terça-feira, janeiro 12, 2010

A opereta do pedinte

Beggers opera

“O total da dívida directa e indirecta da Madeira, juntamente com os encargos assumidos e não pagos, aproxima-se dos seis mil milhões de euros, ultrapassando o PIB da região”, próximo dos 4,5 mil milhões. “A divida é grande, é verdade”, reconheceu Jardim que justificou o recurso ao “endividamento de futuras gerações” como única forma de “infra-estruturar o território”, um “investimento sustentado”.
PSD e CDS defendem que o estado deve assumir os encargos de parte da divida da região autónoma da Madeira – mais precisamente 111 milhões e meio de euros. Esta quantia é reclamada como compensação pela perda de verbas, entre 2007 e 2009, motivada pela lei das finanças regionais aprovadas à três anos pelo anterior governo de José Sócrates.

A lei não foi cumprida? Não recebeu aquilo a que a lei lhe dava direito a receber? Porque raio, temos todos nós de agora pagar o que não lhe é devido? E, porque reclamam tanto o PSD e o CDS conta a divida externa do país e nada dizem da divida monstruosa da Madeira? Será que o Jardim pode continuar a pedir emprestado para fazer as suas inaugurações e festanças que depois nós pagamos? Ele vai gastando, os cubanos do “contenente” vão pagando e depois quem o vier s substituir no governo da região corta os pulsos em desespero.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo