terça-feira, junho 30, 2009

Maestros - Jerónimo de Sousa

O maestro

Na grande maioria dos partidos os discursos do lideres servem para informar os seus militantes de como devem pensar e o que devem dizer e defender. Neste aspecto o PCP está muito à frente de todos os outros. Isto não é um defeito pois garante a homegenidade do discurso, daquilo a que chamam de "colectivo, mas também mostra muita falta de pensamento critico de cada um. Pessoalmente prefiro pensar pela minha cabeça mesmo correndo o risco de errar (o que acredito aconteça com frequência), mas pelo menos digo o que penso.

9 comentários:

  1. PRIMEIRES!
    Viró disco e tocó mesmo ou será K7!

    Estre maestro parece ser mais inteligente que os anteriores, está aki está nos mp3 porquê?
    pq POD!

    ResponderEliminar
  2. Há quem pense pela sua própria cabeça (onde eu me incluo, "apesar" de ser militante do PCP dirias, até por isso mesmo, direi).

    E há quem pense acriticamente pela cabeça da opinião publicada, pensando toda uma vida ser da sua cabeça as opiniões que repete.

    Um Abraço,

    MG

    ResponderEliminar
  3. zé do boné30/6/09 13:11

    Olha que não kaos, voltastes a errar o Robinson Crusoe foi o único gajo que pensava pela sua cabeça até que apareceu o Sexta feira.

    ResponderEliminar
  4. Gostava de deixar dois posts relativamente à insinuação, recorrente, de os militantes do PCP não pensarem pela sua cabeça.

    Um deles é um excelente texto do blog "Olhar à Esquerda". É um post sobre o BE, mas não o coloco por isso (nem queria entrar aqui em picardias), apenas porque em certa parte do texto está bem patente o que singifica uma discussão em colectivo no Partido Comunista Poruguês.

    No Partido Comunista Português, "por acaso"também cada um pensa pela sua cabeça.
    Mas a grande diferença, a diferença essencial, para se conseguir errar o menos possível, é que cada camarada põe sempre a sua razão, em discussão, no colectivo a que pertence.


    http://olharaesquerda.blogspot.com/2009/05/bloco-de-esquerda-hoje-vou-falar-do.html

    Outro é um post de Vítor Dias, em cuja adenda final (em resposta à acusação de Fernanda Câncio segundo a qual no PCP tb não pensaríamos pela nossa própria cabeça) se pode ler:

    É que se a feliz e invejável juventude de Fernanda Câncio não lhe permite saber isso, então talvez eu lhe possa explicar que as orientações e decisões de colectivos se baseiam não em farinha Maizena mas precisamente na contribuição das mulheres e homens que pensam pela sua própria cabeça.

    Aqui: http://tempodascerejas.blogspot.com/2009/05/desculpem-mas-tem-de-ser.html

    E subscrevo na íntegra estes esclarecimentos. E... garanto que a minha decisão de as subscrever é 100% da minha cabeça!

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  5. Com todo o respeito que me merecem os homens e mulheres simpatizantes ou militantes do PCP a liberdade de pensamento é só dentro de determinados parâmetros. Imaginemos 2 linhas paralelas em que as ideias individuais podem existir. Fora dessas linhas, entra-se na ruptura.Mas o pior é que essas duas linhas cada vez estão mais próximas e, consequentemente há menos possibilidade de ser livre. É assim no PCP, como noutros grupos com ideologia próxima. Por essas e por outras cada vez há menos pessoas dispostas a aceitar as cangas que (TODOS) os partidos querem colocar nas pessoas. Com mais ou menos democracia, a linha para as ditaduras é muito ténue!

    ResponderEliminar
  6. Perder tempo com o «pensamento» (???) da Fernanda Câncio é revelador da qualidade do pensamento de quem perde tempo com tal merda.

    ResponderEliminar
  7. Anónimo1/7/09 14:28

    As linhas paralelas é engraçado, mas é bem a imagem de uma visão distorcida da realidade.

    As ideologias existem. Um Partido pode ter uma (o PCP tem e assume-a), ou pode fingir que não tem (submetendo-se à ideologia dominante, como TODOS os restantes).

    Mas enfim, isto sou eu a perorar de dentro das minhas linhas estreitas (e para mais, esqueci-me de pedir a opinião ao meu controleiro, ainda levo uma injecção atrás da orelha..).

    MG

    ResponderEliminar
  8. zé do boné1/7/09 17:21

    Há gente, que sem se aperceber vai deixando sair pela boca ou pelo teclado, as mensagens subliminares, directas ou indirectas, que ouve; e assimilam como suas...
    -É extraordinário...embora esteja bem estudado pela psicologia, não haja dúvidas que é, sempre surpreendente como gente que muita das vezes até têm um grau de "conhecimento elevado???"=escolaridade não consegue libertar-se da tutela da ideologia dominante .... ...demonstra uma incapacidade total e uma dependência brutal do pensamento dominante.
    E depois acusam os outros que combatem o o pensamento único e institucional de não pensarem pelas suas cabeças.
    -

    ResponderEliminar
  9. a vida é dura2/7/09 09:36

    Cada partido tem a sua linha de pensamento e actuação, o que deve sempre prevalecer é a liberdade de escolha do cidadão na hora de votar.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo