terça-feira, novembro 01, 2011

O pecado da palavra

O vice-presidente da bancada parlamentar do PS, Fernando Jesus, acusou hoje de irresponsabilidade e deslealdade as vozes que propugnam um voto do partido contra o Orçamento de Estado para 2012.Fernando Jesus afirmou textualmente que "os responsáveis do partido que têm vindo a público emitir a sua opinião sobre o voto no Orçamento, antes de a Comissão Política do PS reunir e decidir, estão a revelar deslealdade em relação à direcção". E acrescentou que os membros do grupo que propõe um voto contra o Orçamento "revelam também irresponsabilidade nos actos que praticam".

Há muito que critico aquilo a que teimam em chamar de democracia mas que não passa de uma outra forma de manutenção do poder de alguns e de regalias de outros. Controlando os meios de comunicação social, fazendo as leis e "premiando" quem mantenha as aparências de alternativas foi fácil criar um sistema em que se garante uma politica de alterne que nos convence, de quatro em quatro anos, que temos opções de correr com quem nos mentiu e lixou para lá colocarmos outro que nos vai também mentir e lixar.
Mas isso é na politica mais generalista, porque quando chegamos aos partidos, ai nem a voz é livre. As direcções impõem a sua lei da rolha e obrigam, até aqueles que foram eleitos nessa falta democracia, a obedecerem às ordens de uma liderança, por mais patética e inconsequente que ela seja.
Este orçamento é um caso daqueles que envergonha todos os que foram eleitos sob a bandeira de um partido, que mesmo não o sendo, se chama de socialista. Um orçamento que viola a Constituição, que condena um povo à pobreza e à miséria e que em muito ultrapassa as próprias exigências internacionais para garantir a ajuda externa e o cumprimento do acordo feito com a Troika não devia necessitar de qualquer discussão e obrigatoriamente ser chumbado. Não o fazer e ainda criticar aqueles que o defendam é a demonstração de que a democracia não passa de uma palavra sem sentido na boca desta gente.

9 comentários:

  1. Então se dizes que controlando a comunicação social se controla o povo, é porque o povo é estúpido. Porque é que o povo não vê que está a ser "controlado"? Porque é que o povo não segue as tuas palavras sábias? Não é tão claro que tu tens razão? e tu não consegues fazer ouvir a tua voz através da blocoesfera?

    ResponderEliminar
  2. anónimo das 10:32
    Claro que a comunicação social influencia e controla as pessoas. A televisão é gerida por especialistas em comunicação e em controlo mental. Não vamos ser ingénuos. Quanto ao povo ser estúpido é uma parvoíce. Também o Hitler levou multidões atrás e isso não faz dos Alemães gente estúpida. O controlo de massas é há muito tempo uma ciência utilizada por ditadores.
    Quanto às minhas palavras não são mais nem menos sábias que as dos outros, são simplesmente minhas e era o que faltava que não as pudesse dizer. Digo o que quero e o que penso e não procuro seguidores. Cada um que pense pela sua cabeça e chegue às suas próprias conclusões.
    Vêm aos meus blogs cerca de mil pessoas por dia porque querem e certamente já influenciei algumas mas esse não é o objectivo.Nunca foi.
    Quanto ao quereres comparar o poder de televisões com blogs mostra que vives num mundo fora da realidade. Abre os olhos

    ResponderEliminar
  3. A patética oposição do PS ao governo de Vítor Gaspar pretende esconder, com gastos truques de ilusionismo, o confisco (aos trabalhadores do privado) e penhora (aos trabalhadores do Estado) do subsídio de desemprego, do 13º mês, do subsídio de férias, da semana de 40 horas de trabalho, das horas extraordinárias pagas em dobro, etc, etc, etc. Adivinhem que primeiro-ministro decretou todas estas leis, lá para os idos de 1975?

    A resposta (para quem não adivinhou) é Vasco Gonçalves. É sabido que o ódio contra este primeiro-ministro e membro destacado do Movimento das Forças Armadas foi grande, avassalador, mesmo. Grande ódio lhe dedicaram os corruptos portugueses, pródigos em "desenfadamentos", para usar a expressão com que Fernão Lopes caracterizava as actividades dos apaniguados da coroa de D. Fernando e Leonor Teles, e que foram destronados pela valente revolução de 1383-85. Já os apaniguados semi-destronados pelo "gonçavismo" viviam, antes de 1974, à sombra do jardinismo santa combense, que o jardinismo madeirense é tão só uma materialização do aforismo desse outro demónio que, já no século XIX, dizia que as grandes tragédias da História têm tendência a revisitar-nos sob a forma de comédias.

    Porém, nada de novo haverá aqui. Também grande ódio dedicaram os jogadores do Casino de Wall Street ainda a Franklin Delano Roosevelt por muito menos extensos feitos que Vasco Gonçalves, a saber, a reforma da Segurança Social e leis para pôr na ordem o Casino nova-iorquino.

    Que no PS também haja esse ódio --- que implica o desprezo a qualquer noção de respeito e incentivo pelo trabalho e respectiva produtividade --- isso não me espanta.

    Pode, contudo, estar a espantar alguns portugueses que, adormecidos pela voz maviosa do socialismo engavetado vai para trinta e seis anos, deixaram chegar isto ao estado em que hoje se encontra.

    ResponderEliminar
  4. Grande Kaos, "dá na cabeça" a esta corja indecorosa de proxenetas, mentecaptos, aldrabões e passo a expressão...."FILHOS DA P***".

    ResponderEliminar
  5. Abre os olhos tu. Se saíres à rua verás que todos acham que somos governados por corruptos. Todos acham que o Duarte Lima é um assasino, todos têm a certeza que o governo nos rouba. Ainda dizes que são os "especialistas em comunicação"?? Pateta. Eles limitam-se a fazer o que a MALTA QUER! Foi isso que levou Hitler ao poder. Atrasado!

    ResponderEliminar
  6. o povo de fora das grandes cidades é estupido sim mesmo nas cidades...muitos votam porque o gajo é bonito tem uma voz bonita veste-se bem pagou o almoço e ofereceu umas canatas do partido o padre da aldeia disse que era melhor votar no A ou B ou porque na TV o artista tal que é da novela x deu a cara por aquele partido etc SE O POVO NÃO É ESTUPIDO AS ELEIÇOES SÃO MANIPULADAS PORQUE SOMOS O PAÍS MAIS INFORMATIZADO E AS ELEIÇOES AINDA SÃO POR PAPEL ONDE ATÉ OS MORTOS VOTAM???????????????????????????????????????????????

    ResponderEliminar
  7. Caro anónimo: à malta venderam a social-democracia sueca, desejada pelos portugueses desde 1945, e essa foi uma narrativa poderosa (enquanto durou). Mas os portugueses foram enganados, saiu-lhes gato em vez de lebre. Compraram-nos com dinheiro para destruirmos a nossa economia. Os portugueses já perceberam isto perfeitamente, agora só falta congregar vontades. Não é fácil, mas há-de acontecer. Não andaram os nossos antepassados novecentos anos a sacrificar-se e a morrer pela Pátria para nós ficarmos para aqui a deixar que nos ocupem o território sem luta.

    ResponderEliminar
  8. com Tordesilhas tivemos 1/2 mundo agora não temos nada o que há cá é do eduardo dos santos e filha do Jerónimo Martins do Amorim mais uns poucos e da Alemanha de França etc etc

    ResponderEliminar
  9. a culpa foi da mãe do Afonso Henriques devia-lhe ter dado umas lambadas!
    Itália devia indemnizar Portugal por no tempo dos romanos terem assassinado Viriato.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo