quarta-feira, outubro 26, 2011

Uma hipocrisia tão legal como imoral


Miguel Macedo, ministro da Administração Interna, anunciou que vai renunciar ao seu subsídio de alojamento, depois de uma notícia avançada pelo Público ter revelado que este recebia o apoio, apesar de ter casa própria em Lisboa. "Por decisão pessoal minha, amanhã mesmo, vou formalizar a renúncia a este direito que a lei me dá".
Também o secretário de Estado das Comunidades José Cesário já informou que pretende abdicar do subsídio de alojamento que lhe é atribuído por lei, afirmando que não basta ser sério, é preciso parece-lo.

Se a hipocrisia pagasse imposto não havia mais necessidade de austeridade que esta gente pagava o suficiente para acabar com a divida externa e ainda financiar a economia. O subsidio que recebiam, e provavelmente muitos outros que eles ou outros receberão por qualquer outro motivo, até pode ser legal, mas é também imoral. Quando pedem sacrifícios enormes aos portugueses, lhes cortam os subsídios de Natal e de Férias, foi necessário que um jornal "metesse a boca no trombone" e a indignação pública fosse enorme para eles afirmarem ir desistir daquilo que nunca deveriam ter aceite receber. Não são os poucos milhares de euros que se vão poupar, uma migalha na despesa do estado, que é importante, o que é significativo é a atitude e o que isto revela sobre a sua forma de estar na vida pública. Migalhas, mas que mesmo assim só para ir visitar a família esta gente necessita do mesmo dinheiro que três famílias, que ganhem o ordenado mínimo, têm para viver durante um mês (os tais que vivem acima das suas possibilidades). Sem esquecer que quem definiu e aceitou oferecer esta benesse aos seus ministros e secretários de estado foi o próprio Passos Coelho, o tal que prometeu, antes de ser governo, não ir aumentar impostos nem roubar subsídios.

PS: Boneco do m(iguel) & m(macedo) baseado na ideia de um amigo que lhe agradeço.

5 comentários:

  1. Se recebem subsídio é porque recebem o subsídio, se não querem o subsídio é porque não querem o subsídio... porra!
    Decida-se! Até a gaja do concurso da TVI diz coisas mais inteligentes: como África ser um país da América do Sul...
    Foi com gente que só produz raciocínios deste calibre, que este país se enterrou na merda em que está. Haja foguetes, prozacs, e alka seltzers para aturar tanta estupidez...

    ResponderEliminar
  2. Para todos estes cabrões que receberam estas benesses (digo TODOS) se lhes restar uma pequenina réstia de dignidade (que duvido que a tenham), deveriam devolver com juros todo o dinheiro recebido até hoje.

    ResponderEliminar
  3. "Todo o néscio encontra sempre outro ainda mais néscio capaz de o seguir e de o louvar",e de o defender.
    Como se pode explicar o que é dignidade a quem a não tem?

    Um abraço,
    mário

    ResponderEliminar
  4. Anónimo das 08:28
    Se desistiu agora de receber o subsidiom é porque tinha consciência que nunca o deveria ter aceite. Uma hipocrisia que mostra a falta de caracter desse senhor. Só desistiu porque foi "apanhado" ou então continuaraia a receber mesmo sabendo dos sacrificios a que obriga os outros. Já agora talvez fosse bom que parasses de ver os concursos da TVI porque parece que te estão a fazer parar o cérebro ou então posso estar enganado e estejas ao nível de participar neles. Quanto ao prozac tenta antes um martelada na tola. Pode ser que ele passe a funcionar

    ResponderEliminar
  5. hahahhaha....grande kaos...

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo