quinta-feira, março 18, 2010

Promessas de amor

carteirista

Da primeira vez que apareceu por aí, todo ele sorriso e simpatias, prometeu que ia baixar os impostos. Deram-lhe uma maioria absoluta e a primeira coisa que fez com ela foi aumentar os impostos justificando-se no estado lastimoso que o Santana tinha deixado o país. Nós pagámos e pagámos bem por isso. Desta segunda vez prometeu solenemente que não haveria aumento de impostos. Só lhe deram uma maioria relativa na assembleia, mas como o partido de alterne não mostra capacidade de ser governo, imediatamente nos sobrecarrega com mais impostos e menos direitos. Desta vez a justificação é a Crise Internacional, crise que já existia na altura da promessa e que todos conheciam, afinal são cúmplices com as politicas que a criaram. Talvez por isso tenta convencer-nos que não está a aumentar impostos mesmo quando todos vêm que está. Mente porque é mentiroso, porque acredita que uma mentira repetida muitas vezes se torna uma verdade, mente compulsivamente refugiando-se em desculpas troca-tintas, ultimo reduto dos mentirosos. A nós, vai-nos metendo a mão no bolso e fazendo o nosso fim do mês algo cada vez mais difícil de chegar.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo