sábado, julho 25, 2009

Obama sem voz para a Susan Boyle

Agora canto eu

A cantora britânica Susan Boyle, famosa depois de ter participado num concurso da televisão britânica de talentos, afastou o Presidente norte-americano, Barack Obama, do horário nobre da televisão norte-americana.
As cadeias de televisão normalmente aceitam uma petição da Casa Branca para que seja reservado o melhor horário para uma intervenção importante do Presidente, mas neste caso a insistência da emissora em manter o horário para a entrevista, gravada previamente, obrigou Obama a antecipar a conferência em que devia explicar ao país a projectada reforma do sistema de saúde.

Já agora aconselho, sobre o assunto, a leitura de mais um excelente texto, publicado há alguns dias, (felizmente há um todos as noites) do maior escritor hiperrealista blogosférico, o Arrebenta do blog "Braganza Mothers"

4 comentários:

  1. E isto é grave. Sempre fui um céptico de Obama (como grande parte dos comunistas) relembrando o reforço de tropas para o Afeganistão, a relutância em sair do Iraque e a passividade nas Honduras. Mas foi precisamente no caso do Sistema de Saúde que Obama me surpreendeu pela positiva: até a ala direitas dos democratas não vê com bons olhos esta reforma.

    Infelizmente, o que não me surpreende é a reacção dos grandes meios de comunicação. Isto não foi por acaso, há muitas resistências a vencer nos EUA.

    ResponderEliminar
  2. A bichona do politicamente correto do MVA,estava a precisar.Muito bem escrito, este Arrebenta é o máiore!

    ResponderEliminar
  3. O Kaos é o máximo!!! (Re)força,imagens!!! metáforas sublimes.... lindas, inegualáveis,

    Um dia espero dar-lhe um abraço, daqueles... de braços erguidos, sem ferir a coluna...
    Bem haja!!! Cidadão (anónimo para alguns)
    Konti nua Kaos, irra!!! vers Silva mente...

    ResponderEliminar
  4. Zé Leitão26/7/09 23:01

    Isso foi uma grande treta transmitida pela comunicação social. O Obama não adiou nenhuma conferência de imprensa. E, eu vi e ouvi essa conferência na CNN.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo