segunda-feira, março 29, 2010

O PEC e a defesa de Portugal dos estrangeiros maus

estrangeiros maus

O Sr. Silva veio afirmar que, "neste momento, independentemente de se gostar ou não gostar do Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC), temos que nos colocar na posição de defender Portugal perante o estrangeiro".

Anda todo nacionalista o nosso Presidente a dizer-nos o que é irrelevante aquilo que desejamos, que gostamos e em que acreditamos. Uma espécie de “suspensão da democracia” à moda do Sr. Silva, em que perdemos o direito de lutar por aquilo em que defendemos. Gostava era de saber porque se esqueceu de defender Portugal dos estrangeiro, quando era Primeiro-Ministro na altura das vacas gordas, quando a Europa aqui descarregava à pazada milhões todos os dias e ele utilizou todo esse dinheiro em estradas para esses tais estrangeiros nos impingirem os seus produtos, para pagar a destruição da nossa agricultura e industria e ainda na criação de bancos (BCP’s, BPP’s e BPN’s) com os seus amigos Loureiros e os Oliveiras e Costas. Defender Portugal é criar condições para uma verdadeira independência onde não estejamos dependentes de agências de rating ou do estalar dos dedos dos senhores do mundo. Ser-se independente é não se ser dependente, é produzir-se aquilo que necessitamos para consumir, é não como dizia o José Mário Branco no seu “FMI”, “que até neste país de pelintras se acho normal haver mãos desempregadas e se acha inevitável haver terras por cultivar!”. Cambada de Condes de Andeiros e de Vasconcelos deste país.

22 comentários:

  1. Para Cavaco Silva, o pior que lhe poderia acontecer em sua estratégia a caminho de nova eleição presidencial, seria deparar-se agora com uma crise governamental. Conhecendo Sócrates e a sua habilidade para ganhar junto da opinião pública os conflitos que com mestria provoca, o presidente foge, como gato de água fria, de todas as situações que de algum modo podem dar pretexto à irascibilidade do primeiro-ministro. A desaprovação do PEC no Parlamento seria uma delas.
    Manuela Ferreira Leite acedeu ao pedido do presidente, apesar de contrariar a vontade da comissão política do PSD, ao viabilizar a aprovação do PEC.
    São frouxos e caricatos os argumentos com que Cavaco Silva pretende condicionar a nova liderança do PSD. Ninguém acredita que nos tempos de hoje as empresas de rating se deixem manipular pelas opiniões dos políticos, dos partidos ou dos parlamentos. São os dados económicos técnicos e objectivos que analisam, que condicionam os seus pareceres e não as vontades subjectivas dos governos ou dos parlamentos. Mais do que a irritação dos mercados financeiros o que Cavaco Silva teme é a irritação de Sócrates.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Caro Kaos,
    Na verdae entra agora muito mais dinheiro "que no tempo das vacas gordas quando Cavaco Silva governava".É um facto. Contudo existe um silêncio sobre o assunto. Alias os "socialistas" são mestres em silenciar o que não lhes convem

    ResponderEliminar
  5. O maior problema não foi o sr. Silva ter construido as vias rodoviárias, que essas eram bem necessárias. Portugal estava completamente atrofiado e impraticável, sem quaisquer condições de acesso, com uma rede viária completamente miserável.

    O grande problema foi o sr. Silva ter entregue a construção de quase toda a rede viária a uma chusma de incompetentes e vigaristas, a maior parte deles nunca antes haviam sido construtores de estradas.
    Estas empresas nasciam como cogumelos, quase da noite para o dia, construiam mal e porcamente, paravam e exigiam mais dinheiro para continuar, o substrato das rodovias sem a consolidação e a espessura de inertes suficiente, de tal forma que, passado apenas um ano após a inauguração de cada troço, já precisavam de fortes intervenções e remendos, já que não aguentava com o trânsito de pesados.

    E o pior é que, ainda hoje e para todo o sempre, tais rodovias continuam a deteriorar-se e a consumir rios de dinheiro na conservação, simplesmente porque lhes falta o que por debaixo do alcatrão lá deveria estar: -uma boa e sólida camada de brita.

    Todas estas são estradas que nunca mais têm remédio, a menos que se destruam e se tornem a fazer de raíz, acrescentando o que lá falta.

    E como estes vigaristas não são parvos, assim que acabada a obra extinguiam a pseudo-empresa para não terem de responder pelas garantias de construção, constituindo-se logo a seguir como nova empresa, assim continuando e perpetuando a vigarice e o roubo nacional.

    E tudo isto com o conhecimento e nas barbas do sr Silva... pois se foi ele o autor de toda esta bandalheira ao publicar o célebre decreto das adjudicações das obras públicas: -a regra deixou de ser a escolha de empresas com créditos já dados na área, para passar a serem escolhidos pela proposta mais baixa!

    Ora isto foi um regabofe. Os vigaristas apresentavam as propostas muito por baixo para ganharem os concursos, cortando depois na pedra, no cimento, no alcatrão, nas escoras, na consolidação... cortavam em tudo, e até muitas vezes se permitiam parar as obras, exigindo mais dinheiro, chantageando o sr. Silva que não tinha outro remédio senão pagar-lhes o que eles exigiam.

    É por isso que a maioria das rodovias do sr Silva acabaram por ficar, além de mal e porcamente feitas, acabaram por ficar ainda mais caras do que se tivessem sido feitas pelas empresas conceituadas.

    E este sr. é hoje o PR deste país. Deve ser por isso que ele hoje não abre a boca, deixando passar todas as aldrabices e vigarices deste governo.

    ResponderEliminar
  6. ESSE PESSOAL DO CASO BPN E DO CASO BPP
    DEVIAM ESTAR TODOS PRESOS...
    SÃO UNS GATUNOS AUTORIZADOS...
    UM ABRAÇO PARA O KALU!
    SOU O LILI...

    ResponderEliminar
  7. O Cavaco teme uma crise por que falta-lhe habilidade politica para a resolver.
    V ejam o comportamento dele perante a licenciatura do PM tirada a um domingo e as mentiras que o PM todos os dias diz a propósito da situação grave e de desemprego que aflige os portugueses.
    Os Portugueses que se convençam de que o Cavaco não serve para presidente.

    ResponderEliminar
  8. QUERIA APROVEITAR A OPORTUNIDADE PARA ENVIAR UM ABRAÇO AO AMIGO...KALU
    UM ABRAÇO!
    LILI

    ResponderEliminar
  9. Olá Milan

    Por aqui, no blog do meu amigo Kaos?
    A propósito do seu comentário, assino por baixo.

    ResponderEliminar
  10. Olá Karocha,

    Então, também por aqui!?
    Aliás, português com dois dedos de testa que se preze, não deixa de fazer uma visitinha diária pelo Kaos, Braganza, Aventar, Porta da Loja, P.Profundo, F.Emergente e alguns mais.

    Mas, a propósito deste assunto do plano rodoviário do sr. Silva, devo dizer que, sendo eu motard (por hobby e por prazer) desde longa data e conhecendo todos os cantinhos deste país, acompanhei, durante toda a década de 90, a execução de toda a rede viária do cavaquismo.
    De facto, quando falo sobre este assunto, sei do que falo, quando me lembro de todas as vigarices dos vigaristas que, semana após semana, eu via praticar nas rodovias... e que passados alguns meses eu comprovava pela sua acelerada degradação. De norte a sul do país.
    Bradava aos céus... e as asneiras rodoviárias aí continuam, perpetuamente. E perpetuamente em manutenção, quando não mesmo em reconstrução.

    Acho que só o sr. Silva não viu isto! Acho até que, até aos dias de hoje, ainda não conseguiu enxergar o que fez... ou o que permitiu que se fizesse.

    ResponderEliminar
  11. Milan

    Esses e outros e várias vezes ao dia!
    Motard?
    LoooLLLL eu também, desde os 16!

    ResponderEliminar
  12. Karocha,

    Ora aqui está um facto curioso!...
    Quem haveria de pensar que tenho entrado "em casa" de uma companheira do "vício" das motas!

    Já agora, só faltava que também entrasse em algum dos foruns em que participo...

    E ainda tem mota? Qual?

    (Sei que já estou a querer saber demais... mas acontece que este assunto sempre é mais agradável que o "outro"...)

    ResponderEliminar
  13. Não Milan, agora não tenho.
    A última que tive foi uma BMW r27

    ResponderEliminar
  14. BMW R27, apareceu em meados de 60. Ainda me recordo dela, equipada com o primeiro motor BMW de cilindros verticais. Só depois, nos anos 70, surgia o motor "boxer" de cilindros horizontais e opostos.
    Pois a minha actual (e já lá vão cerca de 20) é a FJR1300.

    ResponderEliminar
  15. Era de um cilindro vertical!
    Foi comprada num leilão da policia.
    Foi toda restaurada, uma vez eu e o meu ex. fomos à outra banda fotografar e à saída da ponte a policia manda-nos parar.
    Ele começa a tirar os documentos e de repente estamos rodeados de policias, só queriam ver a mota e que estava linda, foi um fartote :-)

    ResponderEliminar
  16. Milan
    Está a dar as Superbikes no eurosport!

    Não sabia que o Biaggi e o checa andavam por aí!
    E daqui a pouco o Kaos, manda-nos ir falar de motas para outro lado :-)))

    ResponderEliminar
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  18. ""E daqui a pouco o Kaos, manda-nos ir falar de motas para outro lado :-)))""

    LOLOLOLOLOLOLOLOLOLO...

    ResponderEliminar
  19. Olá karocha e Milan
    Não façam cerimónia e podem vir falar para aqui sempre que desejarem. É sempre um prazer recebe-los.
    um abraço

    ResponderEliminar
  20. Obrigado Kaos, pela sua amabilidade.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  21. Igualmente para mim Kaos.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo