terça-feira, outubro 18, 2011

O que se faz aos ladrões? Prendem-se


Ladrões, gatunos, filhos da puta, muitos são os nomes que chamam a este "gajo" e à corja de que faz parte. Uma corja que não existe só por cá, mas que governa todo o mundo. Eu nem sei como lhe chamar para mostrar a minha indignação, mas também a minha determinação em correr com esta cambada. Eles representam a criação de mais pobreza e mais miséria todos os dias um pouco por todo o lado. No passado dia 15 quase mil cidades por todo o planeta manifestaram-se num protesto contra este sistema e esta cambada. Por cá, pela primeira vez em 36 anos, não acontecia desde o cerco à Assembleia Constituinte em 1975, a escadaria da Assembleia da Republica foi ocupada por participantes numa manifestação. É na rua, na ocupação do espaço publico que está a força de quem deseje fazer a mudança. Temos todos de nos levantar dos sofás, desligar as televisões, sair para a rua e participar na exigência da mudança. Só juntos o podemos fazer.

8 comentários:

  1. Só lamento, que a maioria dos portugueses não se levantem, eu fui comando, contem comigo, digam dia e hora

    ResponderEliminar
  2. Vencimentos com valores médios em termos de carreira...

    G.N.R...............€ 800,00 - Para arriscar a vida.

    Bombeiro...........€ 960,00 - Para salvar vidas.

    Professor...........€ 930,00 - Para preparar para a vida.

    Médico...........€ 2.260,00 - Para manter a vida.

    Deputado...... € 6.700,00 - Para nos lixar a vida.
    Cá vai um importante contributo, que o Ministro das Finanças não continue a fazer de nós parvos, dizendo com ar sonso que não sabe em que mais cortar.

    Acabou o recreio e o receio!

    Todos os ''governantes'' [a saber, os que se governam...] de Portugal falam em cortes de despesas - mas não dizem quais - e aumentos de impostos a pagar.

    Nenhum governante fala em:

    1. Reduzir as mordomias (gabinetes, secretárias, adjuntos, assessores, suportes burocráticos respectivos, carros, motoristas, etc.) dos três ex-Presidentes da República.

    2. Redução do número de deputados da Assembleia da República para 80, profissionalizando-os como nos países a sério. Reforma das mordomias na Assembleia da República, como almoços opíparos, com digestivos e outras libações, tudo à custa do pagode.

    3. Acabar com centenas de Institutos Públicos e Fundações Públicas que não servem para nada e, têm funcionários e administradores com 2º e 3º emprego.

    4. Acabar com as empresas Municipais, com Administradores a auferir milhares de euro/mês e que não servem para nada, antes, acumulam funções nos municípios, para aumentarem o bolo salarial respectivo.

    5. Por exemplo as empresas de estacionamento não são verificadas porquê? E os aparelhos não são verificados porquê? É como um táxi, se uns têm de cumprir porque não cumprem os outros? e se não são verificados como podem ser auditados?

    6. Redução drástica das Câmaras Municipais e Assembleias Municipais, numa reconversão mais feroz que a da Reforma do Mouzinho da Silveira, em 1821.

    7. Redução drástica das Juntas de Freguesia. Acabar com o pagamento de 200 euros por presença de cada pessoa nas reuniões das Câmaras e 75 euros nas Juntas de Freguesia.

    8. Acabar com o Financiamento aos partidos, que devem viver da quotização dos seus associados e da imaginação que aos outros exigem, para conseguirem verbas para as suas actividades.

    9. Acabar com a distribuição de carros a Presidentes, Assessores, etc, das Câmaras, Juntas, etc., que se deslocam em digressões particulares pelo País;.

    ResponderEliminar
  3. 10. Acabar com os motoristas particulares 20 h/dia, com o agravamento das horas extraordinárias... para servir suas excelências, filhos e famílias e até, os filhos das amantes...

    11. Acabar com a renovação sistemática de frotas de carros do Estado e entes públicos menores, mas maiores nos dispêndios públicos.

    12. Colocar chapas de identificação em todos os carros do Estado. Não permitir de modo algum que carros oficiais façam serviço particular tal como levar e trazer familiares e filhos, às escolas, ir ao mercado a compras, etc.

    13. Acabar com o vaivém semanal dos deputados dos Açores e Madeira e respectivas estadias em Lisboa em hotéis de cinco estrelas pagos pelos contribuintes que vivem em tugúrios inabitáveis.

    14. Controlar o pessoal da Função Pública (todos os funcionários pagos por nós) que nunca está no local de trabalho. Então em Lisboa é o regabofe total. HÁ QUADROS (directores gerais e outros) QUE, EM VEZ DE ESTAREM NO SERVIÇO PÚBLICO, PASSAM O TEMPO NOS SEUS ESCRITÓRIOS DE ADVOGADOS A CUIDAR DOS SEUS INTERESSES, QUE NÃO NOS DÁ COISA PÚBLICA.

    15. Acabar com as administrações numerosíssimas de hospitais públicos que servem para garantir tachos aos apaniguados do poder - há hospitais de província com mais administradores que pessoal administrativo. Só o de PENAFIEL TEM SETE ADMINISTRADORES PRINCIPESCAMENTE PAGOS... pertencentes ás oligarquias locais do partido no poder.

    ResponderEliminar
  4. 16. Acabar com os milhares de pareceres jurídicos, caríssimos, pagos sempre aos mesmos escritórios que têm canais de comunicação fáceis com o Governo, no âmbito de um tráfico de influências que há que criminalizar, autuar, julgar e condenar.

    17. Acabar com as várias reformas por pessoa, de entre o pessoal do Estado e entidades privadas, que passaram fugazmente pelo Estado.

    18. Pedir o pagamento dos milhões dos empréstimos dos contribuintes ao BPN e BPP.

    19. Perseguir os milhões desviados por Rendeiros, Loureiros e Quejandos, onde quer que estejam e por aí fora.

    20. Acabar com os salários milionários da RTP e os milhões que a mesma recebe todos os anos.

    21. Acabar com os lugares de amigos e de partidos na RTP que custam milhões ao erário público.

    22. Acabar com os ordenados de milionários da TAP, com milhares de funcionários e empresas fantasmas que cobram milhares e que pertencem a quadros do Partido Único (PS + PSD).

    23. Assim e desta forma, Sr. Ministro das Finanças, recuperaremos depressa a nossa posição e sobretudo, a credibilidade tão abalada pela corrupção que grassa e pelo desvario dos dinheiros do Estado.

    24. Acabar com o regabofe da pantomina das PPP (Parcerias Público Privado), que mais não são do que formas habilidosas de uns poucos patifes se locupletarem com fortunas à custa dos papalvos dos contribuintes, fugindo ao controle seja de que organismo independente for e fazendo a "obra" pelo preço que "entendem".

    25. Criminalizar, imediatamente, o enriquecimento ilícito, perseguindo, confiscando e punindo os biltres que fizeram fortunas e adquiriram patrimónios de forma indevida e à custa do País, manipulando e aumentando preços de empreitadas públicas, desviando dinheiros segundo esquemas pretensamente "legais", sem controlo, e vivendo à tripa forra à custa dos dinheiros que deveriam servir para o progresso do país e para a assistência aos que efectivamente dela precisam;

    26. Controlar rigorosamente toda a actividade bancária por forma a que, daqui a mais uns anitos, não tenhamos que estar, novamente, a pagar "outra crise".

    27. Não deixar um único malfeitor de colarinho branco impune, fazendo com que paguem efectivamente pelos seus crimes, adaptando o nosso sistema de justiça a padrões civilizados, onde as escutas VALEM e os crimes não prescrevem com leis à pressa, feitas à medida.

    28. Impedir os que foram ministros de virem a ser gestores de empresas que tenham beneficiado de fundos públicos ou de adjudicações decididas pelos ditos.

    29. Fazer um levantamento geral e minucioso de todos os que ocuparam cargos políticos, central e local, de forma a saber qual o seu património antes e depois.

    30. Pôr os Bancos a pagar impostos.

    ResponderEliminar
  5. E julga que os prendem? Mais depressa me prendiam a mim se roubasse um paposseco....

    ResponderEliminar
  6. A Mim Me Parece18/10/11 23:07

    Lembre-se deste texto no dia em que o Kaos lhe pedir alguma coisa emprestada. Ou então dê-lha logo.

    ResponderEliminar
  7. desde os da cova da beira aos da cova do dente

    os soaristas já quase todos bateram a bota pai de santo e pai de sócrates incluido (o gajo que pôs estatuária na Covilhã e o Pero Vaz de Caminha tamém tão) logo só se prenderem os caixões

    os herdeiros do eurromilionário que roubou os ladrões angolanos
    já devolveram parte da maçaroca pró cadáver do papá militar do Prec não malhar na prisa

    os ladrões do Prec estão indo prá cova aos 20 por mês (é ler a obituaria)

    logo daqui a 100 anos já morreram todos e inda só o Isaltino e o Carlos dos cuz foram julgados

    oorrrraaa 2 julgamentos a cada 37 anos

    e 0% de cadeia
    acho que fica mai barato deixá-los cá fora

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo