quinta-feira, junho 17, 2010

Os contratos invisíveis

segredo de estado

Rui Neves foi presidente da comissão de contrapartidas entre Maio de 2005 e Fevereiro de 2007. Em quase 2 anos, o homem que devia fiscalizar os negócios das compensações garante não ter visto um único original do contrato de compra dos dois submarinos alemães.
Disseram-lhe que os documentos estavam guardados na residência oficial do ministro da Defesa, Paulo Portas, no forte de São Julião da Barra, em local de difícil acesso.

Os documentos estão desaparecidos desde então. Na instrução do processo que investiga o negócio das contrapartidas. Rui Neves disse que os projectos apresentados eram como "caixas de sapatos vazias". Mas, quando lhe perguntaram se não tinha desconfiado de nada, diz que apenas teve "suspeitas de café".

5 comentários:

  1. http://infamias-karocha.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Estão todos feitos...isto é um estado de direito!

    ResponderEliminar
  3. Os documentos "já se sabe"... estão imersos num desses submarinos!

    ResponderEliminar
  4. É difícil imaginar tanta imbecilidade... Querem então todos dizer que Portugal cumpriu e continua a cumprir religiosamente, todos os meses, com o pagamento das prestações dos submarinos, e ninguém sabe se os pagamentos que vamos fazendo, estão ou não de acordo com o contrato? Haja paciência para tanto delírio. Este tipo de comentários é digna do País de Fátima do Futebol e do Fado.

    ResponderEliminar
  5. De 2005 a 2007 PP não era ministro -outro que enfie o barrete!
    Se o Paulinho fez m... ponha-se na cadeia, agora o que outros fizeram...

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo