sábado, dezembro 18, 2010

Sempre a limpar a casa do patrão


João Proença, secretário-geral da UGT, admite que o aumento do salário mínimo não se aplique todo em Janeiro, mas seja feito o mais rapidamente possível para que termine o ano de 2011 em 500 euros.

Mas porque raio tem ele de admitir seja lá o que for? Se há um acordo assinado por sindicatos, governo e patronato e se sabemos que 2011 vai ser um ano terrivel, não só para aqueles que não têm emprego, como também para aqueles que o têm, porque aceitar que os que ganham o mínimo não possam receber um pouco mais. Nem é muito, 25 euros por mês, 80 cêntimos por dia e as Confederações Sindicais dizem que não podem pagar logo em Janeiro? A quem faz mais falta esse dinheiro? Certamente não é ao Sr. João Proença.

1 comentário:

  1. A Mim Me Parece20/12/10 00:02

    Neste "boneco" o João Proença saíu mais parecido com o Herman José do que João Soares com João Villaret!

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo