quarta-feira, outubro 29, 2008

O Baile dos vampiros

Fórum para a competitividadde

Que dia este, em que dum lado bailam os sindicatos e no outro dançam os patrões.
Umas fezes chama-se “Compromisso Portugal” outras Fórum para a Competitividade, ou outra coisa qualquer que servem todos para o mesmo; louvar o lucro e as empresas e sempre à custa dos mesmos, de todos nós. Mal o Engenheiro, afinal há eleições para o ano que vem, falou em aumentos de 2,9% para a função publica e de 5,6% para o salário mínimo, não se cansam de aparecer os abutres a levar as mãos á cabeça e, com a justificação da crise, dizer que não pode ser. O Ferraz da Costa até diz que é necessário um ajustamento da economia e isso só se pode fazer com cortes salariais. As televisões, rádios e jornais não tardaram a arrebanhar a manada de comentadores e economistas para virem criticar os aumentos; há uma crise e não há dinheiro. Os mesmos empresários, nababos, comentadores e economistas que aplaudiram os muitos mil milhões colocados à disposição dos Bancos e que defendem que se faça o mesmo às empresas. Nunca abriram o bico quando milhares de empresas faliram por todo este país, lançando para o desemprego e miséria milhares de famílias, mas agora que temem que a crise os arreste também a eles já querem o dinheiro do estado como bóia de salvação. Compreendo que o Belmiro e outros como ele estejam preocupados com o aumento do salário mínimo, tantos são aqueles que exploram com baixos salários.
Criticam as obras públicas projectadas e aí realmente estou-me bem nas tintas para Aeroportos e TGV’s, mas não para pegar nesses milhões e lhos dar a eles, mas sim para produzir e plantar aquilo que faz falta para abastecer os nossos mercados e lojas. Vamos produzir aquilo que consumimos para não termos de comprar lá fora. Vamos fazer este país auto-sustentavel sem dependências do exterior, tanto no nosso abastecimento como nas crises que possam afectar as nossas exportações. Vamos usar o Alqueva para aquilo que tinha sido pensado, para regar os campos de comida e não de golfe nem para fomentar a construção de condomínios de luxo. Vamos ver o que faz falta a este país e vamos produzi-lo. Isto, depois de corrermos com esta cambada de gananciosos que, em troco de mais algum lucro, vendem sem qualquer problema este povo e este país.

Contribuição para o Echelon: Kwajalein, LHI

3 comentários:

  1. e... sejam os sindicatos, sejam os patrões, tem tudo um cu gordo... pudera...

    ResponderEliminar
  2. nem mais
    quando estes fdp choram 25euros o que dizemos nos quando os continentes aumentam preços quase todas as semanas ?

    ResponderEliminar
  3. A água do Alqueva está cheia da mierda que os nuestros hermanos põem no Guadiana. Por isso o melhor é mesmo ser usada nos condomínios de luxo em vez de produção agrícola...

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo