sábado, maio 01, 2010

peace and love

Primeiro foi o Passos Coelho e depois a ex-sindicalista, agora Ministra do Trabalho quem veio pedir aos portugueses que não façam ondas, que não manifestem o seu desagrado pelas politicas liberais deste governo. Acenando com a crise pedem-nos que mostremos ao mundo que os trabalhadores acreditam no PEC e nas suas politicas. Devemos sorrir perante a perda de direitos e de poder de compra, os nossos que nos deles e do grande capital não se toca. Um manguito é o que eu lhes faço e apoiarei e estarei ao lado de todas as lutas. Podemos via a cair na lama da miséria, mas se isso acontecer que eles não se fiquem a sorrir nas suas mordomias e compadrios. Endividaram o país e fizeram disparar o défice para salvar bancos e banqueiros corruptos, mas para "salvar" este país nunca há dinheiro. Pior, ainda nos fazem pagar pela porcaria que fizeram. Rua com eles.

3 comentários:

  1. Zé Leitão1/5/10 16:11

    Tal e Qual.
    Abraço compadre

    ResponderEliminar
  2. CARO
    Kaos,
    Não sabia quem era a Ministra do Trabalho, pela primeira, vez vi-a há dois ou três dias na televisão a botar discurso, fiquei espantado, mas será que qualquer um agora é ministro???
    Meu Caro Amigo, Portugal precisa, para além de gente competente de gente que stenha capacidade de mobilização, que saiba cativar.
    Ora, com todo o respeito que a cidadã em causa me merece, digo-lhe com toda a convicção, que a Sra., não tem jeito nenhum para a sua função.
    Fiquei com a ideia duma pessoa sem energia, sem ânimo, sem alma, se se juntar com o Professor Cavaco Silva* e ambos botarem discurso um a seguir ao outro, não há suporífero que rivalize com tal dueto.
    Sinceramente, até eu fazia melhor, claro, que tenho muito mais experiência política do que a Sra. que ainda deve ser "novata" nas lides políticas, enquanto cá o rapaz iniciou-se nos idos anos de 69, como tal, no tempo em que havia a escola prática e um regime duropela frente, agora, aprendem nos livros, aprendem (?) muita Filosofia mas não aprendem a capacidade de cativar o pessoal, são muito "intelectuais" e fazem gala disso, de forma, que mais parecem emplastros do que outra coisa, e cá para nós que ninguém nos ouve, saibam uma coisa, o nosso maior problema não é o dinheiro, é a falta de auto-estima, de orgulho em nós próprios, ficamo-nos pelo limiar da sobrevivência, não exigimos mais, perdemos todo o amor-próprio e isso interessa à cáfila de chulos e oportunistas que varre esta pobre Nação, por isso, ser necessário arranjar figuras apagadas para cargos de relevo, ao invés de arranjarem gente corajosa, que conseguisse motivar este povo para vencer a batalha que temos pela frente e que vai ser muito dura, conseguir alijar a carga de dívidas que esta gente incompetente nos trouxe para cima das costas.
    Mas, claro, motivar os portugueses traz sempre o perigo de que possam abrir os olhos, e depois lá se iam as mordomias e os tachos.
    Cumprimentos.

    LUSITANO

    *-Raramente vejo televisão, apesar de tudo, as poucas vezes que tenho visto o PR é através desse meio de comunicação social, há dias, estava a trabalhar e calhou ter o rádio ligado, ouvi por acaso uma entrevista com Cavaco Silva e fiquei de tal forma espantado que até parei o que estava a fazer.
    O Presidente da República falava num tal tom arrastado e pesaroso, que, das duas uma, ou está doente, ou está cansado com esta trapalhada toda.
    Assim não vamos lá.

    ResponderEliminar
  3. Quando Sua Exª. o PR aparece no écrãn da TV para dizer algo, é para mim um motivo óbvio e lógico para mudar de canal ou a apagar.

    Como escreveu e muito bem o Lusitano que sejam os CHULOS e os OPORTUNISTAS a pagar a crise. Se os trabalhadores não tiveram culpa nesta "borrada" em que estamos, porque razão é nos vêm com música para a pagarmos sem protestar ?!!
    E se, teoricamente, fossem os culpados a pagar, quem é que lhes diria para não protestar ? Quem não está no poder ?!!

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo