sábado, janeiro 31, 2009

A Moda na Justiça

 Modas da justiça

O «caso Freeport» que está sob investigação «está na moda, mas é um caso como tantos outros», referiu esta quarta-feira o Procurador-Geral da República (PGR).
«Agora a comunicação social pegou no caso Freeport. Isso é por épocas: temos a época Casa Pia e agora, em vez de ser o futebol, é o caso Freeport». «O caso Freeport é um caso como tantos. Há 70 mil só no DIAP [Departamento de Investigação e Acção Penal] de Lisboa».
Garantia de Cândida Almeida (procurador-geral adjunta) em relação ao caso Freeport: «Os cidadãos são todos iguais, mas há uns que os representam e esses não podem estar sob suspeita durante muito tempo»

Para Pinto Monteiro o Freeport está na moda, mas é só mais um caso do 70 mil que há só no DIAP. Já para a sua Cândida adjunta, os cidadãos são todos iguais, mas como no “Triunfo dos Porcos”, uns são mais iguais que outros”. Se tudo correr normalmente o resultado desta investigação acabará com a acusação a jornalistas por “violação do segredo de justiça”.

10 comentários:

  1. Claro que o José Sócrates tem o direito de não ser considerado suspeito.
    O problema é que o José Sócrates Primeiro Ministro de Portugal, tem a OBRIGAÇÃO para com os portugueses, de não ser considerado suspeito em actos com a natureza dos do Freeport.

    ResponderEliminar
  2. Josezito já te tenho dito que não é bonito estares me a enganar.Chora agora Josezito chora...

    Cantilena popular,muito sábia e actual.

    rosebud

    ResponderEliminar
  3. José Socrates, não está totalmente inocente, porque se o estivesse, não estvava na "lista negra" da policia inglesa. Parabéns pela montagem.

    http://wwwbragablog.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. Kaos

    Não é a Moda & Moda mas quase!

    O Modelito já deve ter a "sentença lida" pelo chefe do nosso Bidelberg, Mr Balsemão deve lhe estar a pôr os "ditos" e vai arranjar uma nova Top Model, não achas?

    ResponderEliminar
  5. Zé Muacho31/1/09 17:30

    Caro Amigo,

    Pois é, são 70.000; desses,se só estiverem implicados "peixes miúdos",alguns irão para a frente.

    Os outros ficarão a marinar na inacção até se dissolverem com o tempo.

    Os exemplos da montagem implicam quase todas as forças políticas; todos têm telhados de vidro, daí a razão do seu silêncio.

    Ora agora sacas tu!
    Ora agora saco eu!
    Ora agora sacas tu mais eu!

    Temos que correr com eles todos!
    Zé Muacho

    ResponderEliminar
  6. O Zézito e o PGR acham que sim.

    O problema é que a F.S.O. não é da mesma opinião.
    Gosto muito deste blog

    Abraço

    ResponderEliminar
  7. A moda que já se usa há muito tempo.
    É a moda de " Até fartar vilanagem"

    ResponderEliminar
  8. De: rui araújo

    Enviado: 21 de Novembro de 2008 01:52

    Para: Press Office SFO

    Assunto: Pedido de um jornalista português

    Exmo. Senhor,

    Sou um jornalista investigador português.

    Cubro o crime organizado, a corrupção, a extorsão e a fraude para a TVI (Televisão Independente - Lisboa) e para o Consórcio Internacional de Jornalistas Investigadores (Washington DC; EUA).

    Serve o presente email para lhe colocar umas perguntas sobre a investigação da Freeport pelo Reino Unido.

    Estou a compilar dados sobre a reunião das autoridades do Reino Unido e de Portugal que teve lugar esta semana em Eurojust na Haia.

    Segundo os meios de comunicação social portugueses, o Reino Unido não respondeu de forma positiva a uma carta rogatória apresentada pelas autoridades portuguesas em 2005. Os jornais relatam que houve uma transferência de 4 milhões de euros do Reino Unido para contas em Portugal por intermédio de um escritório de um advogado.

    Os jornais portugueses dizem que V. Exas. interceptaram comunicações mas que estas não podem ser utilizadas nos tribunais portugueses.

    A fonte e o objectivo de tais artigos são bastante óbvios...

    Eis as minhas perguntas:

    1 - V. Exas. solicitaram uma reunião com as autoridades portuguesas (DCIAP)?

    2 - Podem especificar o motivo de tal pedido?

    3 - Como explicam o facto de a delegação portuguesa não ter ninguém no departamento a investigar o assunto? (A Polícia Judiciária estava representada pelo seu n.º 2 e pelo chefe da DCCCFIEF - crime económico, que se deslocaram à Haia a pedido especificamente da DCIAP; as pessoas que estavam a levar a cabo a investigação não marcaram presença). A vossa delegação incluía Investigadores?

    4 - É verdade que V. Exas. não responderam de forma positiva até agora ao pedido formal que lhes foi efectuado pelas autoridades portuguesas em 2005?

    5 - Confirmam que têm em vossa posse material electrónico (Intercepções telefónicas e um filme de curta metragem) relacionado com as actividades criminais dos cidadãos portugueses envolvidos neste caso?

    6 - Confirmam que a Freeport Portugal foi vítima de extorsão?

    7 - Confirmam que houve uma estranha transferência bancária de 4 milhões de euros? (Uma fonte disse-me que o valor era superior).

    8 - Confirmam que o advogado é José Francisco GANDAREZ?

    9 - Confirmam que a SOCA estava, ou está, ligada a este caso? Agradecia muito uma resposta.

    Estou a tentar fazer o meu trabalho e não confio nas fontes locais (com excepção, em certa medida, dos investigadores policiais).

    Agradecia que me Informasse se prefere uma reunião formal ou informal em Lisboa ou em Londres. Sei que a SOCA tem uma representante na vossa Embaixada em Lisboa (Sra. J...). Agradeço muito o tempo e consideração dispensados.

    Os meus melhores cumprimentos,

    Rui Araújo

    PS - Caso seja necessário, queira verificar a minha biografia em:

    http://www.publicintegrity.org/investigations/icij/

    ResponderEliminar
  9. Anónimo1/2/09 10:39

    E,a essa gente,'entendida' da 'justiça' ganham rios de dinheiro e o outcome é como no cartaz.Não são mesmo uns grandes incompetentes(para ser bonzinho...),Dr.Kaos?
    Pagamos opiparamente a essa elite para que tudo fique na mesma.
    Ná,não valem nada.Tou farto deles mais a sua retórica de 'vendedores de pentes'....
    O poder Judicial só está aqui para safar os mesmos de sempre...e,ser forte para com os fracos e,fraco para com os fortes.Penso que deveriam ,na maior parte,demitidos!

    ResponderEliminar
  10. Aquela frase da Cândida Almeida é extraordinária. Conseguiu atravessar as franjas seráficas da vice PGR sem as perturbar.
    Mais prometeu que ela e a sua equipe "trabalhariam dia e noite."
    Desde 2005 estiveram a dormir, agora é que lhes dá o speed. Para?
    Para em "tempo útil", ou seja pelo menos um dia antes das eleições, o Zézito, em termos de opinião pública pelo menos, ser declarado inocente.

    A Vice-PGR não tinha agenda pública. Agora tem-na.

    Campanha branca, dentro da legalidade.

    O que vale é que este país é uma mina permanente para quem esteja atento ao melodrama político. Os próprios auto-satirizam-se. A começar pelo "Pinóquio."

    Um abraço,


    Miguel

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo