segunda-feira, abril 11, 2011

Encontro das "esquerdas"


Para quem não é militante do PCP ou do BE é quase incompreensível que estes dois partidos não se unam, como única solução possível, para fazer frente ao capitalismo vigente, ao ponto a que nos trouxeram e sobretudo ao futuro que nos destinam. Talvez por isso ambos resolveram mostrar abertura a "contactos", mas ambos partiram para a reunião com o discurso feito e a estratégia decidida; cada um por si. Nunca se viu uma verdadeira vontade de sequer tentar. É pena porque são muitos que acreditam que as coisas podem ser diferentes e não vêm ninguém realmente empenhado em o conseguir.

5 comentários:

  1. Talvez a teoria de que estes partidos existem apenas para sabotar uma verdadeira alternativa não seja descabida tendo em conta os factos conhecidos e os desconhecidos como o financiamento do comunismo na Russia pelos capitalistas americanos!

    ResponderEliminar
  2. Bem, não é segredo nenhum, os próprios marxistas escreveram abertamente que isso deriva das contradições do capitalismo e que se devem aproveitar dessas contradições na acção política, o que eles fizeram com sucesso em 1917-1925. Isso está, salvo erro, no livro de Lénine "O imperialismo, fase superior do capitalismo", publicado em 1915, que explana toda a estratégia que venceu duas décadas depois, e que é fácil de encontrar online.

    ResponderEliminar
  3. É importante conhecer a história, isso é muito relevante para a análise política.

    Relativamente à revolução de 1917, os alemães estavam a combater em duas frentes e, ante a entrada dos Estados Unidos na grande guerra, precisavam de reforçar a frente ocidental com tropas da frente oriental. Por isso permitiram a passagem de Lénine, que estava exilado, para a Rússia, numa tentativa de provocar a saída da Rússia da guerra, num armistício que fosse favorável à Alemanha. Os blocheviques defendiam a saída da guerra e, dadas as condições deploráveis em que o exército imperial tinha que lutar, sem equipamento e logística modernas, conseguiram grande adesão junto dos soldados e das baixas e médias patentes do exército do czar. Foi Trotsky que ajudou a organizar os militares descontentes (de uma forma que depois se veio a reeditar em Portugal, em 1970-75).

    O facto de as potências ocidentais estarem em guerra umas contra as outras deu espaço aos bolcheviques para fazerem a revolução e conseguirem uma base de apoio muito alargada. Quando, finda a guerra em 1918, as potências ocidentais se viraram para a Rússia, só encontraram uma facção que poderiam apoiar: os brancos, defensores do czarismo. Os bolcheviques tinham conseguido seduzir todos os outros. Depois, as tácticas de guerra de terror empregues pelos brancos, bem como o seu anti-semitismo e anti-iluminismo, tornaram impossível a sua vitória.

    ResponderEliminar
  4. Irem juntos é um erro, o BE e o PCP conseguem mais votos indo separados do que juntos.

    ResponderEliminar
  5. Para haver alternativa à esquerda torna-se necessário um terceiro partido, que consiga fazer o que fez a Aliança Social Democrata que concorreu às eleições, na Islândia. As classes médias preferem a social-democracia ao marxismo.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo