segunda-feira, agosto 30, 2010

O anjo da virtude


Como se não tivesse um passado, uma história, como se não o conhecessemos. Ouvir o Paulo Portas a falar no seu regresso das férias é como ouvir um anjo, uma virgem impoluta.
Temas, os de sempre, soluções para todos os problemas na ponta dos seus dedos.
Gostei sobretudo da sua proposta de que, "uma empresa que contrate um desempregado receba a verba que este auferiria se continuasse sem trabalho". Vai ser um "vê se te avias" de despedimentos para voltarem a contratar logo de seguida. Só faltava mesmo o Estado pagar também os salários aos trabalhadores dos "call-centers" ou às meninas da caixa do Belmiro.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo