quinta-feira, fevereiro 02, 2012

O Filho da outra


Apesar de Passos Coelho estar diante de uma plateia de militantes da distrital de Lisboa, o seu discurso centrou-se mais na mensagem de que o Governo “não desistirá de cumprir o programa que outros negociaram para Portugal e que os portugueses merecem que seja executado”. Até porque para o PSD, sustentou, as medidas inscritas no memorando de entendimento com a troika convergem com o programa eleitoral do PSD e com o programa do Governo.
“No programa eleitoral que apresentámos no ano passado e no nosso programa do Governo não há uma dessintonia muito grande com aquilo que é o memorando de entendimento”, afirmou Passos, notando que o acordo com a troika não consiste numa “obrigação pesada”. “Não fazemos a concretização daquele programa obrigados, como quem carrega uma cruz às costas”, salientou.

Só não lhe chamo o que me apetece chamar-lhe porque não conheço a Senhora sua mãe e ela até pode não ter culpa de o filho parecer mais filho da outra que dela. Usa-se da troika para justificar as mentiras do programa eleitoral e agora vem dizer que as medidas da troika sempre foram aquilo que desejou fazer ao país. Está por isso a fazer aquilo que queria fazer, com ou sem troika, que sempre pensou empobrecer o país, exportar os nossos jovens licenciados, aumentar o desemprego e lançar o país numa negra depressão de fome miséria e morte.
Quando até os patrões da Troika já falam da necessidade de não apertar tanto a austeridade, na necessidade de pensar no crescimento e na criação de empregos, ao Passos Coelho nada lhe pesa. Afinal são os outros que acabam a carregar a cruz às costas.

5 comentários:

  1. Já se sabia que iria ser assim, mais cinco menos cinco, com Troika ou sem ela.

    O que passa despercebido a muita gente é a forma como estes gajos vão fazendo as coisas, uma hoje, outra amanhã, outra mais grave para a semana, depois uma abébia para incauto "comer" depois-de-amanhã, e assim nos vão enrrabando. Repara, a quantidade vigarices, trafulhices, aumentos, roubos em salários e pensões, atropelos à constituição que juraram respeitar e defender, etc., etc., etc., a malta salvo uma ou outra greve, uma ou outra manifestação, nada faz de concreto. E claro, vem sempre à baila a velha máxima "brandos costumes" frase que nos cabe mesmo bem, somos um povo que ainda não se libertou da canga fascista de 48 anos, ainda não sabemos exercer a cidadania, e é por isso que vemos/ouvimos frases deste tipo: "...já viu, o meu passe aumentou de 18€ para 29€, mas que havemos de fazer...."
    ou
    "....estes filhos de puta roubam-me os subsídios de férias e 13º mês, merda para tal gente, mas porra o que vou fazer...."
    etc., etc., etc.

    E que tal uma greve geral, eu disse GERAL por tempo indeterminado.

    ResponderEliminar
  2. Este gajo é um autêntico parasita e como tal deve ser arrumado o quanto antes...

    ResponderEliminar
  3. Anónimo2/2/12 21:01

    oh o homem não tem culpa a culpa é da troika com o socras a culpa era da crise americana e depois da europa eles nunca têm culpa REALMENTE COMEÇO A DAR-LHES RAZÃO A CULPA É MESMO DO POVO QUE ESTUPIDAMENTE CONTINUA A POR LÁ CABRÕES QUE PASSAM A VIDA A FODER-NOS

    ResponderEliminar
  4. Passos Coelho é aldrabão, um charlatão, ai, e a minha mulher diz-me sempre, o bonitão .

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo