quinta-feira, julho 24, 2008

Os Senhores das Quotas

 Avaliação

Encontrei no blog “Sinistra Ministra”, da amiga Moriae, um post com um link para o documento que define as quotas de “excelentes” e “muito bons” que deverá ser aplicada aos professores. Como não sou professor não entendi muito bem o sistema, mas não posso deixar de aqui dizer que sou totalmente contra essa forma de classificação. Quem é excelente deve ser avaliado como excelente e quem é mau como mau. Alguém não deixa de ser bom profissional porque já esgotaram o numero autorizado para bons profissionais que podem existir num local de trabalho. É no mínimo ridículo e, pior ainda, vai acabar por fazer com que muitos bons profissionais sejam ultrapassados pelos “amigos”, “compadres” e pelos “lambe botas” do sistema.

Contributo para o Echelon: Electronic Surveillance, MI-17

10 comentários:

  1. Pois... é assim a vida... no nosso país... nesta sociedade do compadrio... neste mundo de m****...

    ResponderEliminar
  2. É verdade sr.Kaos.Na minha(nossa)empresa (pq é do estado,gerida por bandidos q não foram votados por ninguém-não me venham falar de democracia ,q'eu puxo logo da pistola)é também assim.Os apparatchikcs do centrão e sus amigos estão bem,mas bem e,são sempre os winners mesmo q não tenham habilitações para isso ou não tenham perfomance.
    É uma batotice sermos avaliados por filhos da puta desqualificados e juízes em causa própria!

    ResponderEliminar
  3. Se fizessem quotas para o número de asneiras que eles podem fazer, aí sim, é que seria de admirar!

    http://deepestsolitude.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. Um amigo meu, professor, dizia-me à dias que devido ao estrangulamento da carreira, nos três últimos escalões, os prof. na sua esmagadora maioria receberá 500€ no início da mesma e no final, com 65 anos contentar-se-ão com 1500 aérios.
    Para uma profissão de grande desgaste, como é a de prof. e como a maioria nem sequer vai chegar à idade de reforma. Eu, no lugar dele fazia-lhes um manguito e mandava-os à merda, mais áquela corja do ministério da deseducação
    A lurditas que ature os alunos, que ela putativamente tem vindo a promover a catedráticos de coisa nenhuma e que aproveite as novas oportunidades e faça, também ela, um doutoramento honoris causa, nessa grande instituição do ISCTE, que tantos talentos, deu a este país…


    Para o ano não se esqueçam de dar, de novo, o voto ao grande líder, o Zé injinheireiro, para que o dito conclua a sua grande obra! Apagar Portugal do mapa...

    ResponderEliminar
  5. Já viram quem cá está hoje???

    Um gajo que até de CANIBALISMO é acusado...

    outro amigo do sócrates...

    se quiserem conhecê-lo melhor vejam no meu blogue a peça que cá está...

    este gajo está acoleccionar como amigos a escória do mundo...

    13:04

    ResponderEliminar
  6. Esta senhora, já o disse e repito, parece-me psiquiatricamente doente.

    Traumatizada de um colégios de freiras da Casa Pia onde estudou, encontrou um escape na ideologia anarquista, para vingar as suas frustrações.

    O que a faz feliz é causar a confusão nas escolas e no País.

    É uma psicopata que precisa de ajuda. Precisa de ser internada e tratada.

    Infelizmente o Primeiro-Ministro é outro doente. Busca na megalomania a compensação da sua nulidade absoluta.

    ResponderEliminar
  7. E parece que a J.K.Rowling profetizou a chegada da Milu!! Quem leu o "Harry Potter e a Ordem da Fénix", no ano de 2004, não pode deixar de ter uma sensação de Dèja Vue: a Miss Umbridge é TAL E QUAL a Milu!! Leiam o livro, leiam, e depois atrevam-se a dizer que a literatura de fantasia é uma literatura "escapista"!

    Sandra Costa

    ResponderEliminar
  8. Que excelente boneco! Não há quotas para o Kaos.

    ResponderEliminar
  9. Excellent my friend!!!!

    E ... 'bigada pela referência ao cantinho :-)

    Bjos para todos e continuação de boas férias!
    M.

    ResponderEliminar
  10. Num país governado por, no meu entender, VIGARISTAS E MENTIROSOS, é natural que prevaleça a mentira.
    Limitar a o número de classificações muito boas é, não tenhamos medo das palavras, MENTIR.
    O facto de impedir a subida na carreira, criando cotas, apesar de ser criticavel, era muito menos desonesto e, até, se bem justificado, aceitável. Não atribuir boas classificações porque sim ou porque não, é DESONESTO.
    MAS o principal reside na avaliação, propriamente dita. Os prof. e os seus queridos sindicatos, disseram que queriam muito ser avaliados e, agora, queixam-se! Paciência!
    Querer avaliar é mais que legítimo da parte de quem tutela os serviços.
    Os profs, deviam querer avaliar a tutela -os programas, as decisões controversas de quem está nos gabinetes a mostrar serviço, etc. - e não, serem avaliados. Eu sou prof., não estou minimamente preocupado em ser avaliado, estou preocupado em fazer bem o que faço.
    Quem quiser que se preocupe em me avaliar. Posso criticar um sistema anormal - penso que feito por anormais - de avaliação.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo