sábado, dezembro 31, 2011

2011 deu o que tinha para dar. 2012 vem já aí


Está-lhe a acabar o tempo

10 comentários:

  1. Como diz o provérbio popular, não há mal que sempre dure, nem bem que não se acabe.
    Boas entradas em 2012.

    ResponderEliminar
  2. Definamos como queremos alcançar um melhor ano!

    Bom ano!

    ResponderEliminar
  3. Zedeportugal
    Mas também não há bem que não possa ser conquistado nem mal que não possa ser derrotado
    Bom Ano de 2012

    CRN
    Como? Lutando contra os poderes instalados, sejam eles quais forem, e lutando por uma democracia mais participativa e livre, sem o chicote dos poderosos ou os arreios de dirigentes. Uma democracia sem jogos políticos, sem donos e com a liberdade defendida por todos.
    É possível se todos nos juntarmos.
    Bom ano

    ResponderEliminar
  4. É preciso que nos juntamos todos, esses os donos do poder estão sempre juntos, e mais ou menos unidos, nós os oprimidos andamos quase sempre agachados ou tresmalhados.

    Um bom ano.
    José.

    ResponderEliminar
  5. Ontem já era tarde.

    Um forte abraço,
    mário

    ResponderEliminar
  6. Aos parvos alegres que nos desgovernam e ficam impunes desejo que vão abaixo de Braga, como se diz na gíria, que tenham o que merecem!
    Ao Kaos votos de um Bom Ano a presentear-nos com as brilhantes imagens que nos dão boa disposição!

    Zé de Aveiro

    ResponderEliminar
  7. Não me acredito....

    Beijinhos e Bom Ano. Obrigada pela vossa constante imaginação.

    ResponderEliminar
  8. Um Bom 2012 Kaos

    Por muito difícil que seja e vai ser.
    Os mesmos votos para todos os comentadores.

    ResponderEliminar
  9. Anónimo4/1/12 17:25

    Que podemos fazer se estamos rodeados de corruptos e ladrões.Instalaram-se "demo-cráticamente"e agora?Por mais que esperneemos eles continuam a insul-tar-nos e a rirem-se de nós. Ma-landros.Entram de moto para as reu-niões e saem em automóveis de alta cilindrada e luxuosos culpando o Sócrates que nos abandonou e foi para Paris a gozar a reforma paga por todos nós.Luís Janeiro

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo