terça-feira, maio 26, 2009

A Padeira da Aljubarrota Europeia

A Padeira de Aljubarrota

O cabeça-de-lista do PS às europeias, Vital Moreira, afirmou: "Temos de denunciar a visão chilreamente e pedestremente (sic) de partidos que se julgava terem algum currículo europeísta. É com pena que digo que o PSD, que outrora foi modernizador, tornou-se agora conservador e em alguns aspectos reaccionário”. De acordo com Vital Moreira, no passado, o partido actualmente liderado por Manuela Ferreira Leite chegou "a reivindicar uma dimensão social" para a União Europeia, mas "está agora rendido às posições mais neoliberais". "Não estávamos preparados para pensar que o PSD, que durante décadas compartilhou connosco ideias europeístas, esteja agora disponível para adoptar uma retórica de baixo nacionalismo, competindo com as extrema-direita e com a extrema-esquerda soberanistas e nacionalistas, fazendo um discurso anti-espanhol e anti-europeu, que não é digno de nenhum partido europeísta", acusou Vital Moreira.

Tenho de concordar com o Vitinho quando afirma que o PSD está rendido às posições neo-liberais, mas esqueceu-se de dizer que também o PS há muito segue o mesmo caminho. Aliás, quem anda pela Europa a defende-la acaba por ser cúmplice ao legitimar uma pseudo-democracia de uma Europa que defende o capitalismo global e segue no caminho do desmantelamento dos serviços públicos e sociais.
Sabendo que o Vitinho, pode não ter jeito nenhum para andar em campanha, mas não é nenhum analfabeto, só se pode considerar como uma certa desonestidade social o querer meter no mesmo saco a extrema-direita e a esquerda. A extrema-direita é realmente nacionalista e a sua posição soberanista assenta na xenofobia, enquanto a extrema-esquerda, pelo menos aquela que defende a ruptura com a União Europeia, baseia-se na necessidade de romper com as politicas neo-liberais, com a ditadura do banco Europeu, com as imposições do Tribunal Europeu e com as directrizes que destroem o tecido produtivo de Portugal. O discurso não é anti-europeu nem há a vontade de construir um muro que nos separe da Europa, mas sim construir uma nova Europa de Nações livres e soberanas que cooperam no desenvolvimento dos seus povos. Nessa Europa eu acredito, nesta que nos querem enfiar pela goela abaixo, como fizeram com o Tratado de Lisboa, só posso desconfiar e combater.

PS: Aproveito para deixar aqui também a minha homenagem ao grande Vilhena que tantos bonecos fantásticos publicou na sua "Gaiola Aberta"

5 comentários:

  1. Gosto do seu sorriso rasgado, caro Rangel. Tem cara de cu, como outros "Rangel". Podiam ter encontrado um melhor lugar na Europa para o colocarem!!!

    Kaos, tens lá no meu blogue o bolo e as velas, quando quiseres podemos cantar-te os parabéns, é só clicares no botão da barra lateral do Pafúncio.

    Feliz aniversário e que possamos estar juntos para vermos isto mudar para o mundo melhor que ambos queremos.

    ResponderEliminar
  2. aljubarrota com barrete frígio??

    ResponderEliminar
  3. O Vilhena?!Coisa mais ordinária...

    ResponderEliminar
  4. Não tão ordinário quanto o "Inginheiro" o "vitalinho" o Rangel o "Catherine De Neuve" etc etc.
    Em contrapartida era muitissimo bem humorado e sabia expressar o sentir do POVO Português como ninguém.
    Viva a Insugeição, a Rebeldia a Critica e o Espirito Português!Viva Vilhena!

    ResponderEliminar
  5. Comparar a padeira de Aljubarrota com o caramelo do ppd, francamente ! é fazer pouco da padeira !

    Que eu saiba ela até foi amississima dos espanhóis. Então não foi ela que mandou 7 direitinhos para o paraíso ?!!

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo