quarta-feira, setembro 14, 2011

Educação às escuras


Ainda me lembro de há pouco tempo não haver inverno em que não passassem nas nossas televisões reportagens em que se viam crianças e professores enrejelados em velhas escolas, um por todo este país, sem condições nem aquecimento. As criticas eram muitas e justificadas.
Não sou um fã da governação dos Socretinos, tenho muitas dúvidas sobre a forma como muitos dos negócios foram adjudicados e feitos, questiono a opção das mega-escolas, mas tem de se reconhecer que ao nivel das condições e equipamentos muito foi feito. Há hoje mais escolas bem equipadas e com melhor material pedagógico. (Pena que não se tenha apostado também ao nivel do número de professores e auxiliares).
Fomos agora confrontados com a informação de que muitas escolas não têm condições para pagar a luz devido ao aumento do IVA sobre a electricidade. Passos Coelho, na abertura do ano lectivo, sobre o aumento do IVA na luz e no gás natural, reiterou não haver excepções. «O desafio que as escolas têm não é muito diferente que a maior parte das famílias tem também, que o país vai ter de enfrentar, que é o de conseguir poupanças energéticas que permitam, com o aumento da factura, que os nossos orçamentos possam abarcar esse tipo de despesas». "Por erros de concepção, houve várias escolas, sobretudo desta nova vaga, que foram reabilitadas ou feitas de novo ao nível da Parque Escolar", que levaram ao "aumento dos encargos com consumos eléctricos muito para além daquilo que é normal" nas escolas. "Elas já estavam com dificuldades, o que significa que alguns desses projectos terão de ser revistos de modo a que as escolas possam fazer face, nos seus orçamentos, a esse tipo de despesas", afirmou.
Será que vamos voltar aos tempos em que os alunos estavam mais preocupados em aquecer os pés e as mãos que em ouvir o professor?
Será que era possivel haver escolas tecnologicamente mais evoluidas, melhor equipadas e com melhores condições sem que isso representasse um aumento de consumo de electricidade?
Não é o IVA um imposto cobrado pelo Estado pelo que facilmente poderia esse mesmo estado redericionar uma verba idêntica à recebida para as escola que são da responsabilidade do próprio Esatado?
Será que vamos ter de continuar a ouvir o Miguel Sousa Tavares comentar nos telejornais que também ele estudou em escolas frias e isso não o impediu de aprender? (Grande besta).
Será que não é possível criar um pequeno imposto sobre os lucros de milhares de milhões da monopolista EDP para cobrir o custo da electricidade das escolas?
Será que não é mais importante oferecermos aos nossos filhos uma escola de qualidade e com boas condições de aprendisagem?

7 comentários:

  1. Quimera, não leva acento agudo,oh professor!!!!

    ResponderEliminar
  2. Não sou professor e para mim todas as quimeras são agudas por mais graves que sejam.

    ResponderEliminar
  3. Cantinflas, não teria dito melhor...

    ResponderEliminar
  4. Então e na loucura das renováveis, colocar painéis solares nos telhados das escolas para se tornarem auto-suficiente e, quiçá, que tirassem algum rendimento dessas instalações como micro-geradores?

    ResponderEliminar
  5. *Cantiflas

    *aprendizagem
    e etc...

    Pronto, já vimos que vocês são muito originais e muito bons a fazer cartazes humoristas. Que tal aprimorarem agora esse português?

    ResponderEliminar
  6. O aumento da electricidade é inevitável por causa do ruinoso investimento nas renováveis com particular destaque para as eólicas. Se não fosse um pateta ignorante já tinha percebido isso. E prepare-se para começar a pagar lâmpadas (pseudo)economizadoras 10 vezes mais caras que as incandescentes, e se calhar a ter de substituir alguns candeeiros lá em casa, por causa das burrices que a verdalha nos está a obrigar a pagar - como o aumento do pão pela falta de cereais, uma vez que os campos servem para o biodisel.

    ResponderEliminar
  7. Prefere então a governação Cratina...

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo