quinta-feira, outubro 30, 2008

A Maça envenenada em reposição

Branca de Neve e a Sinistra Bruxa

Recebi num mail estra transcrição de uma intervenção do António Costa (PS e Presidente da Câmara de Lisboa) na Quadratura do Circulo:

'Quer o governo quer os sindicatos precisavam deste acordo e dele rapidamente!
Porquê?
Porque o que nós verdadeiramente tivemos aqui foi algo que transcendeu o governo e transcendeu os sindicatos! Quer o governo quer os sindicatos foram apanhados de surpresa em todo este processo. As primeiras manifestações, como todos nos recordamos, foram convocadas espontaneamente. Aquela manifestação excedeu em muito a capacidade de mobilização sindical. Os sindicatos fizeram um esforço colossal para procurar enquadrar rapidamente aquele movimento. Aquele movimento tinha uma natureza espontânea e o mal-estar que existe em muitas escolas e nos professores transcende, em muito, o que está em cima da mesa das negociações! ‘

Distraiu-se e disse aquilo que me parecia evidente. Os sindicatos assustaram-se com a força que a sua classe lhes dava e ficaram sem saber o que fazer com tanto poder. Sentiram que tinham que rapidamente "enquadrar" aquela luta e a Sinistra logo lhes deu a mão. Não para os salvar a eles, mas a ele própria que se deve ter imaginado a ser recambiada para dar aulas numa escola publica na Musgueira ou na Cova da Moura. (Claro que todos sabemos que haveria sempre uma secretária num ministério para lhe evitar o incomodo, mas dá sempre prazer imaginar estas situações). Estendeu a maça do memorando de entendimento e o sindicato trincou com toda a força. Ganhou folego a Bruxa e descansou o Sindicato.Agora que os professores começam de novo a levantar a sua voz o sindicato tudo faz para desvalorizar esse movimento, esvaziá-lo da sua força e tentar não ser ultrapassado de novo pela vontade e luta daqueles que devia representar. A Sinistra bruxa, essa lá vai envenenando mais uma maça para tentar a Branca de Neve. Cabe aos professores mostrar a sua vontade e recusar que outros assinem aquilo que não desejam. Cabe aos professores mostrarem a sua força e fazerem tremer o poder. É altura de todos encherem Lisboa no dia 15 de Novembro.

Contribuição para o Echelon: NATOA, sneakers, UXO

20 comentários:

  1. Zé Leitão30/10/08 12:58

    É a opinião do António, que naturalmente saberá coisas que eu não sei.Mas,eu não vejo as coisas assim. Só se deixa controlar quem quer ou quem não sabe.

    ResponderEliminar
  2. É a mesma coisa com o STT.Safam-se uns e outros que estão lixados,lixados ficam à pala do sindicato(sindicato?mas que merda).Tem que haver um movimento de massas para correr com os acomodados pq geralmente,eles estão bem e,a marimbarem-se para os que excluidos.É a mesma história em relação aos desempregados ,o movimento sindical não fala deles nem sequer os enquadra-que se fodam!É sópar entrarem em guerras de alecrim e manjerona,por isso é que o Mundo está como está!

    ResponderEliminar
  3. A referência à Musgueira e à Cova da Moura era inútil por ser sectarista e reaccionária.

    ResponderEliminar
  4. Kaos

    Parece que vai ser mesmo dia 8, as "partes" chegaram a entendimento depois da reunião de ontem, só estamos à espera do Comunicado oficial, talvez daqui a 30 minutos já esteja na net.
    Um abraço


    Isabel

    Ps: Não morro de amores pelo Mário, mas prefiro que seja ele a dar a maçã à sinistra.

    Depois fazes um "boneco" lindo para a mobilização, não é?

    ResponderEliminar
  5. Terá chegado o tempo de rebentar o dique que nos prende há tantos séculos? Esperemos que sim, embora não se vislumbre bem para onde caminha tudo isto.
    Mas para algum lado vai.
    beijocas

    ResponderEliminar
  6. anonimo:
    A referencia pode parecer reacionária mas só desejava dizer que há zonas onde os professores passam por mais dificuldades e onde se debatem com problemas de exclusão social e maior violência

    ResponderEliminar
  7. Maria Branco
    Se chegaram a um entendimento isso pode vir a dividir ainda mais os professores. Não é um assunto que me diga respeito e espero sinceramente que não se venham a arrepender mais tarde. Seja como for eu irei dar um passeo no dia 15 do Marquês até S. Bento com quem o desejar fazer comigo. Quanto ao boneco para a mobilização não sei se o poderei fazer. Tinha de acreditar nela.

    ResponderEliminar
  8. Eu também vou lá dar uma volta no dia 15 e devo estar no Marquês, pelas 15 horas.

    ResponderEliminar
  9. Maria Branca, não me parece que haja razões para estar certa do que diz mas ... nunca se sabe, não é?

    Kaos, tb vou dia 15!
    Bjos,
    M.

    ResponderEliminar
  10. Se não estou equivocado, a mulher de António Costa é professora e até esteve na Manifestação.

    Do ponto de vista estratégico, é conveniente que se abram brechas no PS.

    Isso será possível se os professores conseguirem transformar a sinistra ministra na causa da perda do PS nas eleições.

    Se o PS começar a tremer, vão começar a pedir a cabeça da sinistra.

    Avancem com força e com inteligência.

    Este desgoverno está a destruir o essencial do País: as escolas e as empresas.

    ResponderEliminar
  11. O texto a que este post se refere e que circula pela net foi retirado daqui:
    http://reinodamacacada.blogspot.com/2008/10/recordando-o-ps-entendimento.html
    Não sei se é por deformação profissional da minha parte mas tenho por hábito indicar SEMPRE as fontes onde me baseio.
    Um abraço e continua com o óptimo trabalho que tens vindo a fazer!

    ResponderEliminar
  12. touaki:
    Não referi as fontes porque não estavam no mail que recebi. Seja como for é uma simples transcrição de algo que alguém disse e não um texto pessoal

    ResponderEliminar
  13. Zé Leitão31/10/08 02:03

    " Se chegaram a um entendimento isso pode vir a dividir mais ainda os professores" !! ???
    Há várias coisas que eu não percebo afinal. Será que a divisão dos professores é boa???!!
    Eu sei que a união faz a força porque já tive oportunidades de o comprovar. Quem não sabe, pode começar por juntar uns vimes e tentar quebrá-los ao mesmo tempo...
    Também estou com o tb quando diz que não se vislumbra muito bem para onde caminha tudo isto.
    No entanto parece-me muito claro que, se não houver um plano para dia seguinte, por mais rabiscado que seja, então de certeza que não se vai a lado nenhum..

    ResponderEliminar
  14. Kaos:

    Exacto! Apenas referiste esse excerto! Mas quem fez a dita cuja transcrição do original (o 1º programa da Quadratura do Círculo em que António Costa participou) fui eu. Se acaso não o fizesse duvido que alguém se lembrasse.
    E não acho de forma alguma que tenhas qualquer culpa. Critico é o hábito de haver quem o faça (e não apenas na blogosfera, infelizmente) e que por isso acabam por lançar as suspeitas do costume sobre esta acusando-a de boateira!
    De resto, extraindo-a do contexto de onde foi retirada pode levar a outras interpretações...

    ResponderEliminar
  15. Kaos

    Desta vez não há entendimentos possíveis e o outro passou de prazo.
    A Assembleia da Repúplica é demasiado pequena para tantos, precisamos de um espaço maior.
    Até lá.

    Um abraço
    Isabel

    ResponderEliminar
  16. kaos,
    obviamente que não o tenho como reaccionário mas há lapsus linguae lixados.
    Abraço

    ResponderEliminar
  17. Também discordo muito desta opinião. A esmagadora maioria dos professores que conheço sentem-se representados pela plataforma e vêm com alguma apreensão movimentos que têm a legitimidade que têm, mas não a de representar todos os professores. Vai quem quer é verdade, e são livres disso, mas vão representar o quê? Que posições?

    Não gosto desta tática de "dividir para reinar", ainda mais quando é impulsionada, na minha opinião, por pessoas que querem enfraquecer o movimento e a unidade sindical. Força, não sei é se esta "manifestação rival" não será de facto a tal "maçã envenenada" para os professores que se defendem e defendem um ensino justo, de qualidade, universal e sem precariedade, enfim, a escola de abril.

    Para mim, é o ministério quem ganha com duas manifestações. Os jornais, esses, vão-se repimpar.

    ResponderEliminar
  18. Na luta reivindicativa, a união não é só importante, é determinante para o seu sucesso. É preciso ter a coragem para pôr o acessório de lado, e concentrar no essêncial. Vejo com muito agrado o entendimento para a realização conjunta de uma manifestação no dia 8.

    Quanto ao memorando, trata-se de um documento sem valor nenhum, mais a mais, agora que a plataforma inclui todas as organizações, não tem o acordo da totalidade da mesma.

    Além do mais, o próprio governo esvaziou o memorando, por incumprimento de algumas das suas disposições (em particular, a moratória referente à aplicação do avaliação enquanto não houvesse condições para tal). O memorando está morto...

    ResponderEliminar
  19. maria júlia1/11/08 01:15

    eu vou estar a 8 com quem sempre me defendeu e esteve a meu lado. não aos agitadores de sofá e bebida espirituosa. sim a quem se sacrifica por nós. vivam os sindicatos. dia 8

    ResponderEliminar
  20. "Anónimo Anónimo disse...
    A referência à Musgueira e à Cova da Moura era inútil por ser sectarista e reaccionária."

    É pá desculpa,mas acho que já estamos todos fartos do politicamente correcto! É um facto que ninguém quer ir para essas escolas, e tudo o resto é acessório. Por acaso sabe de alguém que voluntáriamente concorra para esses locais? Deixemo-nos dessas teorias da treta e passemos a chamar os bois pelos nomes! O Kaos é para mim a maior referência da net, e terá mais que fazer que ter de estar a utilizar o seu tempo para justificar algo.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo