segunda-feira, abril 12, 2010

Agradeço este prémio de 3.1 milhões...mereci-o

o prémio

António Mexia, o Presidente da EDP saiu em defesa própria afirmando que os 3,1 milhões de euros que ganhou no ano de 2009, ano da grande crise financeira, foram merecidos pois ultrapassou os objectivos traçados numa empresa com milhares de trabalhadores. Este pensamento pode ser questionado de três formas distintas. Primeiramente a de saber se será realmente mérito o aumentar os lucros numa empresa que tem o monopólio do mercado e vende a electricidade mais cara da Europa num dos países mais pobres. A segunda, saber porque só ele e a “quadrilha” do Conselho de Administração merecem ser premiados e não todos os trabalhadores que contribuíram para o sucesso da empresa. Finalmente se é lícito sequer que, num país à beira do abismo económico, onde existem milhões abaixo do limiar de pobreza, com mais de 10% de desempregados e onde o ordenado mínimo é inferior a 500 euros é moralmente agitável que alguém receba tal quantia.
Parece-me que a resposta a estas três perguntas é não, que não há mérito, numa empresa que devia ser publica, em explorar os cidadãos de um país e asfixiar ainda mais as já aflitas pequenas e médias empresas, que são os trabalhadores de uma empresa que realmente constituem a sua grande riqueza e que mais contribuem para o seu lucro e que se houvesse alguma justiça o desenvolvimento do país deveria ser construído de baixo para cima, utilizando o dinheiro para ajudar quem mais necessita, para criar empregos, para criar uma maior justiça social diminuindo o fosso entre quem nada tem e quem suga as poucas riquezas deste país. São quadros muito qualificados e se não lhes pagarem bem vão-se embora, dizem-nos. Pois que vão e que façam boa viagem que haverão muitos outros interessados em fazer o mesmo trabalho, quem sabe até muito melhor. Correr com esta gente que se vêm como Deuses deveria ser a primeira coisa a fazer.

19 comentários:

  1. Muito honestamente12/4/10 14:12

    Esta critica aqui feita também pode ser vista pelo lado positivo. É preferível um Director executivo ou director geral (às vezes designado Chief executive officer, ou pela sigla CEO, em inglês) que mostre o seu real valor com as decisões que toma, e são muitas, e contribuía para o engrandecimento e prestígio duma grande empresa ganhando bem, e que seja honesto, do que um que ganhe aparentemente pouco e corrupto que leve a mesma a fazer negócios ruinosos.

    Temos exemplos bem recentes no sector bancário e não só que nos deveria fazer pensar um pouco melhor, já que mais tarde ou mais cedo acabamos todos por pagar directa ou indirectamente do nosso bolso as incompetências de alguns onde temos de tapar todos esses buracos financeiros em que o dinheiro sumiu não se sabe bem para onde.

    ResponderEliminar
  2. Também quero um prémio desses...

    ResponderEliminar
  3. Mais honestamente ainda12/4/10 15:45

    Ó Muito honestamente disse...
    Qual é o mérito de ser director de uma grande empresa que é um monopólio, e que para ter lucro apenas lhe basta aumentar as tarifas?

    Eu fazia o trabalho dele por 1/100 do que ele ganha...
    O meu único problema seria não engordar, com tão boa vida... talvez tivesse que frequentar um ginásio! Que canseira!

    ResponderEliminar
  4. Boa, Kaos.
    Só falta o resto do discurso que estas misses costumam fazer:
    - "o meu desejo é acabar com a fome no mundo, e o sofrimento das criancinhas"...

    ResponderEliminar
  5. Aliás e para ser franco, qualquer um de nós merece, sem dúvida,tal valor pecuniário, porém e sem qualquer margem de dúvidas: quantas horas trabalha por dia o dito cujo e quanto ganha ao mês? Façamos as respectivas contas e logo veremos cada hora de trabalho do sujeito quanto é que importa à empresa, que o acolhe de braços abertos, sem o chamar pelos devidos nomes...
    Há pessoas com uma auto-estima do tamanho do Universo; mas para que esse HOMEM ganhe o que ganha, muitos outros andam a rapar à sola para auferir menos de 500 euros ao mês.
    Falta-lhes o espelho para se poderem ver dignamente, ou alguém que lhes indique o caminho. Pior é aquele que se recusa a ver a realidade económica circundante do que aquele que não lhe é dado ver...
    Bela postagem!

    ResponderEliminar
  6. Muito honestamente12/4/10 17:45

    Ao mais honestamente: O meu amigo está enganado. Não basta aumentar a energia. A energia é um monopólio natural, no entanto o monopólio da distribuirão acabou em 2006 como se poder ver clicando Aqui

    A concorrência há muito que está aberta a todas as empresas nacionais como a galp que prometia entrar no mercado e até hoje nada. E também as estrangeiras nomeadamente as espanholas. No entanto a EDP continua com pouca concorrência.

    Nenhuma empresa quer arriscar. Será por os preços da energia serem altos como todos afirmam? Então porque será esta falta de concorrência? Sempre que os privados entram em cena, os preços sobem e não há nenhum exemplo em Portugal que demonstre o contrário como o exemplo dos combustíveis.

    ResponderEliminar
  7. POIS MERECEU...
    ATINGIR E ATÉ ULTRAPASSAR OS OBJECTIVOS Á NOSSA CUSTA É MUITO FACIL,QUALQUER UM DE NÓS O FAZIA...
    NÃO VEJO ONDE ESTA A INTELIGENCIA DESSE SENHOR...
    UM ABRAÇO!
    LILI

    ResponderEliminar
  8. Vamos fazer uma petição ao Sócrates: ponha o Mexia a gerir a CP! Como o tipo é tão bom, tão bom, tão bom, a CP vai passar a dar lucros, e ele já se pode aumentar o que quiser que os contribuintes não se chateiam.
    ;-)

    ResponderEliminar
  9. joao serra12/4/10 22:27

    LINDO!!!

    Mexia para PM, Viva Portugal!!!

    Viva os PM's que sabem demais e depois morrem em acidentes de avião!!!

    Viva a Maçonaria!!!

    Viva o Controlo Mental!!!

    Viva a 3ª Guerra Mundial!!!

    ResponderEliminar
  10. A CP também é uma empresa monopolista. Ou outra qualquer que a substitua. Não há duas empresas a competir no mesmo percurso. Não se percebe porque dá prejuízo. O que há é muita gente que pode pagar e anda a viajar de borla com o beneplácito do governo. E por causa de uns pagam outros.

    ResponderEliminar
  11. eu acho que o homem deve receber um bom ordenado ,mas não concordo com a atribuição de bónus, por que ele é pago para por toda a sua competência no engrandecimento da empresa que gere, senão aplica as competências que tem e só as põe em campo com bónus ,então eu pergunto onde está a ética profissional?Assim podemos dizer que é um homem sem carácter e neste caso deve levar um pontapé no rabo e que procure bonus noutro sítio, que de certeza não encontra quem o queira por esse preço.
    Já disseram aqui para o transferir para a CP e eu acrescento a TAP e assim não precisavamos de um brasileiro para a companhia aérea.
    De tantos iluminados que temos nenhum tem uma solução para a crise do país a não ser bater sempre no ceguinho ( mais carenciados )Por favor tenham vergonha. Estamos conversados.

    ResponderEliminar
  12. A Angela Merkel, aconselhou os gregos,face ao risco de falência, que vendessem umas ilhas,das muitas que possuem!... Como em portugal a situação não está muito melhor, pois já estamos a rapar o fundo ao tacho, não seria uma boa ideia vender estas sumidades portuguesas em gestão: mexias, babas, ruis, penedes, granadeiros,... e no mesmo embrulho despachava-se à socapa o super inginheireiro, oferecido na compra do pacote completo. Saldavam-se as dívidas e era um descanso.

    ResponderEliminar
  13. Acabar com os bónus nas empresas com a tutela do estado ou outras é o mesmo que dizer que querem acabar com os Offshores. Todos sabem as malfeitorias que os mesmos provocam na economia, mas em parte nenhuma do Mundo capitalista os governos acabam com eles. Porque será?

    ResponderEliminar
  14. Muito honestamente,o sr. mexia portou-se muito mal com a história da Petogral de Matosinhos.Que se fodam os 2 trabalhadores mortos,sempre se poupou algum,na amnutenção de somenos questões técnicas, para os omniscientes accionistas e 'jestores'.
    Assinado:Farto de maniqueísmos

    ResponderEliminar
  15. Pó xor mexia muito onestamente(sic!sem H):'Recentemente, um estudo [17] revela os custos e os benefícios sociais de várias profissões. Assim, um operário da reciclagem gera o valor de £12 por cada libra que recebe ao passo que um banqueiro destrói £7 de valor social por cada uma libra das £500 mil a £10 milhões que aufere. E essa análise confirma o que modestamente já afirmámos em "Afinal qual a função social do capitalista" [18] ; isto é, capitalista é desperdício sob a forma de gente. '

    Entende xor onestamente?Honestamente,também as agências de rating e dos AAA 'merecem' bónus' e mordomias e, merecem ser salvos pelos dinheiros dos (tão caros,p/vª excª)contribuintes-Tax payers! e não irem para os calabouços mais lúgubres e serem arrestados TODOS os 'seus' bens-assim,seria uma DEMOCRACIA E JUSTICA,não uma CLEPTOCRACIA!FODA-SE,seu palhaço!

    Assinado:farto de esfregonas ao serviço das coisas mais ignóbeis.

    ResponderEliminar
  16. Noutros sítios do mundo há menos gente a andar de borla e as CP's que por lá existem não são diferentes da nossa: monopolistas e com prejuízos... mas concordo com a redução das «borlas» a começar pelas borlas que a CML paga aos copofónicos dos fins-de-semana à custo do dinheiro dos impostos dos trabalhadores.

    ResponderEliminar
  17. Srs. Políticos, deixem-se agora de hipocrisias… do politicamente conveniente… naquilo que alguns vêm falta de decência ou têm inveja!
    Estes lugares bem pagos e premiados jogam o mesmo jogo, das transferências e vencimentos dos jogadores de futebol e de outros desportos.
    Em princípio ninguém tem culpa de, haver quem lhes empertigue as carteiras – recebem o que lhes dão. Nem ninguém tem a ver com as empresas que estão dispostas a pagar! À excepção de ser o Estado com o nosso dinheiro. E isso é tanto mais grave se esses beneficiários são pagos, para serem os fantoches de alguém com perspectivas perversas.
    Há empresas que podem pagar e devem pagar; porque segundo as regras dos Clubes… é sempre preciso pagar mais um bocadinho para ficar com essas “cabeças” – outros estarão dispostos a isso!
    O MAL… ESSE, O MAL… é não sermos todos mais bem pagos, segundo a nossa produtividade!
    Ao governo resta-lhe apenas e só, saber taxar bem, quem bem recebe!
    E… JÁ AGORA: Estará escrito em algum livro sagrado que, nenhum vencimento poderá ser superior ao do Presidente da República ou ao Primeiro-ministro?

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo