domingo, julho 17, 2011

A Sra do MAMAOT e as gravatas


A partir de amanhã, os funcionários do Ministério da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território - MAMAOT - estão dispensados de usar gravata. A ordem dada pela ministra Assunção Cristas insere-se numa iniciativa denominada "Ar Cool".
No primeiro comunicado enviado a todas as redações, o MAMAOT explica que o objetivo é "minimizar o impacto ambiental associado ao consumo de energia elétrica na Administração Pública, tendo em conta as medidas de contenção de despesas". Uma indumentária informal permitirá maior conforto para os Secretários de Estado e todos os funcionários, já que a temperatura ambiente dos edifícios do ministério ficará nos 25 graus, entre 1 de junho e 30 de setembro.

Eu que nunca gostei de gravatas só posso apoiar a medida, mas não posso deixar de considerar estranho que ao fim de um mês de governação um ministro que tem à sua responsabilidade a Agricultura, o Mar, o Ambiente e o Ordenamento do Território tenha como primeira medida o dispensar os funcionários de usar gravata entre 1 Junho e 30 Setembro. Já agora podia também poupar na tinta necessária para imprimir o nome do ministério; Ministério da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território, para não falar de passar a ser conhecida pela Sra. Ministra do MAMAOT. (Podia ao menos retirar a parte do Ordenamento do território para se adequar mais à personagem).

4 comentários:

  1. o carrilho veio para a tv dizer que não usam gravata no verão há muitos anos MAIS CONVERSA PARA EMBALAR OS TUGAS COMO SE A DESPESA ESTIVESSE EM PASSAR O AC DE 18 PARA 25º
    acabem com as reformas milionarias dos ex PR e mordomias adicionais
    acabem com o custo diario de 45000€ em belém

    ResponderEliminar
  2. Em Portugal por cada 4 agricultores há um funcionário no Ministério da Agricultura. Espero que a Sra Ministra depois de os dispensar de usar gravatas, dê uma enxada a cada um dos funcionários para os pôr a trabalhar, que a Agricultura bem precisa.

    ResponderEliminar
  3. Vivemos actualmente num país que faz a política dos sinais. Ele é as viagens em económica, os governadores civis, os sub-directores disto e daquilo, as gravatas, o papel higiénico, etc..

    Esquecem-se do principal, dar trabalho aos desempregados, melhorar a vida de precários dos 300€ e reformados dos 246€ (que agora querem aumentar (sic) em 13 cêntimos por dia, RIDÍCULO), etc..

    Esta das gravatas para diminuir a "conta" da electricidade do ar-condicionado, é o mesmo que desligar o motor do carro a descer, para depois gastar mais gasolina a subir. Cabecinhas pensadoras estas.

    ResponderEliminar
  4. Já agora, podiam deixar de usar os títulos de Dr. e Engº, isso é uma coisa feudal, que já não se usa nos países desenvolvidos.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo