domingo, setembro 18, 2011

Professores a dias

A nova medida do ministério da Educação e Ciência, que obriga as escolas que contratarem professores a avançarem com vínculos de renovação mensal, surpreendeu os diretores de escola, que pensaram que se tratava de um erro informático.

Os professores têm sido uma classe profissional sob fogo cerrado do poder. Lembro-me de em tempos ter lido um estudo em que os professores eram uma das profissões mais consideradas pelos portugueses e os políticos a classe que menos lhes merecia confiança. Será uma vingança? Porque andam a humilhar desta forma aquela que devia seruma das profissões mais nobres da nossa sociedade?
Há certamente razões económicas para tudo o que tem acontecido no ensino em Portugal, mas também devia haver mais consideração por aqueles que ensinam os nossos filhos e não podem ser tratados como tarefeiros. Ensinar é uma tarefa demorada e que obriga a um plano de trabalho e a muita paciência. Infelizmente tudo isso parece estar a ser esquecido pelo poder e os seus sindicatos mais preocupados em cumprir as suas agendas politicas de interesses. Dividir para reinar tem sido a políca e é cada vez mais difícil voltar a ocupar as ruas de Lisboa sobretudo após o triste caso do Memorando de Entendimento. Aos professores o que lhes resta é a sua dignidade e era em seu nome que deviam unir-se e voltar às ruas. Os professores não são "Mulheres a Dias" nem podem são descartaveis. Unam-se, não em nome de interessezinhos pessoais mas em nome da dignidade do trabalho que fazem. Mobilizem-se para as Manifestações de 15 de Outubro e vamos correr com toda esta escomalha que se banqueteia nas mesas do poder. Mobilizem-se não só os que hoje estão a ser prejudicados, (não o estamos a ser todos em nome dos sacrificios para salvar o sistema capitalista?), mas também aqueles que exigem que o ensino seja um trabalho feito com dignidade em nome dos nossos filhos.

3 comentários:

  1. só falta isso ser explicado por uma formula matemática! Como somos todos zero na dita o gajo fazia um brilharete e o pessoal ficava todo convencido disso mesmo

    ResponderEliminar
  2. O capitalismo é canibal.Só nos resta sair para as ruas e protestar para que isto mude.Caso contrário, vamos continuar a fingir que tudo está bem , e vamos continuar a ser comidos.E para aqueles que continuam a pensar que são imunes a tudo isto, desenganem-se porque quando não houver mais carne do povo para comer, o capitalismo volta-se para os seguintes, pois o capitalismo é canibal.

    ResponderEliminar
  3. Peço desculpa pelo que vou dizer ( e olhe que eu fui professora toda a vida - foram 40 anos ao serviço, fora os ameaços) mas o que resta e o que falta aos professores (grande parte deles!) é porem-se a trabalhar e deixarem de se lamentar de tudo! Nos últimos anos só me têm feito lembrar o Calimero!
    E olhe que eu sei do que estou a falar!

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo