terça-feira, março 30, 2010

Portugal a saldos

Portugal à venda

10 comentários:

  1. Grande Kaos! Está um mimo... :-)

    ResponderEliminar
  2. Por favor não vendam PORTUGAL ao desbarato .Isto da maneira que está já não é vender os anéis e ficarem os dedos, é mais do que isso junto, é cortar as mãos pelos pulsos e assim ficamos manetas para sempre e nunca mais podemos trabalhar e sermos independentes e por isso resta-nos sentar-nos nas esquinas da rua a pedir esmola com uma caixa de cartão, e nem podemos tocar um instrumento musical para assinalar-mos a nossa miséria.

    Por favor haja quem deite a mão a isto sejam os militares por que o CAVACO já não tem pulso nisto.

    ResponderEliminar
  3. SERÁ DIFICIL O JOSE TROCAS-TE VENDER PORTUGAL...
    QUEM QUER COMPRAR UM PAIS FALIDO,E CHEIO DE POLITICOS ALDRABÕES/CORRUPTOS?...
    NEM A PREÇO DE SALDO!

    ResponderEliminar
  4. DA MALA QUE O JOSE TROCAS-TE NOS MOSTRA NA FOTO DE HOJE,SÓ CONSEGUE VENDER AS EMPRESAS QUE DÃO LUCRO...
    QUEM COMPRA A RTP?...
    QUEM COMPRA O BPN?...
    QUEM COMPRA A TAP?...
    QUEM COMPRA O BPP?...
    SE ALGUEM COMPRAR É COM UM DESCONTO DE 99%...
    UM ABRAÇO-
    LILI

    ResponderEliminar
  5. 25 de Abril sempre!30/3/10 22:44

    As empresas estatais não são máquinas para dar lucro, funcionam como investidores inter-companhia. O lucro vê-se no défice.

    Nem militares nem muito menos cavaco, que foi quem encheu o bolso àqueles que hoje continuam a comprar portugal ao desbarato, foi quem afanou o papel dos fundos de coesão, e, se portugal está cheio de vígaros, é justamente essa merda que interessa ao capital explorador transnacional. São os melhores governantes para utilizar o povo como escravo, cada vez com menos argumentos para fazer valer o seu trabalho devído aos 700.000 desempregados provocados por esta crise fajuta e muito bem aproveitada.

    Nunca mais abrem a pestana!

    ResponderEliminar
  6. Quando o Pinto da Costa e o Luis Filipe Vieira fazem grandes entrevistas nos horários nobres das televisões, como vai o nosso país?

    Para a semana levam o Sócrates à TVI e o Passos à SIC e à mesma hora.

    Não interessa o desemprego, a criminalidade, a baixa taxa de natalidade, a gasolina a 1,30.

    ResponderEliminar
  7. E o Carlão? Quando é que vemos uma imagem do Carlão?

    ResponderEliminar
  8. Sim, num país cheio de fome, carregado de dívidas, mas que quer ao mesmo tempo parecer rico e famoso, não admira nada que as TV's na linha retrógrada, bolorenta e manipuladora, tenha brindado os tele-espectadores com dois dos melhores cientistas portugueses, que na sua estóica luta contra o sistema, mais se têm empenhado.

    Não me lixem, tudo está programado, (até o Benfica dá uma ajudinha), enquanto o povo se entretém com o dito, com a visita do Papa e o Tony Carreira, não pensa na venda ao desbarato do nosso património empresarial nem das falcatruas dos políticos. É um fartote.

    ResponderEliminar
  9. As Berlengas e a Ilha do Pessegueiro não estão na mala... essas ficam para o fim, quando já não houver mais nada para vender.
    Sempre devem dar, ao menos, para mais um fatito Armani...

    ResponderEliminar
  10. Caro
    Kaos,
    Tal como venho dizendo há muitos anos, desde a nossa entrada para essa famigerada CE/UE, que o fim último dessa gente, é tirar completamente das mãos do Estado todos os sectores estratégicos de forma a que quem mande e controle a Economia do país seja meia-dúzia de grandes barões, com a ajuda, claro, de políticos anti-patriotas tipo Miguéis de Vasconcelos, de forma a que este pobre país passe dum país digno a mercado de escravos e prostitutas.
    Na realidade, sectores altamente estratégicos, como a Electricidade, os combustiveis, os transportes ferroviários, as águas, as industrias de Defesa, a TAP, a ANA, a REN, e mais umas tantas outras empresas vitais, nunca deveriam passar para mãos privadas, pois só com esses sectores importantes na mão do Estado, é que o País pode progredir, de outra forma, quem possuir esses sectores é que tem os meios para controlar o desenvolvimento do país.
    Mesmo em regimes capitalistas, o ultra-liberalismo não pode chegar a tanto ou arrisca-se a matar a galinha dos ovos de ouro.
    Meus amigos, estou plenamente convencido, de que a nossa pobre Nação já se finou, não só devido à usura internacional, mas porque os homens portugueses perderam a sua raça, hoje, os homens já não tem a genica doutros tempos, tornaram-se seres efeminados, andam mais interessados em futebol ou a preencher o recto com objectos estranhos, do que a preocuparem-se com o seu futuro, ou o que ainda é mais grave, preocuparem-se com o futuro dos seus filhos.
    Com gente desta, nunca D. Afonso Henriques teria conseguido fazer nascer Portugal.
    Triste sina a deste país, de um dos países mais importantes do Mundo, hoje, é pouco mais que um acampamente de pelintras e de ladrões.
    Cumprimentos.

    LUSITANO

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo