos, neste assunto, não faz com que o remova dos meus links. Afinal, se cada um de nós se acolher no seu quintalinho, para lá do muro que impede o diálogo, que raio de sociedade construímos?

    ResponderEliminar
  24. Já agora, avivem-me a memória, como pode um tipo ser achincalhado sem se saber quem é, que mantém o anonimato.

    Coisas na net....

    Abraço revolucionário

    ResponderEliminar
  25. Sorry!!!!!!
    Pessoal, não se exaltem!
    Acho que aqui ninguém se revelou racista ou xenófobo!
    Uma das coisas que este blog tem de interessante e, tb, mto importante é não ser fundamentalista. Às vezes, não ter uma posição 100% politicamente correcta, não é mau. Mais, acho que até é salutar.
    O facto de discordar de algumas coisas que o anónimo disse não me leva a considera-lo racista.
    Mais, eu considero uma atitude descriminatória a benevolência com que se trata certo tipo de comunidades como, por exemplo, os ciganos.
    Permitir que, ALGUNS - muitos ou quase todos segundo alguns dos seus representantes - impeçam as raparigas de prosseguir nos estudos para além da escola primária, é no mínimo escandaloso!
    Ninguém aceitaria isso para os portugueses não ciganos! Isso seria visto como uma afronta aos direitos da criança!
    Fechar os olhos a isso é, para mim, definitivamente uma atitude racista!
    Conceder TODOS os direitos às outras etnias, sejam imigrantes ou não, é tão fundamental como exigir o cumprimento dos DEVERES que se exigem aos restantes cidadãos.

    ResponderEliminar
  26. Mais uma vez não posso deixar de realçar a tolerância do kaos ao dar abrigo a esta pluralidade de opiniões no seu blog, mesmo às que discordam frontal e profundamente das dele.
    Mas isso não invalida que se faça um reparo. À data da da «expansão europeia» e da cristianização forçada pelo fio das espadas ou balas de canhão a que foram submetidos muitos povos, o resto do mundo não vivia em idílicas comunidades hippies. Por exemplo estão sobejamente documentadas as carnificinas perpetradas pelos Maias, Incas e os Astecas, e o colaboracionismo de tribos africanas com os esclavagistas europeus e ÁRABES como arma de eliminação dos seus inimigos. Não estou a desculpabilizar nem a justificar nada. Estou simplesmente a constatar factos.
    Da mesma maneira é importante realçar que os portugueses – ou melhor os ibéricos - antes de terem embarcado nas cruzadas já tinham sido invadidos pelos árabes.
    As nossas culpas no «cartório» da história não são maiores nem menores que as dos outros, são as que são.

    ResponderEliminar
  27. Vejo que a discussão continua animada por aqui o que é bom. Concordo com alguns discordo de outros, mas como já manifestei a minha opinião e disse o que pensava nada mais vou acrescentar. Fica claro aberta a caixa de comentários, deste e de outros posts para todos os que desejarem dizer o que pensam. Acredito que é possível haver espaços de liberdade abertos a todos aqueles que o desejem visitar. Quem não quiser cá vir é livre de o fazer

    ResponderEliminar
  28. Zé Leit~26/6/08 17:45

    "Nós aceitaremos as vossas crenças e tudo o que vos pedimos é que aceitem as nossas"
    Li mal ou isto está escrito no texto?

    ResponderEliminar
  29. Rapaziada, toda a gente tem culpas no cartório. Apontem um povo, uma civilização, quer agora, quer antigamente, ou melhor, desde que esta merda de planeta existe.

    Todos se quiseram extinguir uns aos outros, todos invadiram território que não lhes pertencia, está na natureza humana, sempre houve racismo e essas merdas todas. Agora, uma coisa é haver e ter havido, outra é defendê-lo, e infelizmente ainda há filhos de puta que o defendem. É aqui que está o problema e a razão do post do Kaos, ainda haver calhordas que se sentem bem a defende-lo. A nossa luta é essa, tentar acabar com estas mentes doentes.

    Abraço a todos

    ResponderEliminar
  30. Concordo inteiramente com o discurso do Howard. É logico, não sei como pode ofender. Se alguem vier a minha casa ou se comporta segundo as normas ou é livre de ir para outro lado. Está cheio de razão o senhor!

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo