segunda-feira, março 01, 2010

E o amor? Que seja eterno…enquanto dure

 amor eterno

Quem os ouvia e quem os ouve. Não é certamente o primeiro casamento interesseiro nem será o último.

2 comentários:

  1. Todos sabemos que é um "amor" interesseiro. Um (Jardim) na procura de uns milhões à custa dos "mouros", outro (Sócrates) na procura daquilo que já não tem, credibilidade.
    E depois têm a lata de nos dizer que é nos maus momentos que se deve "enterrar" o machado de guerra, pura e dura hipocrisia.
    Entretanto quem sai com "eles" (os tomates) entalados somos nós, os de cá e os madeirenses, que não têm culpa da má gestão urbanística.

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Zé Leitão1/3/10 11:27

    Fernando Nobre à Presidência.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo