terça-feira, março 23, 2010

Não ao Capitalismo de casino? Há outro?

capitalismo casino

"O capitalismo tem que deixar de ser o capitalismo de casino, como foi nestes anos passados, o que levou a esta crise", declarou Mário Soares durante uma conferência dedicada à crise económica mundial.

Tempos houve em que este indivíduo se dizia socialista e contra o capitalismo. Claro que depois a “crise”, há sempre uma crise em todas as alturas, o obrigou a meter o socialismo na gaveta, disse ele, no lixo digo eu. Tanto que agora já nem contesta o capitalismo, só o capitalismo de casino, como se houvesse algum capitalismo que não seja de casino e feito de desigualdades e miséria. Tem aquilo que plantou.

12 comentários:

  1. Zé Leitão23/3/10 15:52

    Grande Boneco!!

    ResponderEliminar
  2. João Santos23/3/10 16:43

    O Mário Soares é uma figura política cheia de contradições, que nem sequer deveria se pronunciar publicamente.

    Fala como se não tivesse responsabilidades no passado relativamente à má situação do país e de facto, tem.

    Fala quase sempre em favor do Partido Socialista, mesmo quando figuras do seu Partido estão relacionadas com casos de justiça, de corrupção, de pedofília e quando o seu partido se encontra a governar mal.

    Fala do roubo dos banqueiros actuais, mas parece-se esquecer do "assalto" que se verificou aos cofres do Estado português após o 25 de Abril de 1974.

    Este senhor que foi o responsável pela pior descolonização da história da humanidade, e que já chegou a sugerir meter-se o socialismo na gaveta, do ponto de vista governativo, em muito pouco contribuiu para a melhoria e desenvolvimento do país.

    Tanto que em 1978 teve de ser afastado pelo então Presidente da República, Ramalho Eanes, quando exercia as funções de primeiro-ministro.

    O Mário Soares funcionou sob o princípio do "dividir para reinar" e de facto, no passado, dividiu e em muito o seu partido.

    É de facto, um mestre da contradição.

    Como já ouvi alguém afirmar: " Foi um Salazar democrático".

    ResponderEliminar
  3. Qual é o capitalismo de Casino a que se refere o Mário Soares?

    O dos diamantes de Angola a que ele e o seu filho João Soares foram relacionados?

    E o "acidente" que o João Soares teve em Angola?. Fou um acidente ou estava na Jamba com diamantes e marfim?

    ResponderEliminar
  4. Mário Rafael23/3/10 17:32

    Não gosto do tipo, acho-o oportunista e demagogo. Mas tem-se de reconhecer que em 1976 o país estava na bancarrota, não existiam divisas no Banco de Portugal, até Basílio Horta na altura ministro de um governo PS/CDS chefiado por Mário Soares, sugeriu a imposição de senhas de racionamento, o país estava sem alimentos. Conta-se e ainda ninguém o desmentiu, que um ministro foi a Nova Iorque negociar com o FMI e não havia dólares para comprar o bilhete de volta, teve de ser a embaixada de França a facultar-lhe a verba. Na altura sim, o país estava mesmo à beira da falência. Mário Soares apesar de todos os defeitos teve na altura coragem para segurar as pontas.

    ResponderEliminar
  5. A Mim Me Parece23/3/10 18:25

    Mário Rafael diz que se conta, que se diz, que parece que...
    E eu lembrei-me daquela resposta lapidar que, após um desaire do Benfica num qualquer país da Europa Central, o Tony deu à jornalista que no aeroporto o interpelava dizendo-lhe que por cá tinha constado que determinado jogador tinha sido visto numa boate às 4 da manhã do dia do jogo: "Ai por cá constou isso? Olhe, por lá constou que você foi vista a essa mesma hora no Intendente!" Em directo.

    ResponderEliminar
  6. João Santos23/3/10 20:30

    Aqui fica o link para um texto muito interessante inserido no Blogue Aventar sobre Mário Soares:

    O texto é da autoria de António Marinho Pinto, actual Bastonário da Ordem dos Advogados e foi escrito no jornal "Diário do Centro", no dia 15 de Março de 2000.



    Mário Soares, Angola e o tráfico de diamantes

    ResponderEliminar
  7. mario rafael:e eu vi o pai natal mais o coelhinho dos ovos da pascoa .DassseParece(!) que o marfim e os diamantes não era uma d+adiva mas,sim um pagamento

    ResponderEliminar
  8. Filipe Cintra24/3/10 00:48

    Mário Rafael,e quem lançou o país nessa bancarrota? E quem andava a roubar os fundos enviados pelos paísses nórdicos? E quem se servia dos dinheiros públicos para financiar o seu partido? E quem enviou milhões para a Suíça que síam das doações aos governos corruptos dos países africanos? E quem entregou o Ultramar nas mãos dos movimentos comunistas que tudos destruíram e mataram milhões em guerras,fomes e falta de assistência? E o que andou esse indivíduo a fazer com o Carlucci numa determinada instituição do Estado que tinha inocentes à sua guarda? E quem traficava pedras preciosas e marfim com o assassino Savimbi e simultâneamente pedia esmolas aos portugueses para ajudar Angola?
    Quem derreteu a reserva de ouro que o "papão Salazar" deixou?.......................................................................

    ResponderEliminar
  9. Mário Rafael24/3/10 10:51

    Se falar-mos em quem roubou e ainda rouba, os nomes não cabiam aqui.
    Penso que alguns dos comentadores passaram pelo ano de 1976, a inflação era de 35%, os produtos aumentavam todos os dias, até o cabaz de compras que incluía os produtos de primeira necessidade e controlado pelo governo, sofria aumentos diários, começava a faltar leite e trigo, os espanhóis já não nos vendiam mais energia eléctrica, em alguns locais os cortes da mesma eram diários, encontrar culpados é fácil, mas a realidade era dramática. Como disse no comentário anterior, Mário Soares não me inspira nenhuma confiança, mas, e apesar dos desvarios que cometeu, conseguiu que o país não caísse na bancarrota.

    ResponderEliminar
  10. Ou talvez tenha sido o Hernâni Lopes com o FMI!

    ResponderEliminar
  11. Mário Rafael24/3/10 18:24

    Karocha

    Mas o Mário Soares era primeiro ministro.

    ResponderEliminar
  12. E quem criou esse nível de inflação?

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo