sábado, março 28, 2009

Seguros sem segurança nem saúde

Seguros de saude

O 'pai' do Serviço Nacional da Saúde (SNS), António Arnaut, considera que o Estado tem falhado o seu papel fiscalizador dos seguros de saúde, que são na maior parte uma “fraude”. O responsável defende por isso uma maior atenção por parte do Estado.
“Com a penetração do sector privado verifica-se uma certa degradação do sector público. As pessoas se não são bem atendidas no sector público tendem a fazer um seguro de doença, mas esses seguros são na sua maior parte uma fraude”, afirmou António Arnaut em declarações à rádio TSF.

Há muito que está em marcha a transformação do SNS num serviço de saúde de baixa qualidade destinado à franja dos mais miseráveis da nossa sociedade. Com o argumento da poupança são fechados serviços de saúde e diminuídos os recursos humanos. Basta ver que onde fecham os serviços públicos abrem hospitais privados.
Os seguros acabam assim por se transformar na única solução que muitos encontram para garantir o seu acesso à saúde. O pior é quando realmente surge uma doença mais grave ou uma doença crónica, imediatamente esse seguro é cancelado pela seguradora.

Seguros de saude

A saúde é um negócio de muitos milhares de milhões e quando há tanto dinheiro em jogo rapidamente surgem os abutres. Grave é ver o estado a desbaratar a saúde pública em nome do lucro privado. Grave é ver a saúde publica colocada em causa em nome da ganância de alguns. Os seguros são só a parte visível de um negócio muito maior.

4 comentários:

  1. obrigado por adicionarem o meu blog á lista
    é mais um incentivo para continuar

    entretanto está actualizado

    http://chemtrails-portugal.blogspot.com/

    :)

    ResponderEliminar
  2. http://mikaoj.planetaclix.pt/FunPublicaBild.pdf


    artigo bilderb....

    ResponderEliminar
  3. Um país tão pequeno e com tantos negócios, certamente é um país rico habitado por pobres.
    JSerra

    ResponderEliminar
  4. Última Hora:
    Salazar foi expulso do Inferno!
    O Diabo cansado de ver Salazar a rir sem parar, decidiu que o seu comportamento era inadequado e inapropriado por não se coadunar com a postura que se espera de todos os hóspedes do estabelecimento que o ex-Anjo dirige.
    Fontes geralmente bem informadas, confirmam que o Ditador entrou num estado de riso permanente há 24 anos, mas que se agravou exponencialmente para um estridente riso descontrolado, ininterrupto, e de boa disposição, desde que há aproximadamente quatro - longos - anos, ouviu o discurso de tomada de posse como Primeiro Ministro de Portugal do Sr. Eng.º José Sócrates.
    Para complicar a situação do Prof. Salazar, o riso tem-se revelado contagiante, existindo já uns milhões de viciados no Inferno que não perdem, por nada, cada novo discurso do Sr. Eng.º Sócrates, e respectivos Ministros do Governo que dirige.
    Ao microfone o Príncipe Lúcifer declarou peremptório: «Quem manda aqui sou eu!!! E se ele não consegue por cara de alma penada tem de sair!! Até porque se isto continua tenho de os mandar sair a todos e acabo desempregado!».

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo