sexta-feira, julho 25, 2008

A Engenharia Laboral do Menino d'ouro

A EngenhariaPatronal

«O primeiro-ministro acusou "a direita de estar ausente do debate" e assegurou que o BE e o PCP terão todo o tempo de debate necessário sobre o novo Código de Trabalho, sublinhando que o PS está “mobilizado” em defender a proposta contra os “embustes” e a “demagogia”. Para José Sócrates "ninguém que esteja com o coração limpo pode concluir que esta proposta do Governo do Código do Trabalho não se destina a combater a precariedade e a defender os trabalhadores".
Sobre as convenções colectivas lembrou que muitas destas têm hoje mais de 20 anos e representam "um bloqueio à economia".»

Comecei a escrever um texto em que procurava mostrar as minhas discordâncias deste discurso, mas seria tão longo e dar-me-ia tal azia que me estragaria as férias. Prefiro acreditar que quem visita este blog consiga ler a verdade por detrás das palavras do “Engenheiro” e ver a realidade da enormidade que nos quer impor. Que veja que deseja trocar a precariedade que hoje existe para alguns, por uma que seja para todos ao permitir o livre despedimento, que ao fazer caducar os contractos colectivos e não negociá-los o que pretende é “limpar” todos os direitos conquistados em tantos anos de lutas e negociações.
Juntem a esta lei o pacote da segurança social, os números do desemprego, as novas leis da Europa que permitem horários até 65 horas semanais, as crises criadas pelo capitalismo que nos impingem e nos cobram, os Sarkosys, Obamas e Putins deste mundo, as estratégias há tanto tempo delineadas pelos tenebrosos Bilderbergs e vejam o destino que nos destinam. Tanto se falou da flexigurança, do exemplo dos países nórdicos e daí tudo o que aproveitaram foi a flexibilidade e esqueceram a segurança. Mentiroso, ladrões e vendidos é o que vejo quando olho para esta gente. Bem pode gritar que é de esquerda que todos já vimos bem a sua cor. Bem pode tentar travar a sangria eleitoral à sua esquerda que não há discurso, embustes e demagogia que o salvem. Vai perder a maioria absoluta ou mesmo perder as eleições e vão ser os votos nos partidos à sua esquerda que o vão derrotar.

Contributo para o Echelon: 15kg, DUVDEVAN

8 comentários:

  1. Adorei a imagem.
    Quanto ao post, não há palavras...é a mais pura das verdades.

    ResponderEliminar
  2. Deixem-no ao menos projectar uma auto-estrada, nem que seja da Covilhã para a Torre.

    ResponderEliminar
  3. Contra o pacote laboral - Revolução

    Contra a hipocrisia - levantamento popular

    Contra a demagogia - paralização total

    Contra o capitalismo - nacionalização dos sectores chave da economia

    Contra o liberalismo - governo popular

    Abraço revolucionário

    ResponderEliminar
  4. MENTIROSO DE MERDA.
    Leia a entrevista de Van Zeller ao Diário Económico de 16 de Julho e,veja como este desqualificado mente com todos os dentes

    ResponderEliminar
  5. O colapso da administração pública deve-se aos partidos políticos (todos do PP ao BE), que a usam e violentam com as fantásticas nomeações de boys e girls para tudo quanto é cargo, incluindo cargos que nem deviam existir, em vez de reconhecerem a competência profissional de quem lá estava.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo, a administração pública está cheia de boys do PC e do BE não há duvida!

    "Vai perder a maioria absoluta ou mesmo perder as eleições e vão ser os votos nos partidos à sua esquerda que o vão derrotar."
    Apesar de ser ateu até me convertia para poder dizer 'deus te oiça'!

    ResponderEliminar
  7. Sou da mesma opinião: quem vai derrotar o asqueroso Sócrates, são os votos dos socialistas no BE e PCP. Estes partidos vão subir muito. e a direita (PS(D) e CDS) vão ficar de trombas.
    Oxalçá seja assim...
    Compadre Alentejano

    ResponderEliminar
  8. Grande verdade!
    Eu pessoalmente não voto, nunca votei, e nunca votarei neste merdas, que está a transformar Portugal num pântano de merda.Espero bem que a esquerda o derrote, pois se a direita ganha, então a merda ainda é maior...

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo